Últimos assuntos
Parceiros








Fórum AG


Traição Com Um Pouco Mais de Laqué

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Traição Com Um Pouco Mais de Laqué

Mensagem por Jyunirii em Qui Out 09, 2014 6:50 am

Na realidade essa fic não é novidade nem nada, mas eu quis trazer pra DZ porque de todas que eu tive a desgraça de escrever, essa é o meu xodó por eu conseguir fazer da Ruki o que eu mais amo quando se trata de Ryouki.

Sim, Ryouki a níveis extremos. Muito cuidado ao ler.
Se quiser ler ela no Fanfiction e lá deixar seu review: (Ou<)v

Diferente do FF, eu revisei ela e arrumei.
Sem mais, divirtam-se ou se corte se tu é rukatista.
Classificação: M


O céu era brilhante e azul, e no prédio de um famoso estúdio de fotos do Japão, era refletido nos vidros.

O celular vibrava e tocada uma melodia que se assimilava ao "Moon Fighter". Uma mulher atendeu.


- Alô?

- Ruki? - dizia uma voz inocente do outro lado.

- Fala, Takato. Que foi?

- Deixa eu te perguntar: você ainda está no estúdio?

- Sim, por que?

- É que eu queria te convidar pra tomar um cappuccino com os Tamers. Que horas você sai dai?

Ela agitou o pulso e olhou no relógio de prata, delicado, preso leve ao seu pulso.

- Onde é?

- Alamanda.

- Beleza... Estão todos aí?

- Falta os pequenos, eles ainda não saíram da escola. O Lee-kun está saindo do serviço daqui a pouco e o Ryou-san está no trem pra cá.

Ryou. Ela suspirou.

- Uma hora e meia já estou aí, ok? Vou me trocar e já estou indo.

- Ok então. Até!

- Até!

Olá a todos os leitores que acompanharam Digimon Tamers e esbarraram nesta fanfic, e aos novatos muito prazer. Eu sou a Ruki. Makino Ruki.

Faz tempo não? Dez, onze anos que a gente não se vê mais...

E Dez, onze anos que boa parte da galera aqui não se vê. É sério.

Depois daquela Packet Call, pessoal se separou. Voltei a encontrar o Jen, a Juri e o Takato na faculdade. Não sei nem como está o Kenta, o Hirokazu, nem a Shiuchon, os gêmeos e o ... E o Akiyama. Sendo ele que mora lá nos quintos de Fukuoka e ninguém - repito: NINGUÉM - sabe onde infernos fica a casa dele, ninguém o visitou.

Soube que muitos de nós se tornaram boas pessoas, promissoras...

O Jenrya está no terceiro ano de Engenharia, o Takato no segundo de Jornalismo. A Juri no primeiro ano de letras, a Shiuchon tá se formando na escola, os gêmeos etsão no ensino médio e eu não sei que destino o Akiyama tomou. O Hirokazu faz ... Enfim, não sei, e o Kenta resolveu ser médico.

Eu estou no segundo ano de Moda e Design, em Toudai. Boa parte do pessoal está lá.

Eu gostaria de rever todo mundo. Afinal, fomos tamers, e ainda somos(?) amigos, de um ou outro jeito. Então eu fui até o vestiário, tirei aquela roupa pra posar e vesti a minha e desci o prédio para ir a garagem e pegar meu corolla preto. Meu desejo há de se realizar hoje.


...oOo...

- Ela tá demorando... - Disse Hirokazu

- Calma, Hirokazu - acalmou Kenta - Ela trabalha lá em Shibuya, e está um inferno o trânsito pra cá.

Na mesa estava 9 pessoas. Um homem magro, com a aparência de um menino de boy-band, uma mulher, de cabelos acastanhados e olhos amarelos, um rapaz de pele parda e com aparência meia-chinesa (e muito sexy, ao ponto de chamar a atenção das pessoas na cafeteria), um menino mais baixo, com o uniforme verde, do outro lado, uma menina de cabelos castanhos escuros e com a versão feminina do unforme verde do irmão, uma garota de cabelos compridos e róseos, um homem com a pele alva e cabelos esverdeados, outro, de pele levemente corada e com um boné e na ponta um homem, aparentemente o mais velho, de olhos azuis e cabelos desgrenhados para o alto.

- Ela disse que viria, Takato-kun? - Jenrya dizia, com uma voz meio impaciente.

- DESCULPEM O ATRASO!

Eles - e todo o café - se virou para uma mulher magra e de cabelos compridos e ruivos - com mechas amarelas. Ela vinha andando, colocando alguma coisa na bolsa preta com uma corrente, e não há como não reparar na roupa: um corsário jeans, uma camiseta branca com uma estampa de uma boca com batom vermelho e algumas letras em preto. Um scarpin preto, de um salto de 8 cm agulha, e um chapéu preto com uns detalhes brilhosos. Ela parou na mesa e descansou um pouco, depois levantou a cabeça, revelando os olhos únicos e igualmente bonitos.

- Estava um inferno para chegar aqui. - ela disse, respirando fundo e lento.

Os mais novos e o resto do café olharam para o Outdoor, no alto do prédio da esquina, com uma foto dela, pra Shiseido, e ela estava tão bonita quanto naquela foto.

- Eu ainda não acredito que ela tenha virado modelo e maquiadora da Shiseido, viu... - disse Kenta, surpreso e desapontado - Achei que ela seria engenheira...

- Eu poderia, Kenta, mas não vejo muita graça. - Jenrya a fitou, sério - Mas parece ser bem interessante.

Ruki pegou uma cadeira e se sentou. A garçonete chegou na mesa da turma.

- O pedido de vocês?

Todos fizeram seu pedido - exceto Ryou, que ficou calado, olhando pra janela.

- E a sua... Ahn... Alteza? - Disse a garçonete.

- Ahaha pode me chamar por Ruki mesmo... Um cappuccino com chantily, por favor.

- Anotado.

A garçonete se virou pra ir... Mas logo voltou.

- Ruki, posso te pedir um autógrafo?

- Claro - e ela sorriu.

Todos estavam animados. "Kyaaaaah! Ruki-nee-chan, você tá linda como sempre!" "Muito obrigada Shiuchon-chan... como vão todos?"

Mas havia um que estava muito calado. Este era Ryou.

Até que ela notou.


- Está bem quieto, não, Akiyama? O que houve?

- Nada não. - ele suspirou e olhou direto nos olhos dela - A gente pode conversar um minuto, a sós?

Senti nos olhos deles um brilho que reconheci de imediato. O brilho do passado.

- Claro.

Nos levantamos e pedi desculpas e que não iríamos demorar. E saímos do café.

- E que comece as fofocas, minha gente. - anunciou Shiuchon colocando o cotovelo na mesa e apoiando seu rosto na mão.

...oOo...

Lá fora o vento era bem agradável. Ficamos entre o prédio vizinho e a Alamanda.

- E então?

- Bom Ruki... - ele olhava o chão, mas pegou fôlego e olhou nos meus olhos - Quero te falar duas coisas.

- Pois diga.

- A primeira é sobre... Aquilo.

Eu dei um sorrisinho sem graça.

- Mais uma vez, preciso me desculpar contigo sobre o que aconteceu há oito anos atrás.

- Bom, o que está no passado fica no passado, certo?

- Certo... eu acho.

- E a segunda coisa? - eu perguntei.

Um carro passou.

- A segunda coisa é que eu não consigo mais cumprir minha promessa de oito anos atrás, Ruki, eu sinto muito.

- Não... tem problema, eu acho.

- Aliás... Me mudei pra cá.

Dei uma olhadinha sexy e pensativa para o lado e peguei meu celular.

- Anota aí teu número. - entreguei pra ele meu celular - manteremos contato, e talvez a gente converse sobre isso. Sabe... eu ando bem ocupada.

- Eu sei.

Rápido, ele anotou o número no meu iPhone preto e logo me entregou, Ele se virou pra voltar pra cafeteria, mas antes de entrar ele disse:

- E você está muito linda, sabia?

- Ora obrigada.

Entramos na cafeteria e o nosso grupo olhou para nós com num ar de "... pode contar tudo!"

A tarde foi muito agradável, leitor querido. Depois de ter falado comigo, o Akiyama se soltou mais e ficou muito alegre. Contamos aventuras, romances, piadas e tudo mais, e todos saíram ás oito da noite. Afinal, era sábado, pessoal queria dormir.

E... Acho que devo explicar o que é... Aquilo.

Há oito anos atrás - eu tinha por volta de doze anos, por aí - eu resolvi assumir pro Akiyama que eu estava louca por ele. Por acaso eu o vi no parque, mas ele estava com uma menina da idade dele - 16 anos, naquela época - extremamente linda, e ele era louco por ela. Segui eles até um motel, e consegui ver tudo lá de dentro, sem que eles me vissem. Como? Bons mágicos não contam seus meios.

Depois, coisa de dias, eu briguei feio com ele. "É claro que eu invejo aquela vadia, porque ela sentiu o que eu não senti, viu o que eu não vi e diferente de mim ela foi correspondida!" Ele me tratou como se fosse uma menininha de cinco anos, ele gritou pra todos ouvir "Eu nunca mais chegarei perto de você, Makino Ruki!".

Fiquei deprimida e me afastei bastante dos tamers. Os que restaram fiz eles prometerem que ocultariam as minhas notícias, até que um dia, quando eu ainda cursava o segundo ano colegial, fui convidada pra posar num comercial jovem da Ribbon e assim minha carreira de modelo bombou pelo mundo. Embora eu evitasse me expor ao máximo, você sabe... Paparazzi é complicado. E complicado foi ele ficar sabendo de mim via site de paparazzi.

Confesso, ainda sinto uma pontinha de borboletas alegres e rosinhas por ele, mas não quero que ele sufoque minha carreira nem tampouco saiba disso. Sei que antes tinha jurado não segui a carreira de modelo, mas isso já está no sangue das mulheres Makino.


...oOo...

- DJ, PUT IT BACK ON!

A Shiseido comemorava porque a nova modelo japonesa Ruki Makino - eu - estaria estampando o site com uma nova linha de maquiagens, ao lado das cantoras do grupo coreano Girls' Generation.

Mais, estaria no desfile Summer, onde reuniria as mais famosas modelos do mundo. Imagina, eu desfilando com aquela modelo brasileira, ou ainda... Naomi Campbell! Sonho, não?

Eu sei!

Devo agradecer muito à minha amiga Jun Motomiya (ela mesma, a irmã do Daisuke Motomiya) que me jogou pra uma seleção da Shiseido sem eu saber. É, ela simplesmente mandou uma mensagem pra mim. "Ruki a Shiseido quer que você vá no prédio deles daqui a duas horas. E quando voltar, compra um pacotinho de bolachas? vlw =)"

Bom... Mas já ouviu aquele ditado "tudo que é bom vai durar pouco"?

Bem, quando tava pela metade a festa, tive de ir ao banheiro, que era no quarto andar (e a festa era na cobertura do prédio). Pois bem, eu me perdi. E pra variar: meu salto quebrou. Bravo.

Vagando pelos corredores com os meus sapatos nas mãos, ouvi gemidos. "Certo, isso sempre acontece em festas grandes, não é da minha conta" e tentei ignorar...

Tentei. Conforme eu avançava no corredor, ficavam mais fortes. E eu reconheci o gemido feminino.

Eu havia chamado a Jun pra festa, e não deu 15 minutos que ela chegou que sumiu.

Localizei a fonte, era a penúltima porta do corredor, à minha direita. Estava entreaberta, com a luz ligada. Me aproximei.

Olhei. Era a Jun, de toda a certeza, mas o rapaz eu não reconheci.


- Ela não vai ficar sabendo, né?

- Se a Ruki ficasse sabendo com quantas amigas dela já dormi, nem mais olharia na minha cara. - disse uma voz familiar. Esta mesma voz deu uma risadinha.

Aos meus ouvidos tudo se cessou e entendi com quem a Jun estava.

Ryou.

Não quis mais olhar e recuei, correndo e tentando não fazer barulho. Subi as escadas e pedi pra que me indicassem a saída, precisava sair dalí depressa.

O diretor da Shiseido disse que daqui uma semana o Summer iria acontecer. "Prepare-se, queremos ver todo seu potencial".

Mas porra... Eu estou destruída por dentro! Querendo ou não, ainda gosto dele!

...oOo...

- Ela não atende... - dizia Jun, no prédio da Shiseido.

Dia seguinte eu troquei meu número de celular e configurei meu telefone fixo pra não receber números dela nem do Akiyama. Ah, e o número dele eu bloqueei e apaguei da agenda do meu celular.

Com minha mãe fora, foi relativamente fácil deixar o interfone da casa mudo e eu quietinha, chorando, lá dentro.

Mas... Aí... Eu tive uma ideia para deixar minha mente um pouco mais calma e me vingar tal como uma Makino deve fazer. Saí procurando pela casa um kit disfarce que a Rumiko tinha sempre.

Achei algumas roupas velhas, um spray pra cabelo preto e uma maquiagem velha. Isso! E não demorou muito pra eu sair de casa parecendo uma japonesa comum.

O primeiro lugar que eu fui foi numa lojinha de presentes, essas que você acha perto de qualquer papelaria. Lá comprei uma caixinha de madeira e um pedaço de papel crepom.

Depois, passei em uma outra loja de conveniências, mas não direi o que eu comprei. Logo voltei pra casa e armei meu presentinho.

Tomei um banho, deixei tudo desabilitado e segui pra academia. A caixinha de madeira era só parte do meu plano.

Segui direito a dieta de meu médico, cortei contato com todos [ exceto Jen e Takato, que eu fiz jurar que não abririam a boca ] , dei um trato no cabelo e fui para o Summer, em Seul.

Segundo o cronograma, eu seria a terceira a entrar no palco. Antes viriam uma moça Americana e outra Sul-Coreana, e depois eu. Iria mostrar os biquinis.

Quando eu fui pro camarim me vestir, lembrei de súbito daquilo que o Akiyama falou pra Jun, e uma lágrima escorreu no meu rosto. A limpei e coloquei o biquini.


- E AGORA, A MODELO JAPONESA RUKI MAKINO COM A NOVA TENDÊNCIA DE BIQUINIS NO VERÃO MUNDIAL! - anunciou o mestre de honras do desfile.

Respirei fundo, falei bem baixinho "me assista, seu miserável" e entrei com tudo na passarela.

Flashes, pessoas que se levantaram pra ver melhor, todas as câmeras mirando em mim...

Aquele maldito não saia de minha mente, mas que se foda, não vou desmoronar por causa dele.

Depois deste pensamento, só lembro que eu desfilei com mais alguns modelitos e dei umas entrevistas.

Naquele dia teve uma festa pra comemorar a audiência do Summer no mundo, para as modelos, e mais uma infinidade de motivos, mas me cansei logo e resolvi ir para o hotel.

Eis que Takato conseguiu me ligar.


- RUKI!

- Ai ai, Takato, fala baixo. - tinha afastado o telefone de minha orelha, mas logo o retornei.

- Vimos o desfile, você foi demais!

- Ahahaha obri- "vimos"?

- É, está todo mundo aqui! Eu o Lee-kun, o Kenta, o Hirokazu, o Ryou, a Junie...

- Oh. - tentei domar a tristeza em minha voz. - Olha, depois eu te ligo, ok?

- Tá bom, e parabéns! - Akiyama havia gritado "seu biquini azul era sexy!"

- Obrigada. Até!

Bati o telefone. Mas logo o peguei e liguei pra casa.

...

Aquela semana em Seul foi pra lá de cansativa. Não tive tempo de pensar em traição ou em falsas promessas, saí em todos os programas de paparazzi da Coréia, dei entrevista seguida de mais entrevistas, fotos foi nas toneladas... Só consegui dormir um pouco no avião de volta pra Tóquio. E para a minha alegria meu amado Akiyama e minha "amiga" me esperavam em casa.

- QUE RAIOS DE SAPATINHOS É ESSE, RUKI?

... Ou ...

- POR QUÊ CARALHOS VOCÊ NÃO ME ATENDEU QUANDO EU TE LIGUEI?

A única coisa que eu fiz enquanto eles despejavam reclamações de minha ausência era esfregar minhas unhas escarlate na blusa preta e usar minha cara favorita: a de paisagem.

- Terminaram? - eu disse, quando eles se calaram.

- Terminei. - disseram em coro.

- Então... Festa da Shiseido, lembram?

- hã?

Pigarreei e comecei a falar na minha melhor voz de Akiyama.

- "Se a Ruki soubesse com quantas amigas dela eu ja dormi, ela não me olharia na cara" aí eu me pergunto, meus caros Motomiya e Akiyama... Por que é caralhos vocês estão na minha casa, se achando no direito de reclamarem de mim?

- Mas como... - Jun titubeou

- Surprise! - e balancei as mãos.

- Mas eu sou sua amiga!

- E eu amo você!

Dei uma risada estridente.

- Amiga? Me ama? BITCH PLEASE, I AM MAKINO RUKI! Jun, muito obrigada pela oportunidade e Akiyama obrigada pela lição. - eu dei um sorriso largo - Vocês realmente me ensinaram como não ser idiota.

Jun começou a chorar e eu ofereci um lenço. Um pouco de etiqueta às vezes é bom.

Ryou me olhou sério.


- Eu pensei que você me amava.

- Eu acho que você é a última pessoa pra cobrar fidelidade de alguém, não? - sorri - Não é porque a história é romântica que eu vou cair em prantos e chorar o Rio Amazonas. Sinto muito, shoujo errado. E... - olhei pros sapatinhos de pano - Se tiver chá de panelas pode me chamar. Não vou culpar nem ridicularizar, só manter contatos restritos, isso se eu manter.

Ryou e Jun se entreolharam. Ele olhou pro lado, com nojo.

Chamei um táxi pros dois e paguei a corrida.

Depois disso, meu leitor que me acompanhou até aqui, simplesmente subi na minha carreira de um jeito que ninguém mais conseguiu. E devo aos meus amigos - Jenrya em especial, aquela foto que ele tirou comigo pra Ribbon de inverno ficou linda!

A Jun me pediu perdão e... A perdoei. Não sei se ela fez porque quis, ou porque ele forçou, mas só sei que se sou modelo hoje, boa parte do que sou é por culpa dela, e voltamos a ser... Ahn... amigas, acho que posso dizer isso.

Akiy... Ryou... mais uma vez sumiu sem deixar rastros. Melhor assim.

E Moral da fanfic: não é porque você amou e foi traída que vai fazer um Lovely Complex do caso - desculpa aos fãns. Na realidade também gosto de LoveCom. Simplesmente levanta a cabeça, manda ir para a puta que pariu e continua, e faça da sua dificuldade uma passarela.

Mais uma vez, obrigada a você que acompanhou até o fim. Espero que eu não tenha sido chata demais. Até outro dia e se cuide.

w/ Love, M. Ruki.





Vlw por ler. Vou ali conseguir um escudo, vai ter uma pessoa que vai atrás do meu coro, nem que pra isso seja necessário atravessar os amanhãs e ser o maior de todos, o lendário sonhador.
avatar
Jyunirii
Moderadores
Moderadores

Comportamento : 100%
Feminino Mensagens : 1529
Data de inscrição : 04/08/2011
Idade : 21
Localização : West Shinjuku while I'm listening The Biggest Dreamer.
Mensagem Pessoal : Amigos ate que o Ryouki nos separe.


http://pixiv.me/033210

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Traição Com Um Pouco Mais de Laqué

Mensagem por Jackob em Sex Out 10, 2014 4:38 pm

o/ Juny! Gostei muito de ler a tua fic

Vou ser sincero, mas o título não me chamou nada a atenção XD Não costumo ligar a coisas focadas em traições e desavenças... ^^"
Mas consegui dar umas gargalhadas ao ler XD
Os personagens não ficaram nada Out of Character (Só achei estranho o Kenta tornar-se Médico e o aparecimento da Motomiya LOL)
A Ruki estava no seu tom perfeito: Guarda os sentimentos e emoções para si mesma e depois explode e faz algumas loucuras XDD

Era ótimo se fizessem uma Ova de continuação de Tamers neste estilo (mas algo não tão explícito LOL)
Continua assim Juny =)
avatar
Jackob
Baby 2 (Younenki II)
Baby 2 (Younenki II)

Comportamento : 100%
Masculino Mensagens : 114
Data de inscrição : 29/03/2014
Idade : 19
Localização : Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Traição Com Um Pouco Mais de Laqué

Mensagem por Jyunirii em Sab Out 11, 2014 4:36 am

Vlw por ler, Jackie!

Eu pessoalmente gosto do shipping Ryouki, mas odeio pakas quando saem da Ruki e colocam praticamente outra chara de tão menininha que fica. Eu gosto dela assim, macha, que esconde o que sente.

E sobre o Kenta: mas ele era o mais inteligente da 5-2, e normalmente pessoas assim acabam virando médico naquelas bandas, e por isso coloquei ele de doutor.
E Jun... Bah, é a Jun, a função dela é ser random. xD
avatar
Jyunirii
Moderadores
Moderadores

Comportamento : 100%
Feminino Mensagens : 1529
Data de inscrição : 04/08/2011
Idade : 21
Localização : West Shinjuku while I'm listening The Biggest Dreamer.
Mensagem Pessoal : Amigos ate que o Ryouki nos separe.


http://pixiv.me/033210

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Traição Com Um Pouco Mais de Laqué

Mensagem por Ni em Sab Out 11, 2014 3:04 pm

Repito o que disse no twitter: Faltou o Daisuke querendo a cabeça do Ryo por ter dado um pega na irmã dele.

Isso parece até ter vindo do RP Twitter, já que estão todos adultos e tem a Jun a ser amiga da Ruki o.o


Última edição por Ni em Seg Out 13, 2014 10:14 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Ni
Baby 2 (Younenki II)
Baby 2 (Younenki II)

Comportamento : 100%
Feminino Mensagens : 117
Data de inscrição : 08/09/2014
Idade : 25
Mensagem Pessoal : My Sweet Passion

http://digitalgate02.tumblr.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Traição Com Um Pouco Mais de Laqué

Mensagem por Henry Aric em Dom Out 12, 2014 11:05 pm

JUNY! ESTOU APLAUDINDO VOCÊ DE PÉ!!! XDDDDDDD

É incrível como você consegue criar situações interessantes para os personagens sem perder a essência deles. XD Parabéns. =DDDD
avatar
Henry Aric
Child (Seichouki)
Child (Seichouki)

Comportamento : 100%
Masculino Mensagens : 406
Data de inscrição : 20/08/2011
Idade : 26
Localização : Sorocaba - SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Traição Com Um Pouco Mais de Laqué

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum