AU Digimon Hunters

Página 2 de 3 Anterior  1, 2, 3  Seguinte

Ir em baixo

Re: AU Digimon Hunters

Mensagem por Omega MagnaDuxV em Qua Abr 25, 2012 7:44 pm

Li todos os três capítulos de uma vez... foi um desafio relativamente complicado, dada a extensão do texto. Mas digo que valeu a pena. Gostei muito de ver como você "corrigiria" Hunters sob o seu ponto de vista, modificando alguns detalhes, e em menor escala alguns pontos-chave da história. Como o Takuya disse, a história ficou muito mais interessante de se ler em relação a assistir os episódios da temporada. O desenvolvimento das personagens está melhor, se comparado ao trabalho original, mas não quero opinar muito quanto a isso por você ainda estar no começo da história. Enfim, espero com ansiedade os próximos capítulos =)
avatar
Omega MagnaDuxV
Baby 1 (Younenki I)
Baby 1 (Younenki I)

Comportamento : 100%
Mensagens : 30
Data de inscrição : 18/03/2012
Idade : 24
Localização : São Paulo - SP
Mensagem Pessoal : "Estragando a sua festa"

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AU Digimon Hunters

Mensagem por Convidado em Qui Maio 31, 2012 11:18 am

Omega MagnaDuxV escreveu:Li todos os três capítulos de uma vez... foi um desafio relativamente complicado, dada a extensão do texto. Mas digo que valeu a pena. Gostei muito de ver como você "corrigiria" Hunters sob o seu ponto de vista, modificando alguns detalhes, e em menor escala alguns pontos-chave da história. Como o Takuya disse, a história ficou muito mais interessante de se ler em relação a assistir os episódios da temporada. O desenvolvimento das personagens está melhor, se comparado ao trabalho original, mas não quero opinar muito quanto a isso por você ainda estar no começo da história. Enfim, espero com ansiedade os próximos capítulos =)

Nya, thank you ;w; Eu queria ter feito isso bem antes, mas estava com esperanças que o 3º arco ganhasse um rumo diferente do que levou. Aquele final só me reforçou a idéia de prosseguir a AU, ao invés de fazer como os fans estão fazendo, que é dar continuidade, criando um Xros Wars ZeroTwo...

Estou utilizando as idéias que teorizei nos demais tópicos, como a origem da Digi-Quartz, a função dos Leaders, o desenvolvimento do Tagiru, o papel do Ryoua & cia... Além de dar importância para personagens secundários e terciários, tipo a Mami, Miho, Kiichi, Hideaki, etc... Além de usar minhas teorias sobre o sr. velhinho. Btw, algumas coisas do eps finais até podem ser reaproveitadas e utilizadas de uma forma decente, como o Brave Snatcher, a verdadeira identidade do velho, Quartzmon e o encontro entre os lendários.

Só vou deixar claro que modifiquei algumas coisas críticas no Tagiru, Gumdramon, etc. Não quero seguir o anime, isso não é releitura dos eps, até pq detestei boa parte dos eps pela forma que estes foram desenvolvidos.



#4: Mysterious Hunter‼





“Alguns dias depois ficou tudo calmo. Tagiru, Yuu e eu começamos a investigar com todo cuidado possível sobre a misteriosa Digi-Quartz.”

“Numa dessas nossas idas, deparamos com alguns digimons pacíficos. O que me fez pensar que nem todos os imigrantes da Digital World são ofensivos. Mas ainda nos (Shoutmon e eu) preocupa essa imigração toda.”

“O que estava fazendo-os irem para a Digi-Quartz?”
“O que é a Digi-Quartz?”


- Aaww... Eu acho que vou ir comprar algum doce... Ei, Yuu... Vou à loja dos pais da Miho, ok?

- Mas Tagiru... O jogo é daqui a pouco! Taiki-san pediu...

- Até mais! Não se preocupa que eu te trago uma barrinha de cereal!

Nem o ouviu, apenas saiu correndo e abandonou a quadra. O Amano só suspirou e sentou-se no banco. Minutos seguintes, pipocou o Kudou com sua bola de basquete em mãos.

- Yuu? Você chegou tão cedo...!
- Taiki-san? – olhou-o.
- Tagiru já chegou?
- Ele veio comigo, mas bateu aquela vontade estúpida de querer comprar alguma coisa para comer e...
- Típico dele... – riu.

Correndo pela calçada, o Akashi esquivava das pessoas e fixava-se numa placa amarela uns oito passos dele. Ao chegar lá, encontrou num pequeno estabelecimento, um mini-mercado, pertencente aos pais de sua colega de classe, Miho Sudou.

Ele pegou algumas barrinhas de chocolate (ao leite, meio amargo e branco – respectivamente os saberes favoritos de Taiki, Yuu e dele mesmo), uma de cereais para o Amano e foi para o caixa. Colocou em cima do balcão sem olhar para o atendente, pois olhou diretamente para o preço total ali e começou a procurar o dinheiro na mochila.

- Miho, se faltar algo, pago depois do jogo ok? – achou sua carteira e colocou o dinheiro em cima do balcão.

- Não precisa, está tudo certo. Aqui estão suas compras. Obrigado e volte sempre, garoto.

Tagiru parou de revirar a mochila de esportes somente para olhar ao estranho rapaz de pele pouco mais escura que a dele, olhos castanhos, cabelo loiro longo preso num rabo de cavalo e a parte solta bem bagunçada, e de óculos. E este também ficou encarando-o com cara de confuso.

- Quem é você? Nunca te vi antes aqui...

- Ore...? – o individuo apontou para si mesmo.
- Ah, Tagiru! – Miho apareceu do interior da loja – Deseja algo?

- Nada, Miho... – sorriu para ela – Eu já fiz minhas compras... Só estranhei esse cara. Não sabia que tinha irmãos.

- Não tenho – acenou positivamente a cabeça – Ele não é da família. É um estrangeiro que veio da Europa que está fazendo curso no exterior. Meus pais o acharam simpático quando veio procurar por emprego e o aceitaram até que termine o cursado.

- Legal! Deve ser maneiro viajar para outro país e morar temporariamente! – Os olhos dele brilharam como ouro – Ei, ei... Eu me chamo Akashi Tagiru... E você?

- “Você não tinha dito ao Yuu que não iria demorar Tagiru?” – perguntou Gumdramon, direto do Xros Loader – “O jogo é daqui à uma hora!”

- O JOGO! – gritou espantado, dando um salto para trás – A-Até mais, Miho! E prazer em te conhecer estudante de intercâmbio‼ - saiu correndo do mini-mercado, esquivando mais uma vez das pessoas que andavam pela rua.

- Haha... – Miho deu um riso sem graça – Ele é assim mesmo... Meio doido. Espero que não se assuste.

- Sem problemas – riu – Ele me faz lembrar de alguém – sorriu para a Sudou.


O time Xros Heart vencia por dois pontos a frente do time adversário. A quadra já era considerada especial para a equipe de Taiki. E os fans da Xros Heart deliravam com os movimentos do Kudou, com a habilidade majestosa de Yuu e... Riam de algumas atrapalhadas do Tagiru. Mas este não ligava para isso, já que Taiki sabia do potencial dele.

E para fazer todos pensarem duas vezes antes de rirem e o considerarem um completo idiota, Tagiru voou longe e fez três pontos a mais nos adversários. Claro, graças ao trabalho em equipe que era priorizado e preservado pelo trio.

Os torcedores da Xros Heart vibraram com a vitória enquanto os adversários e seus seguidores saíam da quadra em silêncio, porém satisfeitos com o jogo. O time de Taiki estava a se tornar famoso e com bastantes vitórias invictas. E isso fazia com que um certo garoto se empolgasse o bastante e com muitíssimo orgulho:

- Essa deve ser a vitória número...
- Tagiru, você não cansa de anotar quantas vezes ganhamos?
- Se ninguém fizer isso, como saberemos quantas vencemos com glória e garra?

- Ah isso não importa – interveio Taiki – O importante é nos divertimos e aprendermos com nossos oponentes e vice-versa.

- Wow, Taiki-senpai... Isso foi muito profundo!
- Não esperaria algo diferente dele – sorriu o Amano.
- Eh? Está se referindo...?
- Taiki-san comandou um exército ao lado de Shoutmon antes. A Xros Heart era uma armada diferente das outras três, Twillight Blue Flare e Bagra, pois foi graças aos laços que eles criaram com os demais membros ao longo da jornada os concederam a vitória contra o império Bagra.
- Ah! Mas eu já sabia disso, acho.
- Minha irmã e um amigo nosso, Aonuma Kiriha-san, se uniram ao Taiki-san e à Xros Heart ao longo dessas lutas, e assim um elo de amizade poderoso deu a luz ao Great Xros, originando o X7.
- Incrível!

- Ahn, Yuu... Não precisa exagerar – pediu um Kudou meio envergonhado.
- Mas Taiki-san isso tudo é verdade! Como seu antigo inimigo eu tenho de reconhecer o seu esforço e...
- Também cometi deslizes... Inúmeros deles, e muitos na pior hora possível.

- “O jogo já terminou?” – interrompeu Gumdramon – “Venceram?”
- “Pelo visto... Creio que sim.” – respondeu Damemon.

- Precisamos comemorar! – berrou o Akashi alegremente – Okonomiyaki ou chocolates?! Por mim aceito ambos‼

- Tagiru, você só pensa em comer... – suspirou o loiro.

- Ah, deixa ele, Yuu! – riu Taiki – Desta vez concordo com o Tagiru. Deveríamos comemorar esta vitória, foi um bom jogo e estou satisfeito pelo jogo. O adversário mostrou-se firme e forte, foi um desafio e nós conseguimos vencê-lo com nosso esforço e trabalho em equipe.


- “Pessoal... Acho que tem um digimon aqui por perto...” – notificou o dragão roxo.

- Digimon?! – exclamaram os três.


---

Nos becos da cidade, na Digi-Quartz, um digimon pequeno com aparência de um diabinho preto azulado/arroxeado, lenço vermelho nos pescoço e com luvas da mesma cor, um smiley amarelo risonho no abdômen e olhos verdes – Impmon – transitava por ali.

Interferindo no mundo real e assustando s indivíduos que passavam pela região.

- Hahaha! Esses humanos são engraçados‼ - ria e se divertia o digimon levado – São tão tolos‼

- Eles sim, mas nem todos são. – ecoou uma voz pelo beco, vindo do alto de um prédio – Renda-se ou serei obrigado a te deter‼

- Hu... Você é por acaso um desafiante? – o Impmon encarou a silhueta misteriosa.

- Se quiser brincar antes de decidir se render... – disse este em um tom provocativo, esboçando um sorriso.

- Hm, acho que vou me divertir com este humano ingênuo... Um humano não é capaz de me deter.

- E quem disse que estou sozinho? - sacou algo e saltou no alto daquele prédio, que tinha mais ou menos uns três andares – RELOAD!

O Impmon só viu um flash brilhante surgir daquele aparelho e a pegar o estranho. O digimon que surgiu ali pousou firmemente no chão, deixando algumas rachaduras no solo.

- M-Mas o que é isso?! Você por acaso é um Digimon Hunter?! – balbuciou o pequenino.

- Não me considero um, mas não posso permitir que fique azucrinando a vida dos outros. – respondeu com um sorriso amigável e uma voz mais calma.

- Então o que você é?! – vociferou o digimon.
- IKKE! – ordenou a misteriosa incógnita.

Olhos vermelhos brilharam na escuridão, e então o pequenino Impmon apenas viu uma garra poderosa vindo em sua direção.

Começou então uma batalha entre eles. O estranho “hunter” e seu parceiro desconhecido contra o tal Impmon. E no topo de outro prédio, alguém os observava.

Mas, desta vez não era o Mogami.


- Gumdramon, onde está o digimon?! – perguntou mais uma vez o general da Xros Heart.

- “Pela direita, naquela área da cidade perto de um beco.”


O trio corria diretamente para lá, com Xros Loaders a postos. Era melhor irem verificar aquilo rapidamente antes que a situação saísse controle. Poderia não significar nada agora, mas depois...

- Para lá?! Mas não passamos antes?! – perguntou-se o Akashi.
- Acho que sim... – respondeu Yuu.

Eles já estavam faz trinta minutos procurando.


- Não deixe ele escapar! – ordenou a sombra, correndo atrás de seu parceiro e da presa – Se ele fugir...!

O percurso todo estava cheio de queimados, buracos, arranhões, destroços... Uma verdadeira zona de guerra. Graças ao digimon do estranho “hunter” e ao próprio Impmon, que contra-atacava seu inimigo.

A perseguição estava no seu auge, quando...

- Não se preocupe. Está tudo nos conformes, meu caro... Hehe – riu alguém, surgindo na frente do rapaz e com o Impmon ao lado dele.

- EEEEEEH?! MA-MAS...‼ - o estranho jovem parou na frente...

- O que houve?! – o digimon parceiro retornou e encarou o velho relojoeiro.


O rapaz, que usava o hoodie para esconder seu rosto, olhou diretamente para o homem de idade, recolheu seu parceiro e outra voz saiu do Xros Loader:

- “O que aconteceu? O digimon que eu senti...”
- Está com este... senhor... – e mostrou o ecrã do Xros Loader azul claro, com uma silhueta e um digimon nela.
- “Com... este humano?!” – exclamou meio surpreso.

- Não precisam ter medo – disse o idoso – Estou do lado de vocês.

O jovem olhou para o digimon no seu Xros Loader, e este olhou de volta. Em seguida o rapaz voltou-se ao velho.

- Como assim...?


- ALI! – gritou Gumdramon, já fora do Xros Loader de Tagiru. Todos já estavam na Digi-Quartz.

- OK! – respondeu o rei, e saiu na direção em que o dragãozinho ia. Os outros membros da Xros Heart os seguiam logo atrás.

- Mas como é que um digimon aparece e some assim tão rápido?! – comentou Tagiru com o grupo todo.
- Pode ser um tipo de digimon veloz, ninja, espião... – hipotetizou Taiki – Monitamons?

- Não teria sentido os Monitamons estarem fugindo de nós... – duvidou Yuu.
- Concordo com o Yuu, Taiki – disse Shoutmon – Os Monitamons não fugiriam, pelo contrário... Eles iriam nos procurar ou ir atrás da Nene.

- Nene...?
- Mas a neesan poderia estar aqui também? – e o Amano atropelou a fala de Taiki.
- Não sei... – o Kudou pegou o Xros Loader e tentou ver se conseguia captar o sinal de outro digivice.

- Sumiu‼ - anunciou o parceiro do Akashi, parando imediatamente – O digimon sumiu‼
- Como assim sumiu?! – arregalou os olhos um Tagiru incrédulo – Tem certeza?!
- Sim, ele estava aqui – acenou positivamente a cabeça.

- Então alguém o capturou – falou o Digimon King, apontando para o cenário – Houve uma batalha, vejam as queimaduras no chão, as marcas de garras e alguns destroços.

- M-Mas...!
- Não vai dizer que está interessado em caçar do que em proteger os outros, Tagiru?!
- Não, mas... – o garoto aproximou-se dos arranhões e olhou melhor.

Um flash veio à cabeça. Algum detalhe ou algo do tipo. Aqueles arranhões o fizeram lembrar de algo. Ah! O sonho, certo? Sim, dando uma pequena recordada naquele estranho sonho, conseguiu lembrar que a cena da batalha apresentava arranhões e queimaduras. Podia jurar que os inimigos que enfrentava tinham digimons do tipo dragão, e do elemento fogo. O cara estranho que o salvou também parecia ter um parceiro dragão e do mesmo elemental.

- Será que não foram eles?! – pensou alto, chamando a atenção de Taiki e Yuu – Se foram... Eu...

- Eles quem? – perguntou Damemon.
- Você está bem, Tagiru? – Gumdramon mostrou-se preocupado.

- Sim... Estou. – voltou-se para os amigos, e deu um sorriso, apenas para não os deixar preocupados.

- De qualquer forma... – começou o líder do trio – Nada aconteceu. Porém não podemos abaixar a guarda. Vamos voltar...

- Ok. – concordaram todos, deram a volta e saíram... Menos Tagiru.

O Akashi olhou outra vez para as marca, queimaduras, buracos, paredes e piso rachados.
Lembrou-se outra vez do sonho e sentiu um calafrio, como se alguém pudesse aparecer atrás dele e o surpreender.

- Tagiru, você vai vir ou não?! – chamou Gumdramon, de longe.

- Estou indo! – berrou de volta, dando mais uma olhada no ambiente. Em seguida apertou o passo para alcançá-los.


“Não sei como explicar... Mas o Tagiru mudou de uma forma brusca em algumas semanas.”
“Além disso, ele vivia falando de um estranho sonho que vinha tendo ultimamente.”

“Poderia achar que ele estava enlouquecendo... Se não fosse pelo fato de que eu também tive um sonho tão confuso uma vez e no final acabou-se tornando uma realidade.”
“Não sei se isso seria uma ‘previsão do futuro’, mas para mim foi.”

“Conheci Shoutmon naquele mesmo dia em que tive o misterioso sonho.”
“E Tagiru... Estava tendo sonhos estranhos desde que Gumdramon tornou-se seu parceiro.”

“Será que...”



- Certo, um Akatorimon apareceu em um estabelecimento e está aterrorizando o pessoal... Por causa de FRANGO FRITO?! Mas que estupidez é essa?! RYOUMA...!

Ela encarou o companheiro com um olhar confuso e cheio de raiva. Era cada coisa que ouvia naquela casa. O olhar do Mogami era simples e calmo. Ren mantinha-se calado e com os fones enfiados nos ouvidos, ouvindo música para não ouvir Airu reclamando ali.

- Isso é irônico, não estúpido – respondeu o jovem de olhos verdes – É um digimon ave, cujo se assemelha a uma galinha ou um frango. Pelo que posso informar... Akatorimon acha que está ainda na Digital World e que estão matando filhotes de outros de sua espécie.

- Como você sabe disso tudo? – perguntou agora uma gata preto-cinza de olhos verdes, gorducha, luvas e chapéu rosados, flutuando ao lado da loira agarrado aos seus balões coloridos – Opossumon.

- Estive fora pela parte da manhã, e tive a sorte de encontrá-lo. Apenas me aproximei e ouvi seu protesto. Ah, eu poderia capturá-lo até... Mas que graça teria? Nossos rivais só possuem dois digimons até agora e nós... Em torno de uns trinta, não é mesmo... Ren?

Olharam o garoto calado, que não estava ouvindo absolutamente nada. Isso deixou Ryouma meio irritado. Mas não deixou que isso fosse percebido. Voltou-se à Suzaki e prosseguiu explicando:

- Acho que deveria fazer o favor de ir lá e verificar se a Xros Heart já fez seu movimento ou não. Eu sei que não gosta de digimons feios... Mas quando é em prol da nossa equipe, você deve abrir mão de seus gostos. Todos nós fazemos isso, inclusive ele – aponta para o Tobari.

- Mas é uma galinha feia que vai infernizar os ouvidos dos meus fofinhos! – protestou ela.

- Só agora. Depois pode passá-lo para mim ou para o Ren... Ouvi dizer que esse tipo de variação é raro.

- Ok, ok... O que é que não faço aqui – bufou um pouco amuada – Opossumon, vamos.
- Ok! – respondeu alegremente sua parceira.


...

- LÁ ESTÁ ELA!
- ELE!
- QUE SEJA! GUMDRAMON! CHOU SHINKA‼
- CHOU SHINKA! ARRESTERDRAMON‼
- IKKE, ARRESTERDRAMON!

Muita sorte Tagiru estar comprando algo a pedido de sua mãe e perceber o Akatorimon em uma lancheria ali perto. Foi só entrar na Digi-Quartz e começar a caçada.

Arresterdramon partiu com tudo pra cima do alvo, e este disparou de seus olhos rajadas de fogo. O parceiro do Akashi esquivou e realizou um ataque com sua cauda-tridente. Acertou Akatorimon na asa, cortando-o um pouco.

- MAS QUE OUSADO, GAROTO! – reclamou a ave.

- Pare de perturbar a paz das pessoas! Você não está na Digital World! Este é o mundo humano, o mundo real...

- Na verdade... – num timbre feminino veio de um canto, aproximando-se deles - ... Estamos na Digi-Quartz.

- Digi-Quartz?! – exclamou a ave.
- AGORA, ARRESTERDRAMON! – gritou Tagiru.

- NÃO TÃO DEPRESSA! OPOSSUMON! – a garota sacou o Xros Loader rosa.

A gata partiu pra cima, lançando seus balões contra o dragão roxo. Arresterdramon teve de recuar um pouco, deixando o seu parceiro nervoso.

- Quem é você?! – vociferou o Akashi, encarando-a seriamente.

- Suzaki Airu, a caçadora de digimons fofinhos! – respondeu em um tom vibrante e bem sério – Gracinha, não vou deixar que capture este digimon! Não depois que você roubou esse roxinho de mim!

- R-roxinho? – Tagiru ficou confuso, logo em seguida olhou para Arresterdramon – Uh, era ela quem estava atrás de você dias atrás?!

Um olhar embaraçoso foi a única coisa que Tagiru obteve do seu digimon, e aquilo obviamente significava um “sim”.

- Mas não tem problema... – disse ela, olhando-o com desprezo – Percebi que ele gosta de perdedores do que andar com os verdadeiros caçadores.

- EI, QUEM VOCÊ TÁ CHAMANDO DE PERDEDOR?! – bufou de raiva o menino.
- Ele não é perdedor! – rugiu o dragão – Tagiru é meu amigo!

- Ah, amiguinhos... – debochou a loira – Mas não importa. Akatorimon é meu!

- mas ele nem é bonitinho... – resmungou Tagiru, olhando pro... vácuo?! – EEEEH?! AONDE ELE FOI?!

- Aquela loira nos atrapalhou‼ - bufou Arresterdramon.
- Ah, esquece ela! – pulou direto nas costas do draconiano – SIGA-O!
- OK!

Saíram em disparada e levantaram uma senhora poeira. A caçadora ficou para trás, mas logo se irritou e saiu atrás deles com Opossumon.

- Você não vai pegá-lo! Ele é meu! – gritou a menina.
- Nada disso – retrucou o Akashi – Eu o vi primeiro, é meu!
- Mentira! Ryouma o viu antes e me pediu para capturá-lo!
- Ryouma?! Quem?!
- Não é da sua conta! Opossumon, digixros!
- Eh?! O que você vai fazer sua maluca?!

A loira sacou o Xros Loader rosado, escolheu um digimon e executou a Digixros.
Opossumon + Candlemon. Uma combinação interessante.

A parceira de Airu agora arremessava bolas de fogo, Arresterdramon só conseguia esquivar delas. Nessas esquivas, algumas bolas quase acertavam Tagiru. O menino olhou para o parceiro, mas concentrado nos ataques da gata.

- Arresterdramon, tome mais cuidado! Se continuar esquivando desse jeito... E-eu vou cair das suas costas‼

- Não vou deixar que fujam... – resmungou Airu – OPOSSUMON!

A Gata então gerou esferas do fogo maiores, dificultando mais as esquivas de Arresterdramon.
Num desses ataques, o digimon draconiano virou-se de barriga para o golpe da inimiga...
Mas nisso o Akashi saiu voando, rolou pelo chão e se afastou do digimon.

- A-Arresterdramon...! – gritou ele – Eu te avisei para tomar mais cuida--...

Logo percebeu que seu parceiro continuou reto, sem se importar direito consigo.
Tagiru levantou-se do chão com calma, e percebeu logo que tinha torcido o tornozelo. Isso significa que estava sem condições de ir atrás dos digimons. A moça passou por ali e sorriu, vendo que seu oponente estava sem condições de prosseguir a caça.

- DROGA, ARRESTERDRAMON‼

Vociferou tão alto que ecoou pela região da Digi-Quartz.


- Desculpe Tagiru, mas se continuar tão descuidado assim...
- COMO?! DESCUIDADO?! – encarou o loiro.
- O que aconteceu antes? – perguntou Taiki.

A frustração e raiva do ocorrido mexeram com o temperamento do mais novo do trio. E este nem falava com Gumdramon. O general vermelho olhava para Tagiru, que continuava de braços cruzados em cima da mesa da loja de okonomiyaki, deitando o queixo sobre os braços e olhando para o porta-guardanapo à sua frente.

- Gumdramon sentiu a presença de um digimon, encontramos o alvo... Tentamos capturá-lo para encerrar a confusão que este estava promovendo e... Uma loira idiota veio nos atrapalhar. E essa maluca tentou nos matar! Pedi ao Gumdramon que tomasse cuidado, mas ele ignorou por completo... Numa esquiva dele, caí e sai rolando. Nisso torci meu tornozelo e não pude fazer nada.

- “Gumdramon, você não deveria ajudar o Tagiru?!” – o rei da Digital World bronqueou o dragãozinho, olhando do xros loader de Taiki para o de Tagiru. Todos os três aparelhos estavam em cima da mesa.

- “Se eu voltasse para pegá-lo, perderíamos o Akatorimon.” – justificou-se este – “E o Tagiru estava na mira daquela bola de fogo enorme! Ele iria se machucar mais! Não deviam me culpar como se não tivesse tomando precauções!”

- Que seja... – bufou o Akashi – Gumdramon, eu pedi para que você tomasse cuidado! Antes estava esquivando apenas para se proteger! E as bolas de fogo que eu mesmo tive de desviar?!

- “E acha que não estava fazendo o meu melhor?! Estive concentrado na presa, não me culpe!”
- Só que eu quase virei torresmo!
- “O Akatorimon estava bem perto! Muito perto! Queria que eu fizesse o quê então?!”
- Que tivesse prestado mais atenção no seu parceiro!

- Vocês poderiam parar de discutir?! – pediu o Kudou – Brigar não vai...

- “E o que você acha que eu estava fazendo?!” – Gumdramon ignorou a todos e continuou a discutir.

- VOCÊ AO MENOS QUE SE LEMBRASSE QUE SOMOS UMA DUPLA, SEU IDIOTA‼

Outro grito ecoou e todos, sem dúvida, olharam para a mesa da Xros Heart. Pensaram que ele podia estar brigando com Yuu ou Taiki, mas a verdade era que...

- Tagiru, espera!

... O menino gritava com o seu Xros Loader. E este jovem não suportou mais, levantou-se da mesa e saiu correndo da loja. De alguma forma, Gumdramon agiu mais pelo digimon e não pela segurança deles e das demais pessoas.

E Tagiru sentia que... Maioria das lutas que tiveram para capturar digimons para encerrar um problema ou evitar que estes saíssem causando caos, o seu parceiro draconiano fazia mais por conta própria e não pela missão da Xros Heart.

Tinha uma pequena noção de que Gumdramon mentia sobre serem amigos. E aquela caçada ao Akatorimon foi uma prova disso.


- Gumdramon idiota! – gritou outra vez, entrando na loja dos pais de Miho.
- Huh, o que foi Tagiru? – pipocou a menina dos fundos da loja.
- N-Nada... Ah, aqui. – deu uma barrinha, que pegou da prateleira, junto com o dinheiro.
- Uh, não é nada grave, certo...? – perguntou, enquanto realizava a compra.
- Nada, só uns problemas estúpidos... – pegou a sacola e a nota fiscal – Até amanhã na escola.
- Até...?

Saiu de lá, ainda amuado. Abriu a embalagem e mordeu o primeiro pedaço da barrinha.
Deu mais algumas mordidas e jogou a embalagem na primeira lata de lixo que encontrou.

- Aquele dragãozinho ambicioso... – resmungava, com as mãos atrás da cabeça e olhando para os lados – Egoísta! Só pensou nele das últimas vezes...! E eu achando que era só a minha cabeça...

- AAAAAH, SOCORRO, AQUELE FRANGO GIGANTE...!!

O grito o fizera parar seus resmungos e olhar para a sua origem. Outro estabelecimento estava sendo atacado. Então o Akatorimon continuava solto e causando encrenca pela região. Tagiru disparou para tal loja, com intuito de capturar o digimon imediatamente.

Mas, ao colocar a mão em seu bolso... O Xros Loader não estava lá.
No mesmo tempo em que tomava conta deste detalhe, veio um flash em sua cabeça sobre o que tinha acontecido minutos atrás.

- E agora?! – balbuciou – O que faço?! Voltar e pegar o Xros Loader vai demorar, e ele não irá cooperar comigo...‼

Porém nesse dilema todo para escolher o que deveria fazer, o Akashi ouviu um “Time Shift” vindo de um beco por perto. Sem pensar antes, o menino foi em direção das luzes que saíam do portal, e assim que o encontrou saltou direto nele.

Foi para a Digi-Quartz mais uma vez. E de cara no chão...
Levantou-se e viu um vulto movendo-se contra a ave gigantesca e penosa. Por extrema curiosidade, Tagiru seguiu a sombra e a espionou.

- RELOAD! – bravejou a incógnita.

Um digimon quadrúpede e não-identificado pelo nosso herói apareceu em instantes no campo de batalha. Akatorimon iniciou os ataques ofensivos, e o digimon parceiro do estranho realizou contra-ataques e esquivas. Além disso, ficava sempre protegendo o seu “tamer”.

- Incrível! – pensou Tagiru, analisando as técnicas do misterioso hunter.

- Não perca tempo... USE O SEU MELHOR GOLPE! – ordenou o humano.

A criatura do enigmático hunter saltou para cima do Akatorimon, e nisso o membro da Xros Heart conseguiu ver melhor o formato do monstro. Nas costas tinham três espinhos em forma de raios, e ao que aparentava, na cabeça tinha um chifre no mesmo estilo.

O digimon rugiu alto, os espinhos das costas começaram a gerar uma faísca... E em seguida disparou uma rajada elétrica contra Akatorimon. O inimigo havia sido acertado em cheio e rapidamente. A descarga o paralisou, permitindo que o humano misterioso ali o capturasse.

- Está encerrado. – disse o mesmo, olhando para o Akatorimon em seu Xros Loader – Não tenha ressentimentos, Akatorimon... Eu não gosto de fazer isso.

- “Então por que me capturou, seu hunter insolente?!” – esbravejou a ave.

Tagiru aproximou-se cautelosamente para ouvir melhor, e então percebeu que o indivíduo era...

- Porque não há outra escolha. Enquanto eu não souber como te enviar para a Digital World, sou obrigado a evitar que os digimons saiam causando problemas. Não sou um “hunter” que nem esses outros. Apenas evito que vocês caiam em mãos erradas. Os digimons não merecem serem tratados como bichinhos de estimação ou armas.

- “Eh?! Então quem é você?!”

E o stalker permanecia petrificado pelo que via. A sombra usava as mesmas roupas daquele estranho do seu sonho, o que o salvou das outras silhuetas.

- Ore? – falou o tal – Digamos que pode me chamar de “Mysterious Hunter” por enquanto. Prefiro manter meu nome em segredo.

- Mysterious... H-Hunter?! – gaguejou numa voz extremamente baixa Tagiru.



[next]


Última edição por Daisuke Kaizaa em Qui Jun 21, 2012 12:16 am, editado 2 vez(es)

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AU Digimon Hunters

Mensagem por Convidado em Qui Jun 21, 2012 12:04 am

Double... Btw, terminei o 5º chap, que aprofunda mais o tal sonho do Tagiru:




#5: Legends.



“Desde o dia anterior, fiquei com receios de tocar no assunto. Aliás, nem quis saber de Digi-Quartz.”

- Tagiru, você esqueceu seu Xros Loader...!!

“Taiki-senpai foi até a minha casa lá pelas sete horas da noite, apenas para me devolver o que tinha deixado na mesa da loja de okonomiyaki.”

- Obrigado, Taiki-senpai... – pegou da mão do outro o aparelho carmesim, meio abatido.
- Algum problema...? – perguntou Taiki.
- N-Nenhum... – gaguejou.

- “Tagiru?” – Gumdramon chamou-o – “Tagiru... Por favor, responda...!”

- Tem certeza? Você não me parece bem...
- Taiki-senpai, eu estou bem...! – falou um pouco grosseiro – Não há nada que eu esteja escondendo...!

- “Tagiru?! Por favor, preciso falar contigo!!”

“Eu... Eu não sabia como explicar o que tinha presenciado. Na verdade, estava querendo ficar de fora daquilo. Não estava querendo que cinco silhuetas viessem atrás de mim, com o intuito de me matar e de ferir esse idiota do Gumdramon.”

“Por mais egoísta que ele seja... Eu não posso permitir que o firam!”


- Tagiru, você sabe que pode contar comigo, com o Yuu, Shoutmon, Damemon e com todos os membros da Xros Heart se tiver sentindo-se incomodado.

- Taiki-san... – recolheu-se, abaixando a cabeça e olhando para o chão – Posso pedir para que você fique com o meu Xros Loader...?

- “O QUÊ?! MAS...”

O General Vermelho olhou para o menino, que emitia uma aura de insegurança e medo. Taiki queria descobrir o que estava atormentando o Akashi, mas este não queria contar. Preferiu então deixá-lo um pouco a sós. Mas isso não significaria que estava abandonando-o.

- Gumdramon pediu que eu o trouxesse até aqui, então acho que ao menos deveria ficar com o Xros Loader. Entendo que não queres tocar no assunto agora... Mas se precisar de algo, pode contar comigo. – sorriu, colocando a mão no ombro do menino.

- Taiki-senpai...

- Até amanhã na escola... – acenou e retirou-se.

“Sinceramente... Não tenho noção alguma do que estava acontecendo comigo. Antes queria mesmo me envolver e ajudar o Taiki-senpai. Mas agora... Agora que vi aquele estranho do meu sonho de perto...”

- “Tagiru, podemos ir para seu quarto? Preciso falar contigo...”

- Ok, Gumdramon... – respondeu-o, mas em um tom desanimado.
- “Algum problema...? Percebo que você está falando meio...”
- Nenhum. Apenas diga logo o que quer comigo.

Dirigiu-se para o quarto, fechou a porta e deu “reload” no Gumdramon. O pequenino olhou-o com uma cara de arrependido, meio incomodado com o que tinha feito antes. Principalmente naquela caçada ao Akatorimon.

- Tagiru, me desculpe... Ou-sama me deu um sermão daqueles que te deixa com dor até na alma e...

- Gumdramon, eu não quero mais me envolver nisso. – interrompeu-o, cortando quaisquer promessas futuras – Não depois de ter visto...

- Huh? O que? Como assim você não quer mais?! Pensei que você queria pegar aquele Akatorimon para acabar com aquela confusão e...

- Ele é real, Gumdramon. Logo as outras sombras também são. E se elas estavam interessadas em nos destruir... Não quero mais me envolver.

Gumdramon ficou em silêncio, mas em sua face estava claro que não engolia aquilo. Tagiru com medo de algo que tinha sonhado?! Medo?! Isso era sério?!

- Aquilo foi um sonho! Pode ter sido imaginação sua! – contestou o dragãozinho – Será que você não bateu com a cabeça depois que saiu da loja?!

- Não, eu vi aquele Akatorimon atacando outro estabelecimento... – contou – Pensei em agir, mas lembrei que tinha deixado o Xros Loader lá em cima da mesa. Alguns minutos depois ouvi alguém ativar o portal para a Digi-Quartz e entrei lá de penetra. Foi aí que descobri que não era piração minha, era o mesmo indivíduo que nos salvou naquele sonho!

- Se ele nos salvou, porque está com medo dele?

O menino calou-se. Deveria ter medo das outras cinco sombras, e não daquele indivíduo. Mas era justo esse medo. Daquilo se tornar real, das tais silhuetas vierem atrás dele e de Gumdramon. O sonho repetia-se várias vezes, por isso mais medo ainda tomava conta de sua cabeça.

Das últimas vezes, tinha a impressão de que os tais inimigos o julgavam ser um típico hunter que só caçava por diversão, e não para controlar os incidentes dos digimons no mundo real.
Na verdade, foi Taiki quem tinha designado essa função para os integrantes mais novos da Xros Heart. Logo Tagiru, que sempre viu Taiki como um exemplo, seguia ao pé da letra esta norma.

Norma prioritária da Xros Heart em relação ao caso da Digi-Quartz: Investigar a Digi-Quartz e manter os digimons longe de problemas e incidentes no mundo real.

Ou seja, ele não era um caçador por hobby. Era como uma espécie de “polícia” dos digimons.


- Porque ele é muito mais habilidoso...! Aquele Akatorimon não durou um minuto contra ele e o seu parceiro! E se ele não nos ajudar e quiser nos confrontar?! O que fazemos Gumdramon?!

- Melhor mesmo você parar de agir feito um fracote! – rosnou – Até agora estávamos indo muito bem! Já demos conta de três casos semana passada!

- Sei... – criticou o Akashi – E os três foram pro Yuu, você ficou resmungando e pondo a culpa em mim por tê-lo deixado. Tem certeza que me considera seu amigo? – encarou-o – Um amigo não forçaria o outro a continuar algo quando não está em condições. O Taiki-san entendeu que preciso de um tempo! Não era de você fazer o mesmo?!

- Mas...!

- Nada de “mas”! Não me sinto bem em continuar! Preciso de tempo... Tempo para refletir e pensar no que fazer.

- Seu idiota... Enquanto você pensa, os digimons vão ser capturados por outros.

- E qual o problema? Taiki-san e Yuu estão investigando sobre a Digi-Quartz. Logo depois de terem uma noção do que é aquele lugar e como ele funciona, irão contatar o maior número possíveis de hunters que possa existir e pedir que estes entreguem os digimons capturados para que possam ser enviados novamente para a Digital World. Bom, o problema principal deles é saber como irão ter acesso à Digital World para reenviarem os digimons imigrantes...

- Então você também deveria ajudar! – rangeu os dentes – Ao invés de ficar cheio de medinhos de sombras e misteriosos hunters que aparecem em seus sonhos!

- Ok, Gumdramon... Eu continuo, mas... Você não entendeu ainda... Naqueles sonhos eles queriam VOCÊ E EU. Mais ninguém. Não queriam o Taiki-san, nem o Shoutmon, o Yuu, o Damemon, aquela loira estúpida e a parceira dela, a Miho ou a Mami. Eles queriam apenas nós dois. SÓ VOCÊ E EU. Entendeu agora?! Quer morrer Gumdramon?!

O pequenino arregalou os olhos e sentiu um arrepio, principalmente por ver o jovem alterado e a gritar com ele. Ficou um silêncio após aquela última e tenebrosa sentença.


- Naquele sonho, nós lutamos contra os cinco. – acalmou-se, iniciou a explicação – Não estávamos preparados para isso. Eles eram mais fortes e nos derrotaram, resolvi que devíamos recuar e repensar na nossa estratégia. Aquele quinteto começou a nos provocar. Você caiu direitinho no jogo deles e partiu pra cima, tomado pelos insultos deles. Tentei te parar, mas a combinação das técnicas deles quase nos matou... Nós morreríamos se não fossemos salvos pelo tal “Mysterious Hunter” e o parceiro dele.

- Você acha que... Aquele sonho tem algo a lhe dizer?

- Não foi um sonho comum, Gumdramon... Foi algo diferente do normal. Nunca tive sonhos tão repetitivos como este. Isso só pode significar alguma coisa, e não me parece ser uma boa mensagem.

- Faça o que quiser, mas fugir assim não vai ajudar em nada – cruzou os braços e virou a cara, bravo – Ou-sama ensinou-me que não devemos fugir de nossos medos, nem de nossas brigas. Por isso que quis falar contigo e resolver aquela discussão logo!

- Gumdramon, isso não é fugir, é refletir! Seu teimoso! É diferente, pois eu não posso deixar o Taiki-san e o Yuu cuidando dos casos sozinhos! Só quero pensar no que fazer para que essas sombras não venham.

- E se elas vierem? – perguntou um draconiano roxo numa acidez só – O que adianta? Vai fugir ou vai enfrentar? Acho que você deveria levar isso como um aviso e melhorar minhas... nossas habilidades só por precaução.

- Isso ainda soa egoísmo... – murmurou – Como se apenas fosse um canalizador de energias...

- Você pensa demais. Se as tais sombras forem reais e estiverem te procurando, está perdendo seu tempo pensando em como evitá-las ao invés de nos fortificar mais para o possível confronto.

- Não tenho culpa que prefiro parar e pensar à seguir sem tomar precauções contra esses caras! Não entendeu ainda, Gumdramon?! Mesmo que “nós” fiquemos fortes, não somos páreos para eles... Meu sonho mostrou isso... Eu sentia sua força, nosso poder sincronizado... Estávamos diferentes do que agora!

- Não acha que foi esse seu medo estúpido que nos deixou...

- NÃO FOI ISSO! Eles disseram algo... Alguma coisa a ver com “Digital World”... Algo a ver com... Lendas... Não lembro bem...!

“Não sei se foi minha frase, mas Gumdramon arregalou seus olhos ao ouvir ‘Digital World’ e ‘Lendas’. Não me interessei em perguntar no momento... Minha cabeça estava confusa.”

“Apenas pedi que terminássemos logo a conversa para que pudéssemos dormir um pouco e esquecer aquilo... No entanto, eu mesmo me esqueci que não iria ter tranqüilidade durante a noite...”


...

- Você está perdido, criança. Melhor parar de caçar os digimons ou irá arranjar problemas pro seu lado. Quem avisa amigo é, sabia? E não estamos querendo obrigá-lo a fazer isso por meio da força bruta...

“Pois em meus sonhos sofria mais do que nas batalhas na Digi-Quartz.”

- Vocês não entenderam ainda?! EU NÃO SOU UM CAÇADOR POR HOBBY! A Xros Heart precisa capturá-los para evitar que eles não cometam problemas no mundo real! Os casos estão se agravando! Se vocês são mesmos tão importantes, por que não nos ajudam a impedir e a descobrir sobre essa migração misteriosa?!

- Não adianta Tagiru‼ Eles não irão te ouvir!
– vociferou Arresterdramon – É preciso lutar contra eles... Até que nos ouçam!

- NÃO QUERO LUTAR MAIS, ARRESTERDRAMON! NÓS TEMOS O MESMO DESEJO QUE ELES, PROTEGER OS DIGIMONS! LEMBRA?!

“Sempre a mesma cena, a mesma ação, o mesmo diálogo... O mesmo confronto.”
“Cinco sombras poderosas, cujo diziam ser defensores da Digital World e dos digimons...”

“Mas que estavam a cometer erros terríveis contra nós. A Xros Heart naquele momento estava dividida, não tinha idéia de onde estava Taiki-san ou Yuu... Ou os outros membros dela.”


- Nós estamos pedindo com carinho e sorrisos para que pare, agora se não quiser...
– pronunciou a mesma sombra de antes, a segunda que estava um pouco mais a frente que as outras, duas humanas, outras cinco enormes e de digimons – Então vai ser da PIOR maneira mesmo.

- CHEGA!!
– vociferou o parceiro do Akashi – NÃO PERMITIREI QUE FIRAM O TAGIRU OU AOS OUTROS HUNTERS INOCENTES‼ - avançou contra os supostos inimigos – VOCÊS NÃO TEM PERMISSÃO ALGUMA PARA MANDAR NOS OUTROS, SENDO LENDÁRIOS OU NÃO‼

- Lagarto imbecil...
– provocou a sombra – PEGUEM-NO! – e este estalou os dedos, ordenando que o quinteto de digimons avançassem contra Arresterdramon.

- ARRESTERDRAMON, ESPERE... EI, VOCÊS...! PAREM‼ – gritou Tagiru o mais alto que conseguia, desesperadamente também.

“Os cincos digimons eram gigantescos e maioria do elemento fogo. Combinaram suas técnicas em uma só e dispararam contra Arresterdramon... E também eu era alvo deles.”

“Estava prevendo um final horrível... A não ser...”


- AKASHI SEU IDIOTA!! RELOAD “—MON”! CHOU SHINKA!

- O QUE?!

“Uma sexta sombra surgiu, seu Xros Loader brilhou de uma forma diferente do que qualquer outro que tenha visto anteriormente. O parceiro deste emitia uma aura diferente, uma aura poderosa... E essa aura foi usada pra bloquear o golpe em conjunto das ‘sombras lendárias’”

“Mesmo assim, Arresterdramon foi atingido em parte pelo golpe combinado... E voltou à forma Gumdramon. O digimon do misterioso vulto (o que nos salvou) pegou meu parceiro antes que aproveitassem para gerar outro golpe combinado...”

“O parceiro deste chamou-o, nos pegou e saímos rapidamente da linha de fogo. Escondemos-nos bem longe deles, atrás de um prédio que parecia ser o de uma estação de televisão daquela região.”


- Você é burro, garoto?!
– e o estranho deu um sermão em Tagiru – Não adianta fugir deles!

- Gumdramon! Gumdramon, você está bem?!
– E o mocinho ignorava-o, olhando para o parceiro, pegando-o no colo – Por favor... Responda...!

- T-Tagiru...
– este, para aliviar a alma do jovem, falou – Eles... Eles são fortes como... Como as lendas diziam...

- Eles quem?! As sombras?!

- Akashi...
– o sujeito voltou a falar com ele, e desta vez teve sua atenção – Você não pode enfrentá-los sem ter um nível equivalente. Mas não adianta fugir. Una todo seu poder e lute‼ Precisamos unir nossas forças com as do Kudou Taiki.

- Quem é você...?

- Ore wa...


...

- TAGIRU ACORDA VOCÊ VAI SE ATRASAR PRA ESCOLA MEU FILHO‼

- O QUÊ?!

“E SEMPRE QUE EU IA DESCOBRIR O NOME DAQUELE ESTRANHO, ALGO ME ACORDAVA.”

“Ou era minha mãe...”


- AKASHI. VOCÊ TÁ PRESTANDO ATENÇÃO NA AULA?!

“Ou os professores...”

- S-SIM, PROFESSOR‼

- Tagiru... – chamou Yuu num sussurro – O que houve contigo?! Andas dormindo tarde?
- Não, eu durmo cedo... – respondeu no mesmo tom – Mas aquele sonho se repete sempre...!
- O mesmo sonho? – o Amano levantou uma sobrancelha.
- Sim, o mesmo...

“Depois da aula... Resolvi ir para a Digi-Quartz... Sugestão do Gumdramon.”
“Lá começamos a procurar por um tal conhecido dele, chamado Kotemon.”

“Não queríamos caçar nada, Gumdramon estava diferente das demais vezes. O foco dele tinha mudado, e eu sentia que ele estava empenhado a melhorar suas habilidades.”


- Ele mora por aqui... Pelo que me lembre, foi um dos primeiros conhecidos que encontrei pela Digi-Quartz – contava o dragãozinho – Nós treinávamos juntos no castelo, enquanto o Ou-sama estava ocupado com seus afazeres reais e não podia me treinar.

- Entendo... Então Shoutmon não é só como um irmão mais velho pra você, também é uma espécie de tutor?

- Sim... Mas Shoutmon Ou-sama pegava no meu pé pelo que fazia antes... Eu era um verdadeiro arruaceiro. E tinha um comparsa mestre dos disfarces chamado Betsumon e...

- Ah, aquele ali é o Kotemon, certo? – interrompeu-o, apontando para uma silhueta de um digimon cujo parecia estar trajando roupas de kendo.

- Sim, é ele mesmo‼ - sorriu, puxou Tagiru pelo braço e com o outro acenou para o conhecido – Ei, Kotemon! Sou eu, Gumdramon! Eu trouxe um amigo, um humano que conheci e ele é o pupilo do lendário General Vermelho da Xros Heart!

- Lendário...? – exclamou o menino.
- Ué, não sabe que o Kudou Taiki é famoso na Digital World...? E aqui também? – perguntou o tal Kotemon.

“A palavra ‘lendário’ veio como um link aos fatos do sonho. Ouvi-la me fazia lembrar dos estranhos garotos e seus digimons... Estava fora do ar outra vez, enquanto Gumdramon e Kotemon falavam algo...”

“Minha cabeça estava confusa e só implorava que tal sonho não se tornasse real justo agora.”


- Tagiru?
- Ah? O Nome dele é esse?
- Akashi Tagiru, esse garoto tem uma aura interessante e um poder descomunal... Sinto isso desde que selamos nossa união.
- Selaram? Então vocês são parceiros agora?
- Sim Kotemon. E eu quero me tornar mais forte, ser o número um da Digital World!
- Ainda...?!
- Você acha que eu quero viver como “O pupilo do grande Digimon King” pro resto da minha vida?!
- Ahn... Gumdramon, antes que eu possa te ajudar... Por favor, salve a Piyo-chan!
- Eh?! Piyo-chan?! O que aconteceu a ela?!

O garoto despertou de seus pensamentos e olhou para Kotemon seriamente.

- O que disse? – perguntou um Tagiru determinado.

- Piyo-chan, uma Piyomon amiga minha... – começou a explicar – Ela costumava a treinar comigo e com o Gumdramon... Mas desde que viemos para a Digi-Quartz, um Were Garurumon a capturou... O mesmo que vivia nos ameaçando – olhou para Gumdramon e mudou para um tom amuado – e cobrando pelo que o Betsumon fazia.

- Hee hee... – deu um riso sem graça, colocando a pata direita atrás da cabeça – Eu não controlava aquele louco, só éramos parceiros de encrenca.

- Então... Ele pegou uma Piyomon chamada Piyo, isso? – recapitulou o Akashi – Mas por que ele a capturou?!

- Não sei, mas só sei que foram dois dias atrás. E como o Gumdramon tinha desaparecido, pensei que não haveria mais esperanças em salvá-la.

- Ok...! Deixe isso conosco, certo Gumdramon?

...

Longe dali, bem distante de Shinonome... Aliás, tão distante que era meio desconhecido o ambiente por onde estes andavam.

Olhos focavam-se em um alvo caminhando pela multidão. Esse indivíduo estava junto de outras cinco pessoas. Andavam felizes, tomando sorvete e conversando sobre assuntos comuns. A moça ao lado dos rapazes era a única calada e sem demonstrar se estava entediada com aquele papo ou se apenas os ouvia e ficava quieta ali.

- Alvo número três... – pronunciou a silhueta de olhos brilhantes e sinistros – Aquele que é o mais puro, nobre, corajoso como um cavaleiro. Porém, sua definição é... o “Lendário Nobre Sonhador”...

A incógnita olhou para trás, onde apenas tinha um par de olhos vermelhos cintilando nas sombras. Ordenou que esta fizesse seu primeiro movimento para capturarem o tal “Sonhador”, fazendo com que os outros quatro se afastassem imediatamente da presa.

E assim o fez. Para suas expectativas, conseguiu utilizar o seu comparsa para distrair os demais e então atrair sua vítima para “A Teia”.

E o que seria “A Teia”??
A Digi-Quartz.

...

- Aonde ele foi, Ren?! DIGA-ME AGORA‼
- Está falando do Ryouma ou do Akatorimon?!
- ÓBVIO QUE É DO RYOUMA! Aquela galinha sumiu de vez.
- Ryouma? Ele saiu... Outra vez.
- De novo?! Mas o que ele foi fazer?!
- E eu sei lá?! Ele nunca me diz nada, apenas “Ah, vou dar uma volta. Até mais.”
- Hein...? Mas por que ele demoraria tanto?!
- Não sei, aliás... Tenho mais o que fazer do que ficar me preocupando com ele!

Eis a dupla de cúmplices do Mogami a discutir mais uma vez sobre o que tanto fazia o “líder” do bando fora daquela casa, sem avisar absolutamente nada além de justificar com “dar uma volta por aí” ou “tomar um ar fresco”.

Airu já começava a desconfiar daquelas demoras, pensando em usar o Xros Loader para descobrir a localização exata de Ryouma, mas Ren a convenceu que isso seria perda de tempo e que só deixaria o outro zangado com ela. A Suzaki ouviu-o, mas ainda estava curiosa quanto a isso.

- Algum digimon novo para capturarmos? – ela tentou puxar assunto com o Tobari.

- Dracmon não sentiu presença de nenhum até agora... E como assim “para capturarmos”? Você com suas “fofuras”, eu com meus preciosos raros.

- Ai, como você é tão ranzinza! – virou o rosto pro lado.

- E você uma metida – devolveu na mesma moeda, levantando-se do sofá onde estava sentado e saindo pela porta – Vou ver se acho algo interessante para fazer, ficar aqui e te aturar é o que não quero.

- Vai tarde, seu grosso! – embirrou a loira, pondo a língua para o garoto.

- Mas que infantil... – resmungou Ren, batendo a porta com força.


...

Estava tudo saindo nos conformes. A vítima estava sozinha, a andar pelo terreno misterioso, confusa e sentindo-se vigiada. E estava mesmo. O cabeça daquela operação andou calmamente até lá, pondo em prática seu próximo passo.

- Pensou que poderia enganar alguém com um truque tão antigo assim...?

Parou instantaneamente, olhou para o lado e viu alguém a correr em sua direção. Uma luz, num rápido flash, fez com que um outro individuo ao lado daquele tomasse outra forma e tamanho.

- PEGUE-O CYBERDRAMON!

O digimon, agora já identificado (e obviamente seu “tamer” também), avançou contra o inimigo e desferiu um golpe físico não-letal no intuito de imobilizá-lo. Mas o desconhecido oponente esquivou-se de todos os golpes.

- Impressionante... – disse este, com seus olhos brilhando – Então posso enganar os outros... Menos ao individuo de um caso especial... Um lendário diferente dos outros seis...

- “Lendário”...? Nem sabia que tinha ganhado um grupo. – debochou – O que você quer com o...

- No entanto não tenho tempo para brincar. Só preciso dos seis, não de você. Seu poder não é páreo para o sexteto lendário... Ouse impedir-me novamente...

- Cale-se e entregue-se logo! Cyberdramon! Matrix--

Algo segurou sua mão, o rapaz calou-se e olhou para a esquerda. Aquele rosto tão angelical e sério, sem nenhum sorriso. A moça estava de olhos fechados, apenas segurando-o. Cabelos ruivos no costumeiro estilo da Rainha do Gelo Fogo.

- Não se intrometa, Lendário Akiyama Ryou – pronunciou a tal dama, com um tom de voz sereno. E o jovem continuou calado, sem compreender o que a sua amiga queria dizer com aquilo. Aliás, ela nunca o chamava de tal forma.

- Caso contrário... – abriu os olhos, encarou os dele profundamente. Olhos vermelhos e brilhantes, diferentes dos olhos dela - ... Você irá se arrepender de ter presenciado isso.

Sem permitir que o Akiyama falasse a tal “amiga” lhe desferiu um choque paralisante. Tal ataque o impossibilitou de prosseguir. E quando Cyberdramon tentou pegá-la, a tal “humana” realizou um salto mortal e um rápido ataque efetivo, fazendo com que o digimon voltasse à forma Monodramon. O golpe não tinha intuito de causar dano, mas sim paralisá-lo também.

- QUEM SÃO VOCÊS?! – berrou Ryo, ancarando-os e tentando mover-se.

Mas não se obteve resposta alguma.



[next]


Última edição por Daisuke Kaizaa em Qui Jul 10, 2014 2:19 am, editado 2 vez(es)

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AU Digimon Hunters

Mensagem por Convidado em Qua Jul 09, 2014 10:38 pm

Gostaria de perguntar se alguma alma nesse fórum ainda está interessado neste AU. Venho a pensar em reescrever o que já postei aqui e até tentar traduzir pro inglês (já que a DZ tá muito morta...)





#6- O Colecionador de Digimons



Após vasculharem a Digi-Quartz à procura do tal Were Garurumon, Tagiru e Gumdramon sentiram que estavam sem sorte alguma. Não haviam encontrado-o, muito menos tinham uma idéia de onde este poderia estar.

- Acho melhor pedirmos ajuda ao Taiki-san… - sugeriu o garoto - Não iremos conseguir encontrá-lo sozinho… Já passou horas.

- Se esperarmos mais, sabe lá o que aquele idiota está fazendo com a Piyo-chan! Não podemos falhar, Tagiru!!

- O problema é que não temos nenhuma pista até agora, nada. Procuramos por toda parte e eles não estão aqui--

De repente, ouviram um som de algo colidindo contra uma parede. Gumdramon espichou seu pescoço, tentando descobrir de onde vinha. Tagiru foi mais esperto e checou o mapa da Digi-Quartz, percebendo o sinal de outro Xros Loader pela região.
A dupla decidiu seguir o sinal, por mais que Gumdramon continuasse a tentar usar seu faro aguçado do que confiar totalmente em seu parceiro (Tagiru ainda tinha a impressão que Gumdramon o subestimava); quando chegaram, avistaram três silhuetas no horizonte, uma delas estava pertíssimo da parede de um prédio (no qual Tagiru & Gumdramon suspeitaram ser a fonte do som que ouviram).

Porém, a tal sombra se assimilava a um lobo negro bípede, e ao lado dele estava uma sombra pequena, que mal foi avistada de primeira: Piyo-chan estava espantada e tentando fugir.

- V-Você é um Digimon Hunter!! P-por favor, não o machuque!!

- Não fiz nada, e quem ousa me desafiar?! - rugiu o Were Garurumon - Ao menos que esteja confundindo-me com outro de minha espécie!

A outra sombra, na qual Tagiru viu minutos depois, esta supostamente Ren e seu parceiro Yaksamon; ambos estavam a atacar Were Garurumon com todo o seu potencial e o digimon lupino estava com leves ferimentos em seu corpo, como pequenos arranhões.

- Um Were Garurumon negro é raríssimo - Tobari sorriu ironicamente - Não posso permitir que minha chance escape. Yaksamon, capture-o!!

- Não, por favor!! - berrou Piyo-chan.

Não se sabe como, mas Tagiru sentiu seu corpo mover sozinho; o garoto correu em direção de Ren e atirou-se contra ele, derrubando o Xros Loader no chão. Gumdramon, que estava escondido ainda, saiu voando e acertou Yaksamon na cabeça com sua cauda-martelo. O parceiro de Ren não previu aquilo e recebeu o golpe, mas foi suficiente apenas para permitir que os outros dois digimons escapassem.

- SEU IDIOTA, O QUE ESTÁ FAZENDO?! - Ren empurrou Tagiru de cima dele, e levantou-se depressa do chão; Tagiru agarrou-o pela perna e o puxou, fazendo com que Ren perdesse o equilíbrio e caísse mais uma vez - ME SOLTA!

- CORRAM, GUMDRAMON SALVE-OS! - ordenou Akashi, ainda lutando contra o outro caçador - NÃO SE PREOCUPE COMIGO!!

Gumdramon acenou com a cabeça e saiu atrás do lobo e da ave, mas Yaksamon imediatamente seguiu-os, como se fosse uma ordem mental de Ren.

- Quem diabos você pensa que é?! - Ren vociferou com todo seu ódio, mas ainda tendo dificuldades para se livrar de Tagiru - Não ouse atrapalhar minha caça ou irei destruir o seu parceiro e o seu Xros Loader!

- Não percebeu que o lobo disse não ter feito nada de errado?! - Tagiru agarrou Ren pelas costas, jogando seu peso em cima dele. Seus braços apertavam-o de uma forma que impedia de mover seus braços, logo Ren estava deitado de barriga pra baixo no chão - O que você está fazendo é totalmente inaceitável!

- Está é a Digi-Quartz e isso faz parte das regras! Qualquer digimon na Digi-Quartz pode ser caçado, sendo ou não inocente!

- Que tipo de jogo é esse?! - Tagiru franziu a sobrancelha, afrouxando  - Só capturamos digimons que estão a causar problemas ao nosso mundo! A Digi-Quartz é o lar deles! Está caçando-os ilegalmente!

- Não quando a Digi-Quartz é um ambiente criado com esse propósito - Ren aproveitou-se da distração que causara e acertou o estômago de Tagiru com seu cotovelo com toda a sua força; Akashi soltou-o imediatamente, caindo ao lado do outro e grunindo de dor - e qualquer tipo de golpe é válido neste jogo - o garoto de chapéu deu um sorriso sarcástico ao Tagiru.

- G-Golpe baixo…! - Tagiru tentou levantar-se, mas a dor ainda o atormentava.



- Por aqui!! - disse Gumdramon, movendo-se para a direita e servindo como um guia para o Were Garurumon e Piyomon.

Yaksamon não desistira e continuara a perseguí-los; Gumdramon tentara despistá-lo, mas parecia não ter funcionado. O digimon roxinho agora tentava encontrar um esconderijo para os outros dois.

- Droga, mas que cara persistente! - bravejou Gumdramon, agora olhando para Yaksamon com um certo desgosto -  Vocês dois continuem, cansei de correr! Agora eu vou mostar quem sou eu!

- M-Mas Gumdramon!! - Piyo-chan exclamou, mas o lupino agarrou-a e continuou em frente até desaparecerem do cenário.

Yaksamon parou e encarou-o em silêncio, e o digimon arruaceiro também; o clima do ambiente estava mais tenso a cada segundo, com Gumdramon a apertar suas patas e a esperar pelo momento certo de acatar seu oponente. Yaksamon parecia mudo, não falava nada, nem mostrava emoções. O oponente era tão frio que tal aura fria parecia causar uma espécie de medo em Gumdramon.

Mas esse recusava admitir. Gumdramon não queria deixar transparecer seu medo.

- Um Digimon Hunter precisa saber as regras - a voz de Ren ecuou pelo cenário, carregando Tagiru por cima do ombro - Se você entrou no jogo, então precia aprender que todo e qualquer digimon sem um parceiro estão dispostos a serem caçados pelas equipes. Existem vários Hunters, com suas especialidades e seus tipos preferidos. Sou um caçador de espécies raras e que são difíceis de se encontrar, e todas essas peças são preciosas para um colecionador como eu.

O garoto atirou Akashi diretamente para Gumdramon e parou ao lado de seu parceiro. Agora Gumdramon sentia mais medo do que antes: Tobari Ren não era um rapaz qualquer, ele conseguia o que queria. Ele causara mais medo no digimon roxinho do que o próprio Yaksamon.

- Agora me diga aonde foram aqueles dois - Ren apontou para Gumdramon - Vamos, me diga seu verme.

Gumdramon olhou para Tagiru, que ainda estava a lacrimejar da dor que sentia no estômago. Porém, este levantou-se e parou em frente do parceiro, estendendo os braços. Seu corpo ainda tremia, mas mesmo assim estava disposto a fazer o que era certo.

- E-eles são amigos do Gumdramon…! - gritou Tagiru com uma voz trêmula - Não se atreva a ferí-los!

- T-Tagiru…! - murmurou Gumdramon, impressionado com o que o menino estava a fazer por ele e pelos dois mencionados.

- Enão você quer mesmo que eu te elimine do jogo, huh? - Ren puxou a aba do chapéu para frente, fazendo com que esta cobrisse seus olhos. Ele deu outro sorriso repleto de sarcasmo e apontou  para a dupla - Yaksamon, eles são todos seus. Mostre aos nossos novatos o que é ser um Digimon Hunter.

- Você não vai capturá-los! - Tagiru sacou o Xros Loader de seu bolso - Gumdramon, Chou--

- Espere! - o digimon interrompeu-o, voando em direção de Ren - Ao menos não capture a Piyo-chan! Deixe ela livre e pode ficar com ele…!

Tagiru arregalou os olhos, incrédulo. Gumdramon estava a permitir que Ren caçasse o Were Garurumon?! Mas a Piyomon estava pedindo para que o deixassem em paz! Mesmo que ele e o Were Garurumon não fossem amigos, ainda existia a possibilidade da Piyo-chan ser alguma amiga do lupino negro.

Mas Gumdramon não ligava pra isso, como Tagiru percebera. Ele não parecia nem um pouco interessado nos outros, apenas em si mesmo.

- Certo, - Ren respondeu-o, sem expressão alguma em seu rosto - E eu não estava interessada no Piyomon, eles são comuns demais para um colecionador. Dou minha palavra.

Ironicamente, Gumdramon sorriu e agradeceu-o. Logo depois apontou na direção em que os digimons foram; Ren e Yaksamon seguiram a direção e deixaram os dois para trás… Com um Tagiru petrificado e um pouco aborrecido, afinal de contas ele se sacrificara para ajudar os digimons e Gumdramon decidiu entregar o Were Garurumon.

- O que você pensa que está fazendo?! - eis que Akashi não conseguiu segurar-se - L-levei um golpe no estômago para ajudar aqueles dois e você…

- Piyo-chan é minha amiga, mas não aquele troglodita! - Gumdramon cruzou os braços, olhando pro lado e evitou encarar Tagiru no rosto - Que ele aprenda a lição com aquele Hunter!

- Ela pediu que não o capturássem! - Tagiru agarrou-o pelos ombros, sacudindo-o - O que acha que ela vai fazer quando descobrir que você resolveu entregar o lobo?!  Ela não vai agradecer, ela vai é fizar zangada e com toda a razão!!

- Ele não é bom! - Gumdramon defendeu-se - Não vou ajudar alguém que vivia nos ameaçando! E ela vai entender, já que é uma garota de bom coração.

- Entender?! Se eu fosse ela, não te perdoaria nunca pelo que fizeste!

- Que seja!!

Outra vez ouviram um barulho, no qual interrompeu aquela discussão; Tagiru e Gumdramon seguiram o som, e então viram uma sombra a lutar contra Ren.

- Mas que DIABOS VOCÊ ESTÁ FAZENDO?! - gritou Tobari, fechando o punho. Mostrou-o para o oponente, que agora parecia ser bípede e usava uma armadura flamejante - Esse digimon é meu!

- ESSE DIGIMON É UM SER VIVO, E NÃO UM BICHINHO DE ESTIMAÇÃO!

A voz que ecoou pelo cenário era idêntica a voz daquele estranho sonho de Tagiru; uma voz séria e forte. A sombra estava contra a luz do “sol” e em cima de um prédio de dois andares.

- Cuidado para não cair, - debochou Ren - seu metido a herói…!

- Metido a herói…? Eu? - a voz tornou-se menos séria, e o tom ficou mais debochado - Apenas estou fazendo o meu trabalho aqui - e então voltou para o tom sério.

- Que seja, vou caçar o teu parceiro também… Armor são raros…! - a cobiça fez com que Ren ignorasse o estranho. Ele fixou os olhos no digimon no meio entre o Were Garurumon e Yaksamon - Incrível como alguém metido como você possui algo como isto.

- Mas que…?! Não ouviu o que eu disse?! E você não pode capturar meu parceiro!

- Se eu capturá-lo, posso qualquer coisa! E eu sempre consigo o que eu quero…!

- Que seja… - a sombra sentou-se, um pouco afastado da beira do prédio e sacou o Xros Loader - Fladramon, faça o que quiser, ele é todo seu.  

- Oh… Hoho… - Fladramon, o tal digimon dragão azulado no qual estava a impedir Yaksamon de prosseguir, bufou um pouco de fogo de suas narinas -  Como quiser, Mysterious Hunter.

- Mas que nome idiota - comentou Ren em voz alta - Yaksamon, mostre a eles o que acontece quando alguém ousa me desafiar!

- Nah, tou brincando… - a sombra riu - FLADRAMON, AGORA!!

O dragão de armadura uniu suas mãos e criou uma imensa bola de fogo, na qual iluminou o cenário de uma forma que impedisse Ren e Yaksamon de continuar olhando. A tal bola de fogo parecia ser uma espécie mini-sol. Até mesmo os digimons e Tagiru não conseguiram ver o que estava acontecendo, mas aí Akashi lembrou-se de suas goggles… E as colocou em seu rosto.

A cena que presenciara foi do estranho descer por uma daquelas escadas externas que há em alguns prédios e a correr para perto do Were Garurumon e da Piyomon. Não conseguiu entender como o estranho conseguira enchergar com aquela iluminosidade cegante-- Ah, espera… No mínimo ele também inha algum tipo de proteção… Mas seu rosto estava coberto e mal podia vê-lo.

Então, testemunhou o encapuzado a falar algo com os dois, mas como estava sussurrando não foi capaz de ouví-los:

( - Depressa, entrem no Xros Loader. Os libertarei assim que sairmos daqui! - disse ele.
- Por que como podemos confiar em você?! - indagou Piyo-chan.
- Porque não sou um ‘caçador’ que nem esse cara aí! Vamos, prometo que farei isso!   )

Quando a luz desapareceu, Ren e Yaksamon estavam sozinhos (com exceção de dois xeretas a observar a lutar atrás de uma parede.

- Mas o quê! - exclamou Ren, esbravejando - Aquele medito levou o meu Were Garurumon!!



Mais tarde, após retornar ao seu quarto, Tagiru parecia ainda mais nervoso do que antes. O egnimático “Mysterious Hunter” era esperto e cheio de truques, e ele não queria ter de enfrentá-lo de frente, como Ren fizera.

Seria o mesmo que pedir pelo pior: Pedir para que Gumdramon fosse destruído.

Mas isso ainda fazia Gumdramon confuso: Por que Tagiru está com medo de alguém quem o salvara em seu sonho?! Não fazia o maior sentido.


Enquanto isso, o mencionado Mysterious Hunter havia movido-se para outra area, na qual Ren não fora antes, e libertou os dois digimons. Were Garurumon e Piyo-chan olharam um para o outro e depois para o sujeito, que ainda escondia seu rosto com aquele capuz, uns óculos de aviador e um lenço azul sobrindo sua boca. A única coisa que ficava visível era seu cabelo, um castanho avermelhado que fez com que os digimons tivessem algum tipo de “deja-vu” de algo.

- Licença, senhor Mysterious Hunter… - a Piyomon falou, cutucando-o pelo ombro com sua pata - Por acaso você é um dos ledários heróis?

O misterioso rapaz continuou em silêncio, mas logo acenou negativamente com a cabeça. Então ele se despediu dos digimons e seguiu em frente, sacando o Xros Loader do bolso e falando alguma coisa com um digimon, na qual os outros dois mal conseguiram ver quem era.

- Você acha que é uma coincidência? - perguntou ela para o lupino.

- Sei lá, - respondeu este - não seria um tanto estranho um lendário de outro mundo aparecer aqui?! Não seria possível, ao menos que Bagramon estivesse vivo e tentando acessar outros mundos e os outros setores da Digital World.

- Mas… Mas ele é que nem o lendário Motomiya Daisuke, não acha? Possui um Fladramon como parceiro, aquelas goggles e o cabelo…!

- Mera coincidência, Piyo-chan. Foi mera coincidência, é outro Hunter como estes outros humanos…  E você viu como Gumdramon não é mesmo de confiança? Fez uma aliança com esses humanos…

Então o digimon saiu andando, enquanto a ava permaneceu ali, olhando em direção que o Mysterious Hunter havia tomado.

- Seria coincidência…? Mas ele…!!



[next]


Última edição por Daisuke Kaizaa em Sab Jul 12, 2014 6:59 pm, editado 1 vez(es)

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AU Digimon Hunters

Mensagem por Convidado em Sab Jul 12, 2014 6:54 pm

#7 - O Misterioso velho e sua missão


“Aquele velho… quem ele é?! E quem raios ele pensa que é?!”

Era uma tarde normal em Shinonome, com um uma costumeira movimentação da loja dos Sudou. Aquilo era tão normal para os pais de Miho que eles sempre estavam de bom humor, mesmo quando alguma coisa dava errado.

Parecia que Miho havia herdado aquela santa paciência também, e por isso que ela ajudava o estrangeiro quando este brigava com a caixa registradora.

- Você parece meio estressado ultimamente… - comentou Miho, observando o rapaz a perder a paciência com a caixa registradora outra vez.

Ele não respondeu, mas estava óbvio que ela estava certa.

- Eu posso dar conta disto sozinha, - ela aproximou-se e pousou a mão na caixa registradora - por que não sai para pegar um ar fresco?

- Eh… Talvez isso me deixe um pouco mais calmo, - disse ele, com um sorriso no rosto - Obrigado, Miho-chan, - pegou uma mochila debaixo do balcão e saiu em seguida da loja.


“Não entendo o que ele queria, só sei que não gosto dele. Naquela vez, ele me disse algo...”

- Meu jovem, eu sei quem você é e posso lhe explicar tudo o que está acontecendo. Mas preciso muito de sua ajuda, você precisa se aliar a dois garotos, Kudou Taiki e Akashi Tagiru.

- Aliar-me?! - ele exclamou, ainda cobrindo o rosto com o capuz (além de usar goggles, e um lenço para cobrir sua boca) - O que está querendo dizem com “aliar”?! Não tenho tempo para isso!

- O tempo é precioso para alguém como você, não é? - o velho colocou a mão no ombro do rapaz, inexpressivo - Ainda mais com dezenove anos, cheio de responsabilidades devido ao seu cargo como líder.

Ele recuou um pouco, apertando o Xros Loader em sua mão. Logo depois encarou o misterioso homem com um olhar de espanto, porém forçou o máximo para não deixar isso em vista.

- Quem é você?!

- Apenas um velho, dono de uma relojoaria. Mas não me subestime, meu jovem. Apesar de ter aparência de velho, já testemunhei muito em minha vida. E este Xros Loader? - apontou com a mão para o aparelho azul - Azul Céu…?

- I-Isso não é da sua conta! - ele recuou mais ainda - E o que tem a ver a cor?! É apenas uma cor qualquer, não?!

- Cores possuem significados, meu jovem. Vejo que você possui as características de um líder, com um grande senso de justiça e desejo de utilizar seu poder para o bem. Leal aos amigos, sonhador e idealista.

- Consegue ver isso só de olhar pra um… Xros Loader?! Grande piada!

- Não é piada meu caro… Isto é tudo o que você é. Lealdade é parte de sua personalidade, e podemos dizer você e Kudou Taiki tem o hábito de se preocupar mais com os outros do que consigo mesmo.

- Tsc! - ele deu a volta e começou a andar - Tanto faz, tenho mais o que fazer enquanto estou neste lugar. Não posso permitir que outros humanos tratem os digimons como se fossem pets!

- Esperava mesmo ouvir isto de você…

“E Eis que o velho o chama pelo meu nome.”

- C-como que você?! - o Mysterious Hunter virou-se para trás, olhos arregalhados de espanto - Como você sabe meu nome?!

- Porque eu sei tudo sobre você, e também sobre outros também, - o velho respondeu, olhando-o fixamente e com um estranho brilho em seu olho esquerdo - Posso lhe explicar tudo, e principalmente o motivo de eu te pedir para aliar-se a Kudou Taiki.

- Pode explicar tudo mesmo…?

“Na verdade não tinha noção alguma do que fazer naquela hora, e então decidi seguí-lo para descobrir mais. Minha curiosidade me atacou naquele momento.”

“Mas… Meu problema não era esse, e sim outro.”



- “O que você está fazendo?”
- uma voz interrompeu seus pensamentos, quebrando as imagens da lembrança da conversa com o misterioso homem - “Acabei de pressentir um digimon pelos arredores, que nem da última vez.”

- Ah? - ele tirou o Xros Loader Azul Céu do bolsou e olhou para o ecrã - Nada, apenas refletindo sobre o que aquele cara disse dias atrás, sabe? Talvez eu pudesse encontrar esse tal de Kudou Taiki e explicar tudo, não acha?

- “Ele não acharia estranho? Acho que ele duvidaria de nós, e até poderia pensar que somos os responsáveis pelo caos.”

- Não custa tentar… - o rapaz loiro olhou para o céu, dando um longo suspiro - Talvez Kudou Taiki entenderia a situação, não? O velho disse que tinhamos vários pontos em comum.

- “Está querendo dizer que esse Kudou Taiki e VOCÊ são parecidos?! Não me faça rir, por favor!”

- Oi!! Eu também tenho qualidades, seu trollzinho!!

- Aquele rapaz está falando com um videogame…
- Ele deve ser doido, tadinho…


- Acho melhor continuarmos essa conversa longe da multidão, - sussurrou ele para o Xros Loader - estão pensando que eu sou louco.



- Yuu! Passa a bola... - gritou Taiki, correndo atrás de um jogador - PRO TAGIRU!

A bola foi arremessada para Akashi, no qual arrancou com tudo. Apesar de estar sendo marcado pelo outro jogador, Tagiru não perdeu a change e posicionou-se para acertar a cesta…

… Porém passou-a diretamente para Taiki, quando todos os jogadores estavam mirados nele e não no Kudou. Taiki marca um ponto e encerra a partida com uma gingantesca vitória para a Xros Heart.

- Wow, belo lance! - comentou um dos garotos que estavam assistindo ao jogo, mas este foi abafado pela torcida de Yuu (formada por Mami e suas amigas).

- Equipe Xros Heart, - disse o capitão do time adversário - vocês são mesmos os melhores da região. Foi uma honra jogar com vocês.

- O prazer foi nosso…! - Taiki sorriu e apertou a mão do oponente - Vocês também são ótimos; foi uma boa partida.

O misterioso estrangeiro estava passando pela quadra quando ouviu os gritos da torcida e olhou para a equipe. Também avistou o mesmo garoto que comprara barrinhas de chocolate na loja dos Sudou naquela vez.

- Akashi Tagiru, huh? - o rapaz mirou Tagiru por alguns momentos, arrumou seus óculos e em seguida continuou andando.


- O que vocês vão fazer agora? - pergutou Akashi, guardando sua toalha em sua bolsa de esportes - Que tal irmos ao fliperama? Ou comer okonomiyaki na minha casa? Ou--

- Tagiru, eu tenho que verificar a Digi-Quartz com o Shoutmon - Taiki coçou a cabeça - Podemos deixar isto pra outra vez? Mas se quiserem vir, seria de grande ajuda.

- Tenho dever de casa - disse Yuu - e prometi que ia ligar para a Kotone hoje! Neesan pediu-me para tentar manter contato com ela!

- Ah, esqueci que você tinha uma irmã mais nova - comentou Tagiru - Bom, está tudo bem; eu acho que vou ir sozinho mesmo… Nah, vou pra casa.


- “Bom, parece que você melhorou bastante…” - comentou Gumdramon - “Pelo que ouvi o Yuu falando”

- É... quando entrei pro time da escola, era um dos piores. - explicou Tagiru, olhando para o aparelho carmesim - Mas o Taiki-san disse que não podia me abandonar e aí começamos a treinar juntos. Acabei por sair da equipe da escola e a fazer parte da Xros Heart. Taiki-san é um ótimo professor, sabia? E agora estou a um passo de ser páreo a ele!

- “Acho bom, não posso perder para o lendário Kudou Taiki e para Ou-sama. Quero me tornar mais forte! Ei, vamos para a Digi-Quartz, quero testar minhas habilidades e aprimorá-las! Suponho que Kotemon esteja disponível para treinarmos.”

- Mas estou cansado e com fome, Gumdramon… - Tagiru pôs a outra mão em sua barriga, que roncou em segundos - Faremos isso amanhã depois da aula, ok?

- “Mas…!!”

- Sem mais, - ele acenou negativamente com a cabeça - você tem que aprender que nem sempre os outros estarão dispostos a fazer o que você quer.

Enquanto iam para casa, Akashi acidentalmente esbarra em alguém; a pessoa era justamente o estrangeiro que conhecera na loja de Miho, mas que não pode saber seu nome pois estivera atrasado para o treino. O rapaz olhou para ele em um ar de confuso, mas não disse nada pois Tagiru foi o primeiro a dizer:

- Ah, me desculpe! Uh… Ei, você é o estudante de intercâmbio!

- S-Sim? - respondeu-o - Nos conhecemos noutro dia…! Akashi Tagiru, certo…?

- Sim, e você?

- Len… Lance.  - ele imediatamente pensou em algo, mas parecia estar a dar a impressão que inventara um nome justo naquele momento (o que realmente tinha acontecido) - Lance Goldheart.

- Você fala muito bem Japonês… - comentou Tagiru, sorrindo.

- É que parte da minha família é japonesa, então sou fluente… - olhou para os lados, e isso soava como uma mentira.

- Ah? De que parte da Europa você vem? Qual faculdade você está fazendo? O que você faz nas horas vagas? Você pratica algum tipo de esporte?

Tagiru bombardeou-o com várias perguntas, fazendo-o relevar várias informações pessoais. Mas Lance fazia de tudo para não revelar sua identidade secreta -- Mysterious Hunter. Ele não tinha certeza se deveria, ou como Tagiru reagiria.

Passou um momento com aquela criança a lhe perguntar várias coisas, e a conversar sobre outras. Até que não foi tão mal assim… Ele até conseguiu fazer amizade com o Akashi. Depois, Tagiru continuou seu rumo, voltando para casa.

Enquanto voltava, Lance pressentiu algo observando-o e olhou para trás.

- Ah, você… De novo.

- Perdoe-me por incomodá-lo a essa hora - o velho rejoaleiro disse - Mas vejo que conheceu o jovem Akashi Tagiru. É ele quem precisa de você, e muito mais do que você possa imaginar. Esta criança é especial e mais tarde entenderá o seu propósito no “jogo”.

- Pare de me amolar! Já disse que… Não estou interessado em trabalhar como um espião! - então deu as costas para o homem - Já lhe expliquei minhas razões para “caçar” digimons.

- Sim, razões nobres e dignas de alguém do seu nível… - mas o velho continuava a insistir e a seguí-lo - Por isso mesmo que Akashi Tagiru vai precisar muito de sua ajuda, especialmente se houver uma possibilidade dos Lendários Heróis aparecerem.

- A forma como você fala me irrita… - ele fechou as mãos, apertando-as - Inclusive de como você trata essas “lendas” como ameaça. Se são heróis, por que diabos eles atacariam uma criança inocente como Akashi Tagiru?!

- Porque existe outras razões na qual poderiam colocá-los um contra o outro. Principalmente poderiam trazer um ódio descomunal de um dos lados, e isso causaria confusões para Kudou Taiki. Você não quer que isso aconteça, não é Lance?

- … O queres que eu faça? - olhou para trás, como da última vez em que falara com o enigmático homem; ainda fazia pouco caso daquilo - Que eu seja babá de um garoto de treze anos e esqueça minhas obrigações? Não venha a insistir, ou não serei bonzinho, - deus as costas outra vez e prosseguiu andando.

- Com o tempo você compreenderá o quão importante você e Taiki são importantes nesse “jogo”... Não espero que você coopere facilmente, já que és teimoso, …



- É tão estranho como a Digi-Quartz parece com o nosso mundo… - comentou Taiki, ainda averiguando o ambiente - E o comando para entrar também… É como se estivéssemos em outro tempo.

- Talvez? - Shoutmon coçou a cabeça - Mas como que os digimons estão sendo enviados do “passado” para este “futuro” então? Ei, Wisemon! Descobriste algo?

- “Nada por enquanto, Shoutmon. Mas continuarei pesquisando e lhe avisarei quando descobrir algo de importante.”

- Certo… - Kudou pôs a mão em um prédio, passando a mão pelo “musgo”, pegando um pouco daquilo e escaneando-o com o Xros Loader - Wisemon, essas amostras são suficientes?

- “Sim. Agradeço pela cooperação, Taiki.”

- Não é estranho isso? - Shoutmon cutucou o musgo com o seu microfone - Essa coisa possui vários pixels, mas parece viva. Será que a Digi-Quartz não é o interior de algum monstro ou algo do tipo?

- Não sabemos, Shoutmon, - respondeu Taiki -  Todas as hipóteses são possíveis. Mas o importante é saber como, quem ou o que está migrando os digimons para cá. Precisamos descobrir o quanto antes para evitar que os digimons causem confusões no mundo humano.

- Sim, - Shoutmon concordou com um aceno de cabeça - Nem quero pensar no caos que eles poderiam causar para vocês. O caos poderia ser a nível do que o Bagramon causou anos atrás.

- Uh, aqui passaram-se apenas um ano.

- É sério? Na Digital World passaram-se três anos. Houve muito tumulto e confusão quando assumi o trono, mas tudo foi resolvendo-se com o tempo. Antigos subordinados de Bagramon se redimiram e passaram a serem parte da civilização, recomeçando suas vidas como bons digimons. Alguns ainda são mercenários, mas não fazem tanto estrago.

- Deve ser difícil comandar um mundo inteiro, não? - riu Taiki - Mas tenho certeza que está levando-os para o caminho certo.

- Se não fosse pela ajuda dos antigos membros da Xros Heart Blue Flare Alliance, talvez as coisas… - ele olhou para os lados, um pouco encabulado - Não ocorressem tão bem assim, hehe…

- Ah sim, um gorverno precisa de mais de uma pessoa para administrar. Não é fácil controlar um país sozinho, sabe? A Terra não é governada por apenas uma pessoa, mas por várias em cada país, e eles precisam de um grupo de pessoas para assessorar, criar leis… Mas não existe apenas um único meio de governo.

- Parece complicado, como que todos conseguem viver em paz?

- Bom, nem todos… Já ouve duas guerras mundiais no passado. Mas agora, digamos que existe algo chamado Nações Unidas e é assim que o nosso mundo consegue ser um pouco pafícico. Alguns países ainda possuem guerras civis e outros problemas, mas acredito que um dia tudo será resolvido e todos viverão em perfeita paz e tranquilidade, como o seu mundo é.

- A Digital World não é tão “pacífica”, Taiki. Ainda há conflitos e guerras. Ainda existe quem queira me tirar do poder por achar que sou incapaz de governá-la, mas a maioria apóia meu método de governar e de trazer paz. Nem todos ficam contentes, mas o que importa é tentar agradar a todos aos poucos.

- “Suponho que a Digi-Quartz esteja entre o mundo humano e a Digital World. Ao menos é o que os dados apontam.”

- Ah?! - exclamaram Taiki & Shoutmon.

- “Possui dados tanto de um mundo quanto do outro. Se possível, a Digi-Quartz se localiza na barreira em que divide a Digital World do mundo humano. Talvez isso possa explicar como os digimons estão sendo migrados para ela. Isso também explica os casos de digimons no mundo humano. A Digi-Quartz causa uma espécie de anomalia na barreira, fazendo com que qualquer digimon distorça o tempo e espaço, assim causando estragos no seu mundo, Taiki.”

- Acho que isso já torna as coisas mais claras, - disse Taiki - Obrigado, Wisemon.

- “Continuarei minhas pesquisas e lhes informarei quando descobrir algo de importante.”



- Alô? Kotone-chan? Sou eu, Yuu! Neesan está muito ocupada em Hong Kong, então ela me pediu para ligar para saber como andam as coisas aí na Inglaterra. Ah? Você e a mamãe vão pra França mês que vem? EHH?! Você está vindo passar um tempo no Japão próxima semana?! F-Frequentar a escola?! Vai vir morar com o vovô?!

- O que foi, Yuu? - Damemon observava-o no sofá, enquanto o Amano conversava pelo telefone com sua irmã mais nova, Kotone.

- Ah? Se eu notei algo estranho…? Não… C-casos de monstros ao arredor do mundo?! Vocês estão bem?! Ah, que bom que você e a mamãe estão bem! Estou bem também, não se preocupe comigo. Hahaha, mamãe sempre preocupado conosco. Neesan está bem, e sendo bem famosa em Hong Kong. O papai não gostou muito dela querer seguir carreira artística, mas tenho certeza que ele vai sentir-se orgulhoso dela mais tarde. Neesan já me enviou algumas fotos e uns DVDs das séries que ela anda fazendo lá e um single e…

Damemon dormiu depois de passar um tempinho ouvindo aquela conversa.


“Aquele velho continuou me infernizando desde aquele dia em que eu o encontrei na Digi-Quartz. Mas, naquela vez em que conversamos…”

- Eu sei tudo sobre você, e sobre os outros. Entre, sinta-se em casa.

- Mas como que…?! - o misterioso Hunter exclamou enquanto adentrava na porta que aparecera do nada. Uma sala mal iluminada e repleta de relógios foi o que encontrara lá, mas o velho o agarrou pelo braço e moveu-se para o interior da loja.

- Não há nada de importante aqui, - informou-o - o que lhe interessa está mais adiante. Você estava atrás de respostas, suponho. Por isso que os digimons o atacaram. Alguém do seu nível vale muito, poderiam até então trocá-lo por algo valioso.

- M-Mas…!

- Meu caro, qualquer um desses digimons deriam a vida para ter você. Muito mais se pudessem ter uma prova real de que eles o encontraram; poderia até ir parar nas mãos de um mercenário e ser negociado no mercado negro… Ou até mesmo ser usado como refém para que o Digimon King lhe pagasse uma fortuna para te libertarem.

- Mas c-como raios você sabe dessas coisas?! - ele percebeu que o tal corredor era muito e muito mais escuro que a sala anterior. Quando chegaram diante de uma porta, Mysterious Hunter encarou-a com receio de que algo horrível estava prestes a acontecer.

- O que foi que eu fiz para ser caçado como um animal?! - disse ele, indignado - Nem tenho idéia de como fui parar nessa tal Digi-Quartz e…

- O que você fez foi algo além das expectativas, meu jovem, - respondeu o velho - E graças aos seus feitos que esses digimons sabem muito bem quem você é, assim como eu sei de sua história.

- P-pare de me puxar e… - ele soltou-se do homem, em seguida encarou-o - Pare também de falar como se você soubesse o que se passou comigo!

- Mas eu sei, - o relojoaleiro disse, inexpressível - e por isso que você não deveria sair a espalhar seu nome por aí… A não ser que seja capturado como ele.

- C-Capturado?! O que você sabe sobre o…

A porta abriu-se e revelou uma casa bem grande e aconchegante. Parecia uma mansão enorme, cheia de móveis luxuosos e de valores extremamente caríssimos. O caçador mal conseguia acreditar no que seus olhos estavam vendo.

- Como disse, - o velho interrompeu seus pensamentos - sinta-se em casa. Precisamos conversar sobre algo que irá decidir o futuro deste mundo, e talvez de outros.

Ele sentou-se em um sofá gigantesco e sacou o Xros Loader do bolso; mostrou o ambiente para o digimon misterioso com que aparecera na tela e  depois continuou a observar o cenário. Estava mais do que na cara que era uma armadilha, igual aquelas dos filmes… Mas não era bem isso.

- Ah, Bagra-sama! - apareceu uma mulher de cabelo curto, corpo esbelto, com uma aparência de dezoito anos e trajando um vestido roxo, com um avental branco por cima. Parecia que ela era uma das filhas daquele senhor - Que bom que está de volta. Estava na cozinha preparando uma xícara de chá--

- Agora não, Lilith. - interrompeu Bagra - Tenho um convidado especial em casa.

- Oh? Está falando daquele estranho que mal se vê o rosto?! - ela franziu o nariz, desaprovando o Mysterious Hunter imediatamente - Nem sequer tirou os sapatos!

- Lilith, ele é um jovem perdido, - o velho suspirou - e eu não posso deixar que os digimons o cassem daquela maneira. Aliás, é por isso mesmo que ele está assim… Tentando se tornar irreconhecível para evitar que o persigam.

- Mesmo assim esta casa precisa ser respeitada, não irei admitir que ninguém se vista inadequadamente em meus aposentos!

- Lilith, mantenha-se calma. Não vá assustar o rapaz. Onde estão os outros?

- Não sei, eles devem estar por aí… Tentando vigiar Taiki, mas do jeito que eles são… Ah, e seu irmão está perseguindo--

- Era isso que queria ouvir. Obrigado, Lilith… E não vá implicar com o coitado.

O “coitado” continuava ali, sentado e ouvindo toda a confusão; ele levantou-se e tirou os sapatos, voltou alguns passos atrás e os colocou na porta por onde entrara. Em seguida, dirigiu-se para o sofá… E encontrou-se com Lilith a encará-lo de braços cruzados.

- Não permito que ninguém se vista desta maneira na minha casa!

- M-madame, eu não queria lhe faltar com respeito! - disse ele, retirando o capuz, lenço e goggles - Mas é como aquele velho disse, estava sendo forçado a me vestir assim.

Lilith não conseguia expressar nada, apenas continuou-o encarando, agora em total espanto. O misterioso jovem franziu a sobrancelha, confuso. Agora que seu rosto e cabelo estavam descobertos, ficava mais fácil identificá-lo; Lilith saiu imediatamente atrás do senhor Bagra (o nome do tal velho), chamando-o e momentos depois estava a gritar com o relojoaleiro.

Já o rapaz não entendeu nada, apenas ouvia.

- O QUE EU TE DISSE SOBRE AQUELA IDÉIA MALUCA SEU VELHO IDIOTA.
- Mas!!
- EU TE EXPLIQUEI QUE ISSO NÃO VAI IMPEDIR AQUELE PARASITA!!
- MAS EU NÃO PODIA DEIXÁ-LO SER MAIS UMA VÍTIMA!!
- QUE PENSASSE EM OUTRA IDÉIA, SEU VELHO GAGÁ!


- Uh, perdão? - ele seguira os gritos e parou na porta - D-desculpem por estar intrometendo-se, mas o que raios está acontecendo aqui?!

Ele testemunhou a garota chamada Lilith a sacudir o velho com uma força descomunal, nem parecia que ela era humana. Na cabeça do Mysterious Hunter, aquela mulher tinha de tudo para ser um digimon… Ou a mulher mais forte do mundo.

- É ele mesmo?! - perguntou ela, fuzilando Bagra com seus olhos - Ou ele é parente do Kudou Taiki?!

- Sim, é ele, - confirmou Bagra - e lamento pela confusão, Lendário Golden Heart.



[next]

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AU Digimon Hunters

Mensagem por Convidado em Ter Jul 15, 2014 1:09 am

#8- Amano Kotone



Logo após uma semana, um avião vindo do Reino Unido aterrissou em solo japonês. Dentro dele vinha várias pessoas -- turistas, estudantes de intercâmbio, nativos que estavam no exterior…

E, entre eles… Uma garota de onze anos, cabelo louro-escuro com olhos num tom roxo… Suas vestes possuia tons de lilás (seu hoodie), creme (sua camisa por baixo do hoodie), bege (sua saia), rosa bebê (suas meias) e verde claro (seus tênis). Seu cabelo era preso em dois “pompons”, amarrados em um par de fitas da mesma cor de seus tênis; havia um cinto solto ao redor de sua barriga, com uma fivela em prata com uma flor de cerejeira em relevo.

A garota se chamava Amano Kotone, irmã mais nove de Yuu e Nene.

No meio daquela multidão, a pequena garota avistou seu irmão do meio a esperá-la; Kotone moveu-se para lá e o abraçou com força, como se não o visse por anos…
E digamos que sim. A mãe dos três irmãos Amanos ficara famosa na mídia, tornando-se uma das atrizes mais importantes do século. Ela levara a pequena Kotone para morar no Reino Unido com um ano de idade, e esta então cresceu no exterior. Mas quando a família conseguia se reunir, todos passavam esse tempo juntos no Japão.

Agora, Kotone estava de volta e prestes a viver com o avô. As razões? Somente a familia Amano sabia.

- Como foi a viagem? - perguntou Yuu, carregando as malas da garota - E a mamãe?

- Foi tranquila - respondeu-no - E a mamãe anda ocupada, como sempre. Chamaram-na para fazer um filme em Paris, e eu queria vir visitar você e o vovô… Aí pensei em convencê-la a me deixar viver morar com o vovô. Não consigo suportar esses paparazzi aonde nós vamos! E Nene-neesan? Seguindo os passos da mamãe?

- É o que parece, - Yuu riu um pouco - mas não há como negar… Elas são incríveis, não?

- E… Mamãe achou que eu estaria segura aqui, - ela olhou para o chão - Os monstros… Pode até ser algum ataque terrorista, mas aquilo não parecia ser obra de humanos. Eu vi um com meus próprios olhos, Yuu-niisan! Ele era enorme, tinha um corpo escamoso e parecia uma cobra gigante! E outro era que nem uma coruja, e esse até me salvou da cobra.

- Uma coruja te salvou?! - exclamou Yuu - E como era a tal coruja?

- O nome dela era Falcomon ou algo assim - a menina levou o dedo indicador a sua boca - era gigante, quase do meu tramanho, tinha olhos grandes e amarelados, usava roupa de ninja e possuía garras nas asas. Ele disser ser um digimon, mas achei que digimon era que nem aqueles monstros dos jogos…

- U-um digimon?! - o irmão engoliu a seco; Kotone olhou o, franzindo a sobrancelha - N-Nada! Mas esse nome é estranho, não? O que seria um digimon?!

- Ele veio comigo, - ela abriu um sorriso - Posso apresentá-lo a você! Um velhinho muito simpático apareceu depois do Falcomon me salvar e me deu isto - eis que a garota pega de seu bolso um Xros Loader da cor violeta claro.

Yuu não tinha idéia de como reagir.



- Yuu nos abandonou aqui! - disse Tagiru, espreguiçando-se, enquanto Taiki apenas checava o seu Xros Loader - Não íamos resolver aquele caso da Digi-Quartz não?! Estamos em menos número!

- Ele foi buscar a irmã dele no aeroporto, - respondeu Taiki, sem desvias os olhos do ecrã - E o digimon que está causando essa confusão desapareceu sem deixar pistas.

- Ah sim, nem temos idéia de que tipo é!

- Por isso que estou analisando este lugar e enviando informações para Wisemon. Espero que ele possa nos ajudar.

- Mas e se o inimigo for mais forte que nós dois?!

- Não sabemos ainda; tenha calma, Tagiru. Mas não podemos deixar que isto continue, pode acabar se tornando grave… Que nem o caso de Blossomon.

- Ao menos encontramos a vítima… - comentou Shoutmon - Mas quem está fazendo isso…?

- Digimons sugam o poder dos corações humanos, certo? - Tagiru aproximou-se de uma garota, na qual estava desmaiada no chão; agaichou-se ao chão, pousando a mão no pulso dela - Ela só desmaiou, ainda bem… Mas será que ela sabe o que era?

- Não está pensando em acordá-la, está?! - exclamou Taiki - Devemos levá-la para um hospital imediatamen--

- Uh, certo. A saúde dela em primeiro lugar, não? - Tagiru pagou-a no colo e a colocou em suas costas - Vamos voltar o mais breve possível, Taiki-senpai!



Na casa de Yuu, Kotone pôs se a explicar tudo que acontecera no dia em que encontrou um digimon pela primeira vez, além de citar alguma coisa sobre ter visto uma mão gigantesca nos telejornais. Mas sobre o velho… O loiro não tinha idéia de quem era ou como este fora capaz de dar um Xros Loader para uma criança.

Mas ele, Taiki e Tagiru são crianças também. Mas ele não queria que sua irmã mais nova se envolvesse naquilo.

- E então Falcomon tornou-se meu amigo! - terminou ela - Ah, ele vai querer te conhecer! - então, a garota pegou o Xros Loader do bolso outra vez e apontou-o para o teto - Reload, Falcomon!

O digimon materializou-se no ar; Falcomon era justamente como Kotone o descrevera, e este pousou no sofá, onde apareceu Damemon minutos depois (e sem perguntar a Yuu se era seguro ou não).

- Yuu, pressenti um digimon-- Eh? Quem é esta humana?

- D-Damemon! - o irmão do meio engoliu a seco - Uh… - ele olhou para Kotone, tentando achar uma maneira de explicar - K-Kotone, este é Damemon. Ele é meu amigo, e ele é um digimon--

- Ah, ele é tão bonitinho~ - Kotone aproximou-se de Damemon e cutucou-o - Parece um robozinho! Eu sou Kotone, irmã mais nova de Yuu e Nene. E esse é…

- Falcomon, prazer em conhecê-los - disse a ave, reverenciando.

- Vai ser um longo dia… - pensou Yuu.



- Ainda bem que chegamos a tempo…! - suspirou Akashi - Ela disse que parecia ser uma cobra gigante… Hm… Taiki-san, conhece algum digimon cobra?

- “Existe vários digimon do tipo cobra, Tagiru!” - respondeu Shoutmon - “Mas esse tipo de descrição é inútil. Teríamos que descobrir quantos deles estão na Digi-Quartz.”

- “E então o que faremos, Ou-sama?”  - perguntou Gumdramon.

- Podemos eliminar suspeitos se formos verificar o local onde encontramos a vítima - ponderou Taiki - Mesmo que não tenhamos encontrado nada e apenas a garota, a cena em si já pode nos favorecer para a captura deste digimon.

- Como o esperado do detetive Kudou Taiki-san - riu Tagiru - Yosh! Vamos voltar para a Digi-Quartz!

Ao retornarem ao local do incidente, Taiki percebeu que estavam novamente na piscina da escola; entraram na Digi-Quartz imediatamente e se depararam com um vulto a observar o ambiente, mas não parecia ser um digimon.

A figura era humana.

- Acha que é um inimigo, Taiki-senpai? - sussurrou Tagiru para Taiki - Como aquele que eu lhe contei?

- Não tenho certeza, - Kudou acenou negativamente a cabeça - mas está fazendo jutamente o que nós viemos fazer: Investigar.


- Um digimon começou a atacar praticantes de natação, certo…? - a figura agaichou-se e colocou a mão no chão - Parece que andou rastejando para outro local…? Será que fugiu?

- “Não tenha tanta certeza.” - seu parceiro falou, direto do Xros Loader - “Sinto a presença de… dois digimons. Talvez o causador disso tudo está por perto.”

- Se tivêssemos algum suporte, poderiamos vasculhar a área toda… Mas estamos sozinhos nessa, e se eu der “reload” em você…? Mas da última vez você voltou quando chamei Lighdramon, então…

- “Não seria uma má idéia pedir ajuda àquele velho…”

- Não confio nele. Ainda.

-“Pensei que você não guardava ressentimentos…”

- Eu disse “ainda”, ou seja, minha opinião pode mudar no futuro, - ele levantou e olhou ao redor - Sinto que há alguém nos vigiando…

Taiki & Shoutmon tentara se aproximar do sujeito, mas Tagiru o identificara e segurara o braço de Taiki; Tagiru não dissera nada, mas Taiki preferira não deixá-lo sozinho. Mas agora o sujeito -- o Mysterious Hunter -- estava a se aproximar dali, com o Xros Loader a postos para uma possível batalha. Tagiru puxou Taiki para trás, correndo pra longe dali enquanto os digimons os seguiram.

- Tagiru?! - Taiki murmurou para o outro, parando imediatamente e puxando o mais novo para perto de si - O que deu em você?! Era a sombra de um humano--

- É o humano que eu vi da última vez! - Tagiru atropelou a frase de Taiki - Ele é muito forte, conseguiu enganar o metido que estava a caçar um inocente Were Garurumon!

- Ele não me parecia disposto a lutar, - Taiki suspirou, colocando a mão no ombro do Tagiru - Se estivesse, já teria mandado um digimon nos atacar. Vamos voltar e perguntar se ele possui alguma pista para o digimon que está atacando--

- N-não! - Akashi agarrou Taiki pelos ombros e sacudiu-o - Ele não parece um caçador amigável! Ainda mais com aquelas habilidades!! Ele acabaria com o Shoutmon ou com os seus parceiros em um só golpe! Não podemos arriscar!

- Então volte para casa, - Kudou tirou as mãos de Tagiru e recuou um pouco - não se preocupe comigo e com a Xros Heart, já enfrentamos inimigos piores. Eu não tenho a menor idéia do que está te apavorando, mas uma hora precisará enfrentar esses medos. Se descobrir algo, contate-me pelo Xros Loader - Taiki pegou o seu aparelho e mostrou-o a Tagiru - está vendo ess botão aqui? pressione-o, diga ‘Xros Heart!Taiki’ e ele irá automaticamente me enviar sua mensagem.

- D-Dá pra fazer isso?!

- Foi o Yuu quem descobriu, e é assim que ele está a contatar meus antigos companeiros de equipe, Nene e Kiriha. Bom, volte para casa e reflita um pouco; não irei forçá-lo a vir comigo.

- C-Certo…!

Taiki deixou-o ali, virando-se de costas por alguns minutos… Até que alguma coisa estranha aconteceu: ambos sentiram que alguma coisa rastejante estava a vir pelo solo. Akashi decidiu seguir, mas Taiki tentou impedí-lo, porém…

Algo tocou em seu braço, fazendo-o se virar pra trás e encontrar-se com um jovem encapuzado; quando olhou novamente para onde Tagiru estava, o garoto já tinha desaparecido.

Shoutmon meteu-se entre o Mysterious Hunter e Taiki, colocando o microfone em posição ofensiva (tal como se manejasse uma espada, com a ponta do microfone apontado para o Hunter).

- Quem é você?! - perguntou Shoutmon em um tom desafiador.


Tagiru prosseguiu seguindo o solo, que se estremecia levemente tal como se fosse feito de borracha; Gumdramon então sugeriu que Tagiru usasse a Chou Shinka para que não corressem o risco de sofrerem um golpe surpresa; Akashi concordou e fez com que Gumdramon evoluísse para Arresterdramon.

Seguiram a caça em pensar duas vezes: Estavam dispostos a capturar o digimon e a evitar mais uma vítima.


- Quem é você?! - repetiu Shoutmon - Eu, o Digimon King, ordeno que se identifique, humano!

- S-Shoutmon…! - Taiki gaguejou, mas não pudia controlar o seu parceiro. Afinal de contas, o estranho fora quem o interrompeu.

- Digimon King…? - o Mysterious Hunter olhou Shoutmon por um tempo, mas estava claro que estava confuso - Tenha calma, não sou inimigo… Ao menos que esteja fazendo algo contra os digimons.

- “Se ele se entitula Digimon King,” - comentou o misterioso digimon do Xros Loader Azul Céu - “então isso significa o contrário, não?”

- Engraçado… - respondeu o rei, em um tom de sarcasmo - Minha missão é justamente proteger os digimons, e você pensa que eu estou fazendo algo contra eles?

- Shoutmon…! - Taiki interrompeu a discussão - Desculpe-nos, mas nós estávamos a investigar um estranho incidente que aconteceu aqui.

- Você quer dizer um dos incidentes, - corrigiu-o - estou na mira desse digimon faz uma semana.

- Como…? - exclamou Taiki - Uma semana?

- Yeah, uma semana. As vítimas disseram ter visto uma cobra gigante a sair pelo esgoto. O digimon que eles falam é supostamente um Seadramon, e não foi só aqui, nesta região. Ouvi pelo noticiário que o mesmo ocorrido aconteceu no continente europeu um mês atrás, mas parece que migrou para o Japão agora.

- C-Casos de digimon ao redor do mundo humano?! - Shoutmon estava incrédulo.

- Exatamente, - anuiu com a cabeça - não sei a causa desses incidentes, mas não posso deixar que as coisas fiquem desse jeito… Principalmente com crianças a caçar digimons e a tratá-los como pets!

- A Xros Heart também possui esta missão, - Taiki informou-o - pois nós sabemos o perigo que os digimons podem causar caso as anomalias continuem a ocorrer. Nós poderíamos cooperar um com o outro, se não for incômodo pra você.

O misterioso hunter olhou para Taiki, depois para Shoutmon; estava pensativo, pois não tinha idéia do que fazer. Talvez aliar-se com a Xros Heart poderia ser uma boa sugestão, mas não sabia se era certo.

- Cooperar? - perguntou ele - Xros Heart é uma organização que nem a do velho estranho?

- Velho estranho? - Taiki franziu a sobrancelha - Está falando do misterioso velho do Clockmon? Se for, não. A Xros Heart foi uma antiga armada criada por nós para enfrentar o exército Bagra, mas ela acabou se aliando com uma outra armada, a Blue Flare. Ambos times são responsáveis pela segurança deste mundo e da Digital World.

- Exército Bagra… - ele repetiu em um tom muitíssimo baixo, nem Taiki conseguiu ouví-lo.

- Somente desta vez. - disse Hunter  - Não tenho como ajudá-lo toda santa hora em que estiverrem em apuros - apontou o Xros Loader para o seu lado e disse - Reload, Lighdramon.

Taiki e Shoutmon presenciaram um digimon dragão azul trajado um uma armadura negra; havia três “espinhos” em forma de trovão saindo de suas costas, e um elmo a cobrir seu rosto, com uma lâmina em formato de trovão.

De repente, Kudou percebeu que poderia ter sido aquele quadrúpede que ouvira no caso de Blossomon.

- Foi você quem nos ajudou naquela vez?! - indagou Taiki.

- Digamos que foi uma mera coincidência - respondeu o Mysterious Hunter; ele montou nas costas do digimon, atrás dos espinhos - Se o seu amigo foi atrás daquela coisa, então ele deve estar tendo problemas. Um digimon como aquele tem a fama de prender as vítimas com o seu corpo, asfixiando-as até a morte. Lutar contra aquele digimon sem um plano é arriscado demais.

- Como sabe disso? - perguntou Shoutmon - Como sabe destas características--

- Estamos perdendo tempo aqui! - interrompeu-no; pegou o Xros Loader e checou um mapa - eles estão se afastando rapidamente…!

Taiki concordou com o encapuzado, chamando Dorulumon para fora do Xros Loader; O genral vermelho montou nas costas de Dorulumon e os dois digimons sairam em disparada, seguindo o sinal do Xros Loader de Tagiru.



- V-vamos tentar mais uma vez… - Yuu deu um longo suspiro - Você salvou minha irmã de uma cobra gigantesca um mês atrás, e então um estranho idoso apareceu e entregou a ela um Xros Loader, que mudou de cor assim que ela o aceitou… Certo?

- Sim, - confirmou Falcomon - mas o velho também disse que ela tinha que vir para o Japão e capturar aquela cobra.

- Colocar minha irmã em perigo?! - Yuu rangeu os dentes - Da próxima vez que você encontrar esse homem, eu irei fazê-lo se arrepender de colocar uma criança em apuros!

- Mas eu não a coloquei em apuros! - Falcomon cruzou os braços e virou o rosto - Eu a salvei do Seadramon!

- Não foi isso que eu quis dizer!

- Não? Não disse que ela foi colocada em apuros? Pois eu a salvei, e então aquele velho apareceu e…

- Até quando eles vão continuar a discutir? - perguntou Kotone a Damemon.

- Não sei, so sei que isso não é nada bom… - Damemon suspirou fundo, sacudindo a cabeça levemente.

- Mas por que a Kotone tem que caçar o Seadramon?! - o irmão do meio levou a mão à testa - Esse velho está mesmo querendo colocá-la em perigo!

- Mas eu a salvarei, já que ela é minha parceira agora! - contestou Falcomon.

- Kotone é muito jovem para isso! N-não que eu esteja dizendo que você ou ela são incapazes de caçar um digimon, mas eu me preocupo com ela! Não posso permitir que ela se involva nesses casos.

- Eu só tenho três anos de diferença! - bufou a menina - E Falcomon disse que me protegerá, então que mal faria eu me divertir um pouco?!

- Isso não é um jogo, Kotone!

- O velhinho que me deu o Xros Loader disse que era um, e que se eu quisesse participar eu tinha que vir para o Japão!

- Ele não quis dizer um “jogo”! Isso seria algo tão irresponsável! Quem seria louco de colocar uma criança do quinto ano do fundamental em um “jogo” arriscado como esse?!


Tagiru seguira o inimigo a todo vapor, mas num momento em que perdera a concentração, fora vítima do inimigo. Ele e Arresterdramon não tiveram tempo para reagir e foram capturados.
Arresterdramon estava nocauteado no chão, após receber um golpe na nuca e uma estalactite de gelo no corpo.

Quanto a Tagiru… Este estava amarrado pelo corpo escamoso do digimon-cobra.



[next]


Última edição por Daisuke Kaizaa em Qui Ago 21, 2014 1:50 am, editado 2 vez(es)

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AU Digimon Hunters

Mensagem por Convidado em Qua Jul 16, 2014 6:16 pm

#9 - O digimon que se alimenta de emoções negativas.



Estava escuro. Ele mal podia ver o que estava a sua frente, pois não havia luminosidade alguma naquele lugar. Não tinha noção de onde estava ou o que estava acontecendo, mas a única coisa que tinha certeza era que o ar estava acabando aos poucos.

O tal digimon, que fugira quando percebeu a presença de Taiki &Tagiru e soltou a vítima, agora estava apertando lentamente Tagiru com seu corpo escamoso.
Tagiru tinha a sensação que iria morrer ali mesmo, sem ao menos ter conquistado seu objetivo -- um objetivo bem egoísta.

Mas ele não estava mais ouvindo nem vendo qualquer coisa. Estava desmaiado graças à cobra, e não tinha noção do tempo.

A única coisa que via em sua mente… Era um vazio negro.


- Taiki-senpai…?! O-onde você está?! - ele perguntava para o vazio - E-eu devia ter ficado com ele, ao invés de ter fugido do M-Mysterious Hunter…!

- Kudou Taiki… - de repente, Tagiru ouviu uma outra voz vindo do canto - Ele é metido a herói mesmo, não? Sempre ganhando glórias por ajudar aos outros. Colocando eu e Yuu nas sombras. Quem é que se lembra que também ajudamos? E que sempre estamos socorrendo-o quando a exaustão o ataca?!

- H-hein?! - Akashi olhou para o canto, e via uma imagem de si mesmo. Estava sentada no ar, resmungando.

- Taiki sempre é o centro das atenções, sempre é o herói e nós sempre estamos nas sombras! Quero também ser reconhecido! Quero ser forte e ultrapassá-lo para que não me sinta um insignificante. Se eu morrer, quem irá sentir saudades de mim? Só minha família, claro. Mas talvez nem eles, já que sempre perguntam como Taiki está…

- Do que você está falando?! - o garoto tentou mover-se, mas sentia seu corpo paralisado, a única coisa que podia fazer era continuar ouvindo - T-Taiki-san gosta de você! Ele se preocupa…! Ele, Yuu, Mami… T-Todos gostam de você.

- O que o Taiki tem de tão importante pros outros gostarem dele tanto?! O que eu preciso ter para ser amado também? Preciso salvar um mundo que nem ele fez? Ou preciso ajudar todo o universo? Ao menos quero que os outros gostem de mim!

- Pare de tolices, T-Tagiru! - ele disse ao outro - Taiki-san gosta de você, assim como os outros. Você não é a sombra do Taiki-san, você é um dos melhores amigos dele.

- Yuu é mais amigo dele do que eu, e ele também tem Akari, Zenjirou, a irmã mais velha do Yuu, e um tal de Kiriha. Todos gostam dele mais do que de mim!

- CHEGA!

- Não minta para você mesmo, Tagiru. Você sabe que é verdade.

Ele não fazia idéia, mas aquele outro que aparecera era justamente o lado obscuro de seu coração -- já que, no fundo, Tagiru sentia inveja de Taiki. Uma inveja pelo fato de Taiki sempre estar rodeado pelos outros e por ter fama, e ele apenas ser um dos que o rodeiam.

- E-eu não acredito nisso! - gritou Akashi - Taiki-san pode ser famoso, mas ele não é arrogante ou metido! É o carisma dele que atrai os outros, e carisma é algo que eu também tenho! E ele gosta de mim, assim como o Yuu, Mami, Miho… Todos!

- Então como você pode ainda estar nas sombras quando devia ter algum crédito pelo o que faz? Se aquelas cinco sombras aparecerem, você estará sozinho. Taiki não irá ajudá-lo, lembra? Ele disse que você devia enfrentar aquele seu medo sozinho.

- E-ele não disse isso! Ele disse que eu deveria enfrentar meus medos, já que uma hora seria obrigado a fazer isso! Ele estava me encorajando, e estava comigo! A-Acha mesmo que ele irá me abandonar quando ele é o único que não virou as costas para mim quando era o pior do clube de basquete?! NÃO OUSE FALAR DO TAIKI-SENPAI DESTA MANEIRA!

Com aquele grito, o cenário mudou -- estava de novo no mesmo local onde enfrentava as sombras. E as mencionadas silhuetas estavam no horizonte, a olhar para ele e Gumdramon.

- Taiki-san jamais me abandonou e ele não irá agora…! - com o Xros Loader Carmesim em mão, o jovem caçador evoluiu seu parceiro para Arresterdramon - Vocês não irão me atormentar mais em meus sonhos, e muito menos na realidade!

Arrestramon apareceu repentinamente em sua frente; o digimon tinha um olhar determinante e de coragem em sua face, enquanto Tagiru mostrava-se empenhado em vencer desta vez.

- VAI, ARRESTERDRAMON!

Um rugido estremecedor ecoou pelo cenário, que era a Digi-Quartz. Arresterdramon avançou a toda velocidade contra as sombras, na qual uniram seus poderes para desferir um ataque combinado.

-Tagiru…! Tagiru!

Porém, quando mais tentava se concentrar na batalha… Uma nova voz tentava capturar sua atenção.

- Vamos, acorda! Acorda, Tagiru!

Os sons de explosões de fogo começavam a se distanciar, Arresterdramon estava a desaparecer e tudo estava ficando turvo. Então ele abriu os olhos rapidamente e viu:

Taiki estava ao seu lado, segurando sua cabeça e a checar o seu pulso. Ao fundo, via Arresterdramon, Omega Shoutmon e Lighdramon a lutar.

- Tagiru, você está bem? - perguntou Taiki - Chegamos bem a tempo…! D-Da próxima vez não faça nada inusitado!

- T-Taiki-senpai…? O que houve, onde…

Sua visão ainda estava meio ofuscada, mas engoliu a seco quando percebera o Lighdramon e um sujeito atrás de Taiki. O tal Mysterious Hunter estava ali, e justo o salvara, como no sonho; agora esperava que o misterioso encapuzado viesse e lhe falasse o mesmo texto -- sobre unir forças com Taiki.

Porém não havia sentido algum. Ele já era parte da Xros Heart, tanto do time de basquete de rua quanto da antiga armada que enfrentara o exército Bagra. Então por que raois deveria unir-se a Taiki?

O Hunter virou-se para trás, ainda com seu rosto escondido não só pelo capuz, mas por goggles e um lenço azul, e pareceu checar se estava tudo bem com Akashi.

- Estamos no esgoto, - disse Taiki, a ajudar Tagiru a se levantar do chão - o Seadramon fugiu para cá quando te encontramos. Você estava inconsciente por algumas horas, suponho.

- Esgoto? E… E como… E o que ele… - agora que sua visão tinha voltado com nitidez, conseguia perceber que o ambiente era escuro e mal-iluminado, apenas pelas agulhas de Lighdramon ou de uma lanterna que Taiki possuira em mãos (colocara ao chão quando checara o pulso de Tagiru).

- Ah? - Taiki olhou para onde Tagiru olhava, e depois voltou sua atenção no mais novo - Ah, o Mysterious Hunter está cooperando conosco desta vez. Ele não é tão assustador quanto você dizia.

- M-Mas… “Desta vez”?! Isso significa que… Ele é nosso rival, assim como o cara que tentou caçar o--

- Não acho que seja isso… - Kudou olhou para o misterioso jovem, e então voltou para Tagiru de novo - Acho que temos o mesmo propósito, mas não é preciso uma aliança por enquanto.

- Não pretendo salvar vocês toda santa vez que tentarem algo suicida, - corrigiu o Hunter - tenho coisa mais importante pra fazer.

- Oi, seu…! - Tagiru rangeu os dentes. Sacou o Xros Loader do bolso e encarou o outro - Não preciso ser salvo por ninguém, e eu preciso dar o troco nessa cobra agora mesmo!

- Mas que idiota! - sussurrou para si mesmo.

- ARRESTERDRAMON, USE “PRISM GALLET” NESSE SEADRAMON!

- SEU IDIOTA! - gritou Hunter - ESTÁ ESCURO DEMAIS PARA ATACÁ-LO DIRETAMENTE! VAI ACABAR--

Tarde demais. Arresterdramon tentou acertar o digimon-cobra, mas acabou acertando Omega Shoutmon e Lighdramon por engano; Seadramon aproveitou o ocorrido para escapar. Com aquele movimento errado, o Mysterious Hunter fechou as mãos com força, quase quebrando seu Xros Loader.

- Ele escapou… - disse um inocente Tagiru; Taiki sacudiu os ombros e a cabeça, dando um longo suspiro.

- Claro, ele escapou porque você - Mysterious Hunter apontou para Akashi, rangendo os dentes - fez o imenso favor de achar que poderia derrotar o Seadramon sozinho! Por que não ficou apenas olhando Kudou e eu resolvermos o caso?! Agora por sua culpa aquele digimon vai continuar fazendo vítimas!

- M-Mas eu…

- Tagiru, - Taiki pôs a mão em seu ombro - por uma lado ele tem razão, você não devia ter atacado Seadramon sem pensar primeiro.

- E-está bravo comigo, Taiki-senpai?! - gaguejou Tagiru.

- Não, mas…

- Ótimo, - o misterioso rapaz andou até Lighdramon e montou na garupa do parceiro - teremos mais problemas para localizá-lo desta vez… Perdoe-me por deixá-los no escuro, mas não posso permitir que aquele Seadramon continue à solta, - e saiu como um relâmpago dali.



- Taiki-senpai… - passado umas horas, quando eles já estavam fora do esgoto, Akashi sentiu-se culpado pelo seu erro; Taiki não ligava, mas achou que as palavras do Hunter não tinham intenção de fazer Tagiru sentir-se péssimo (apesar de dele ter sido extremamente rude).

- Tagiru, não peça desculpas. Acidentes acontecem, apenas aprenda com eles, - e o Kudou lhe deu um sorriso, numa tentativa de confortá-lo.

- Mas…!

- Só de saber que você está a salvo já me deixa mais aliviado, e não se preocupe… O Mysterious Hunter estava a investigar esse caso há uma semana atrás. Ele só devia estar um pouco estressado com o que acontecera, já que esteve tão perto de solucioná-lo e…

- … E eu estraguei tudo, - Tagiru suspirou, sentando-se na calçada - Parece que nada do que eu faço está dando certo…!

- Bem... Você pode até ter estragado, mas não fez por querer, - Taiki sentou-se ao lado dele, colocando a mão em seu ombro - eu sei disso.

- Como pode ter tanta certeza? - Tagiru olhou-o seriamente - Como consegue ser tão legal comigo sabendo que… Que eu quero te ultrapassar?!

Kudou ficou em silêncio, apenas lhe devolveu o olhar. Talvez Taiki não sabia que Tagiru queria tanto ser o centro das atenções… Ou que nem soubesse o quanto Taiki não ligava para a fama que carregava. Mas era certo de que Tagiru tinha uma certa inveja dele, algo que Akashi tentava negar com todas as foças.

Taiki sempre estivera ajudando aos outros por gostar e por uma razão na qual poucos sabiam. Mas Tagiru não tinha noção disso, e no fundo sentia que Taiki não era seu amigo, mas sim um obstáculo a impedí-lo de brilhar.

- Você sabe o que quer, - Taiki desviou os olhos para o chão - ao menos espero que esteja certo de suas escolhas, - em seguida, levantou-se e deixou-o sozinho. Taiki continuou a andar e desapareceu pela rua.

- T-Taiki-senpai…- Tagiru ficou apenas a olhar Taiki se afastando, com receio de que o magoara.

- Ah cara…  - ele ouviu uma voz ao longe, mas não ouviu o resto, pois não estava prestando a atenção - (aquela batalha no esgoto me fez tomar uns dez banhos! Quase fico sem camisa e hoodie...!)

A voz lhe era familiar, mas ele continuava a observar os movimentos da rua -- os carros, as pessoas passando… Até que alguém parou atrás dele.

- Uh, Tagiru-kun? - disse o indivíduo.

Tagiru virou-se e olhou para a pessoa, que era justo o estrangeiro que ele conhecera semanas atrás. Lance franziu a sobrancelha, mas estava claro que sentiu alguma preocupação pelo garoto.

- Lance-san? - Tagiru tentou mascarar aquele sentimento de culpa - O que está fazendo aqui?

- Eu é que lhe pergunto, - respondeu-o, confuso - Aconteceu algo…? Você me parece um pouco triste…

- Ah? Eu só… - ele desviou os olhares - só disse uma besteira para um amigo, mas foi sem querer…

- Se não foi intencional, por que não explicar o que aconteceu e pedir desculpas? Brigas acontecem entre amigos, não?

- Mas… Taiki-san… - Tagiru continuou a evitar olhar para o outro - Taiki-san é meu amigo, porém… Ele é muito mais talentoso que eu, melhor em tudo que eu sou péssimo. A-Acho que o invejo-o e ele agora sabe disso… Acho que ele não vai mais olhar pra mim por causa do que eu disse.

- Se ele for o seu amigo, ele irá continuar a te considerar um. Invejando-o ou não, o que importa é o que você sente pelos outros. Se deixar que a inveja estrague os seus relacionamentos, vai acabar sozinho. Ninguém vai querer um amigo invejoso, sabe? Mas pelo que você me aparenta ser, não me parece ser invejoso… Talvez outra coisa.

Ele olhou para atrás, olhos surpresos com o que o outro dissera.

- Você acha que não sou invejoso? M-mas você mal me conhece…! E… E eu não quero invejar o Taiki-san, eu quero me tornar um astro que nem ele. Quero ser famoso como ele é…!

- Tagiru-kun, - Lance olhou-o seriamente - nem todo mundo gosta de ter fama. Não sei o que diseste ao seu amigo, mas coloque-se no lugar dele. Acha que ele também vê o mundo da sua maneira?

Tagiru voltou a olhar para o chão, dando um suspiro desanimado. Estava com aquele sentimento de culpa matando-o. Lance também suspirou, sentando-se ao lado do mais jovem e lhe colhou a mão no ombro:

- Olha, eu não estou dizendo isso para te sentir magoado… Estou dizendo isso como um coselho para a vida. Até porque já passei por algo parecido uma vez, e no final aprendi o quão importante essas brigas são para uma amizade.

- Só que eu não sei se o Taiki-san me perdoa por isso--

- Claro que, se ele for seu amigo, vai te perdoar. Acredite, já conheci alguém que teve um caso parecido… Mas o dele foi muito mais grave que o seu.

- Acha mesmo que o Taiki-san vai me perdoar pelo que eu fiz-- digo, pelo que eu disse?

- Só vai saber se tentar, - levantou-se dali - Ah, aliás… Se mais alguma coisa estiver te incomodando, desabafe com alguém de confiança. Já que algumas vezes é impossível resolver certos problemas sozinho.

Tagiru ficou pensativo por alguns segundos, e então levantou em um salto. Sabia o que tinha o que fazer: Desculpar-se não só com Taiki, mas com o Mysterious Hunter por arruinar a captura de Seadramon. Ele despediu-se de Lance e saiu correndo pela calçada, tomando a direção em que Taiki fora.

- Não sei o que aconteceu entre eles, só espero não ter sido por minha causa, - disse ele a si mesmo.

- Você está indo muito bem, não acha? - uma voz veio do beco, fazendo com que Lance olhasse diretamente para lá.

- Até quando irá insistir, huh? - perguntou ele, num tom seco - Já disse que não estou interessado.

- Não é sobre interesses, - o velho Bagra saiu dali e parou diante do rapaz - mas sim sobre o que você tem a fazer aqui. Percebo que já conheceu Kudou Taiki também, então o que lhe impede, Golden Heart?

- Já lhe disse que não vou bancar espião de ninguém! - este cruzou os braços e continuou naquele tom de voz - Não de alguém que me trata por esses nomes…! E por que você não disse ao Kudou que ele está a correr perigo, hein? Por que eu que tenho de fazer isso?!

- Porque tudo tem o seu tempo, - o velho virou-se de costas e retornou ao beco - E querendo você ou não, seu papel nesta missão já foi designado. Basta apenas você escolher em que lado pertencerá, o do inimigo ou o de Kudou Taiki e Xros Heart.

- OK, já entendi seu “joguinho”, - Lance pôs a mão na testa, sentindo-se irritado com aquela conversa - De qualquer maneira não há como evitá-los e da forma que Akashi age, as coisas vão mesmo precisar de um veterano pra ajudá-los.

- Sabia que iria compreender, meu caro, - o velho voltou-se para ele.

- Mas ainda não gosto de você, - ele apontou para o velho - Estou fazendo isso por ter gostado do Kudou e do Akashi.

- Não me importo se você gosta ou não de mim, - disse Bagra - contanto que faça isso pelos dois e pelos mundos, - então, o misterioso homem desapareceu no beco.

- Tch, estou fazendo o que é certo por eles…! - Lance deu de ombros - Não há como eu dar as costas para alguém que precise de ajuda…



Yuu e Kotone decidiram não discutir sobre o tal “jogo” mencionado pelo velho (que era o enigmático Bagra). Saíram do apartamento para darem uma volta, e acabaram por encontrar Tagiru a correr para a casa dos Kudou.

Yuu decidiu nem perguntar, apenas continuou caminhando com a irmã. Kotone, por sua vez, perguntou se aquele garoto era um dos mencionados amigos do irmão; Yuu afirmou num aceno de cabeça.

Mas aquilo ainda o deixou meio curioso -- Tagiru nunca saíra correndo dessa forma, a não ser quando uma Mami zangada está a correr atrás dele.


- “Taiki-senpai,” - dizia ele para si mesmo - “quero lhe pedir desculpas”…! Espera, ele não vai me dar ouvidos se eu falar assim…! Talvez “Senpai, eu gostaria de me desculpar-me”... Não, está muito formal! A-acho que só vou dizer “desculpe-me pelo o que eu disse” e pronto…!

Mas Tagiru mal pode continuar, já que viu Seadramon a vir em sua direção em uma anomalia entre a Digi-Quartz e o mundo humano… Porém com uma nova vítima:

Era Taiki.



[next]


Última edição por Ni em Ter Ago 26, 2014 3:51 am, editado 2 vez(es)

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AU Digimon Hunters

Mensagem por Convidado em Sab Jul 19, 2014 4:31 am

#10 - Waru Seadramon



Tagiru ficou pasmo ao ver a estranha anomalia e pressentir um corpo rastejando ao seu lado. Diferente do esperado, Shoutmon veio correndo logo atrás.

- Tagiru! - o Digimon King agarrou-o pelo braço e puxou-o - rápido, abra o portal para a Digi-Quartz!

- M-mas o que aconteceu?! - perguntou Akashi - E c-como--

- Taiki abaixou a guarda, e ele foi capturado. O Xros Loader caiu de seu bolso e agora precisamos ir regatá-lo, - então Shoutmon mostrou o Xros Loader vermelho em sua outra mão.

- Como que Taiki-san… - pensava Tagiru, enquanto abria o postal para a Digi-Quartz; enquanto corriam atrás do digimon, continuou a pensar - E-espera, não é por minha causa… O-ou foi?! Talvez tenha sido, porque eu não sabia como Taiki-san pensava sobre essa fama que ele tem…! Talvez ele--

- Ele foi ajudar alguém e teve outro desmaio de exaustão - Shoutmon interrompeu-o - porque ele e o Mysterious Hunter correram atrás do Seadramon. Estava exausto demais, e o Xros Loader também o deixou sem energia.

- F-Foi isso?! - pensou Tagiru - Não foi minha culpa desta vez?!

Não estava claro o que foi que deixou Taiki perder o ritimo e concentração nos seus afazeres, mas Shoutmon não podia dizer a Tagiru que parcialmente era culpa dele.


“O que faz Tagiru pensar que ‘gosto’ dessa fama? Não ligo pra isso, não faço essas coisas para ser o centro das atenções.”

“Faço por querer ajudar a todos, faço para não sentir aquele sentimento outra vez. O que aconteceu comigo foi...”


- “Taiki…? Você está bem?” - Shoutmon o chamara, percebendo uma estranha mudança no humor do parceiro.

- Não é nada, Shoutmon… - respondera - Só uma sensação que… Eu estava sentido faz algum tempo. A respeito do Tagiru, eu achei que era só uma impressão minha.

- “Sobre ele querer te ultrapassar? Estou acostumado com o Gumdramon a fazer isso, achei que...”

- Shoutmon, por acaso já sentiu como se alguém o invejasse a ponto de distorcer a realidade? Digo… Às vezes era a impressão que eu tinha, que o Tagiru não me via como um amigo, mas como um obstáculo.

- “Pensei que isso era normal, mas por que acha que o Tagiru--”

- Talvez eu esteja mesmo deixando isso me perturbar; acho que o Tagiru estava meio chateado por causa do que o Mysterious Hunter disse. Não que ambos tenham dito aquilo por querer, mas de qualquer maneira tornou a situação meio complicada.

“Não sei como explicar, mas aquele digimon apareceu de uma anomalia, perto do bueiro. Fui pego de surpresa e acabei deixando o Xros Loader ali; vi Shoutmon saindo do Xros Loader e então ele pegou o Xros Loader e começou a nos seguir.”

“Então… Eu perdi a consciência.”

“Mas antes disso, eu consegui ver o digimon claramente. Desta vez estava certo de que havia algo muito estranho enquanto lutávamos no esgoto. O digimon era forte demais para ser um mero Seadramon.”

“O digimon era um Seadramon vermelho.”



- “Yuu, pressenti um digimon pelos arredores.”

- M-mas logo agora?! - exclamou Yuu, enquanto Kotone aproveitava um delicioso sorvete - Kotone… Volte para a minha casa, está bem?

- Eu quero ir junto, - respondeu ela.

- N-não dá desta vez! Da próxima iremos, eu lhe prometo…! - então ele a deixou sozinha ali, desaparecendo em minutos pela rua.

- Por que os mais velhos sempre pensam que sou jovem demais para essas coisas?! - ela bufou, cruzando os braços - Não sou tão irresponsável como eles pensam! Eu sei me cuidar sozinha!



- Arresderdramon, acelere! - ordenava Tagiru, que estava nas costas do digimon (e Shoutmon à sua frente) - Não podemos perder aquele monstro de vista!

Shoutmon ficou em silêncio, mas agora conseguia compreender a força do inimigo na batalha anterior -- era um Seadramon vermelho, com marcas em verde, possuía um elmo negro com um chifre dourado, havia uma espécie de “cabelo” amarelo alaranjado.

O oponente era forte demais para os três, talvez fosse necessário Shoutmon X4.

- Tagiru, - Shoutmon virou-se para ele - Arresterdramon não é páreo para ele. Não sozinho.

- Uh? Mas é um Seadramon, não? Pensei que fosse um inimigo fácil, como o Gumdramon disse…!

- Antes fosse, - disse o rei - mas este é uma das evoluções de Seadramon. Nosso inimigo é um Waru Seadramon.

- Warui…? (Malvado...?) Ele me parece malvado mesmo…!

- Ou-sama disse Waru Seadramon, - corrigiu Arresterdramon - não warui.

- M-Mas como vamos derrotá-lo e salvar Taiki-san…?

- OI, VOCÊS AÍ!! - uma voz chamou-os, e uma sombra na velocidade de um raio estava a correr ao lado deles.

- Huh? - exclamou Tagiru, olhando para o lado - M-Mysterious Hunter…?!

- Ah, é você denovo cabelo de chama, - Hunter suspirou - encontraram o Seadramon?

- Cabelo de chama?! Ora seu…!!
- É um Waru Seadramon, - informou-o Shoutmon - e ele capturou o Taiki…!

- K-Kudou? - o encapuzado exclamou, olhando para a cauda da cobra, onde estava Taiki - Mas que…?! O que aconteceu com ele? Pensei que ele não seria estúpido de deixar um digimon daqueles o capturar.

- Bom, ele não é um superhomem, - Tagiru deu de ombros - Volta e meia ele apaga depois de gastar toda sua energia ajudando tanta gente. Mas isso não é o que interessa agora! - ele voltou-se ao Mysterious Hunter - preciso da sua ajuda!

- Se você cooperar comigo ao invés de tentar caçar o digimon por conta própria…

- Prometo! - Tagiru quase caiu de Arresterdramon enquanto juntava as mãos em forma de promessa - Taiki-san é meu amigo além de tudo! E eu… Eu cometi outro erro, não só aquele de…

- Se é um Waru Seadramon, - começou o outro - ele possui ataques de um Mega Seadramon. Não é tão diferente, apenas é um digimon do tipo vírus. Meus parceiros são do tipo vacina, acho que podemos combinar essas informações. Lighdramon talvez seja mais eficiente que Fladramon, já que fogo é inútil contra água… - ele olhou para Lighdramon - Talvez você possa paralisá-lo por algum momento até que Arresterdramon possa cuidar dele, certo?

- Não sei se funcionaria, - respondeu Lighdramon - o inimigo é muito grande e eu precisaria de uma brecha para tentar um “Lightning Blade” ou “Blue Thunder”.

- Podemos cuidar disso, - disse Akashi - Enquanto Arresterdramon o mantém distraído, Lighdramon pode tentar paralisar Waru Seadramon. Shoutmon, você pode aproveitar e salvar o Taiki-san também.

- Acho que isso funcionaria, - Hunter comentou - se você cooperar.

- Irei cooperar, não ouviu?! - Tagiru rangeu os dentes - E meu nome é Akashi Tagiru!

- Certo, Akashi… Eu vou na frente; precisamos atrair Waru Seadramon para algum lugar e mantê-lo distraído. A distração é por sua conta, e vê se não faz besteira dessa vez… OK?

- Eu já não disse--

- Apenas faça o que planejamos, Akashi. Não temos tempo a perder! Quer salvar o seu amigo ou não?! - então ele disparou a toda para ultrapassar a cobra gigante.

Tagiru ficou quieto, pois o que o Hunter dissera estava certo mais uma vez. Apesar dele ter sido rude da última vez, estivera certo. E agora, estava mais uma vez.

Não havia como se defender, a não ser concordar com ele.

- Arresterdramon, - após o silêncio, Tagiru voltou-se para o parceiro - acelere e mantenha Waru Seadramon ocupado. Shoutmon, espere até que Lighdramon paralise nosso alvo, aí poderá salvar Taiki-san.

- Certo, - Shoutmon anuiu com a cabeça.


Yuu ligara para a casa de Taiki, mas ninguém atendera o telefone. Tenrada a casa de Tagiru, mas o resultado foi o mesmo. Apesar de ter certeza que as mães de seus amigos estariam em casa, elas talvez estivessem ocupadas demais para atender.

Agora estava ele a tentar se comunicar pelo Xros Loader, mas não conseguia nada. O aparelho simplesmente estava “fora do ar”.

- Mas e essa agora?! - o Amano mostrava-se impaciente - Eles devem ter ido já, mas… E se não foram? O que faremos Damemon?

- “Não sei, talvez poderíamos checar a Digi-Quartz.”

- Ou talvez você deveria ficar fora do caminho. - uma terceira voz veio atrás de Yuu, que se virou imediatamente para encontrar-se com o sujeito que Tagiru mencionara antes: Tobari Ren.

- Q-quem é você?! - vociferou Yuu - O que está fazendo aqui?!

- Sou um caçador de digimons raros, - Ren deu de ombros - E essa é a única coisa que precisa saber; agora que tal sair daqui antes que eu quebre o seu Xros Loader e capture todos os seus digimons?

- Não o deixarei fazer isso!!

- Oh? Veremos… - Ren sacou o Xros Loader Cinza e apontou para frente, abriu o portal para a Digi-Quartz e de lá começou a travar uma batalha contra Yuu e Tsuwarmon.


Enquanto isso, em um lugar distante…
Em uma Digital World cujo Taiki jamais visitara, algo estava a acontecer.

Um grupo de digimons estivera a enfrentá-lo com toda a sua força, mas não eram páreos para tamanha brutalidade. Todos os digimons estavam a perder para este, e agora ninguém queria continuar aquela luta.

- Vamos… Lutem como verdadeiro homens se quiserem roubar esta terra destes digimons indefesos!

Ele, o mais temido e respeitado de todos: Daimon Masaru.
Filho de Daimon Suguru, no qual fora considerado um herói no passado. Agora o herói é este rapaz de dezenove anos. Masaru andava a proteger a paz e a resolver conflitos…

… Quando não estava a causar uns (por acidente).

- M-Mas…! - o digimon líder, Globlimon, balbuciava - Mas você já derrotou t-todo a minha gangue…!

- Então não deveriam continuar a lutar, - disse Daimon, cruzando os braços - Reconheçam que este vilarejo pertence aos Tokomons e não venham mais atormentá-los. Os mais fortes deveriam proteger os mais fracos, e não explorá-los.

- Yggdrasil que o abençoe, Masaru-sama - disseram o pequeninos em coro.

Enquanto os Globlimons fugiram, Masaru sentiu como se alguém estivera vigiando-os. Num minuto chamou Agumon, que estava a proteger os Tokomons junto de seu parceiro, e seguiram o misterioso vulto.

Mal sabiam eles o que lhes esperava.



Mysterious Hunter e Tagiru fizeram Waru Seadramon seguir para uma rua sem saída e proseguiram com sua estratégia. O jovem misterioso estava agora no chão, ao lado de Shoutmon e Tagiru, e à sua frente mantinha-se Lighdramon, que observava o digimon-cobra atentamente, a espera de um momento para paralizá-lo.

Arresterdramon sobrevoava ao redor do oponente, cuidadosamente fazendo de tudo para que Taiki não sofresse dano algum. Quando vira uma oportunidade de tirá-lo da cauda de Waru Seadramon, o inimigo a recolhia e tornava impossível de alguém pegar o garoto.

- Mas que droga, - disse Tagiru, mordendo o lábio - parece que esse Seadramon entendeu todo o nosso plano.

- Se precipitar eu juro que te atiro do outro lado daquela cerca, - Hunter deu um olhar mortífero para Tagiru, mas logo mudou o tom de sua voz para um mais calmo - Akashi, vai tudo ocorrer bem, não perca a esperança.

- Como consegue ser tão otimista quando--

- Porque é assim que se vira o placar, - ele voltou a olhar para o inimigo; de repente, o jovem encapuzado andou alguns passos até Lighdramon e murmurou algo para o parceiro - (No momento que Waru Seadramon recolher a cauda, ataque-o. Ele está a se preocupar com a presa, por isso é nossa chance.)

- O que você está pensando em fazer? - Tagiru ainda estava meio receioso sobre aquele estranho, não tendo total confiança nele.

- Vai por mim, - Hunter voltou-se para Akashi - eu sei o que estou fazendo.

- Da ultima vez, - começou Shoutmon, sussurrando para Tagiru - estávamos no escuro e o próprio inimigo mal podia pever nossos ataques com tanta clareza. Foi mais fácil te resgatar pois ele não estava a cuidar da cauda. Acho que já sei o ponto fraco dele.

Quando Arresterdramon tentou mais uma vez segurar a cauda, Waru Seadramon recuou-a; Lighdramon correra nesse meio tempo e mirou no digimon. Uma fagulha gigante cruzou Waru Seadramon, que caiu no chão por alguns minutos. Estava tentando se mover, mas não conseguia. Shoutmon atirou-se na cauda do digimon e forçou-a a se abrir, pegando um inconsciente Taiki; o digimon king levou Taiki para perto dos outros dois humanos e o colocou no chão.

- Bingo, - Mysterious Hunter pôs as mãos na cintura e olhou para o oponente - Pensou que não tínhamos reparado, huh? Agora renda-se ou será caçado.

- Taiki-senpai! - Tagiru nem se importou com o restante da luta - Taiki-senpai, acorda por favor! Taiki-senpai!

Os olhos de Taiki abriram-se lentamente, recuperando aos poucos a consciência. Assim que viu uma imagem ofuscada de duas silhuetas, mais uma um pouco atrás daquela que supostamente seria Tagiru, ele tentou levantar-se do chão. Conseguiu um pouco, mas ainda sentia seu corpo dolorido e não tinha a menor idéia do que acontecera durante aquele tempo todo.

- T-Tagiru…? - ele finalmente olhou para Akashi, ainda confuso - O que… O que aconteceu? O-Onde estamos?

- Taiki-senpai, você está bem! - Tagiru abriu um sorriso e o abraçou como se não o visse por anos - Desculpe por ter tido aquilo, eu… Eu não sei o que me passou pela cabeça…!

- T-Tagiru, - Taiki sentia-se agonizado com aquele abraço - p-por favor, me solte…! Estou todo dolorido e ficando sem ar…!!

- Ah, desculpe-me!! - Akashi o soltou imediatamente, mas ainda sentia-se feliz. Ele virou-se para trás e viu o Hunter a observá-lo - Obrigado pela ajuda… Un… qual é seu nome mesmo?

- Não abaixe a guarda, Akashi! - e este voltou-se para a batalha - Waru Seadramon não vai ficar parado no chão para sempre! O efeito paralisante do Lighdramon possui um limite, e já está chegando ao fim.

Lighdramon, que estava do outro lado da cobra, parecia saber muito bem daquilo. O digimon de armadura negra correu para o seu parceiro e parou em frente aos humanos, como se estivesse certo que Waru Seadramon iria atacá-los logo assim que voltasse a se mover.

- Capture-o, - Mysterious Hunter olhou para Tagiru, apontando para o inimigo - não perca seu tempo.

- Mas é você quem deveria capturá-lo…! - Akashi sacudiu a cabeça - Não fui eu quem o derrotou, e sim você.

- Não venha com cortesias! - ele continuou sério - Precisamos fazer isto agora ou será tarde demais!

- Mas... OK, eu vou capturá-lo. – e o garoto olhou para Arresterdramon – Arresterdramon, use o “Prism Gallet” no Waru Seadramon enquanto há tempo...!

Eis que Arrestramon cumpriu sua ordem. Sua causa brilhou mais uma vez, e então acatou Waru Seadramon com ela; o digimon roxo fragmentou-se durante o ataque, atravessando o corpo do oponente como se fosse um fantasma; Arreterdramon materializou-se por trás do inimigo, e então a cobra caiu no chão.
Um anel roxo azualdo envolveu o digimon capturado, que logo transformou-se dados; uma imagem do mesmo apareceu em um cubo, da mesma cor do anel, que saía do Xros Loader de Tagiru.

- Digimon... Captura completa. – disse ele, mas sem tanta emoção como nas últimas vezes, pois sentia que não deveria ter capturado aquele monstro e sim o Mysterious Hunter.

- Considere isso como um pedido de desculpas, - disse este.

- Pedido de desculpas? – Tagiru franziu a sobrancelha, confuso.

- Olha, eu foi rude contingo lá no esgoto, – explicou o Hunter – e eu não queria que você pensasse que eu disse aquilo de coração, sabe? Na verdade fiquei bravo, mas foi estupidez minha.

- Mas... Mas eu quem fiz perdermos aquela batalha! – Akashi contestou-o, ainda com aquele sentimento de culpa – Quem deveria pedir desculpas...

- Eu sei, - Mysterious Hunter anuiu com a cabeça – mas não foi culpa de ninguém, estávamos em um lugar em luminosidade alguma e eu tenho que admitir, você não fez nada de errado...

- M-mas...!

- Só agiu de uma forma egoísta, mas agora você mostrou que não é tão egocêntrico como aparentava ser lá no esgoto.

- E-ei!!

- Akashi Tagiru, certo? - ele estender a mão - pode me chamar de Mysterious Hunter.

- S-sim… - e este apertou a mão de Hunter - Mas por que “Mysterious Hunter”?

- “Porque ele acha esses codinomes legais, não é Hunter?” - veio uma voz do Xros Loader Azul Céu.

- C-Cala a boca! - murmurou Hunter pra o aparelho. Em seguida, ele chamou Lighdramon montou em sua garupa - B-Bem, ignorem o que esse mala disse. Nos veremos outra vez. E não se esqueçam que não sou babá de vocês, então tomem cuidado na próxima.

- H-hey! - Tagiru bufou, nada satisfeito com o que Hunter disse.



Horas depois, Taiki havia recuperado-se (apesar de ainda sentir seu corpo dolorido), e este reunira Tagiru e Yuu em sua casa. Como Kotone insistira para ir junto, ela estava lá, juntamente do irmão.
Akari e Zenjirou, por mais ocupados que estivessem, também foram atender ao amigo.

- O caso dos digimons parece estar se agravando, - começou Taiki - precisamos tomar providências para controlar a sitação e reduzir o número de incidentes.

- Mas o que poderíamos fazer? - perguntou Akari - E o que é essa tal de Digi-Quartz?

- “Digi-Quartz pode ser cosiderado uma espécie de dimensão paralela entre a Digital World e o mundo humano.” - explicou Wisemon, direto do Xros Loader de Taiki - “Os ataques de digimons são causados por uma anomalia na Digi-Quartz, permitindo que os digimons possam interagir com o seu mundo. Mas não tenho certeza se podemos chamar a Digi-Quartz de ‘dimensão’ ou algo similar. Talvez o certo seja uma anomalia na barreira em que separa os dois mundos.”

- Uma anomalia… - Zenjirou levou a mão ao queixo, totalmente pensativo - Ouvi falar que houveram estranhos incidentes de monstros no continente europeu, e também na América.

- Sim, - confirmou Kotone - houve um ataque no Reino Unido mês passado. E eu fui uma das vítimas, mas Falcomon me salvou.

- Kiriha-san não está na América? - perguntou Yuu - Talvez ele saiba de algo.

- Tentarei entrar em contato com Kiriha amanhã, - disse Kudou - e além disso… - ele olhou diretamente para Tagiru.

- Huh? O que foi, Taiki-senpai…? - Tagiru piscou os olhos em confusão.

- Sobre o estranho garoto que você viu o Mysterious Hunter…

- Ele atacou-me - interrompeu Yuu - e por pouco ele quebra meu Xros Loader. Parece que algo o chamou e ele teve de abandonar a luta.

- Como assim ele te atacou?! - exclamou Akashi.

- Ele não queria que eu fosse capturar o digimon que Damemon pressentiu, - explicou o loiro - Por sorte ele decidiu nos deixar em paz ao invés de prosseguir a luta.

“Talvez esse caçador cujo atacara Yuu seja mais perigoso que o próprio Mysterious Hunter. Aliás, não penso que o Mysterious Hunter seja nosso inimigo.”

“Talvez ele só goste de trabalhar sozinho.”



…………

- Parece que todos estão aqui, não? Ah sim… faltam dois. Golden Heart e Red General. O que fazer…?

Uma sombra de olhos verdes olhava diretamente para quatro corpos inconscientes em um sofá velho. Ao lado desta, havia uma mais atrás, balançando tranquilamente sua cauda peluda.

- Precisamos dos seis para que isso funcione, - os olhos verdes focaram-se na silhueta que estava atrás de si - Seria arriscado mantê-los sozinhos, sugiro que assume a forma de um deles e os mantenha em vigilância.

- Como desejar, mestre. Mas… - a sombra aproximou-se da de olhos verdes - Não há como controlá-los assim como fizeste com os outros dois humanos? Estaria correndo risco imenso se os deixar agir pro conta própria.

- Para isso é preciso de tempo, - explicou a outra - Ebemon precisará de mais do que o “Brain Rupture”, e sim alguma coisa que permitisse um controle mental aprimorado. Apesar que, se não acertarem Ebemon, não terão como desfazer o encanto. Porém há seus limites… Ebemon não pode usar essa especialidade sem recarregar, e já estamos a usá-la em duas pessoas.

- Ah sim, entendo… Por isso que está a procurar uma forma de… Controlá-los? Mas seria arriscado deixá-los a solta também, mercenários fariam de tudo para colocar as mãos neles. Quanto maior a quantidade, mais alto os venderiam no mercado negro.

- Compreendo suas precupações, e é por isso que preciso que assuma o grupo. Burning Courage não cooperaria conosco, muito menos os outros três. Além disso, o lendário Akiyama Ryou quase nos causou problemas, não?

- Ele não virá atrás do Noble Dreamer - acenou negativamente com a cabeça - o portal foi fechado. Ao menos que o Red General seja capaz de atravessar as dimensões.

- Sim, e quando estes entrarem na Digital World - a outra sombra continuou - ativarão sua forma lendária e será preciso dos outros dois lendários para que o plano esteja completo. Mas, por enquanto, lhe dar o Darkness Loader e poderá agir como parte da equipe deles. Ebemon irá arranjar uma forma de mantê-los nossos aliados.

- Ah sim, mas para assumir a forma de Kudou Taiki seria arriscado demais… - a outra levou uma das mãos ao rosto, que aparentava ser coberto por uma máscara - Talvez a melhor solução seja termos um Golden Heart temporário, a convencer aos nossos amigos que eles precisam resolver um caso neste mundo.

- E proteger a Digi-Quartz de um traídor, - completou, com seus olhos verdes brilhando intensamente - Kudou Taiki não terá chance alguma contra quatro dos poderosos guerreiros da Digital World.

- Quatro não, - negou com um aceno de mão, levando a outra ao rosto. Em poucos segudos, a forma da silhueta mudou e tornou-se similar ao quinto e desaparecido lendário - cinco.

- Speculum Persona, - comentou a sombra - o nosso trunfo nesta batalha.



[next]


Última edição por Ni em Ter Ago 26, 2014 4:18 am, editado 4 vez(es)

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AU Digimon Hunters

Mensagem por Convidado em Seg Jul 21, 2014 12:36 am

#11 - Sonhos e Pesadelos



- Se vocês pensam que vou deixar o Arresterdramon ser destruído, podem esquecer! Eu estou aqui, e mesmo que sejam lendas ou não… Não sou um caçador qualquer! Meu nome é Akashi Tagiru! E eu sou um dos membros da armada Xros Heart!  

“O mesmo sonho se repetia todas as noites, de uma forma cruel e dolorosa. Assistia Gumdramon ser atacado impiedosamente pelas sombras, nas quais se intitulavam lendários heróis.”

“A parte em que eu era salvo pelo Mysterious Hunter também se repetia. E a mesma frase.”


- Tagiru, você precisa unir forças com Kudou Taiki.

- Mas Taiki-san e eu já somos aliados! Por que devo me aliar com ele?!

- Porque será impossível confrontar contra eles. Você precisará enfrentá-los, preciso da sua ajuda.

“Naquela vez daquele sonho, Mysterious Hunter soou como se ele estivesse contra as sombras também; ele olhou para mim, ainda com aquele capuz, goggles e lenço a sobrir o rosto, parecia muito mais assustado do que eu.”

“Era como se ele não queria fazer aquilo, mas como? O que aquelas lendas fizeram pra ele?”


- Uh, posso lhe perguntar uma coisa, Mysterious Hunter?

- Akashi, não tempos mais tempo para perguntas! Espero que Kudou e o velho estejam já aqui para nos ajudar ou estaremos em encrenca! D-Droga, acho que eles já nos encontraram!

- Eu sei que isso é um sonho, e se eu te perguntar quem você é… Isso tudo acaba. Mas porque está me dizendo isso? Iremos enfrentá-los… Mas por quê? Eles não são os lendários heróis da Digital World?

- Eu… Eu não posso lhe dizer agora…! Se eu lhe disser, talvez você me odeie depois.

- C-como assim? Não somos amigos -- ainda. Mas não temos o mesmo objetivo?

- Akashi Tagiru… Eles vão vir atrás de mim. Kudou já sabe disso, e creio que está em boas mãos se estiver com você.

“Aquela nova parte me deixou confuso… Taiki-san é muito mais talentoso que eu, e ele é um… Herói. Eu sou apenas um caçador de digimons, e membro da Xros Heart. Não consegui entender aquela parte, mas…”

“Não parei de pensar nela o dia inteiro.”


- Tagiru? - Taiki cutucou-o, a aula já havia terminado e Akashi era o único na sala - Tagiru, você está bem?

- T-Taiki-senpai…? - Tagiru abriu os olhos lentamente e viu uma imagem ofuscada de Taiki - O que aconteceu…? Onde estou…?

- A aula já acabou e a professora não percebeu desta vez, - ele ouviu a voz de Yuu atrás dele - Todo mundo já foi pra casa também.

- Uh… Estava a sonhar com aquilo de novo.

- De novo? - Taiki e Yuu levantaram uma sombrancelha, exclamando em coro.

- D-desculpem, - Akashi levantou-se da cadeira e começou a guardar o seu material - estive achando que era apenas um sonho bobo. Mas estou tendo-o desde que conheci o Gumdramon.

- E por que não nos contou antes?! - esbravejou Yuu - Mas que droga, somos amigos ou não?!

Tagiru suspirou a fundo, como se tentasse encontrar palavras para explicar o que acontecia naqueles sonhos, então ele, Taiki e Yuu saíram da escola e foram para casa de Taiki.

E lá Tagiru começou sua explicação:

- Naquele sonho, Arresterdramon e eu estávamos a enfrentar cinco sombras; cinco poderosos digimons atacaram-nos, e então… Mysterious Hunter apareceu, salvando-nos de um poderoso ataque combinado. Gumdramon então disse que eles eram o lendários heróis e então… Meu sonho sempre acabava quando eu perguntava quem era o Mysterious Hunter.

- Por isso que você estava com medo do Mysterious Hunter? - perguntou um inexpressivo Taiki. Tagiru anuiu com a cabeça, e continuou a relatar o sonho.

- Sim, e ele também me dizia que eu tinha que enfrentá-los. “Una todo o seu poder e lute; você precisa se unir a Kudou Taiki”.

- Unirmos e lutarmos contra as sombras…? - Taiki levou a mão ao queixo, pensativo - Isso não faz sentido, por que lendários heróis te atacariam?

- Também não sei, - Tagiru abaixou a cabeça, fixando-se no chão - e desta vez… Mysterious Hunter disse “eles estão atrás de mim”, além me mencionar você e o velho quem me deu o Xros Loader.

- Mas que… Tem certeza que não está exagerando? - Yuu cruzou os braços - Não está mentindo para que não nos preocupemos contigo, certo?

- Já disse que não! - Tagiru encarou-o - Não estou mentindo, e por isso que achei que era fruto da minha imaginação!

- Yuu, Tagiru está falando a verdade, - Taiki interrompeu a discussão - Até porque foi assim mesmo que conheci Shoutmon, eu tive um sonho com uma batalha onde eu era o general de uma armada de digimons. Reconheci Shoutmon, Ballistamon e Dorulumon quando os vi pela primeira vez.

- V-Você também teve sonhos assim?! - Tagiru exclamou, surpreso; Taiki respondeu com um aceno de cabeça.

- Por isso o sonho do Tagiru pode ser confuso ou exagerado, mas não penso que seja mentira.

- Mas mesmo assim… - o Amano olhou para Akashi - Por que não nos contou antes, quando começou a se repetir?

- Já disse que foi por causa que pensei serem sonhos normais…! - Tagiru cruzou os braços, bufando - Mas o que me deixou indignado é… o Mysterious Hunter. Nós não sabemos quem ele é, e de acordo com o meu sonho, ele também está correndo perigo.

- Perigo…? - Taiki voltou a ficar pensativo - Pode não ser perigo, ou talvez essas sombras que te atacaram podem estar se passando pelos lendários heróis ou pode ser outra coisa.

- Como o quê? - Yuu perguntou em voz alta.



Após o trabalho, ele moveu-se para um dos becos e esperou por um tempo. Minutos depois, surgiu uma estranha porta; ele abiru a porta e entrou uma sala mal-iluminada, caminhando até a próxima porta; abriu esta e continuou a andar por um corredor, até finalmente encontrar a última porta.

Ao entrar nela, viu a mesma mulher de dezoito no sofá.

- Uh… Tadaima…?

- Ah, bem-vindo de volta, - Lilith recebeu-o, mas sem tirar os olhos da televisão que aparecera ali naquela vez - Onde estava, Golden Heart?

- Trabalhando, - este descobriu sua face, dando um longo suspiro - achei que o velho Bagra queria falar comigo… Bem, não me importo de esperar.

- Ah? Vai ficar aqui como nosso hóspede de honra…? Aceitou a oferta do Bagra-sama?

- Digamos que sim, - ele deu de ombros - mas já disse a ele que estou a agir por conta própria. Ah, não que eu não confie nele… Mas é que estou fazendo isso pelo Kudou Taiki e Akashi Tagiru mesmo. Não posso virar minhas costas para eles.

- Oh? Você realmente tem um coração bondoso e solidário, não?

- “Ele diz que Taiki se parece com ele, haha!” - disse uma voz vinda do Xros Loader - “Bom, talvez seja… Não conhecemos ele tão bem assim para essas comparações.”

- Só sei de uma coisa, - Golden Heart olhou para os lados - Kudou Taiki possui um parceiro que é dez vezes mais responsável que o meu.

- “Ei! Ao menos o parceiro do Shoutmon é mais inteligente que o meu!”

- Está querendo apelar, seu troll azul?!

- Ai ai, crianças não briguem aqui! - Lilith mordeu o lábio de raiva - Estou querendo assistir meu Drama favorito!

- Mas foi ele quem começou…!

- Não interessa, - ela apontou para a outra sala - continuem a briga em outro canto! Vocês parecem aqueles outro dois idiotas!

- Outro dois…? - o jovem franziu a sobrancelha, mas seguiu para o outro cômodo.

A outra sala era imensa e tinha outra mobília, mas também possuía um sofá grande e espaçoso, uma mesa atrás do mesmo, uma mesinha de centro com várias revistas (nas quais Golden Heart indentificou como aquelas revistas onde eram publicados vários mangás famosos). Sentado num sofá, com um prato de jóias ao lado, estava um homem cuja estrutura corporal parecia ter ossos grossos e fortes. O homem tinha cabelos branco e espetados, seus olhos pretos liam uma das edições de um desses mangás.

O silêncio da sala deixava o jovem meio incomodado, além de ter certeza que o homem estava a comer as jóias como se fosse aperitivos.

- Uh… S-senhor? - ele pirrageou, meio confuso.

- Quem me chamas…? - este respondeu, parando a leitura e olhando para Golden Heart - Ah, é só o garoto… Bagramon-sama está na outra sala.

- V-você está comendo jóias?! - não conseguira segurar aquela pergunta - Ou são guloseimas de gelatina em formato de jóias?!

- Sim, são minhas jóias e não as divido com ninguém, - respondeu-o - somente com Lilith-chan.

- Jovem Golden Heart, - uma voz o chamou na sala seguinte - venha até aqui, por favor.

Não teve tempo para dizer que não queria as jóias, pois seu corpo parecia ter movido sozinho quando ouvira aquela voz. Talvez fosse a salvação para um possível mal-entendido.

Ao atravessar aquela sala, estava em outra cujo tinha uma mesa no centro, e cheia de mapas e papéis por cima desta. O velho Abra estava na ponta, com uma outra… criança?

- Ah, aí está você, - disse o velho misterioso - Jovem, Golden Heart, lamento em tê-lo chamado aqui. Mas você precisa saber o que os aguarda.

- “Os”? - este exclamou - Eu e quem mais? Esse garoto aí?

- Meu nome é Hideaki, - expressou o rapaz com aparência de dezenove anos, da altura de Golden Heart. Hideaki tinha cabelos loiro escuro, olhos verdes - E eu sou o irmão de Bagramon.

- I-Irmão?! - o jovem deu um pulo para trás, surpreso - Como assim você é irmão dele?! Parece mais com um neto do que com um irmão!

- Posso lhe assegurar que somos irmãos, - disse Bagra - Hideaki é meu irmão mais novo. Mas isso não é importante, o que venho a lhe dizer é que…

- Os quatro lendários - começou Hideaki - estão neste mundo, o que significa que nossos esforços para salvá-los foram um fracasso.

- Nem tanto, ao menos temos você e Kudou Taiki sob guarda.

- Porém o perigo continua, - continuou o garoto - já que é preciso dos seis lendários para dar início ao D5.

- D5? - Goden Heart exclamou.

- Um antigo projeto - explicou Bagra - na qual foi impedido pelo lendário herói Kudou Taiki.

- Se os quatro lendários estão nesta dimensão, - Hideaki pôs a mão em um dos papeis - isso significa que ele está tramando algo. Você e Kudou Taiki estão seguros… Por enquanto. Mas não abaixe sua guarda, pois tenho certeza que ele irá vir atrás de vocês.

- “Ele”? Quem está atrás de mim e de Kudou?



Após aquela reunião, Taiki aconselhara que Tagiru passasse a noite em sua casa. Se tinha algo que os deixara intrigado fora o sonho. Akashi pensou que seria uma boa idéia se ele pudesse arranjar uma forma de Taiki entrar naquele sonho e ajudá-lo a derrotar as silhuetas que o atormentavam-no.

Mas Kudou tinha outra idéia: Estar por perto de Tagiru, para ao menos compreender melhor o que se passava nestes sonhos.

- Boa noite, Tagiru.
- Boa noite, Taiki-senpai.

“Fechei meus olhos e tentei relaxar. O plano de Taiki-san era simples: deixar com que o sonho se repetisse. Se eu acordasse no meio da noite, ele acordaria também e me perguntaria o que eu acabara de presenciar.”

“Por um lado, esperava que tivéssemos o mesmo sonho. Queria que ele sonhasse com a batalha e que pudesse derrotar as sombras, ou que dissesse a elas que não somos inimigos.”


- Aqui estou eu outra vez… - dizia para si mesmo - Digi-Quartz, no mesmo lugar, no mesmo momento e logo elas virão. Logo elas irão provocar Gumdramon e…

- Tagiru? - Taiki apareceu ao seu lado.

- T-Taiki-senpai? - ele sentiu-se surpreso, mas ao mesmo tempo feliz - Estamos no mesmo sonho?

“Ao menos minha sorte mudou e Taiki-san estava ali desta vez. Mas será que isso vai mudar o rumo do sonho? Ou será que…”

As cinco silhuetas com seus digimons apareceram no horizonte, prestes a começar a batalha. Arresterdramon e Shoutmon do sonho estavam ao lado de seus parceiros, prontos para o confronto; Tagiru olhou para os lados, como se esperasse pela chagada do Mysterious Hunter, mas nada apareceu. Estavam sozinhos, só eles e as nove sombras.

Cinco contra dois. Se ao menos o Mysterious Hunter estivesse ali…

- Então vocês são as sombras que o Tagiru falou, - gritou Taiki para elas - Se são lendários heróis, por que estão a atacar meu amigo?!

- Atacar? Não estamos atacando-o, - disse uma delas, aparentemente a mais jovem de todas.

- M-mas vocês…!!

- Só iremos lutar se você nos obrigar, - respondeu a que estava do lado direito da sombra mais jovem - Não somos tão violentos como você pensa, garoto.

- Então no seu sonho - Taiki olhou para Tagiru - você fez algo que os fez iniciar uma batalha, mas ainda não compreendo o motivo.

- Estamos aqui por uma razão, - disse a que tinha um cabelo “gigante” -  vários caçadores de digimons estão a capturá-los. Digimons não deveriam ser escravizados. Nosso legado é como protetores da Digital World, e nós iremos protegê-los a todo custo, sendo ou não nossa dimensão.

- Entendo… - Taiki levou a mão ao queixo, pensativo - Então vocês vieram a convencer Tagiru a parar de caçar digimons, pois ele é um Digimon Hunter. E então você - ele olhou para Akashi - falou algo que iniciou um confronto.

- E então, cabelo de chama? - disse o mais alto do quinteto - Será por bem ou por mal?

- Taiki-senpai, - Tagiru voltou-se para Kudou - o que eu disse foi que não sou um caçador comum, e que a Xros Heart está a capturar os digimons para evitar que estes causem confusão ao nosso mundo, mas eles não quiseram me ouvir.

- E por isso que eles te atacaram, por ter negado parar com a caça… Tudo faz sentido agora, - Taiki deu um olhar sério a Tagiru - Prossiga como fizeste da última vez. Não se preocupe, estou aqui e não permitirei que Arresterdramon se fira.

- C-Certo… - Tagiru anuiu com a cabeça; voltou a olhar para as sombras e disse - Eu não posso; se nós pararmos de caçar, os digimons irão continuar a causar caos no nosso mundo! Não sou um caçador por hobby, mas sim membro da armada Xros Heart. A Xros Heart está investigando esses casos, e nós iremos arranjar uma forma de enviar os digimons para a Digital World! Iremos contatar todos os caçadores para que eles possam nos ajudar em nossa missão.

- Estamos pedindo com educação aqui, - uma das sombras posicionou-se na frente do grupo, como se esta fosse o líder - mas se quiser lutar… Então não há escolhas, certo? - e esta olhou para as outras, que acenaram com a cabeça.

- Eu os asseguro disso, - disse Shoutmon - Eu sou o Digimon King, e confio a minha vida à Kudou Taiki, o general da nossa armada, a Xros Heart. O que Tagiru disse é verdade, e nós estamos trabalhando para resolver todos os casos ao redor do mundo humano.

- Os casos estão se agravando, - complementou Arresterdramon - Não há como controlar a situação sem os caçadores! Ao menos permitam que nós possamos cuidar da situação.

- E como podemos ter certeza que vocês irão cumprir a promessa, huh? - perguntou a quarta sombra, que parecia ter um boné em sua cabeça -  Não temos confiança em vocês.

- A palavra de um rei não basta para vocês? - rugiu Shoutmon - Não sou um mero digimon qualquer, sou o governante da Digital World, o Digimon King. Fui eleito o novo rei após a queda do império Bagra, e governo o nosso mundo com os pricípios de justiça, honestidade e solidariedade. Quero que a Digital World seja um mundo onde todos tenham um lar e uma família!

- A palavra do Ou-sama é lei, - completou o dragão roxo - ele é justo e rege o poder de nosso mundo com sabedoria. Além de ter seus antigos companheiros da aliança Xros Heart Blue Flare para o guiarem ao caminho certo. Somos justos e honestos.

- Talvez possamos dar uma chance, não? - ouviram a mais jovem comentar com os demais - Sinto que podemos confiar no Digimon King--

- Eu não. Não confio neles… - opinou a que estava à frente do grupo - Aliás, a Digi-Quartz é a Digital World. E pelo que sei não deveriam ter um rei para governá-la, - de uma forma rápida, Taiki previu que esta estalou os dedos, e então as outras pararam imediatamente, como se fossem estátuas.

- Sim, a Digi-Quartz é a Digital World. - disse outra, com uma voz meio robótica - Está habitada de digimons, e eles não gostam de serem caçados.

- Então temos um veredito aqui…? Todos concordam que a Digi-Quartz merece ser protegida de caçadores? Ah? Sim, todos? Está decidido.

- Do que você está falando - gritou o Digimon King - A Digi-Quartz é uma anomalia na barreira que divide a Digital World e o mundo humano! Ela nunca existiu antes!

- Eles não vão nos ouvir! - disse Arresterdramon - Precisamos fazê-los nos ouvir!

- M-Mas como?! - perguntou Akashi - Não está querendo lutar contra eles, está?!

- É a única forma, Tagiru, - Arresterdramon confirmou com a cabeça - Ou está disposto a permitir que mais caos se espalhe pela região? E eles atacaram outros caçadores injustamente!

- Não podemos--

- Espere, - interrompeu Taiki, ainda observando a cena cuidadosamente - deixe que Arresterdramon faça o que ele quer.

- Mas, Taiki-senpai!!

- Se não houver uma batalha, Mysterious Hunter não aparecerá. E eu também estou interessado nessa parte.

- E-está certo disso?!

- Já lhe disse que não permitirei que machuquem Arresterdramon - então ele sacou o Xros Loader do bolso - Shoutmon, está pronto?

- Sim, - o rei anuiu com a cabeça.

-V-vai lutar também?! - Tagiru estava incrédulo, mas um pouco confiante.

- Lagarto imbecil, - ouviram a sombra à frente do grupo dizer - Peguem-no, - estalou os dedos mais uma vez e apontou para Arresterdramon e Omega Shoutmon (que evoluíra minutos antes).

Uma sombra se transformou, enquanto três das outras quatro -- cujo eram digimons -- evoluíram. Uma outra sombra humana pareceu ter se fundido com seu parceiro, dando origem a um novo digimon. Estas cinco digi-sombras avançaram contra Arresterdramon e Omega Shoutmon, que partiram para cima delas.

De acordo com Tagiru, a sexta sombra -- que era o Mysterious Hunter -- aparecia e salvava-o de um ataque combinado.

Quando o momento esperado chegara, Taiki viu os cinco digimons a unir seus poderes e a atacar os dois digimons oponentes. Logo depois, ouviu-se uma nova voz de um dos cantos.

- AKASHI, SEU IDIOTA!! RELOAD…

Uma luz vinda deste canto fez com que Tagiru e Taiki olhasse para quem vinha; o digimon de Mysterious Hunter era diferente dos demais, mas este o evoluira tão rápido que não puderam descobrir qual deles era. Poderia ser Lighdramon ou Fladramon…

Mas a luz que emitiu e jogou contra o ataque combinado (sendo forçado a pegar Shoutmon & Gumdramon, e os humanos a tempo para evitar que estes se ferissem com a explosão) não era de fogo nem de relâmpago. Aquilo era uma poderosíssima luz que parecia ser incomparável com os outros dois digimons já conhecidos.

Eles moveram-se para atrás de um prédio, como acontecia no sonho. De lá, Taiki presenciou uma nova “versão” do que acontecia.

- Não adianta fugir, lute com todo o seu poder! - disse Mysterious Hunter a Tagiru - Você e Kudou presiam unir forças e enfrentá-los.

- Mas por quê? - perguntou Tagiru - E por que as lendas da Digital World--

- Mysterious Hunter, - interrompeu Taiki - Receio em lhe informar que há algo estranho com quatro desses cinco. Estão a agir como se fossem controlados por um deles. É por isso que está dizendo que Tagiru não pode fugir?

- Eu… - respondeu Hunter - Eu não posso lhe dizer, Kudou… Porque eu não faço a mínima idéia…!

- O que percebo é que eles não são exatamente nossos inimigos, - Taiki olhou seriamente para os outros dois humanos - mas sim vítimas. A única coisa que nos resta a fazer é saber o que está usando-os e qual o propósito de atacar os caçadores, e o que os leva a acreditar que a Digi-Quartz é a “Digital World” desse mundo.

- Sim, - concordou Hunter e Tagiru - mas como podemos fazer isso?

- Precisamos continuar a lutar… Huh?

Do nada, o ambiente tornou-se um fundo branco, onde Taiki estava sozinho -- Tagiru e o Hunter desapareceram, o mesmo se dizia dos digimons.

E então… O velho misterioso apareceu à sua frente.



[next]


Última edição por Daisuke Kaizaa em Sab Ago 16, 2014 1:42 am, editado 1 vez(es)

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AU Digimon Hunters

Mensagem por Convidado em Sab Ago 16, 2014 1:36 am

#12- Red General



Minutos atrás estivera com Tagiru e Mysterious Hunter, a enfrentar as sombras. Mas agora tudo mudou para um estranho sonho de um cenário branco e vazio.

E então, aparecera o mesmo misterioso relojoaleiro.


- Lamento em interrompê-lo, Kudou Taiki, - disse ele - Suponho que teve a sorte de sonhar com o mesmo sonho, não? Akashi Tagiru estava em apuros sozinho.

- Não me diga que você é o culpado pelos estranhos sonhos que o Tagiru está tendo…!

- Não os faço por diversão, muito menos por maldade, - o velho saiu a andar pelo vazio - Mas que outra forma poderia avisá-lo do que está por vir?

- Então você sabe de algo a mais… - Taiki o seguiu - Por que os lendários estão atrás de Tagiru e do Mysterious Hunter? E por que uma delas pareceu estar manipulando os seus companheiros?

- Você é inteligente demais, Kudou Taiki… - o velho Bagra parou, mas não se virou para Kudou - Impressionante como você percebe os mínimos detalhes. Talvez é uma benção que você tenha sido escolhido por Omegamon para se tornar o portador do Xros Loader Vermelho. Dos seis, ès o mais inteligente, e o estrategista.

- Dos seis? O que quer dizer com isso?


Enquanto Taiki tinha aquele sonho, Tagiru prosseguia agora em outro. Não tão diferente quando o anterior, mas aquela parte havia mudado para outra.

Taiki ficara para lutar contra as sombras, enquanto Tagiru e Mysterious Hunter tentavam escapar. Ele também notara que Hunter estava a praguejar sobre o velho, mas não pode comentar nem opinar, já que não tinha a mínima idéia de quem ele estava falando.

- O que devemos fazer agora? - perguntou Akashi ao Hunter - Fugir? Não disse que isso é inútil e que devêssemos lutar junto de Taiki-san?!

- Não agora, - respondeu-o - Precisamos da aliança Xros Heart Blue Flare para termos mais chances! X7 seria páreo para eles, além do Arresterdramon e o meu parceiro. Eles são muito fortes, já que são os lendários da Digital World!

- Lendários… Mas ainda não consigo compreender o que Taiki-san disse…

- Se eles estão a ser controlados por alguém, não terão piedade conosco… - Hunter suspirou - E pensar que jamais imaginei em presenciar algo assim.

- Mas, por que está com medo deles? E por que eles estariam atrás de você? Ou é porque você é um Digimon Hunter também?

Não era medo, e nem por ser um caçador. Mas Tagiru não conseguia compreender ou descobrir aquilo com tanta clareza (como Taiki poderia fazer, se estivesse ali). Mysterious Hunter ainda tinha algo a esconder, além de sua identidade.



- Taiki-san e Tagiru ainda estão dormindo… - Yuu suspirou, enquanto tomava um delicioso café da manhã com Kotone, que ficara noite passada em sua casa.

- Yuu-niichan você deveria se acalmar e curtir a vida! - ela disse aquilo como forma de consolo - Você é dois anos mais velho e age como se fosse realmente um velho!

- N-não é por isso, Kotone! - ele gaguejou - Você sabe que… Tagiru está me deixando preocupado por causa daquele sonho que ele teve.

- Que sonho? Sonhos não deveriam deixar os outros preocupados. São só fruto de nossa mente! Hoje sonhei que o Damemon era um pônei prateado e depois ele se transformou um robô de combate! Mas o Damemon ainda é um robozinho… Ei, o que é Chou Shinka? Falcomon não parava de falar nisso ontem depois da aula.

- É Super Evolução… Algo que evolui os Digimons… Parece que é o nome do poder dos corações humanos ou algo do tipo.

- Oooh!! Então é com o poder do meu coração que Falcomon evoluirá?! Que legal, espero que ele evolua para um robô de combate, que nem o Damemon no meu sonho!

- Kotone, não acha meio estranho ele evoluir pra isso? D-digo, o poder do coração dos humanos são as emoções… Não literalmente o seu coração. É uma forma figurativa de se dizer.

- Eu sei, tolinho! - ela deu um sorriso ao irmão, mas como se estivesse a caçoá-lo - O poder das minhas emoções o farão evoluir para algo tão maneiro e incrível que você irá se surpreender com o poder se sua irmãzinha mais nova. Posso parecer indefesa, mas aprendi artes marciais. Eu sei lutar!

- K-Kotone, não acha que está a exagerar?!


“Meu sonho fora dividido do de Tagiru… Por alguma razão, aquele velho não queria que eu continuasse a investigá-lo.”

“Também, ele estava certo sobre ter tido sorte de sonharmos com a mesma cena.”


- Sim, você é uma dessas lendas, - disse o relojoeiro.

- Mas…? Tagiru sonhou com seis sombras, uma delas nós já encontramos… Mas isso quer dizer que uma delas era eu?

- Não, estou dizendo que você é um dos seis lendários, e não que era uma das sombras do sonho, - ele continuou andando, com o baque a bengala a ecoar pelo local - E como eu disse, és o mais inteligente dos seis. Estrategista e detetive, percebe tudo ao seu redor e ainda consegue fazer excelentes suposições.

- Sou um dos seis lendários, mas o que isso tem a ver com o sonho de Tagiru? E por que esses lendários estão atrás dele?

- Não estão, - o velho olhou para Taiki - você e Golden Heart são os alvos. Akashi Tagiru é apenas um obstáculo para o sucesso. Se você e Golden Heart forem capturados, o fim dos mundos será concretizado.

- Golden Heart…? Está falando do Mysterious Hunter?

- Kudou Taiki, você é a sexta peça deste mistério. O lendário Red General, codinome King. As outras quatro peças já estão sob o poder do inimigo. Quanto ao Golden Heart…

- Peças… Então aquele “jogo” que mencionara antes era isso, não?

- Exatamente. E você é importante para o destino desde mundo, e talvez de outros.

De repente, o velho começou a desaparecer aos poucos, e Taiki sentiu-se tonto. Talvez estava prestes a acordar, mas antes ouviu o misterioso homem dizer:

- Agora que você sabe, permita-me pedir para que não interrompa o progresso de Akashi Tagiru. Só ele pode desvendar os mistérios reservados para ele., e sua ajuda talvez possa levá-lo para um caminho cujo não o trará força. Ele tem que se tornar forte para enfrentar os desafios que virão de agora em diante.


Os olhos de Taiki abriram se imediatamente, com o impulso de seu corpo a sentar na cama. Estava a suar frio, como acontecera na vez em que teve o sonho com uma armada de digimon.

Ao olhar para o lado, Tagiru estava sentado, olhando para o Xros Loader Carmesim. O garoto estava em silêncio, provavelmente pensativo.

- Tagiru? - chamou-o Taiki - Bom dia...?

- Taiki-san… - ele falou, mas sem desviar os olhos do aparelho - E se o Mysterious Hunter estiver em perigo… Assim como eu? E se as sombras querem atacar todos os caçadores porque eles pensam que a Digi-Quartz é a Digital World?

- Talvez seja exatamente isso, - Kudou olhou para seu próprio pés e ficou a refletir sobre o estranho sonho que tivera - mas e se não for? O sonho era seu, eu acabei entrando por sorte. Você é quem deve descobrir… E eu sei que você pode fazer isso.

- Eu sei, eu preciso enfrentar aquelas sombras… Mas preciso da aliança Xros Heart Blue Flare se queremos ter uma chance contra eles. Isto é, se aqueles lendários vierem mesmo a lutar contra mim.

- A aliança…?? - pensou Taiki - Então Tagiru não precisa só se mim, mas de Kiriha e Nene também…? Ele está falando do X7?


Outro dia, outra pessoa precisando de ajuda. Taiki, Yuu e Tagiru uniram-se ao clube de baseball, ao de basquete, ao de futebol, ao de artes… Ajudaram tantos grupos que Taiki desmaiara umas três vezes (por sorte, Akari estava com eles e o salvara), enquanto os outros dois estavam tão exaustos que mal sabiam o que fazer.

- Ah… Você me salvou de novo, Akari~ - disse Taiki, agora a deitar na grama e a olhar para o céu, descansando depois da longa tarefa que era em ajudar a todos.

- “Ah você me salvou de novo”... Não é o que eu quero ouvir! - disse ela, bufando - Taiki, até quando vai continuar a agir dessa forma?! Já não basta o que aconteceu antes?! E se alguém o enganar como o Apollomon fez?!

- Ele não vai ser enganado de novo, - comentou Yuu - porque ele aprendeu a lição.

- Parece mais que ele não aprendeu totalmente a lição, - contrariou Tagiru, rindo um pouco - mas Akari-san sempre está a salvá-lo. Seriam eles pombinhos?

- T-Tagiru!! - Taiki sentou-se na grama, sua face corada. Ele olhou para a Akari e viu que o resto dela também estava.

- Eles são amigos, só isso - Yuu socou a cabeça de Akashi, que grunhiu de dor.

- M-Mas eles dariam um belíssimo casal…! - murmurou Tagiru.

- A-Agora nós precisamos ajudar outro clube…! - Taiki levantou-se e apontou para o céu -  Ao de música…! S-Sim, Ishida não pode tocar sua guitarra com o braço quebrado e outros dois estão doentes! - ele puxou Tagiru e Yuu - A-Até mais Akari…!

- Ele não mudou nada - Hinomoto deu um longo suspiro.


O tempo passou, e os três decidiram-se reunir na quadra de basquete para treinar. Enquanto treinavam passe, uma sombra os observava; Taiki perdeu a concentração e olhou imediatamente para a grade, onde viu…

- Huh? Lance-san?

Tagiru estranhara a distração do mais velho e pôs-se a olhar para o mesmo lugar. Taiki e Yuu olharam-no, confusos.

- Ah, então é aqui que vocês treinam? - o estrangeiro loiro entrou na quadra, observando-na com admiração - Ela é bem bonita, não acham?

- Sim, - confirmou Tagiru - e esta aqui é nossa preferida. Foi aqui que o nosso time de basquete de rua começou.

- Interessante… - ele olhou para os outros dois a estranhá-lo.

- Ah! - Tagiru se colocou entre seus amigos e Lance - Este é Lance Goldheart, ele é um estudante de intercâmbio do Reino Unido, - e então olhou para Lance e indicou Kudou e Amano com sua mão - E estes são Kudou Taiki e Amano Yuu, são meus amigos e parceiros de equipe.

- Prazer em conhecê-los, - disse Lance com um sorriso.

- Igualmente - disseram Taiki e Yuu.


Enquanto isso, Akari foi ao mercado fazer suas compras diárias. Ela estranhamente percebeu uma anomalia pelo cenário, mas não tinha certeza disso ou se era apenas sua imaginação. Ao ir para o caixa, algo inesperado aconteceu:

Um ticket apareceu no meio de suas compras, mas ela não percebeu no momento.

Quem havia implantado aquilo? Ainda estava lá, a observar Akari deixar o estabelecimento como se nada tivesse acontecido.



- Golden Heart… - Taiki estava a refletir sobre o sonho, enquanto voltava para casa - Aquele estranho homem mencionou esse nome… Será que ele estava a falar do Mysterious Hunter? Mas por que ele esconderia sua verdadeira identidade de nós? E, se eu for mesmo um lendário…

- Eu acho que já descobri, - Kudou pegou o Xros Loader do bolso e olhou-o - Mas não posso facilitar nada ao Tagiru, como o homem velho disse. Se o Mysterious Hunter for mesmo um lendário também, ele deve estar tentando se aproximar de mim. Ao menos é o que eu faria, caso fosse a minha situação.

- “Você acha que o Mysterious Hunter é um dos lendários da Digital World, Taiki?” - perguntou Shoutmon.

- Você sabe algo, Shoutmon…? - Taiki franziu a sobrancelha.

- “Você nunca perguntou… Mas o que eu posso lhe dizer, é uma lenda antiga sobre outros humanos que salvaram a Digital World antes. Mas não a nossa, talvez outras extensões.”

- Eu tive um sonho onde aquele homem misterioso disse que eu era uma das lendas, que meu nome era Red General, codinome: King. Ouviu falar disso antes, Shoutmon?

- “Bem… Você é uma lenda, mas foi depois da queda do império Bagra. Ouvi dizer que a database da Digital World atualiza toda vez que um novo herói surge, e a última atualização, pelo que me dizem o povo, foi sobre a Xros Heart.”

- Então isso significa que nós somos os heróis recentes… E quanto a alguém chamado… Golden Heart?

- “Golden Heart…”

- Taiki!!

Uma voz chamou-o, interrompendo a conversa; Taiki olhou para o lado e viu Akari se aproximando com algo em sua mão. Ela parecia estar feliz, mas ele não podia ter tanta certeza.
O que poderia ter acontecido para ter deixado-a assim?

- Olha o que eu recebi! - ela tirou algo de seu bolso, mostrando dois pedaços de papel. Taiki não tinha muita idéia do que dizer, mas conseguiu ler seu nome nos dois bilhetes - Não sei como eles vieram parar na minha sacola de compras, mas são bilhetes para aquele restaurante moderno e caríssimo! E eles estão com o seu nome nele! São entradas vip!

- A-Akari, não acha isso meio… Suspeito? - Kudou piscou os olhos rapidamente, mas a empolgação de Akari parecia ter cegado-a sobre aquele detalhe.

- Suspeito?! - ela bufou de raiva - Não tem como ser algo suspeito quando se trata de um restaurante chic e famoso de Koto! Mas não entendo… Por que dois convites? - ela voltou-se para os bilhetes em sua mão - Mas eu achei-os e então nós dois iremos juntos, certo?

- Akari… - Taiki suspirou.

- Nós iremos esta noite e espero que vista-se adequadamente - ela virou-se de costas e saiu andando, ainda olhando para os bilhetes. Taiki continuou em total silêncio, ainda

- “Taiki?”

- Ah! O que, Shoutmon?? - ele voltou sua atenção ao Xros Loader - C-Como íamos dizendo, você sabe algo sobre o lendário Golden Heart?

- “... Não sei como explicar isso, mas sim.” - a imagem de Shoutmon no ecrã aniuiu a cabeça - “Golden Heart é um herói de outra extensão, na qual possui dois lendários -- ele e alguém chamado Burning Courage.”

- Burning Courage?

- “Diz as lendas que estes dois possuem uma forte ligação entre um e outro. Mas, como estamos a falar do Golden Heart, este foi um herói cujo perdoou um inimigo e até tornaram-se amigos. O nome ‘Golden Heart’ está associado ao fato dele ter tido um coração solidário e nobre, além de outro fato que é similar ao Digixros. Além disso, este também é conhecido por ter uma derterminação ardente, capaz de tornar o impossível possível.”

- Parece que Golden Heart é, de fato, um grande herói.

- “Sim, e todos os lendários são grande heróis. Mas, quando ouvi falar das lendas… Achei que você tinha um pouco de cada um deles.”

- Você acha é?



- EU JÁ NÃO TE DISSE QUE NÃO ACEITO QUE NINGUÉM SE VISTA DESSA FORMA DENTRO DESTA CASA?!

Outra vez Lilith perdera a paciência ao ver Hunter chegando nos aposentos de Bagra. Ele suspirou, removeu o capuz, goggles e o lenço; ela só não o acertou por que o garoto chamado Hideaki a empurrou para o outro cômodo da casa.

- Não entendo essa mulher, - disse Hunter, com um longo suspiro - Principalmente quando estou a checar a Digi-Quartz para o velho.

- Está de volta? - Bagra apareceu no canto da sala, parando ao lado do sofa onde o homem robusto (o mesmo que comia jóias) estava a ler uma revista.

- Sim, e não achei nada, - ele moveu-se até o sofá e atirou-se nele - nenhum sinal dos lendários. Ah, Kudou, Amano e Akashi estão todos seguros também… Espero.

- Suponho que não queiram levantar suspeitas, - o velho batucou a bengala no piso - Talvez estejam atrás você você primeiro.

- Não pensei que iria me tornar uma celebridade aos 19, - ele suspirou de novo, colocando o Xros Loader na mesinha de centro.

- “Ao menos nesta dimensão, não é?” - o misterioso digimon do Xros Loader provocou-o.

- Ah, cale a boca! - Hunter deu um olhar mortífero para o aparelho - Ao menos eu estou fazendo algo ao invés de ficar dentro do Xros Loader tirando sarro dos outros!

- “Não foi VOCÊ quem perdeu sua habilidade de evoluir!” - o digimon bufou de raiva.

- Na verdade, - o velho interrompeu-os - você pode sim evoluir, mas vocês tem que descobrir isso por vocês mesmos. O que impede o poder sagrado da evolução é algo que vocês ainda não perceberam.

- “Eu posso evoluir?!” - o digimon disse, atônito.

- Ele pode evoluir?! - Mysterious Hunter ficou surpreso - Mas como que diabos ele pode evoluir se eu tentei inúmeras vezes e nada aconteceu?!

- A forma de evolução do seu mundo não se aplica às leis deste, - respondeu o rejoloeiro - Vocês precisam entender isto primeiro para que possam descobrir a forma em que a evolução funciona neste mundo.

- Tem a ver com aquela… - Mysterious Hunter ficou pensativo - Aquela forma em que Kudou e Akashi evoluem os parceiros deles, não é?

- “Eles dizem… ‘Chou Shinka’, não? Talvez seja por isso que nós não podemos evoluir…?”

- Vocês precisam se adaptar com as regras primeiro, - continuou Bagra - para que depois possam fazer com que tudo flua naturalmente.

- Mas nós não temos tempo para isso! - o jovem levantou-se do sofá - Se você diz que o irnimigo está com os lendários--

- Tudo tem seu tempo, - o homem saiu da sala, com o baque da bengala a ecoar pelo local - e você precisa aprender a ser mais paciente.

- “Tudo tem seu tempo” uma ova! - resmungou Mysterious Hunter - Precisamos disso para agora, já que preciso encontrá-lo…



Taiki estava com um palitó laranja por cima de sua camisa, e a espera de Akari do lado de fora de um prédio moderno e de três andares; o prédio era branco e luxuoso, com uma aparência bem bonita. Kudou checou o relógio mais uma vez, e também continuou a pensar na conversa que tivera com Shoutmon.

Mas ainda o intrigava o motivo de Mysterious Hunter, ou Golden Heart, estar sendo perseguido pelas tais sombras. Ao menos ele tinha certeza que os lendários do sonho de Tagiru estavam a agir de uma forma estranha.

E quanto ao líder do grupo de silhuetas? Por que estaria a controlá-las?

- Desculpe a demora! - a voz de Akari interrompeu sua linha de raciocínio, fazendo com que ele olhasse para ela. A garota trajava um vestido laranja claro com detalhes em rosa, e carregava uma pequena bolsa - Quase perdi os bilhetes graças aos meus irmãos! Mas ainda bem que eu os achei…!

- Akari? - a face de Taiki corou imediatamente perante a beleza da amiga - E-está diferente…

- Diferente? - ela franziu a sobrancelha - O que você quer dizer com isso?!

- E-Está bonita… I-Isso! Uh… Bem, v-vamos? - ele demonstrava um pouco de medo dela entender aquilo como uma ofensa.



- Eles estão tendo um encontro!! - Tagiru seguira Taiki e escondera-se, observando-os entrar no prédio - Que lindo, não? - ele riu.

- “Não acha que está a invadir a privacidade do Taiki?” - comentou Gumdramon.

- Não estou, já que estou aqui fora e não lá dentro, - Tagiru deu de ombros.

- “Mesmo assim, isso é errado…!”

- Oras, eles não me viram - Tagiru olhou para os lados - E ninguém veio atrás de mim!! Então--

De repente, um grito fez com que Tagiru calasse em minutos. A voz era familiar, mas isto fez com que tudo se tornasse mais estranho possível. Quem gritara fora Akari.

Tagiru não conseguiu se segurar e imediatamente correu até a entrada do prédio. O luxuoso restaurante de repente estava com as portas trancadas e quase nenhuma pessoa parecia estar lá dentro… Mas ele podia ter certeza que tinha visto seus amigos entrarem, além de outras pessoas.

Ele bateu no vidro, tentando ver se alguém o respondia, mas foi esforço em vão. Então ele ouviu algo se aproximando; uma mão tocou em seu ombro, fazendo com que Akashi olhasse para o sujeito. Mysterious Hunter estava ali, ao seu lado.

- Vá para a Digi-Quartz, - disse este - não vai conseguir entrar por aqui.

- M-mas por quê?! - Tagiru exclamou - Não está querendo dizer que há um digimon por trás disto…?!

- Bingo, - ele pegou o Xros Loader do bolso e apontou para um canto - Time Shift!

Ao acessarem a Digi-Quartz, Hunter e Tagiru perceberam que o prédio agora estava aberto e em péssimo estado; Mysterious Hunter chamou Lighdramon e entrou, enquanto Tagiru continuou ali fora… Até ser puxado pelo jovem misterioso.

- Meu parceiro detectou um digimon neste prédio - o misterioso caçador explicou - e seria gentil de sua parte se você cooperasse. Aliás, onde está Kudou e o loiro?

- Taiki-san entrou neste prédio com a Akari-san, uma amiga nossa - respondeu Tagiru.

- Meu, até quando vou ter que bancar a babá de vocês?!

- Ninguém te pediu para ser a nossa babá! - Tagiru bufou, tapeando a mão do Hunter, que segurava-o pelo braço.

- Que seja…! - este deu de ombros - Precisamos resolver isso agora ou as coisas podem se agravar. Oi, Lighdramon, já conseguiu farejar o digimon?

Lighdramon sacudiu a cabeça negativamente, e continuou a vasculhar o local.


Enquanto isso, Taiki e Akari estavam em uma sala estranha no terceiro andar, onde estava repleta de pessoas famosas e importantes, congeladas como se fossem estátuas. Akari agarrou-se em Taiki, fazendo-o corar mais uma vez.

Havia um lugar vazio e onde lia-se o nome de Taiki em um pedestal.

- O que diabos…

- Ora ora, - disse uma voz ao fundo da sala - o grandioso Red General finalmente está aqui para completar a minha coleção de estrelas!

- Mas o que…?! - Akari e Taiki olharam para trás, encontrando uma silhueta que parecia ser um Starmon, só que com braços e pernas.



- Ei, Mysterious Hunter… - Tagiru chamou-o depois de algumas horas em que eles procuravam por alguma pista - Eu sei que vai parecer estranho, mas eu queria lhe perguntar uma coisa.

- Ok, diga… Contanto que seja algo de importância.

- Bem, eu tive um sonho em que você disse “eles virão atrás de mim”, e que eu tinha de me aliar com Taiki-san… Eu queria saber por que você está sendo perseguido.

- Perseguido? - ele franziu a sobrancelha por trás das goggles - Do que você está falando?

- “Oh, parece que alguém já sacou alguma coisa huh?” - comentou o digimon do Xros Loader Azul Céu - “Não é, Mysterious Hunter?”

- Saquei o quê?? - interrogou Tagiru.

- Cale a boca e continue quieto na sua - Hunter gritou com o aparelho, enquanto tentava ignorar Tagiru - Como que Akashi descobriu isso, se ele mal sabe quem eu sou?! - pensou.



- Quem é você?! - Taiki vociferou, ainda com Akari abraçando-o.

- Eu sou o colecionador de estrelas, o grande Super Starmon! - o digimon aproximou-se mais e então Taiki percebeu que sua formas era idêntica à de Starmon, porém este possuía pernas e braços.

- C-Colecionador…?? - Akari apertou a cintura de Taiki, como se ela estivesse a temer perdê-lo.

- Exatamente, humana. Kudou Taiki é uma estrela e eu preciso dele em minha coleção, - o digimon estrela parou diante dos dois - você não é importante, então…

- Como ousa capturar celebridades famosas e transformá-las em estátuas?! - Taiki fechou seu punho, ele estava com um pouco de raiva daquele sujeito - Não posso permitir que você continue a fazer isso!

- Pois bem, Kudou Taiki, - o digimon arrumou seus óculos de sol - esperava uma reação como esta. Por isso me preparei para um possível confronto, e veio a propor uma aposta. Se conseguir me capturar, prometo soltar todos estes humanos. Caso eu consiga escapar deste prédio, você e sua amiga humana se tornarão parte da minha coleção.

- E agora, Taiki?? - perguntou uma Akari assustada - Não vai confiar em um digimon como este ou vai?! Ele não me parece de confiança!

- Não temos outra escolha... - Taiki aniuiu com a cabeça e então voltou-se ao digimon - Está bem, Super Starmon. Eu aceito sua proposta.

- N-não, Taiki…!!



- Esse prédio parecia menor visto do lado de fora - comentou Tagiru, mas Mysterious Hunter não respondeu-o - estamos andando por horas! Aonde está o digimon?

- Por aqui, - Lighdramon indicou com seu focinho - mas o cheiro está a mover-se com muita rapidez.

- “Yeah, e a presença do digimon também está bem distante desse local,” - disse o misterioso digimon do Xros Loader - “Talvez devêssemos olhar nos dois andares acima."

- Mas antes precisamos verificar se Kudou está por aqui, - Hunter levou a mão ao queixo - já que ele deve ter se tornado vítima desse digimon… Ouviu falar nos casos recentes, Akashi?

- Recentes…? - Tagiru olhou-o com uma certa curiosidade.

- Há casos de celebridades que desapareceram sem deixar rastros, - contou ele - as autoridades não têm pista alguma e eles acham que há uma ligação entre os casos. Mas por que um garoto do ginásio seria alvo…?

- Vai ver porque Taiki-san é famoso em Koto por sempre estar ajudando todo mundo, - disse Tagiru - alguns até o chamam de prodígio…

- Talvez seja por outra razão, - murmurou o jovem misterioso - bem que o velho avisou… Preciso ter mais cuidado…!

- Vai ver eu estive tão preocupado com aqueles sonhos que mal percebi o que anda acontecendo no mundo real…

- O sonho em que eu lhe disse que estou a ser perseguido por alguém? - perguntou ele - Não sei por que diabos você está preocupado com isso, mas não há ninguém atrás de mim. Acho que seria melhor se você se concentrasse no que está acontecendo no agora.

- Sim… Ah? Acho que ouvi algo vindo do segundo andar…!

Tagiru ouvira o som de algo colidindo com o chão, como se fosse um objeto metálico a ser derrubado. Na realidade, foi Shoutmon a acertar Super Starmon com o tripé de microfone; Super Starmon levantou-se imediatamente e contra atacou com uma invocação de meteoritos, atirando-os contra o Digimon King.

Mas aquilo não era o suficiente para pará-lo. Shoutmon rebateu os meteoritos para proteger ele, Taiki e Akari; Shoutmon continuou a perseguir o digimon estrela, enquanto Taiki planejava um método de encurralar e capturar Super Starmon.

- Taiki… - Akari segudou o braço de Taiki com força - Estou com medo de não termos chance contra esse digimon…! Ele é rápido! Deveríamos fugir daqui e chamar Yuu e Tagiru para ajudar-nos!

- Não posso deixar que estas pessoas continuem aqui!

- Eu sei, mas…

- Taiki-senpai!! - Tagiru chamou-o ao longe - Taiki-senpai!!

- Tagiru?! - exclamaram os dois.

- Oh, então o digimon que está a causar confusão é este? - Mysterious Hunter olhou para Super Starmon - Melhor você parar com isso ou irá nos forçar a te capturar.

- Mais convidados…? - Super Starmon parou e olhou para os outros dois humanos que apareceram - Essas goggles me lembram aguém… Seria você um dos seis lendários da Digital World?

Hunter não respondeu, apenas apontou para o inimigo e ordenou Lighdramon que o atacasse. O digimon de armadura negra avançou a toda velocidade, disparando faíscas azuis contra o digimon, paralizando-o.

- Ei, esse digimon devia ser capturado pelo Taiki-san! - protestou Tagiru.

- Eu não posso capturar digimons - falou Kudou, colocando a mão no ombro do mais novo - Não me importo com isso.

- M-Mas…?! - Super Starmon tentou mover-se, mas não conseguia. Ele então tentou invocar meteoros, mas também fora uma tentativa em vão.

- Não adianta, - Mysterious Hunter colocou as mãos no quadril e encarou o digimon - Lighdramon pode paralisar inimigos por um certo tempo. Você vai ser capturado agora mesmo…!

Um cubo holográfico surgiu do Xros Loader Azul Céu, e então a imagem de Super Starmon apareceu em alguns instantes; após a captura do digimon, os quatro saíram do prédio.

- Ah… Mas eu queria comer… - Akari estava a choramingar sobre comida, enquanto os rapazes observavam as celebridades a sair do restaurante.

- Lamento por terem o encontro de vocês arruinado por um digimon, - Hunter tentou consolá-la; Taiki corou ao ouvir a palavra “encontro”.

- Bem… Eu posso cozinhar algo para vocês! - Tagiru ofereceu-se - Qualquer coisa que queiram, mas acho que o Taiki-senpai adoraria cozinhar para a namorada dele.

- T-Tagiru!! - tanto Taiki quanto Akari coraram ao ouvir aquilo.

- Bom, o caso foi resolvido... - Hunter tentou mudar de assunto - Agora irei deixá-los a sós - ele puxou Tagiru pelo braço e deixou os outros dois sozinhos.

- M-Mas…!!

- Shh, não estraga o clima entre eles - sussurrou Mysterious Hunter.



[next]


Última edição por Daisuke Kaizaa em Qui Ago 21, 2014 1:16 am, editado 1 vez(es)

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: AU Digimon Hunters

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 3 Anterior  1, 2, 3  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum