The book of Wish [Oneshots]

Página 3 de 3 Anterior  1, 2, 3

Ir em baixo

The book of Wish [Oneshots] - Página 3 Empty Re: The book of Wish [Oneshots]

Mensagem por Convidad em Ter Nov 22, 2011 12:27 pm

Adorei como uma pequena aparição da sua personagem causou na história :DD

E claro o sufoco que o Dai-kun sofreu quando era pequeno ^^'
avatar
Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

The book of Wish [Oneshots] - Página 3 Empty Re: The book of Wish [Oneshots]

Mensagem por Convidado em Qui Nov 24, 2011 6:36 pm

Peach... A Geijutsushi não foi citada. Apenas nas notas. Btw, sei que não devia fazer isso, mas acho que a anterior precisa de outro ponto de visão.
Sim, a versão da garota citada.





★ 3 de Agosto de 1999 ~side N~

Personagens: Nina Geijutsushi
Base: durante Digimon Adventure, final do arco Vamdemon.
Tema: --
Classificação: K




"Em agosto daquele ano..."
"Eu estava na casa dos meus tios. Saí para brincar no parquinho do condomínio e..."
“Aconteceu aquilo que mudaria minha vida...”
“Foi o primeiro contato que tive com um digimon...”


Uma menininha de seis anos andava no balanço alegremente, ouvindo os sons costumeiros que o tal brinquedo faz.

Ali também brincavam outras crianças, mas ela nem interagia com as meninas e meninos dali.

De repente, um estouro de lençóis voadores começou a afugentá-los.
Uns corriam, outros tentavam se esconder.

“Eu nem os percebi, já que estava de olhos fechados e curtindo aquela brisa agradável que batia em meu rosto...”

“Foi quando o choro das crianças me acordou para a realidade.”


- Minna?!
- Pra onde foi todo mundo?

Um Bakemon surge por trás, para o balanço e a agarra pelos braços.

“E os fantasmas me capturaram.”

- Aaah! M-Me solta!! Me solta!! – gritou, enquanto tentava se libertar.
- Socorro! Socorro! – berrou, mas quase ninguém ouvia.

“Eles me levaram para um lugar onde estava repleto de crianças...”
“O nome? Bem, na época não sabia... Mas depois fiquei sabendo.”

“O lugar para onde todos os fantasmas levaram... O Big Sight.”


- Onde estou?! O que... O que está acontecendo?!
- Eu quero voltar pra casa... – começou a chorar – Quero meus pais...
- Não quero ficar aqui! Não quero!

“Estava com medo. Segurei no meu pingente, que foi um presente da minha avó antes dela voltar pra o Japão...”

- N-Não... Não posso chorar. Isso... Isso não vai ajudar em nada...

“E me acalmei.”

- Tenho que fugir daqui... Tenho que...!

Os lacaios de Vamdemon a colocaram na fila, nela ela viu milhares de crianças.
A sua frente, depois de uma menina loira e uma outra de cabelos encaracolados, estava um menininho de sete anos de cabelo castanho avermelhado bagunçado, olhos castanhos, pele um pouco mais escura que a dela.

A pequena Nina olhou para este menino. E seus olhos uma hora se cruzaram.
Ela, tímida, escondeu-se atrás da loira, mais alta (e velha) que ela.

“Todas as crianças passaram por uma gata branca de olhos azuis.”
“Inclusive eu.”
“Aquela gata... Eu não sabia que ela era a parceira de uma criança.”
“Uma criança... A oitava criança.”


Tailmon mostrava desânimo em suas respostas. Acenava negativamente, dizia “não” a cada criança que parava a sua frente.
Esta negou quando foi a vez da Geijutsushi.

“Fui parar em um aglomerado de crianças...”
“E lá... vi duas delas fugirem.”

“Foi quando decidi seguir o exemplo delas...”
“E escapar de lá também!”


A garotinha saiu pelos fundos do grupo de crianças, e encontrou por danada sorte, um pano que parecia com os Bakemons. Pegou-o e utilizou como um disfarce.

Passou normalmente pelos fantasmas. E até foi confundida com um pelos irmãos Motomiya, que se esconderam atrás de uma mesa.

Depois de muito custo, e sem conhecer muito bem o local...”
“Cheguei a um lugar onde... estavam muitas pessoas.”
“Fiquei por lá... Até que apareceu um aluno da minha avó e um irmão dele.”





★Nota da autora:

Esse trecho narra o ocorrido da oneshot anterior, porém na visão de outra personagem. Sim, Nina foi uma daquelas crianças e viu o Daisuke naquele dia. Essa parte explica o motivo dela ter o fragmento do Desejo na Hinode (além de outras razões, incluindo dela estar interligada ao Motomiya, mesmo que ela não saiba).
avatar
Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

The book of Wish [Oneshots] - Página 3 Empty Re: The book of Wish [Oneshots]

Mensagem por Convidad em Qui Nov 24, 2011 7:12 pm

Mesmo assim, bem com a versão dela ficou bem mais entendido :D
avatar
Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

The book of Wish [Oneshots] - Página 3 Empty Re: The book of Wish [Oneshots]

Mensagem por Convidado em Dom Dez 18, 2011 1:16 am

Oi, isso é apenas algo que imaginei para uma possível AU de Digimon Hunters.
Desculpem, Daisuke & V-mon oneshot (de novo)




★ Digi-Quartz

Personagens: Daisuke Motomiya, V-mon, ???
Base: Digimon Adventure ZeroTwo; em uma AU de Digimon Xros Wars II
Tema: --
Classificação: K




Passou muito tempo depois da batalha contra Vamdemon (2002) e Diablomon (2003). Os escolhidos voltaram a ter vidas normais, todos eles.
Diferente da última vez, os digimons puderam continuar em contato com seus parceiros, vivendo ao lado deles diariamente (porém com várias restrições, o que não deixava metade daqueles monstrinhos satisfeitos)

Várias reviravoltas ocorreram também. Sora acabou o namoro com Yamato e começou um com Taichi. Yamato nem se importou e seguiu sua carreira com a sua banda, Teenage Wolves. Iori mudou radicalmente seu estilo: Passou a ter cabelo comprido (ao estilo do que era o do Daisuke em comprimento, e ao estilo de Takeru), e a usar roupas mais descoladas. Claro, graças a influência de Miyako e Daisuke. Ah, Ken também mudou e se tornou mais amigo de todos do grupo. Os 4 novos integrantes (ou seja, Dai-Miya-Iori-Ken) estavam mais próximos um dos outros do que anos atrás.

E isso fez com que eles guardassem seus digivices. A missao de proteger a DW estava, finalmente, encerrada.
E os pequeninos ali podiam curtir o mundo humano com tranqüilidade agora.

Até um certo dia.


- Daisuke-senpai, você vai fazer algo esta noite?
- Eh? Não sei ainda... "senpai"?! Que deu em você, Iori?!
- Eh? Desculpe... É que...
- Isso soou tão estranho. Mas... Sem problemas - riu.

- Ele não está acostumado a ouvir isso vindo de você - disse uma terceira voz, que parou alguns metros deles.
- Ichijouji-san! - exclamou Iori.
- Ah, Ken! - Dai acenou para o amigo - Nem te vi chegando. E aí, quais as novas?
- . . . Daisuke, nada de saídas esta noite. - aproximou-se dele e entregou uma folha - A professora do curso de publicidade quer falar urgentemente contigo.
- Eeeeeh?!
- Não sabia que estava fazendo publicidade - comentou o Hida.
- B-bem... - olhou-o Daisuke - Até que parece interessante... E resolvi seguir essa carreira e...
- Por causa da Hikari-san - entregou Ken - Só faço por interesse. Mas talvez mude para algo que se encaixe melhor com a minha personalidade.
- Como...? - disseram os dois ali.
- *ahem* Psicologia.

Silêncio. Logo depois algumas risadas dos mais novos (Ken é meses mais velho que Daisuke). Ichijouji ficou meio aborrecido, mas não disse absolutamente nada. Quando as risadas pararam:

- Já acabaram de tirar sarro da minha cara? - perguntou num tom ranzinza.
- D-desculpa... - disseram em um coro inocente.
- É meio difícil imaginar você... Ahn... Cursando psicologia - respondeu o Motomiya.
- Difícil? Só pelo fato de eu ter tido um problema psicológico causado pela Dark Seed?! Ou por ter sido o Digimon Kaiser?!
- C-calma, Ichijouji-san! - pediu Iori - Foi só uma brincadeira...!
- É, Ken. Relaxa! Foi só uma piada inocente. - idem a Daisuke.
- Sei... - Ken olhou-os ainda irritado, mas sem mágoas mais - melhor ir logo, Motomiya. Aí está o endereço.

Olhou para o papel outra vez. havia um endereço, o nome da tal professora. Abaixo disto tinha o nome de um prédio, o ander e número da sala.
Por alguma razão, pipocou da mochila de esportes a cabeça de Chibimon.

Ah, uma pequena informação: Iori estava aprendendo a jogar futebol com Daisuke, logo todos os sábados os dois iam para aquele mesmo campo onde em 2002 o time de Daisuke enfrentou o de Ken, e passavam cerca de duas a três horas treinando, conversando e passando um tempo juntos.

- O que foi, Daisuke? - perguntou o pequenino.
- Não sei... Mas parece que a professora quer falar comigo... Será que foi algo que esqueci de fazer? Algum trabalho ou exame?
- Só vamos descobrir se formos lá.
- Yosh. - pegou a mochila, despediu-se dos amigos e saiu de lá.

Naquele dia, Daisuke tinha pego, pela primeira vez depois de tanto tempo, o seu D-3. Não sabia por qual motivo o levaria junto, mas o levou.
E chegando em frente ao tal prédio, não reparou numa sombra que o seguia através dos becos.

Nem foi preciso fazer nada. Ao tocar na porta do prédio para entrar... O cenário subitamente mudou e eles estavam em um lugar misturado com ruínas, musgo e um céu rosa. Chibimon evoluiu diretamente para V-mon ao entrar em contato com aquele ambiente ao sair da mochila.
Daisuke olhou ao redor, surpreso com o que tinha acontecido. Teria sido enviado para a Digital World de uma forma tão inusitada?!

- Isso é a DW?! - exclamou a dupla.

- Talvez fosse. Mas não. isto é chamado Digi-Quartz. - ecoou uma voz pelo ambiente.

- Digi... Quartz? - repetiram os dois.

- E para vossas ilustres convidadas estarem aqui... É por serem preciosas. Especiais. E possuem algo que queremos. Algo... Peculiar.

- Daisuke.. Não estou gostando disso...
- Nem eu, Vee.

Fez-se silêncio de novo. Naquele período, o Motomiya notou que suas roupas haviam mudado: usava uma jaqueta com pompom alaranjado no colarinho (e esta estava aberta, podendo ver a camisa que usava por baixo dela), com a parte de cima na cor carmim, linha amarelo-alaranjado formando chamas e separando o vermelho (tijolo refratário) da parte inferior. Esta não possuía mangas e havia um capuz/hoodie incluso. A camisa era de manga curta, na cor preta. Nela tinha uma faixa cinza azulada. A calça passava um pouco dos joelhos, tinha bolsos e era da cor marrom acinzentado. Meias lavanda, tênis na cor tijolo refratário e eram semelhantes aos alaranjados que usava aos onze anos. Nestes tinha um detalhe em amarelo na sola.

E desta vez, V-mon também tinha ganhado um estilo: Usava um lenço vermelho no pescoço, um anel na orelha esquerda e um cinto na cintura.

- Vee! Você ficou diferente! Wow - exclamou Dai.
- Nossa, você também! Ficou maneiro! - elogiou V-mon.

Mas a distração foi perfeita para o inimigo atacá-los. A única coisa que ouviu foi Vee berrar e logo empurrá-lo contra o solo. Algo veloz atacou V-mon e o atirou contra a parede do prédio. Daisuke levantou-se e correu para a mochila, mas foi pego de surpresa pelo oponente misterioso e jogado para longe da mesma.

Vee logo levantou do chão e partiu pra cima do desconhecido digimon. Apanhou mais uma vez. Daisuke tentou ajudá-lo, pegando um pedaço de madeira que viu por ali e arriscou golpeá-lo com isto. Foi em vão, pois a criatura quebrou a arma improvisada e o capturou. Com sua mão esquerda, o inimigo atacava e contra-atavaca o parceiro do Motomiya.

- Hahah! E eu pensei que vocês eram fortes...! São tão fracos!
- M-Me solta! - o garoto (ok, ele tem 20 anos) tentou se soltar, mas não conseguia.
- Incrível. Esse é o poder dos doze escolhidos daquele mundo...?
- N-não M-me... S-Subestime!!

- Daisuke! - gritou o pequenino, levantando-se do chão com dificuldade.
- Gh... Eu preciso... Protegê-lo...! - colocou a mão no ombro esquerdo, grunhindo de dor.

- Tão fraco. Heheh. - gabou-se a sombra.
- Não chame o meu parceiro assim, seu idiota! - vociferou Daisuke.

- Meu dever é proteger meu parceiro humano, meu amigo. Meu... Melhor amigo! - avançou com tudo, apostando em um...
- V-MON HEAD!!

- Insolente!

O monstro desconhecido desferiu um ataque com suas garras, acertando o draconiano azulado em cheio. O golpe além de dar vários arranhões, também criou uma cicatriz em seu olho esquerdo. V-mon caiu de barriga no chão, e devido ao seu gasto de energia, não conseguia mais se levantar.
Daisuke arregalou os olhos, temendo que a criatura tivesse matado o seu amigo. Lágrimas nos olhos, encheu os pulmões de ar e soltou um grito que poderia ser mais como um rugido de fúria.

O D-3 na mochila começou a reagir. E o mesmo saiu de lá e emitiu uma luz forte na mão que prendia Daisuke. O inimigo berrou de dor, e soltou o goggle boy. Dai saltou e pegou o seu digivice, que começava a ser coberto por uma luz estranha. Logo o mesmo tomou outra forma. Manteve a sua cor original, mas o formato assemelhava a um aparelho mais moderno. O D-3 havia evoluído para um Xros Loader.

- O O que é isso..?! - exclamou, assustado.

- Interessante... Um Xros Loader.

Automaticamente, V-mon virou um feixe de luz e entrou no tal Xros Loader. Daisuke olhou para seu digivice, ainda espantado. Depois de um tempo, A criatura esperou e finalmente pronunciou algo ao escolhido:

- Ele deve estar recuperado agora. Diga "Reaload", e o nome de seu digimon.

- Reaload! V-mon! - apontou o Xros Loader para o chão, e dali saiu uma luz. O feixe atingiu o chão e materializou V-mon de pé e restaurado.
- Eh? O que aconteceu? - Vee olhou para si mesmo, tinha alguns arranhões e cicatrizes, mas nada mais do que isso - Estou melhor...

- Agora. Você se tornou um Digimon Hunter, Motomiya Daisuke. Espero que, de agora em diante, e nesse mundo, você saiba o que fazer.

- Digimon hunter...?! - disse a dupla 2-Top em um coro confuso.

Mas nada lhe foi explicado. A silhueta desviou o assunto:

- Agora, você precisa voltar para o mundo real. Diga "Time Shift" e vocês voltarão.

Daisuke o fez, e eles voltaram....
Porém, ambos perceberam algo diferente.

- Daisuke... Isso aqui não parece ser...
- Vee... Não estamos em casa. Acho que viemos parar em outro mundo. Mas... Aqui é o Japão, não é?! Então...?!

Eles voltaram.
Mas não para o mundo deles.

Estavam justo em Odaíba, mas não na Odaíba do mundo deles.




★Nota da autora:

Ok. Acho que isso daria uma boa fic AU de Hunters ne...?
avatar
Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

The book of Wish [Oneshots] - Página 3 Empty Re: The book of Wish [Oneshots]

Mensagem por Convidado em Dom Jan 29, 2012 9:23 pm

DESCULPA LÁ, MAS ESSA AQUI É OBRIGADA SER RE-POSTADA NO FÓRUM!!
Leiam e vejam como aquele CD Drama influencia em cerca de 95% do que eu escrevo sobre digimon.




★ A Aposta

Personagens: Team ZeroTwo, Agumon
Base: Digimon Adventure ZeroTwo
Tema: Comédia, Paródia à faixa 4 de “Michi e no Armor Shinka”
Classificação: K (maioria das idades)

Uma breve nota da escritora:

“Essa é uma das mil idéias loucas que me fluíram na cabeça. Tecnicamente, GRAÇAS A ESTE CD DRAMA CITADO muitas oneshots, projetos, desenhos e etc. vieram depois de ter ouvido-o e... De ter mostrado a algumas pessoas.”

“Aviso que... A mente da escritora é um lugar desconhecido pela ciência e também fornece perigos aos personagens que são utilizados em seus contos.”

“... Mas isso não tem muito a ver com a oneshot, quis escrever só para começar a escrever pra PEGAR RITMO, CORAGEM E POR A IDÉIA PRA FORA.”

“Gomenasai por isso. Esta nota não pertence à fic.”
“Obrigada por ler (?)”

“cofcofsóumaloucapraquererescreveralgoparodizandoumCDDramaloucocomooMichienoArmorShinkamesmocofcof”




Um dia qualquer, dois amigos estavam dando uma volta por Odaíba, acompanhados de seus inseparáveis parceiros. Eles iam conversando sobre várias coisas que aconteceram anteriormente. Relembrando de bons momentos, péssimos momentos, etc...

- A Digital World agora está tão quieta... Isso é bom, mas também um tanto chato! – comentou um deles, o que usava goggles na cabeça.
- Mas Motomiya... Nós também não tínhamos muito descanso. – disse o outro, de cabelo moreno-azulado liso.
- Nah, A única batalha que tenho agora é contra a matemática e suas matérias aliadas...
- Se quiser posso te ajudar. Talvez assim possa retribuir pelo que fez por mim.
- Ainda com aquela história toda? Ken... Relaxa. O bom é que finalmente está livre daquela besta ilusão de que a DW era um joguinho... E também não era legal ver você com aquele cabelo-samambaia.
- ..... M-Motomiya...
- E aquela roupa era mais ridícula que a da Miyako.....
- Motomiya!
- Ahn, acho que a única coisa “cool” mesmo era aqueles óculos com lente roxa...
- MOTOMIYA!! – berrou alto o garoto.
- Hein?! O que foi? – Daisuke parou e o olhou.

Eis que veio uma multidão feminina enlouquecida pra cima deles... Que passaram como um raio pelo serelepe Daisuke e o empurraram metros longe do Ichijouji.

Quando o rapaz voltou a si, viu vários cartazes declarando amor ao amigo. E o pior disso... Era ouvir gritos histéricos que elas davam. E várias folhas de caderninhos de anotações voando pelas ruas.

Wormmon pegou um megafone e controlava a fila. Sim, essa cena era familiar.

- O que... O que ele tem que eu não tenho, Chibimon?! – olhou para o ombro, onde se encontrava aquela criaturinha fofa e adorável.

- Bem... Ele é um gênio, bonito, esportivo... Gentil, educado... A fama por ter sido o perverso Digimon Kaiser... – respondeu inocentemente o digimon azul.

- Não agüento mais! Ele é uma celebridade e eu um nada! Alguém me reconhece aqui?! Ou...

- Ei você! – falou uma pessoa randômica.
- Hein? Eu? – Motomiya levantou-se do chão e olhou para uma garotinha de 5 anos.
- É, você aí.
- Ahn, oi?
- Você é o Taichi Yagami?
- Err, Não.
- Ah, então deixa pra lá. É que pelos goggles achei que fosse. Mas é só outro fan maluco dele que arranja acessórios pra seguir o ídolo. – e saiu andando.

- ... Ah cara, até o senpai tem fama! E eu tenho o que?!
- Hm... – pensou Vee – As acusações de que é um “Wannabe-Taichi”, ou um “Gary Stu”, ou um “Cara sem carisma”...
- Obrigado pela sinceridade, Chibimon... – respondeu, cerrando os dentes.

- Por favor, fila. Fila... – a voz de Wormmon no megafone chegava até ali.
- Ahn, obrigado... – Ken dizia, enquanto assinava – Obrigado pelo carinho... Err... – assinava outro papel – Ahn... obrigado...

- EI! DÁ PRA PARAR DE ASSISNAR ISSO AÍ E ME RESPONDER UMA COISA?! – gritou o goggle boy.

- Uh, desculpem... Não posso dar autógrafo a todas vocês... – desculpou-se.
- Awwww... – disseram o fã-clube dele, desanimadas.

Então elas foram pedir pro Wormmon. E quem disse que o próprio parceiro conseguia chegar até ele?

- C-calma!! Espera!! Ahn... – a minhoca verde começava a assinar diversas folhas, usando quatro de suas patas.

A dupla 2-top foi até Ken... E Daisuke puxou-o pelo colarinho da camisa e o encarou:

- O que é que você tem de tão atraente pra ter tanta garota na tua cola?!
- E-eu não sei muito bem... – respondeu – A-acho que isso é conseqüência de quando eu estava sob o efeito da semente das trevas e...
- Ichijouji... – chegou bem perto dos olhos do moreno – Eu... Eu aposto que consigo ser melhor que você!

Meio mundo parou pra olhar aquilo. As fangirls encararam o cabelo de cabelo desarrumado com... Olhos em chamas flamejantes... E partiram pra cima dele.

Não, elas não iam pedir autógrafo. Era pra bater nele por estar “ameaçando” o ídolo delas.

Depois daquele exército de Ken-fans ter deixado-o em paz, ele voltou a desafiar o moreno:

- Eu aposto que me saio melhor no teu lugar!
- Ahn? No meu lugar?! – perguntou o outro, confuso.
- É! Eu aposto que consigo ser melhor que o Digimon Kaiser!
- Er... Não acha que está exagerando? E-eu não gostava de ser o Kaiser...

- Daisuke está... naquele modo de novo – cochichou Chibimon ao Wormmon.
- Isso não é bom... Daquela vez, se o Ken não tivesse transformado o brasão da Bondade no Digimental...

Lembraram os dois daquela bagunça toda. E causada pelo mesmo ataque de fãs enlouquecidas... Uma coisa que ficava clara era... Daisuke não sabia desistir. E não aceitava perder para seus “rivais”, Takeru e Ken.

- Exagero?! Não! Eu só quero mostrar que eu consigo isso! – bufou o goggle boy.
- Mas... Mas não faz sentido! Lembra o que aconteceu da última vez?!
- Ah, mas aquilo foi um erro meu! Em tentar me tornar o que acham maneiro.
- Então sabe que foi idiotice sua, certo?
- Mas desta vez quero fazer diferente! Quero provar que também posso dar uma de vilão e ser muito melhor que você!
- Motomiya... – suspirou – Não entendo pra quê fazer isso... É um “ícone” meu. Infelizmente estou destinado a ser considerado o maligno Digimon Kaiser por essas garotas...
- Não interessa! Eu quero, e eu preciso mostrar que eu posso também ser mal!
- Não. Não aceito, pois isso é errado ok? Controle seu ciúme besta! Não tem como fazer isso sem envolver os outros, e os digimons.

Ah, isso era verdade. Uma aposta estúpida como aquelas não resultaria em nada bom.
Principalmente se envolver a Digital World e os outros escolhidos.

- É... Mas... E se for brincadeira? Bem, não ser nada real... Só uma atuação pra ver quem é o melhor? – sugeriu o garoto, depois de ter pensado melhor.
- U-uma atuação?! Bom... Aí não vejo problemas em aceitar seu desafio...

- Espera aí! – disse o dragãozinho – Se for uma atuação não adiantará de nada! Já que o pessoal saberá de tudo!
- Mas... – contestou o outro digimon – Se eles não souberem as coisas podem ficar confusas e... Até problemáticas!
- Ahn... Era só deixar isso em segredo entre nós e os digimons da DW. Assim quem irá “julgar” a atuação fica sendo...

- O resto do grupo?! – exclamou Ken e Daisuke, um meio preocupado e outro satisfeito com a idéia dada.
- É! Assim fica mais fácil e evita problemas. – completou o azulzinho.
- Mas... Deveriamos avisar aos outros digimons do grupo? Ou eles também... Vão ser os jurados? – indagou o digimon anelídeo.
- Ahn, é só eles não contarem aos parceiros deles...
- E aí, ainda acha que é uma má idéia, Ichijouji? – Daisuke olhou-o, demonstrando ainda querer levar aquilo adiante.
- Ok... Então, o que iremos apostar nisso?
- Ahn... O perdedor paga uma pizza. Ok?
- Tá... Combinado.

Apertaram as mãos, como forma de afirmar a aposta feita. Nisso ficou estabelecido que eles iriam inverter os papéis. Ken seria o líder do time enquanto Daisuke o oponente deles.

No dia seguinte... Que era uma data especial... Pois tinha vários pares apaixonados e caixas de bombons sendo entregues para seus namorados/maridos...


- Aaaaaaah!! É hoje, hoje, hoje, hoje!! – berrava uma voz feminina, ao lado de dois rapazes, um loiro com um chapéu branco na cabeça, e um mais novo de cabelo curto castanho.

- Miyako-san... – dizia uma bola de penas rosadas, nas mãos na menina – Acalme-se!
- Poromon, hoje é o dia mais feliz da minha vida! Hoje irei dar ao Ken-kun a prova do meu amor! – puxava e amassava o pequenino.
- Ahn... M-Miyako-san... Está m-me machucando!!

- Ahn... Iori... O que íamos fazer mesmo, dagyaa? – perguntou Upamon, que era levado pelo menino.
- Nós vamos ir à Digital World comemorar o dia dos Namorados! – respondeu a Inoue, animada.
- M-Mas... só nós? Taichi-san e os outros não virão? – perguntou Iori.
- Não sei, talvez. Mas Acho que eles já devem estar ocupados com seus pares! – riu ela.
- Espero que esteja tudo bem por lá – comentou Takeru – Depois de tantas ameaças que a DW passou no passado...
- Ih nem esquenta, Takeru! Não há mais inimigo algum para se preocupar! – confortou Patamon.

Eles chegaram à frente da escola. Lá estava Hikari e.............

- Ken?! – exclamou Miyako.
- Uh? O que você está fazendo aqui? – perguntou Takaishi, surpreso.
- Ué, não me convidaram pra vir junto? Então.... Aqui estou. – respondeu, estranhando a pergunta do garoto.
- Mas... Pensávamos que você usaria o portal de seu quarto e não o da nossa escola... – explicou Hida, que também se surpreendeu ao vê-lo.

- Hikari… - disse o rapaz loiro – Onde está o Daisuke? Ele não chegou ainda?
- Eu não sei… Não o vi desde que saí de casa para nos encontrarmos.
- Hmpf… Atrasado como sempre! – resmungou a mais velha do grupo.
- Que estranho… Daisuke-san não ter vindo acompanhado da Hikari-san? – questionou-se o mais novo.
- Vamos esperá-lo ou…

Nesse instante o D-terminal dos cinco tocam. Todos pegaram o aparelho de seus bolsos, mochilas ou bolsas e leram a mensagem.

Era um SOS.

O grupo troca olhares. Eles deveriam ir sem o Motomiya ou avisá-lo para que se apressasse?

Foi aí que Ken assumiu o papel de líder. Mesmo que os outros (tirando os parceiros digimons, que sabiam da aposta graças à Chibimon e Wormmon) não soubessem de nada.

- Pessoal, devemos agir sem o Motomiya-kun mesmo. Se ele não aparecer, iremos chegar tarde demais!
- Mas… O Daisuke… - contestou Hikari.
- Eu tenho certeza que ele diria o mesmo. Estamos em cinco, não será tão difícil! E também, posso avisá-lo pelo terminal que estamos lá.
- Eu concordo com o Ken-kun! – manifestou-se a garota de óculos – Daisuke pode aparecer mais tarde e nos ajudar caso não tenhamos resolvido!
- Ok… Então vamos. – falou Iori, concordando com os dois.
- Não temos escolha… É um SOS, não podemos demorar… - falou Takeru.


E os cinco entraram, dirigiram-se para a sala de informática e abriram o portal.
Indo imediatamente para o lar do digimons.

Assim que chegaram, depararam no local. Era o mesmo aonde Miyako e Iori chegaram à sua primeira ida, um campo aberto com montanhas ao longe, dando um toque agradável à paisagem. O grupo logo deparou com umas cinco criaturinhas exaustas e um pouco feridas.

Ao se aproximarem, as identificaram – Eram Piyomon e Gomamon junto de outros dois Gazemons e um Elecmon. Miyako não se conteve e perguntou antes de todos o que tinha acontecido. A resposta veio do digimon de Jou:

“Um estranho apareceu aqui e está tentando controlar a DW inteira...”
“Não sabemos como e da onde ele surgiu..”
“E... Ele pegou os outros...”


A foquinha desmaia assim que termina de relatar, seguido dos outros companheiros.

A cena desencadeou em um sentimento de raiva nos quatro. Ken só analisava os ocorridos seriamente.

- Ah não! Quem seria tão cruel em fazer uma coisa dessas?! – falou a escolhida da Luz com um tom de indignação.
- Seja quem for... Temos que pará-lo. – respondeu Iori – Não podemos deixar que isso continue assim.
- Exatamente! Vamos logo!! Esse ataque repentino estragou meu dia! – praguejou a Inoue.
- Pessoal – chamou Patamon – acho que estou vendo algo para lá!
- Então vamos agora mesmo!! – berrou ela.

Takeru concordou com eles e os quatro saíram, o moreno foi o último a segui-los. Pois achou estranho aquela conversa toda. Piyomon abriu um olho e perguntou se já tinham ido. Wormmon confirmou e então todos se levantaram.

Claro, aquilo fazia parte. Não era machucados e sim poeira em seus corpinhos. Respirou aliviado o Ichijouji, vendo que estava tudo sob controle.

- KEEEEEEEEN!! – berrou uma voz, vinda da direção em que os outros foram – VOCÊ NÃO VEM?!

- Miyako está nos chamando, Ken-chan... – sussurrou Wormmon.
- Ah... Então vamos. – saiu correndo naquela direção.

Enquanto se distanciavam, um par de olhos cintilando os observava do alto de uma colina. E este montou em uma sombra maior e quadrúpede, partindo para o mesmo local onde se encontrava o quarteto agora.


- E então, Patamon? – indagou o escolhido da Esperança.
- Ah... A-acho que perdi de vista! – o porquinho voador virou-se para o loiro, com uma expressão de desânimo.

- Nossa... Até parece que foi mais ou menos aqui que nossos D-3 começaram a reagir para encontrarmos os nossos parceiros e digimentais, né Iori? – comentou. O grupo já estava dentro de uma floresta que tinha logo depois daquele campo todo, seguindo a direção do digimon de Takeru.

- Sim. Foi aqui perto... – confirmou ele – Talvez nosso inimigo esteja se escondendo naquela pirâmide maia...


- Gente, não acham que está muito calmo por aqui? – questionou-se a Yagami.
- Geralmente é nessas horas que aparece algum inimigo e nos ataca, certo? – Ken olhava ao seu redor, meio preocupado.
- Não sei por que, mas isso soou um tanto com o Daisuke-kun.
- Sério?
- Ele faria um comentário desses... – a garota de cabelo violeta interveio no assunto – Falando nele, onde é que se meteu nosso “líder”?
- Isso está me deixando nervosa... Será que aconteceu algo com ele? – a outra pegou o seu D-terminal.

Estava prestes a enviar uma mensagem quando Ken e Takeru olham para trás e vêem algo se aproximando a toda, nisso eles empurram os três e se atiram imediatamente ao chão. Algo passa rapidamente por cima do quinteto.

Sem compreender o que era, miraram para frente, e viram apenas os arbustos se moverem.

- O que foi isso? – perguntaram-se em coro.

- Hah... Então vocês são as crianças escolhidas, certo? – ecoou uma voz pela vasta flora.

- Quem disse isso?! – espantou-se Miyako, abraçando Ken enquanto Hikari fazia o mesmo em Takeru.
- Quem está aí?! – vociferou Iori, encarando o horizonte.

- Quem? Vocês ainda perguntam? Saiam daqui agora. A DW me pertence e não quero mais nenhuma criancinha metida a herói pisando nos meus domínios!

- M-Mas! Como pode dizer uma coisa dessas?! – contestou a escolhida da Luz – Este lugar pertence aos digimons!
- Isso é imperdoável! – bravejou o Takaishi – Atacar nossos amigos e capturá-los! O que pretende fazer com eles?! Solte-os agora!!
- COMO É QUE VOCÊ PODE ESTRAGAR O MEU DIA?! E EU SÓ PENSANDO EM ANDAR DE MÃOS DADAS COM O KEN-KUN!! – gritou raivosamente a outra menina do time.

Certamente, ela deixou quase todo mundo surdo... Inclusive o estranho que falava com eles.

- Argh... Meus ouvidos...! – murmurou baixinho, um pouco zonzo – A-- Ah é!
- Seus amigos? Fala dos digimons que pertencem ao grupinho estúpido de vocês??
– voltou a falar, em um tom alto e arrogante.
- Seus amiguinhos pertencem a mim de agora em diante. E os outros também.

Os heróis ficaram tensos e nervosos além de indignados. Foi então que o escolhido da Bondade se levantou do chão, parou na frente dos outros e apontou para onde seus admiráveis olhos roxo-azulados fitavam.

- Seu insolente! Apareça agora e lute como um verdadeiro homem! Não nos subestime, pois... Pois nós temos força! Somos cinco dos doze escolhidos! E nós não iremos permitir que continue com isso!

- O Ichijouji tá agindo de uma maneira tão estranha... – cochichou Takeru aos demais.
- Sim, é como se ele fosse o Daisuke! – respondeu Miyako.
- E onde ele está? – indagou a Yagami mais uma vez.
- Não sei, mas não deveriamos deixar o Ichijouji-san enfrentar algo desconhecido sozinho... – disse o mais novo deles.

- Hmm... A garotinha de cabelo moreno-azulado está desafiando o mais temido de toda a DW? – debochou a entidade, que começou a se aproximar do grupo.

No horizonte da floresta via-se uma sombra mais ou menos da altura de Takeru, um pouco mais baixo que Ichijouji e mais alto que Iori.

- Então... Aceitarei seu desafio, menina. – finalizou seu discurso, estalando os dedos e surgindo outras cinco silhuetas a sua frente.

- T-Takeru!! Aqueles n-não são... – exclamou a guria de cabelos castanho-claros.
- Agumon?! Gabumon?! Tentomon?! Palmon?! – completou a felina.
- E... E tem um Gotsumon com eles, dagyaa... – reparou Armadimon.

- São cinco. Quatro são nossos companheiros. Devemos lutar? – Hawkmon pediu a opinião dos outros.
- Se não fizermos isso... Eles continuarão sob o controle dele! – pronunciou Wormmon.
- Isso mesmo, Wormmon! – reforçou o moreno.
- Então vamos derrotá-los e libertá-los do controle deste estranho!
- Ok! – afirmaram os digimons restantes, acenando positivamente com a cabeça.

Os cinco parceiros avançaram contra os seus oponentes. E começou a batalha.
Aos olhos das crianças, era uma tradicional disputa entre o bem e o mal... Porém tinha alguma coisa diferente.

Todos não precisaram evoluir... E trocavam apenas ataques físicos, que mais pareciam ser artificiais do que patadas e arranhões sérios.

E para tornar tudo mais estranho possível, os cinco – Wormmon, Hawkmon, Armadimon, Patamon e Tailmon – são derrotados pelo time rival.

Caídos quatro no chão e o anelídeo verde com alguns “arranhões”, a sombra misteriosa riu da “força” citada pelo “líder” de seus inimigos.

- Só? É isso que chama de “força”? Onde está essa “força”, menina? – provocou-o.

- Ora... ora seu...! – o rapaz fechava os punhos, e abaixava a cabeça. Sentia o sangue ferver.
- Tailmon! Patamon! Hawkmon! Armadimon! – gritaram desesperadamente os demais, correndo para socorrê-los.

- Tsc, tsc... Que fracos! E eu pensando que eram mais poderosos... – desprezou-os a silhueta, dando um bocejo logo em seguida.

Ken ergueu a cabeça em instantes, encarou-o e sacou de seu bolso um D-terminal.
Depois olhou para seu inseparável amigo esverdeado, que o devolveu.

- Vamos, Wormmon! – deu o grito de guerra, tradicional dele.
- Ah!

- O que... O que eles vão fazer? – perguntou-se Miyako.
- O Ken não está pensando em usar a evolução Armor para combatê-los, certo?! – exclamou Hikari – Mas...
- Puchiemon pode ser útil! – discordou o Hida – Ele pode libertá-los do controle dele!
- Sim! – concordou o loiro – Puchiemon é perfeito para essa ocasião!

- Estão enganados... – disse o inimigo – Os digimons só obedecem a mim agora. E logo seus parceiros também irão.

- Chega! – esbravejou Ichijouji – Venha até aqui e mostre-se, covarde! Chega de usar nossos amigos como seus peões!

- E o que você fazia não era o mesmo? – resmungou bem baixinho.
- Tá afim de um mano-a-mano, hein? Não pega bem bater em uma menina... – falou alto e claro.

- Eu não sou menina! Sou um garoto! Venha até aqui e lute de forma justa!

Fez-se um silêncio. A única coisa que se ouviu minutos depois foi o andar da incógnita.
Quanto mais se aproximava, mais se via sua aparência. E quando parou na frente de Ken, todos o viram.

O vilão usava roupas que lembrava um Lighdramon.

Usava trajes totalmente pretos, com os desenhos em amarelo na camisa de mangas curtas e rasgadas, que possuía em seus ombros o mesmo detalhe em vermelho que o digimon tinha.
No peito estava o símbolo da amizade. E nas laterais aqueles triângulos amarelados que pareciam dentes (tais como aparecem no próprio digimon inspirado nesta vestimenta) por baixo uma malha preta que ia até o pulso, e suas mãos eram protegidas por luvas pretas com “garrinhas” em cada um dos dedos.
A camisa tinha pedaços mais longos nas laterais, sendo comprida atrás e tendo três faixas pretas costuradas nas costas, todas no mesmo comprimento e passavam dos joelhos.
Sua calça também imitava as patas traseiras do monstrinho, sendo curtas e rasgadas. Nas laterais tinha o mesmo detalhe das patas. Por baixo dela, uma calça de malha preta até os calcanhares, escondida por tênis de cano longo pretos.
E pra completar, escondia seu rosto com um elmo idêntico ao de Lighdramon.

A única coisa visível era seu cabelo castanho avermelhado desarrumado, sua boca, nariz, seus olhos castanhos e seu pescoço, que indicava que sua pele era um pouco mais escura que a de Ken.

- Ele é aquela sombra...?! M-Mas parece ser um humano que nem nós! – espantou-se Takeru.

- Hm... Acho que vocês não entenderam ainda, né? Esse lugar é meu agora. Eu sou um escolhido, uma pessoa de nível superior ao de vocês! – desprezou-os mais uma vez.

- Escolhido? Um escolhido destruindo a Digital World e fazendo dos digimons os seus escravos?! Você... Você me irrita! – vociferou o Ichijouji.

Outra vez, os quatro restantes se entreolharam e comentaram entre si. Parecia que Ken tinha assumido o posto de Daisuke... Não, estava agindo perfeitamente como o goggle boy.

Falando nisso... Onde estaria o serelepe escolhido? Eles não sabiam ainda.


- Você quem me irrita. A presença de vocês aqui só me fazem pensar que somos iguais, de mesma capacidade! – fechou os punhos, e envenenava-os com um olhar gélido.
- Vou dar um fim nisso e já! – ele virou-se para trás e gritou bem alto – VENHA, LIGHDRAMON!!

Do meio das folhagens, saltou uma figura veloz como um trovão. Parou atrás da versão “miniatura-humana”

- LIGHDRAMON?! – Todos, sem exceção alguma, ficaram chocados ao ver aquele digimon.
- M-Mas... Seria possível este ser o... Lighdramon do Daisuke-san?! – exclamou Iori.
- Se fosse… O que ele está fazendo com esse estranho menino?! – indagou a escolhida da Luz.

- O que deseja, mestre DaiLighdramon? – disse o digimon azul, vidrado em suas presas.
- Acabe com eles! – ordenou-o.

- DaiLighdramon?! Ele é como se... Como se ele fosse o chefe de uma matilha de lobos ou coisa parecida?! – encucou a garota de óculos.
- Deve ser, pelo jeito que ele se veste igual a um Lighdramon... – supôs Takeru.

- Pessoal, deixem isso comigo... Ok? – pediu Ichijouji, ainda com o D-terminal em mãos.
- Mas hein? Vai enfrentar esse cara sozinho?! Isso não é perigoso? – Hikari demonstrou certa preocupação.
- Não se preocupem, seus parceiros estão feridos para enfrentá-lo. Wormmon e eu podemos dar conta do recado. Por vocês, pelos nossos amigos e pela Digital World!

- Cara... não sei se ele é pior sendo o Kaiser ou sendo o líder... – praguejou bem baixinho o DaiLighdramon.

- Certo... Vamos, Wormmon!
- Ok!

O D-3 negro brilha, enquanto Ken proferia a palavra de ativação do Digimental.

- DIGIMENTAL UP!!

A luz era diferente. Era vermelha. Não seria Puchiemon que o moreno usaria?!

Wormmon evolução Armor para...

Chamas cobriram o anelídeo. Sua forma alterou-se e delas saiu um digimon inseto, com uma armadura semelhante à de Fladramon, porém sem o chifre e com asas detalhadas em chamas.

... A Sombra da Coragem Ardente! Shadramon!!


Foram surpreendidos. Wormmon evoluiu com um digimental... Porém... Aquele D-terminal não era o do escolhido e sim o de Daisuke?!

Isso gerou mais uma confusão mental no quarteto, que só assistia a luta. E o que aconteceu anteriormente voltou a se repetir.

Não atacavam a sério. Eram apenas tapas fracos. Golpes que nem pareciam doer nem nada.

E pra completar mais ainda aquela batalha sem-sentido algum, Ken e DaiLighdramon também começaram a se tapear.
Uma coisa que nunca viram era o rapaz do brasão da Bondade bater em alguém. O Kaiser só usava um chicote, mas nunca chegou a agredir com as mãos.

E nem era tapa de verdade, assemelhava-se com cenas típicas feitas nos teatros, uma encenação total.
Segundos depois, um agarrou o outro pela camisa e ameaçavam socar o rival.


Aquilo tudo estaria perfeito (e confuso) se não houvesse uma intervenção inesperada gerada por um impulso:

- Ei, Daisuke! Já acabou? Estou com fome...

...
E essa intervenção chamava-se “Agumon” e seu impulso de “fome”.


TODOS pararam de fazer qualquer coisa. Tanto de “lutar” quanto observar aquele confronto sem sentido, e de fingir estar desmaiado.

- ... DAISUKE?! – Os quatro olharam para os dois rapazes e gritaram em um tom surpreso.

- O que é que deu em você?! – berrou a Inoue, confusa.
- Espera... Daisuke-kun estava o tempo todo aqui e... nos enganando?! – exclamou Hikari.
- E por que ele está vestido assim? – perguntou Takeru.
- Não estou entendo nada..... – confessou o mais novo do grupo.

- Espera aí! – interrompeu a mais velha – Tem algo de estranho aqui! Sou a única que acha muito suspeito o Daisuke pirar e tentar se apossar da DW?!
- E o Ken agir exatamente como se fosse o Daisuke?! E aquela luta toda...
- ... Eu não acredito que vocês dois armaram essa pra gente! Não combinamos que no dia dos namorados iríamos curtir o clima romântico, fazer um adorável piquenique e até conquistar o coração daqueles que amamos?!
- Como é que foram capazes de estragar meu--

- Vou ir comer! – anunciou Agumon, olhando pros dois jovens que ainda estavam congelados naquela mesma pose.
- Ah, desculpe se eu não fiz certinho... Espero que ainda possa ganhar a aposta.

- Agumon!! – exclamaram os outros digimons, e os dois escolhidos.

- A-Aposta?! – os óculos de Miyako escorregaram enquanto olhava-os com cara de tacho.
- Hein?! – disseram os restantes.
- Isso tudo não passou de uma aposta?! – agora a Inoue juntou-se ao coral, e todos encaravam os dois amigos.

- Er... N-nós podemos explicar... – disse a dupla, já um do lado do outro e constrangidos com aqueles olhares.

- Então expliquem! O que é que apostaram nessa brincadeira idiota?! – interrogou-os a Inoue enraivecida.

- Tenho certeza que se contarmos... – o goggle boy nem terminou a frase.

- Bom... Motomiya e eu... Trocamos de lugar para ver quem se saia melhor no lugar do outro... – explicou o moreno.
- Então... Viemos mais cedo aqui e contamos aos digimons, para que não houvesse problemas... Enquanto Wormmon e V-mon tinham aos seus parceiros ontem mesmo.
- Depois disso trocamos nossos terminais e eu voltei pelo portal da escola de vocês... Antes mesmo da Hikari-san aparecer.

- Foi tudo bem planejado... – resumiu o outro.

- Ah... E o engraçado é que avisaram aos outros, mas não a nós! – resmungou Miyako.

- Err... É que... – gaguejaram os rapazes.
- Quem decidiria o vencedor da aposta seriam vocês! E o perdedor pagava uma pizza, né? – falou o dinossauro laranja.

- Agumon!! – novamente os digimons junto de Daisuke e Ken exclamaram.

- Uma... Uma... – O grupo continuava a olhar atravessado para os dois meninos cada vez mais.

- Acho que seria perigoso demais perguntar quem venceu... – comentou Lighdramon com o Shadramon.

- Olha... Foi muita sacanagem a de vocês... – Miyako deu um sorriso sarcástico – Mas agora vão dizer “ah, se vocês soubessem não iria dar muito certo e tinha de parecer real”...

- E não é que ela adivinhou que eu ia dizer isso mesmo? – cochichou para Ken o amigo.

- Então... Deixa-me consultar os outros “jurados” e decidirmos quem venceu ok? – a Inoue virou-se e reuniu os outros três, que falavam entre si e de um modo que ninguém os ouvisse.

- Ken... Tou com uma leve sensação de que esse sorriso da Miyako não significa coisa boa.
- Como é que fui concordar em me meter numa dessas suas apostas, Motomiya...?! – deu um tapa na testa.
- Mas... Que foi divertido isso, foi não é? – riu.
- A-acho que... Acho que sim – sorriu para ele – Eu nunca fiz algo assim antes...

- Só que eles não parecem ter gostado não... – notificou Shadramon.
- Pela cara deles, aí vem bomba... – complementou o Lighdramon.

O quarteto virou-se, olhando seriamente para os dois jovens. A mais velha falou por todos:

- Olha... O “júri” decidiu que não fica tão legal o Ken como líder e o Daisuke como inimigo... Até porque... Ia ficar tão estranho.
- Mas devo admitir... Só podia ser coisa do Daisuke – bufou.
- Não foi legal nos envolver indiretamente numa aposta! E Ainda prefiro o Kaiser! E o Dai-chan como nosso parceiro.
- Portanto, a conclusão final é....

Fez uma pausa. Os dois engoliram a seco. Pelo discurso da Miyako e com aqueles rostos esboçando seriedade... Coisa boa não podia vir da decisão.

A garota de óculos olhou para o trio atrás dela e soltaram risinhos. Aquilo era mesmo a confirmação: Vai vir bomba.

- Ninguém venceu. – disseram em coro.

- O-O que?! – com aquela resposta, os dois arregalaram os olhos (sendo que Dai teve de tirar o elmo antes de fazer isso).

- Isso tudo ficou tão estranho, tão superficial! E tava na cara algumas coisas. – explicou ela.
- Sem falar que o Ken com o D-terminal do Daisuke também entregou algumas pistas.

- E também ele estava agindo de forma estranha desde o começo – informou o garoto mais novo.
- E... As lutas foram tão suspeitas – complementava a outra menina do grupo.
- E o Daisuke era o único que não tínhamos visto. Só não pensamos que estaria aqui desde cedo... – concluiu Takeru.

- Então ninguém venceu... – suspiraram.
- Bom, olha por um lado Ichijouji! – Dai sorriu ao amigo – Não precisaremos arcar com a pizza e...

- Ah não, tem mais uma coisinha... – interrompeu Miyako outra vez.

- *doki* O-o que? – perguntaram, sentindo um frio na espinha.

- Hm... Como estragaram o nosso dia, vocês poderiam pagar uma pizza pra gente.

- ........... M-Mas...! N-nós pagarmos?!

- Isso mesmo. – desferiu um olhar de congelar a alma – Ou querem resolver isso de outra forma?
- Uh... Desculpem por me intrometer na conversa... – Hawkmon levantou-se e voou até os dois meninos – Mas acho que não deveriam contestá-la... Ou... Não sei o que poderia rolar.

Dai e Ken se olharam, morrendo de medo do que Miyako planejaria para dar o troco neles por terem estragado o seu dia perfeito...

E não hesitaram em aceitar aquela proposta.


Voltaram para o mundo humano e mais tarde fizeram exatamente isso, na casa do moreno.
A única coisa foi que os quatro que comeram e os dois só tiveram que um lavar os pratos e outro enxugar.

- Ahn... Daisuke, pelo menos isso não deve ser pior que o que a Miyako-san teria pensado... – Ken tentava consolá-lo.
- ........ É, é... – resmungava – Pagamos com o nosso dinheiro e não tivemos direito a fatia alguma! Sacanagem!
- M-mas... F-foi divertido, não foi?
- Quer lavar esses pratos duma vez?! Eu tenho que ir pra casa!
- Uh... O-ok!

E assim terminou aquele dia. Depois daquilo, nenhum dos dois resolveu fazer apostas que envolvessem outras pessoas de forma indireta.

---------- ---------------------------- ------------------------ -------------- -----------------------

~ Lições de moral com Hawkmon ~
(sério, eu tinha de por isso no final *SHOT*)

- Olá, eu sou Hawkmon, e esse é um pequeno canto para a reflexão da história de hoje.

- Como podem ver, incluir amigos indiretamente em uma aposta pode gerar em um grande caos e até em mal-entendidos ou em casos extremos, brigas perigosas.

- Por isso, lembrem-se. Se forem apostar algo, não inclua os outros sem antes notificá-los.

- HAWKMON! EU VOU COMER A SUA PARTE SE NÃO VIR LOGO!! – gritou alguém lá da mesa dos Ichijouji.

- Aah! Bem... E assim se encerra mais um “Lições de moral”! Até a próxima!

A ave sai voando e berrando: “E-espera Miyako-san!!”

---------- ---------------------------- ------------------------ -------------- -----------------------

~ Omake: final alternativo ~
(fanservice... e MOAR cômico *SHOT*)

[...]

O grupo se reúne e decide:

- Ninguém venceu. – disseram em coro.

- O-O que?! – com aquela resposta, os dois arregalaram os olhos (sendo que Dai teve de tirar o elmo antes de fazer isso).

Takeru se faz de porta-voz do “júri”.

- Ok! Nenhum de vocês dois venceram! Já que... todo mundo sabe que o bem sempre triunfa.
- Tanto que o Ken pode comprovar isso. Nenhum inimigo irá vencer enquanto nós estivermos aqui!

- Eu concordo com o Takeru-kun! – disse Hikari.
- Eu também – manifestou Iori.
- O Takeru até que daria um bom líder... – comentou Miyako.

Daisuke e Ken se olharam, ofendidos com aquilo.

- Ah é, Takeru? – disseram em tom baixo, com brilho sinistro em seus olhos.

Num piscar de olhos, Ken tinha mudado suas roupas para a outfit do Digimon Kaiser.
E Daisuke colocou outra vez o elmo em seu rosto.

- LIGHDRAMON/SHADRAMON!! – apontou a dupla pro Takeru.

- H-Hein?! O que...?!

- PEGA! – ordenaram.

E sem hesitar, os digimons deles avançaram pra cima do escolhido da Esperança. Naquele ato inesperado do Motomiya e do Ichijouji, Takeru derrubou o D-3 no chão enquanto saía correndo.

Os outros três só olhavam praquilo, com cara de tacho.

- Isso é por ficar me atrapalhando de conquistar a Hikari-chan!! – vociferou o DaiLighdramon.
- E isso é pela surra que você deu em mim dentro da minha própria fortaleza! – praguejou o Digimon Kaiser.

- Olha, acho que se é assim... Os dois são melhores como nossos companheiros de equipe do que como nossos inimigos – opinou Miyako ao Iori e à Hikari.
- C-concordo... – respondeu Hikari, engolindo a seco.
- I-idem... – o mesmo se diz de Iori.


~fim do omake~




★Nota da autora:

#1 - Inicialmente pensei em fazer com que a história se passasse em 1º de Abril... Mas ia ficar muito na cara x’DD

#2 - O nome “DaiLighdramon” (ダイライドラモン ; DaiRaidoramon) é uma junção de Daisuke com Lighdramon, mas como aprendi algumas coisas... Dai (大 ) = grande...
So... Por isso que a Miyako pensa mais na hipótese dele não ser o goggle boy, mas sim o chefe de alguma matilha de Lighdramons :’D

#3 - "Doki" é uma onomatopéia japonesa pra expressar batida de coração, geralmente ansiedade/surpreso/choque.

#4 – Wormmon é um anelídeo (lol, aplicando a aula de Biologia nas fics wat/), pois ele é uma minhoca... Logo o Ken tá errado em chamá-lo de verme no anime. *shot*


Última edição por Daisuke Kaizaa em Dom Jan 29, 2012 9:50 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

The book of Wish [Oneshots] - Página 3 Empty Re: The book of Wish [Oneshots]

Mensagem por Rayana em Dom Jan 29, 2012 9:47 pm

WIN!!! E faço questão de dizer: AMEI a contribuição do Agumon aqui xDDDD
Eu já tinha lido, mas eu podia jurar que algumas coisas estavam diferentes (ou a minha memória é mesmo péssima) , mas é como se tivesse lido a 1ª vez e mais uma vez adorei xDDD

Bem leve, casual, e also, acho que tom de comédia está muito "digimon-like" lol! (tipo, é algo que eu veria acontecer no anime... ou pelo menos num CD Drama, como Michi e no Armor, aquilo também é totalmente louco LOL)

Niii!! \o/ Update!!
Rayana
Rayana
Ultimate (Kyuukyokutai)
Ultimate (Kyuukyokutai)

Comportamento : 100%
Feminino Mensagens : 1767
Data de inscrição : 19/08/2011
Idade : 31
Localização : Portugal
Mensagem Pessoal : Born to be wild.

http://rainbow09.comli.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

The book of Wish [Oneshots] - Página 3 Empty Re: The book of Wish [Oneshots]

Mensagem por Convidado em Seg Mar 12, 2012 7:45 pm

@Ray: Eu não podia deixar essa fic de fora u_u Me diverti a beça imaginando o role invertido do Daisuke e do Ken.
E o Agu-chan tinha que aparecer e dar mais comédia pra isso x'DDDDDDDDDDDDD (Já que só tem o team ZeroTwo e os 12 digimons)

E Michi e no Armor Shinka me inspirou em inúmeras fanfics *shot* Daisuke kaiser rlz *w*

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Btw, tava afim de escrever isso aqui, direto. É uma idéia que tive ao relembrar lá dum tweet do Taichi em relação ao ep 53 de Xros Wars -q
Depois, se eu tiver paciência, eu cato o tweet e ponho aqui. Also, isso tem a ver com a AU também o.o

(Ya, pequenos fragmentos contidos aqui serão meio que fundamentais pra toda a idéia que bolei paquela Alternative Universe)
E sry aos haters do Daisuke, mas esta fic é com ele e com o Deus Capilar (por causa do tweet citado e também por outra coisa que não vou dizer pq sou má mwhahaha, brinks, é que é spoiler se eu contar lol)




★ Inexplicável

Personagens: Daisuke Motomiya, Taichi Yagami
Base: Digimon Adventure ZeroTwo; AU de Digimon Xros Wars 3º arco
Tema: --
Classificação: K


[Ignorem os erros. Escrevi diretamente no fórum]



O Dia estava nublado, chuvoso e calmo. Não era uma tormenta, mas também era aquelas chuvinhas chatas que deixa qualquer um morrendo de tédio. Oh sim, as férias de verão... Uns cinco dias depois do Memorial Day... E um tédio. Aquela tarde estava tão chata que nem videogame conseguia fazê-lo sorrir.

- Ok, que graça tem estar de férias e... Estar CHOVENDO?! - reclamou alto, um jovem de 20 anos, a olhar para a janela de seu quarto e "admirar" o véu de água que caía.

- Daisuke, anime-se. Logo passa. Não vai chover a tarde toda, certo? - o pequenino azulado tentava consolar o seu parceiro, saltando para a cama e sentando-se ao seu lado.

- Uma chuva chata que está durando umas 2 horas - exagerou, como sempre. A chuva tinha começado faz 30 minutos atrás - Não posso nem sair e curtir as férias... Principalmente depois de ser pressionado pela faculdade! Caaaaaara, era tão bom quando estava no primário‼

- Não exagere, você é sortudo de estudar na mesma classe do Ken e da Hikari--
- Ah! Hikari-chan‼ - deu um salto para trás, quase caindo da cama - Acho que vou ir visitá-la~♥
- Hm, É. Ela mora um andar acima, certo...?

Nem respondeu. Na verdade algo o fez inclinar-se na janela (com todo cuidado para não cair, pois estava no 12º andar) e ver algo passando pelo horizonte. Uma... Mão? O que isso poderia ser?! Arrumou os óculos (oh sim, ele os usava agora, por mais que preferisse lentes de contato. Algum dia explico esse detalhe melhor) e mirou na direção que pensava ter visto um vulto enorme.

E depois sentiu um arrepio em suas costas. Chibimon apenas encarava, todo eriçado como se fosse um gato.

- Será que... Seria... - supôs o Motomiya - Seria algum inimigo antigo nosso, como Vamdemon or Diablomon... Ou...

Não conseguiu responder. Um celular raivoso começou a tocar e a vibrar pela mesa do computador. O Goggle Boy desviou a atenção e pegou o aparelho, atendeu-o.

- Senpai...?! O que? Se eu vi algo passando pelos céus?! Se... Se era algo que parecia uma mão enorme, é eu vi. Eu acho. Pensei que tinha sido o único a ver aquilo‼

Do outro lado da linha, três andares acima, um Yagami pendurava-se na janela com um Agumon bastante inquieto ao lado. E quando digimons ficam nesse estado, só podia significar uma coisa:

- Será que derrotamos mesmo Diablomon ou Vamdemon? - indagou Taichi, continuando a conversa pelo celular - Ou pode ser que estamos vendo coisas devido à esse clima entediante.

- Mas, se você e eu vimos... - contestava Dai pelo outro lado da linha - Então não foi imaginação nossa!

- Talvez... E isso que me assusta... Ainda não liguei para perguntar se os outros viram também.
-Era justo o que eu ia fazer agora mesmo. Se mais alguém viu, devemos ficar em alerta... Certo?
- Sim, coisa boa isso não pode significar.

Subitamente ambos digimons, Agumon e Chibimon, que ainda olhavam fixamente para os céus, viraram-se para seus parceiros.
Numa voz séria, disseram algo. Sem enrolações, foram direto ao ponto:

- Sinto a presença de um digimon naquela direção.

Ambos rapazes ficaram perplexos. Sem questionar-se, um impulso os fez pegar os digivices, seus parceiros, um casaco meia-estação para proteger-se daquela chuva e saíram de casa. Com o D-terminal, apenas Taichi e Daisuke resolveram ir investigar aquilo.
Se fosse algum inimigo, não teriam tempo para chamar os outros. Além disso, Hikari estava fora de casa, passando as férias em Nova Iorque com Mimi. Yamato também não estava, foi à um ensaio da banda horas antes de começar a chover. Sora não atendia o telefone, talvez estivesse ocupada ajudando a mãe. Koushirou e Jyou ultimamente andavam ocupados demais estudando. Miyako, Ken, Iori, Takeru também andavam ocupados com outros assuntos.

Só sobrou então... Eles.

Passado alguns segundos, um dragão azulado voava em direção em que viram ir a tal silhueta misteriosa. Não era em Odaíba o destino dela, pois se fosse, já teria alcançado, certo?
Eles se surpreenderam por ser em outro lugar, próximo de Odaíba.

- Hein? Mas aqui é Koto, não? - perguntou-se Dai.
- É, mas... A pergunta não seria essa... E sim... Aonde foi aquela coisa?! - corrigiu Taichi.
- Aonde...?--

De repente, um flash passa pelo local. Isso fez com que XV-mon recuasse um pouco para trás, mas com todo cuidado para não derrubar os jovens que estavam em seus ombros. Agumon sentiu o azulado apertá-lo num abraço inesperado, e o dino laranja também sentio o mesmo que o parceiro do Motomiya.
O que sentiram? Algo estar naquela ponte. A presença de uma aura maligna a rodear por ali. Enquanto os humanos não viam nada, apenas olhavam para seus parceiros com umar de preocupação, os digimons tinham a sensação de que tinha algo fixado à sua frente.

Por alguns segundos, uma "distorção" passou e todos os quatro viram algo inexplicável: Uma espécie de raíz gigantesca destruindo a ponte, um céu avermelhado, pessoas petrificadas e... Um exército de digimons a lutar contra outro. E naquela "raíz", um digimon que nunca viram antes, com asas negras, um corpo bem poderoso, um lado do corpo esquelético, três chifres (dois nas laterais como os de um touro, e um na testa, como o de um unicórnio) a encarar algumas crianças ao horizonte, que era as únicas não pretrificadas. Ou não, pois além delas tinha umas outras cinco ou seis espalhadas e a observar a batalha.

Taichi olhou pra Daisuke, e vice versa. Como se estivessem se perguntando através do olhar "você também viu isso?"
Num rápido segundo, podia creer que noutro flash o Yagami e o Motomiya voltaram a ter respectivamente 11 anos. Mas nem se deram conta disso.
Tais eventos foram rápidos demais. E quando voltaram a olhar para a ponte, nada estava lá. Nada.

- O que foi... Isso...?! - exclamaram os dois escolhidos, arrepiados.
- Daisuke, a sensação... Passou. - informou Vee.
- Passou? - um Daisuke confuso piscou rapidamente os olhos.
- Sim. Aquilo desapareceu.
- Também não sinto mais nada, Taichi - disse Agumon.
- Também? - desta vez foi o Yagami.
- Sumiu, não sei o que aconteceu... Mas sumiu.

Misteriosamente a chuva também parou. Os quatro voltaram-se para a ponte. Nada de diferente.
Porém só depois que eles se tocaram de um detalhezinho:

- Senpai... Essa é a...‼
- Rainbow Bridge...‼ - completou, meio sério.

Foi algo inexplicado. E somente eles viram tal cena ou...




★Nota da autora:

Isso tem a ver com a AU.
Depois explico isso, principalmente o fato de somente eles terem presenciado e até, por alguns segundos, voltarem a ter a idade que tinham em Adventure e ZT, respectivamente o.o


Última edição por Daisuke Kaizaa em Sab Nov 24, 2012 8:31 pm, editado 2 vez(es)
avatar
Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

The book of Wish [Oneshots] - Página 3 Empty Re: The book of Wish [Oneshots]

Mensagem por Convidado em Qui Mar 22, 2012 6:00 pm

Tinha prometido pra Juny fazer um Daikato pra ela (oh sim, DAIKATO. É, um shipping totalmente WTF vindo daquela que anos atrás dizia que não gostava do Takato Matsuda), era pra ser algo zuado e tosco.

Mas ficou diferente. Não sei como explicar, depois eu tento. Mas ficou meio "reflexivo"...
Não me perguntem como que fiz isso, existem coisas que não sei como consigo desenhar ou escrever. Simplesmente só fiz e depois fico olhando e vendo inúmeras coisas que posso interpretar ._.

Até tinha dito no twitter algo sobre isso, mas se eu for comentar por favor, peço que respeitem.
É a respeito sobre dimensões ou mundo paralelos. Algo que me fascina muito >///< E tipo, é uma das coisas que curto em digimon.
Talvez algo que tenha gostado em Hunters é terem abordado sobre tempo e espaço, mas acho que foi mais para abrir brecha e fazer o crossover fluir de alguma forma mais lógica possível.

Foi apenas um texto normal. Não tem nenhum romance amoroso ou qualquer outro gênero. É uma simples conversa entre eles.

Espero que entendam o.o'"
Juny, espero que goste.........




★ Conversa entre fan e ídolo

Personagens: Takato Matsuda, Daisuke Motomiya [+ digimons]
Base: Digimon Xros Wars II
Tema: --
Classificação: K




Simplesmente olhou para o outro, sem dizer nada. Os dias estavam agitados.
Eles recém tinham se conhecido, numa ocasião bastante inesperada.
E, digamos, ele já o conhecia. Mas não pessoalmente. Era de outra forma.

Para este, era um sonho realizado. Se bem que sonhador era tipicamente seu título. Antes sonhava com seu parceiro e ele criando vida própria...
Agora presenciava outro sonho tornando-se real. Algo totalmente surreal.

Mas para quem tem um dino vermelho, que foi desenhado por este garoto, cujo ganhou vida...
Então que raio seria estranhar estar ao lado de um de seus ídolos “fictícios”?

- E ele continua a olhar-me... – suspirou, ainda sendo observado por aqueles olhos.

- Você... Você é real? – de repente ouviu a voz da criança. Um tom tímido acompanhado de um pingo de alegria ao vê-lo.

- Real? – piscou os olhos o outro indivíduo, confuso – Claro que sou! O que você achou que eu era?! Uma ilusão?! – perguntou um pouco espantado.

O menino, pouco mais novo que ele, corou imediatamente. Ouvia-o. E de alguma maneira sentia-se feliz por ter ouvido aquilo.

- É que... – tentou expressar-se - Eu pensei que você fosse uma personagem de um anime famoso que eu assistia...

- Anime? – levantou a sobrancelha – Como assim?

- Você... Você se chama Motomiya Daisuke, certo?

Aquele menino das goggles amarelas disse meio que envergonhado. Já o outro ficou meio surpreso.

- Sim e... Como sabe o meu nome?!

- Eu assistia o anime... Os dois animes, na verdade. Foi graças aos animes que me apaixonei por digimon e comecei a colecionar as cartas, algumas figures e até criar o meu próprio parceiro‼

O outro goggle boy, no qual se chamava Daisuke, espichou-se para o lato e viu, atrás do garoto, o tal citado. Era quase da sua altura. Tinha olhos amarelos, focinho parecido com o de um agumon comum, orelhas parecidas com as de um patamon...

- Você criou o seu próprio digimon? – o ídolo ficou incrédulo, porém fascinado.

- Sim. Ele se chama Guilmon. Sou um digimon tamer.

Riu inocentemente. Aquela criança era tão simpática e criativa. Nunca tinha conhecido, com a exceção de um antigo homem, um garoto ou menina que tivesse criado seu próprio digimon.

- Daisuke – cutucou-o um pequeno digimon draconiano azul – esse tal Guilmon é enorme...! – disse, arrepiando-se todo.

- Guilmon não faz mal a ninguém – pronunciou-se o menino – Não precisa ter medo.

- Takato~ - e este falou – Guilmon quer pão~

A outra dupla ficou olhando-os. Guilmon só tinha tamanho, pois a real é que ele agia feito uma criança, que nem eles três.

-Ei, Guilmon! – e o outro digimon começou a interagir com ele – Eu sou V-mon, e eu amo chocolate!

- Guilmon ama pão com chocolate! – sorriu, sacudindo o rabo feito cachorro.

Enquanto os dois trocavam comidas favoritas, Takato puxou Daisuke para o canto, querendo continuar com a conversa anterior:

- Pelo que o estranho relojoeiro falou, nós somos de dimensões diferentes, ou mundos paralelos... E no meu mundo, Taichi-san e você são personagens muito famosas de um anime e de sua sequela.
.
- Não tinha a noção de que nós poderíamos ser fictícios em uma dessas dimensões, mas essa história de mundos diferentes eu já tinha ouvido falar – contou o outro – E até tínhamos debatido sobre isso.

- Sim, eu sei do que você está falando! Desculpe-me se eu estava de incomodando com o meu olhar. Mas eu não estava acreditando no que via.

- Até que te entendo... Estava a olhar para o Taichi-senpai e estranhar a aparência dele. Só depois percebi que ele veio de um tempo diferente do meu...!

- E ele te conhece ou não?

- Não antes, infelizmente. Mas agora sim, já que nos apresentamos. Não sei se isso irá afetar alguma coisa, mas me parece que naquele dia em que eu me tornei um escolhido, o senpai já tinha alguma noção do que aconteceria comigo.

- Será que não foi a intervenção daquele idoso do Clockmon? Pois pelo que me lembre bem, no primeiro episódio da sequela, você tinha dito que o Taichi-san tinha te contado sobre os digimons...

- Talvez sim. – estalou os dedos da mão direita, olhando nos olhos de Takato – Talvez esse nosso encontro aqui possa ter implicado com o meu futuro, e com o do V-mon também. Além de ter sido uma das crianças seqüestradas por Vamdemon em agosto de 1999...
- É uma boa teoria, garoto! – o Motomiya elogiou-o – Ah, qual é o seu nome mesmo?

- Oh! Que falta de educação minha! – envergonhou-se outra vez – Perdoe-me, Daisuke-san. Eu sou Matsuda Takato.




★Nota da autora:

Algumas notas a acrescentar:

#1 - No ep 78 Takato faz um comentário após o Takuya explicar à Akari e ao Zenjirou sobre o que Daisuke tinha dito.
O diálogo foi +/- assim (perdoem-me, estou usando as subs como referência):

Daisuke: Eu sou Daisuke Motomiya. Sou o kouhai do Taichi-senpai, porém agora estamos com a mesma idade.
Akari: O que você quer dizer?
Takuya: Estes dois vieram do mesmo mundo, porém de tempos diferentes.

E o Takato, cujo me deu a brecha para escrever e nos oficializou sobre Adventure e ZT serem animes:
"Que legal poder ver estes dois lado a lado!"


#2 - Quando pensei nisso, lembrei que o Takato (pelo que minha lembrança péssima sobre Tamers na infância) é um verdadeiro fan de digimon. E aí que pensei em colocar nesta oneshot uma possível origem pela sua paixão por digimon através do anime. Logo coloquei que o Takato é fan do Taichi e do Daisuke (mas, como tinha em mente apenas me focar nestes dois, Taichi só é citado)

#3 - Se não me falha a memória, Oikawa criou Arachnemon e Mummymon, por isso a tal exceção.

#4 - Como Takato assistia Adventure e ZeroTwo (nesta versão da oneshot), ele sabe sobre os eventos desta dimensão. Ou seja, ele sabe toda a história que Taichi & cia passaram em Adv., e o que Daisuke & cia. enfrentaram em ZT.

#5 - Ficou "reflexivo", de uma forma misturando a 'realidade' (Takato, a realidade de Tamers) com a 'fantasia' (Daisuke, a ficção de Adventure/ZeroTwo dentro da realidade de Tamers)
avatar
Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

The book of Wish [Oneshots] - Página 3 Empty Re: The book of Wish [Oneshots]

Mensagem por Jyunirii em Sex Mar 23, 2012 11:00 am

Ficou bonitinho, eu gostei mesmo. Tá muito fofinho, e gostei mais ainda que teve um ponto que as duas realidades se misturaram, ahh... não sei explicar, mas ficou uma graça, aonde tem o botão curtir dessa oneshot?
Jyunirii
Jyunirii
Moderadores
Moderadores

Comportamento : 100%
Feminino Mensagens : 1523
Data de inscrição : 04/08/2011
Idade : 23
Localização : West Shinjuku while I'm listening The Biggest Dreamer.
Mensagem Pessoal : Amigos ate que o Ryouki nos separe.


http://pixiv.me/033210

Voltar ao Topo Ir em baixo

The book of Wish [Oneshots] - Página 3 Empty Re: The book of Wish [Oneshots]

Mensagem por Convidado em Qua Set 19, 2012 6:27 pm

=3= Resolvi tirar poeira daqui e postar isso...

Ok, há a parte em que o Taichi conhece a minha OC, pois é parte do backstory e dos motivos dela ser "importante" na Lady of the Castle ~ Hinode >.>

Btw, mas o foco todo é no que ocorre depois... É quando o Taichi descobre que o Daisuke era uma das crianças raptadas pelo exército do tio Vamde.





★ "Lençóis Voadores"?! Você quis dizer: Bakemons?

Personagens: Taichi, Daisuke, Nina
Base: durante Digimon Adventure, depois dos eventos de Bokura no War Game
Tema: --
Classificação: K




- Ah, uma bola! Olha vovó! - soou uma voz graciosa e infantil pelo parque.

- Oi! Joga pra cá, por favor? - gritou o Yagami de longe, aproximando em instantes de uma senhora e uma menininha.

A pequena pegou a bola com suas delicadas mãos e olhou para a criança que parou na frente dela. Um cabelo gigantesco, goggles por cima de uma faixa azul de atleta. Ela entregou a bola de futebol ao jovem, que agradeceu-a.

- Yagami Taichi...? - disse a senhora - Como você cresceu...!
- Ah! Geijutsushi-san! - olhou-a sorrindo - Quanto tempo! Uh... Acho que passou um tempinho, ne? Eu estava no terceiro ano quando a senhora aposentou-se...
- Sim... Como vai o Kido Jou...? - aquela idosa tinha sido professora de Jou na quarta série, mas aposentou-se no ano seguinte.
- Ele está bem... Estudando como sempre... - riu.
- Ah, aquele jovem sempre está dedicando-se aos estudos. - elogiou.
- Vovó... - a pequena puxou a atenção para ela - Quem é ele...?
- Uh? Ah! Desculpem, nem me apresentei... - falou Taichi, dando um pequeno sorriso envergonhado - Eu sou Taichi. Yagami Taichi.

Ela olhou-o, sorriu. A vó ia apresentá-la, mas... A mesma fez isso.

- Eu sou Nina. Geijutsushi Nina. Tenho sete anos, farei oito em dezembro. Eu não moro no Japão, mas nas férias venho visitar meus tios e minha avó. Minha prima está sempre ocupada e o irmão dela é o único que brinca comigo. Ele também gosta de jogar futebol e sonha em ser convocado para a seleção japonesa quando crescer. Já eu quero... Quero desenhar! Adoro desenhar e sei que isso que quero fazer quando crescer! Desenhar!

- Ela é um tanto carismática - comentou o Yagami à avó de Nina.
- Todos da família dizem que ela puxou os pais... - riu - Meu filho casou-se com uma estrangeira, que também tem uma personalidade parecida com a dele.
- Minha mãe também adora desenhar. - emendou a neta - Foi ela quem me ensinou! E meu pai quem me ensinou japonês. Ah... E... Minha avó também.

- Taichi! O que você está fazendo?! - gritaram lá do fundo, era os amigos com quem jogava bola.

- Ah... Desculpem, mas estão me chamando... Até mais!
- Até. - acenou a ex-professora.
- Foi um prazer te conhecer! - gritou a menina ao jovem, que já estava se afastando dali.

Passou uns trinta minutos depois do Yagami mais velho encontrar a pequena e sua avó. Este ia fazendo a festa no jogo, fazendo vários dribles e gols no time adversário. Olhava para o canto e via Hikari brincando com algumas meninas da idade dela. Noutro canto, sentado e observando o jogo, uma outra criança que já era um conhecido seu e de sua irmã.

O Motomiya caçula estava ali, sentado e resmungando sobre querer ir jogar bola com os meninos, mas não podia por causa do seu tornozelo. No dia anterior ele acabou torcendo-o. Como se recusava a parar e repousar, aquilo continuava a doer.

E o pequenino ficava a olhar os outros brincando e... Aquela quem deveria estar cuidando dele a paquerar alguns garotos um pouco mais velhos que ela. Então ele ficou ali, chateado e fazendo círculos no chão com o dedo.

- Devia ter ficado em casa...! Mas não dá, iria ficar sozinho, deitado, esperando sarar...! Isso ia ser uma tortura! É verão, quero ir à praia, quero brincar... Quero jogar bola!

- Passa pra mim, Yagami-san!
- Não deixa! Vai, pega!
- Corre Taichi! Chuta!
- Defende esse gol, não deixa ele!!


- Será que vou ficar aqui sentado pro resto do dia?! Sozinho?! - suspirou, dando uma espiada pelo canto dos olhos para a sua “adorável” irmã - E até quando a Jun-neesan vai ficar conversando com esses--

A esta altura do campeonato, a “estrela” do time estava cara-a-cara com o goleiro. Só precisava chutar e acertar a goleira improvisada ali. Ia terminar o jogo com mais um espetacular gol... Quando...

- AAAH! SOCORRO! ELES VOLTARAM! JUN-NEESAN!! NÃO ME LEVE, POR FAVOR!!

Ao focar-se no que acontecia alguns metros dali, e do lado oposto ao que Hikari estava, um ruivo de olhos azuis tomou a bola de Taichi. O time do Yagami ficou incrédulo, já que ganhavam a partida com uns três a um no adversário.

Sem hesitar e dar atenção pro que os amigos dele diziam ali, o cabeludo saiu do “campo” e foi até a briga de alguém com um lençol branco, que parece ter voado de alguma residência.
Taichi parou diante da criança e tirou o tal “fantasma” de cima dela. Só viu uma cabeça pequenina e com o cabelo todo despenteado. Ao ver aquele tufo castanho avermelhado, o escolhido da Coragem chamou-o:

- Daisuke?
- Ah?! - e o menininho abriu os olhos, parando de agitar os braços e pernas.
- O que você está fazendo? - perguntou, meio curioso.
- Um fantasma! - contou - Um lençol voador com olhos esbugalhados, garras, presas...!
- Isso...? - apontou pro que segurava com a mão direita.
- ESSA COISA VOLTOU PRA ME PEGAR! - abaixou a cabeça e protegeu-a com as mãos.
- Isso é só um lençol! - riu o mais velho - Não é um monstro ou essa coisa aí.
- Não?! - abriu um olho e fitou o Yagami - Então ele não vai me levar praquele vampiro?!

A última pergunta fez Taichi piscar os olhos rapidamente. “Vampiro”. E o pânico do Motomiya mais novo era por causa de um “fantasma com olhos esbugalhados, garras e presas”...

- Daisuke... Que vampiro? - questionou-o, com um tom mais curioso.

- Um loiro e pele azul...! Ele estava juntando várias crianças...! Não me lembro muito bem, mas ele... Ele pegou meus pais e a Jun-neesan! Aconteceu algo depois... Nós dormimos... Depois acordei e vi uma coisa gigante e feiosa... E depois BOOM! Um cachorro metálico e uma Lagartixa de armadura e luzes e...

- Tá, tá...! Já entendi... Eu acho! - interrompeu-o.
- Eh? Taichi-san também viu aquilo?!
- Foi em Agosto do ano passado?
- Sim! Foi horrível, eu--
- Daisuke, se ficar quietinho eu posso te explicar.
- Mas..?!
- Já que... Você viu aquilo tudo e ficou com medo do lençol...
- E-eu não estava com medo! - cruzou os braços e virou a cara.
- Ok, ok... - suspirou - Já que tomou um susto deste lençol inofensivo...
- Ele me atacou primeiro! Não fiz nada!
- Vai me deixar terminar de falar ou não?! - bronqueou-o.
- D-desculpe-me! - abaixou a cabeça.
- Aquilo que você viu foi... Digimons.
- Deji...?
- Digimons. Criaturas de outro mundo que--
- Eh?! Monstros?!
- DAISUKE!
- Desculpa! - grunhiu baixinho.
- Digimons são seres de um outro mundo chamado Digital World. O que você viu foi a nossa luta contra o Vamdemon pra salvar a oitava criança escolhida dele, que era a minha irmã.
- Hikari-chan?!
- Deixa eu terminar? Depois você comenta, chora, faz escarcéu ou seja lá qual for tua reação.
- Ei!
- Relaxa, só estou brincando - riu.
- Não teve graça! E-eu... Aquele monstro me deixou com medo!
- Ah? O Bakemon?
- Bakemono?
- Não, Bakemon. Não “bakemono”. Esse era o nome daqueles fantasmas feios que te pegaram.
- Eles já voltaram praquela Deji... Deji...
- Digital World? Nem esquenta... Nenhum digimon apareceu mais.
- Então ele não voltar...?
- Pensei que tinha visto a batalha!
- Eu dormi depois... Minha irmã e eu dormimos, Só acordei e vi aquela coisa lutando contra...
- Vamdemon já era, ele foi derrotado pelos nossos parceiros.
- Parceiros...?
- É, a lagartixa de armadura era o meu parceiro.
- Que... Que maneiro! - os olhos do jovem brilharam - Maneiro! E E o cachorro?!
- Cachorro? - Taichi tentava entender as descrições de Daisuke.
- É, aquele cachorro que era um robô e soltava mísseis e...
- Ah! Aquele era parceiro do meu amigo Yamato.
- Quem?
- Ahn... Ele não está por aqui hoje, foi visitar a avó dele com o irmão mais novo.
- Taichi-san... Hikari-chan também tem um parceiro?
- Ah? Sim, ela é a oitava criança.
- Como ele é?! Hein hein hein?
- Ela. - corrigiu-o.
- Eh? Digimons tem...
- É uma gata chamada Tailmon.
- Gata?! Lembro de um gato branco... Todas as crianças estavam passando por ele!
- Bem... Acho que esqueci de dizer que Vamdemon estava com a parceira da oitava criança.
- Sério?! E o que ele estava fazendo com ela?!
- … Não acabei de dizer que nós lutamos com o Vamdemon pra salvar Odaíba e a minha irmã?
- Ah... A Hikari-chan era o alvo daquele vampiro?
- Daisuke, você tá prestando atenção no que tou contando?!




★Nota da autora:

Como queria mesmo enfiar a backstory que inventei pro Daisuke, mas acabei tomando conhecimento de que ele conversa com alguém randomicamente em um CD Drama e... cita ter visto a batalha contra Vamdemon, tive de "revisar" a idéia sobre o Daichan ter adquirido um "trauma" dos 'Bakemons', e que o Taichi quem o "curou" ao explicar sobre aquilo tudo.

Btw, a parte da Geijutsushi é totalmente curta. É apenas uma ctiação do Taichi quanto ao fato dela comentar sobre a idade dela e de terem feito a matrícula escolar com o ano de nascimento errado xDDD Por isso que ela cursa o mesmo ano letivo que o Daisuke lol

O foco do "fragmento" é justo quando o Taichi lembra do motivo de ter se lembrado disso... Foi por causa que aconteceu no mesmo dia em que descobriu um "segredo" do Motomiya caçula.

E sim, ficou com ar de CD Drama esse "fragmento" lol xD
avatar
Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

The book of Wish [Oneshots] - Página 3 Empty Re: The book of Wish [Oneshots]

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 3 de 3 Anterior  1, 2, 3

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum