Últimos assuntos
Parceiros








Fórum AG


"aquilo que vocês imaginavam que NUNCA sairia das mãos desta fan maluca"

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

"aquilo que vocês imaginavam que NUNCA sairia das mãos desta fan maluca"

Mensagem por Convidado em Dom Jul 29, 2012 2:02 pm

Ignorem typos, digitando direto no fórum. (O nome da fic nem sei, uma hora decido)

Personagens: Daisuke, Hikari (+ Ken, Miyako, Taichi)
Base: Após ZeroTwo
Tema: Comédia, Daikari (com toques de Daiken, Taisuke e Daiyako pq quero)
Classificação: K
Nº de capítulos: ?? (possivelmente 4 ou 5)




(Inicialmente começando com o POV de alguém...)

E a cada tempo que se passava, ficava mais na cara a verdade.
Se eu não acreditasse, poderia dizer que era só mais um caso de paixonite da adolescência...

Mas...

- Qual o problema comigo?! Todas as vezes que...
- Deveria controlar-se. E parar de comer todos os biscoitos que minha mãe fez. (Quase não peguei algum, seu guloso!)
- Desculpe...! Mas, como estava dizendo...

- Daisuke... Esquece ela - suspirei, enquanto lia e relia as anotações que tinha feito no bloco de notas - Se tentaste várias vezes... Significa que não há chances dessa relação trazer resultados positivos.

- Desistir... - um olhar feroz atravessou o quarto como uma flecha em chamas, e --BANG-- acertou-me em cheio com sua fúria - ICHIJOUJI!!

Sempre que Daisuke me chamava por "Ichijouji", vinha em seguida um bombardeio de palavras e um ataque perigoso vindo de seu espírito forte e teimoso... Dai-me paciência nessas horas!!

- Você deveria entender meus sentimentos! O quanto ela é importante para mim!! O quanto temi pela morte dela naquela vez que Vamdemon e seus subordinados sequestraram todas as crianças em Odaiba! Aquela garota, a Hikari-chan, é importante demais para mim!!

... Esqueci de mencionar o drama constrangedor que ele usava como uma jogada estratégica.

- Ichijouji Ken. Você faz idéia de quanto eu sofro por não receber essa... Essa chance dela?! Sendo ameaçado pelo "Takeru-kun" - imitou o tom da Yagami e até fez uma careta afeminada - e sua atração genealealogica por parte do Yamato-san?! - voltou a falar normalmente.

- É "Genealógica" - corrigi-o - Daisuke... - suspirei mais uma vez, tentando acalmar-me - Primeiro, antes de tudo, controle-se - pedi educadamente, apesar dele ter sido 'pouco" grosso comigo ao pronunciar aquele "omae" com mais força do que o normal.

- Cara. EU NÃO SUPORTO MAIS ISSO!! - berrou alto, creio que a vizinhança inteira ouviu aquilo.

- Com gritos não vai ganhar nada, muito menos conquistará dama alguma nesse mundo! - vociferei, não suportando mais aquele drama todo.

- Ah. - grunhiu ele, pouco choroso - Eu perdi o controle de minhas emoções... D-Digo, não consigo falar com ela sem que... Sem que me doa! Somos amigos, mas dá uma dor, uma agonia! Sabe que... Por ela eu faria de tudo... Só para torná-la feliz e manter aquele sorriso radiante em seu rosto.

- Tem certeza de que não é uma simples paixonite? - indaguei-o a pensar e refletir sobre aqueles sentimentos.

- Ken, o que sinto por ela é mais forte do que a minha amizade com ela! Sempre que a vejo, que ouço sua vos, algo em mim me deixa tonto, esquisito...

- ... E bem fora de si, a ponto de parecer sofrer mesmo de paixonite...
- Eh?! O que você disse?!
- N-nada!

Calei-me por alguns segundos. Daisuke olhou-me outra vez, agora meio confuso sobre aquele comentário que deixei escapar. Mas no fundo deu pra perceber que ele entendia o que tinha dito. O Motomiya-kun parece ser idiota, mas no fundo é bem... Esperto.
Ele esperava alguma conclusão sobre nossa "consulta". Eis que dei outra lida no que anotei e olhei por cima do bloco de notas, deixando-o curioso sobre o que diria ou faria.

- Não sei se deveria diagnosticar seu caso como "paixonite" ou "amor não-compreendido", mas, em todo caso, se eu disser para desistir dela, é capaz de eu receber em troca um prato de biscoitos na cara (E não duvido, pois aquele olhar já foi um aviso para evitar certas palavras), então o máximo que posso aconselhar é que seja sincero com a Hikari-san e mostre que isso que sente não é uma paixonite, mas sim um sentimento profundo que você nutre por ela por muito tempo.

- Sério, Ken?! - Daisuke sorriu, e até percebi uma lágrima escorrer de seus olhos - V-você acha que eu deveria dizer isso a ela?!

- Se não for uma paixonite... - resolvi simplificar meu diagnóstico - Vá em frente e diga a ela. Mas não exagere, se exagerar é capaz dela entender como uma... Paixonite.

- Keeeeeeeeeeeeeeen... O-Ore... O-Obrigado!!

Subitamente um Motomiya sorridente levantou-se da minha cama (onde estava deitado a la aquelas consultas de psicólogo) e me abraçou com força. Mas aquela força foi diferente das demais... Impressão minha ou o "amor pela Hikari-san" faz com que o Daisuke às vezes fique mais forte/resistente?!

- M-Motomiya... Está me sufocando...!
- Ah, desculpe!! - soltou-me e reverenciou umas três vezes.

Em seguida ele pegou Chibimon da sala, onde estava com o Wormmon conversando, e voltou para casa. Digamos que sorri por ter sido útil naquela situação... Mesmo sabendo que o Daisuke não ligaria tanto para qualquer "não" que recebesse. Aquela teimosia que o fazia provar para todos que quase nada era impossível.

- ... Ele acabou comendo todos os biscoitos e não deixou nenhum pra mim...!

... Ou às vezes essas "crises emocionais" o fazia agir feito as garotas dramáticas da escola.
Espero que, ao menos uma vez, ele me dê ouvidos e não saia fazendo nada estúpido e que estrague suas chances com a Hikari-san.

-------------------------------------------------------------

Uma porta bateu levemente. A garota, que sentava no sofá e assistia algum Dorama, virou-se em direção da porta de entrada do apartamento e olhou o indivíduo. E ele, já sabendo o que viria logo depois, saiu antecipando:

- Estava na casa do Ichijouji, e por favor, não venha com sermões por causa da hora... O trânsito está um caos! Tive de andar duas quadras a mais para conseguir alcançar aquele ônibus!

-Sem desculpas, Daisuke! - uma Jun ferozmente saltou direto para o ataque - Enquanto nossos pais estiverem visitando nossos tios, estou encarregada de cuidar da casa - levantou-se e encostou seu indicador direito no nariz do rapaz. A outra mão ficava na cintura e inclinava-se um pouco para ficar mais próximo da altura do irmão - E principalmente de você, seu encrenqueiro.

- Oi. Jun-neesan, eu não sou mais uma criança de cinco anos que precisa de uma babá! - retrucou o mais novo - E os nossos pais não disseram isso, ok? Aliás, por que você NÃO foi junto, como havia dito na sexta passada?

- É que... - ela recuou, uniu as mãos e colou-as no lado do rosto - Os Teenage Wolves iria tocar amanhã e... E...
- Ok, ok... Já entendi - suspirou Daisuke - É por causa do Yamato-san, não é?
- Yamato-kun? - ela olhou-o pelo canto do olho - Não, é pelo guitarrista da banda. Yamato não tem mais graça pra mim.
- D-Desistiu do... Y-Yamato-san?! - o goggle boy saltou um pouco para trás.
- Sim, aquele loiro idiota não sabe como tratar uma dama! - dramatizou a cena - Ele não merece meu amor.

Aproveitando-se que ela havia fechado os olhos e iniciado uma "novela", Daisuke entrou de fininho em seu quarto e trancou a porta para que Jun não entrasse e fizesse o costumeiro movimento de desligar o video-game ou de lhe dar um tapa na cara só por não ouvir aquela choradeira toda.

- Dai-chan... Não acha que... A Jun parecia você minutos atrás? - comentou inocentemente o dragãozinho azul.
- N-Não me compare com ela! Ao menos eu sei quando estou incomodando a Hikari-chan!
- Não... Mas na casa do Ken, aquele escarcéu todo...
- Não tenho culpa que ela e eu herdamos um pouco daquele gênio "fangirl" da nossa mãe! - resmungou - E eu nem ligo pra isso, ser fangirl, fanboy ou não... Depende o nível de seu "vício"... Certo?

Chibimon saltou de seus braços para o chão, colocou uma patinha para trás das costas, outra na boca. Ficou em uma posição totalmente similar ao diretor da escola quando iria comunicar algo nas salas.

- *ahem* Daisuke... Acho que o seu problema está mesmo nessa sua "paixonite" pela Hikari. Eu entendo como é não ser correspondido, já que a Tailmon é um digimon adulto e eu só uma criança, mas isso não significa que...

- Oi. Chibimon, não venha me convencer de que o que sinto pela Hikari-chan é o mesmo que minha irmã sente pelo Yamato e por outros caras! É diferente. Eu e ela... Ela e eu...! Não dá! Simplesmente é diferente!! Se fosse paixonite uma hora teria se esgotado! Não, é algo mais forte sim... Eu gosto dela! Só que... - desanimou um pouco, sentou-se no chão e começou a fazer círculos com o indicador no piso - ela não percebe isso e acha que é piada ou, como o Ken disse, paixonite por ela...

- Mas de tantas tentativas... - o pequenino aproximou-se dele - Ainda não percebeu o que está fazendo de errado?!

O menino ficou em silêncio. Lembrou-se das inúmeras vezes que a convidou para fazer algo a sós, mas só ouvia:

"Hoje não posso, desculpe Daisuke-kun!"
"Estou ocupada, preciso terminar meu trabalho para a escola!! Desculpe-me!"
"Combinei de sair com a Sora-san e Miyako-san hoje, desculpe-me Daisuke-kun."
"Preciso ajudar o oniichan a organizar o quarto dele... -- H-Hikari eu ouvi isso!! -- Desculpe...!"

E entre outras...

- Certamente ela quer me evitar... - choramingou, deitou-se delicadamente no chão e fitou o teto - Chibimon... Acho que a Hikari-chan passou a me odiar e esqueceu que...

- Pode parar por aí! - contestou Vee - Se fosse verdade, então por que ela te enviou aquela mensagem ontem?!
- Pra dizer que não poderia dar um passeio comigo no parque por ter combinado de sair com as garotas... - respondeu-o, um pouco ranzinza.
- Ahn... Ok... Mas ela fala contigo normalmente, não fala?
- Sim, mas sempre que proponho de fazermos algo juntos, ela parece me evitar...!

O pequenino piscou os olhos rapidamente, fez a volta e olhou como o parceiro ficava tão tristonho e agoniado com aquilo. Óbvio que não era um daqueles casos de paixonite... A verdade era que, o tal duvidoso "amor" do goggle boy parecia ter evoluido para algo mais forte.

- Daisuke, não acha que deveria ir falar com ela...?
- M-Mas?! - levantou-se imediatamente e fitou o parceiro digimon - Justo agora?! A esta hora?!
- São apenas 7:25 da noite, é errado aparecer na casa dela a essa hora...?
- Não, mas... E se ela estiver ocupada e não puder me ouvir?
- Mas... Tente! Vai desistir tão facilmente e deixar de ser aquele Daisuke que eu sempre admirei?!
- E-eh?! Não... Mas...!
- Chega de "mas", Dai! Vá logo e faça isso...! - teimou o azulzinho - O Daisuke não iria desistir, nem pensar que a Hikari o odeia! Ele continuaria tentando...! Então, vai lá! - encarou-o.
- Chibimon... - ficou a trocar de olhares com o digimon por alguns segundos, em seguida sorriu, levantou-se e pegou o parceiro do chão - Yosh. Izu ke, Chibimon.

-------------------------------------------------------------

[next]


Última edição por Daisuke Kaizaa em Sab Ago 04, 2012 2:40 am, editado 2 vez(es)

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: "aquilo que vocês imaginavam que NUNCA sairia das mãos desta fan maluca"

Mensagem por Takuya em Dom Jul 29, 2012 2:32 pm

Ouch, isso é um Daikari? Enfim, eu dei uma lida, bem-escrita e tudo, os personagens me parecem razoavelmente 'in character', a narrativa flui bem, mas não achei o enredo em si muito atrante (Daisuke corre atrás da Hikari pra se declarar, e...). Enfim, faz tempo que eu não ando com ânimo pra coisas românticas, então deve ser por isso que acabei não curtindo muito mesmo :p
avatar
Takuya
Administrador
Administrador

Comportamento : 100%
Masculino Mensagens : 3531
Data de inscrição : 01/08/2011
Idade : 27
Localização : Spiral Mountain
Mensagem Pessoal : I saw the end of an era with my own eyes. And in truth, I actually do know that it's my turn next.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: "aquilo que vocês imaginavam que NUNCA sairia das mãos desta fan maluca"

Mensagem por Convidado em Dom Jul 29, 2012 6:37 pm

Xiu, senhor num viu nada ainda u.u;




[previous]

-------------------------------------------------------------

Estava prestes a ~finalmente~ conseguir ter um jantar calmo com minha irmã (depois de quase o Agumon comer toda a comida da geladeira...), ouvi o som da campainha e de alguém bater na porta. Quase que solto um resmungo, se não fosse pela Hikari olhar para mim e pedir para que fosse atender a porta. (Grande dia pros meus pais decidirem terem um momento a sós...)

Quando abri a porta, implorando que NÃO fosse mais encrenca...

- Taichi-senpai! B-Boa noite...!

... Fiz algo de errado pra merecer ficar sem jantar?!

- Boa noite, Daisuke - cumprimentei-o, meio lento devido a minha fome.
- Senpai... S-sei que não é uma boa hora para vir até a sua casa, mas... Posso falar com a Hikari-chan?
- Não dá pra ser amanhã ou mais tarde...? Não que esteja sendo um incômodo, mas estávamos jantando.
- A essa hora...?
- Ué, ela ficou com fome e perguntou se poderíamos fazer o jantar. E o Agumon quase acabou destruindo nossa dispensa...
- Taichi-senpai - ele olhou para os lados, depois voltou-se para mim - Por favor...!
- Daisuke, diz logo que eu repasso o recado... Minha barriga tá roncando já!

Foi aí que ele fez algo que, se eu não estiver me esquecendo, nunca tinha visto na vida. Ele aproximou-se de mim e falou algo.
Mas a forma com que ele falou esse algo, parecia ser "outro" Daisuke. O que diabos deu nele?!

- Senpai, peço desculpas por te incomodar a esta hora, mas preciso urgentemente falar sobre um peculiar assunto com a Hikari-chan. Então, se não se importar, poderia dizer a ela para me ligar daqui a algumas horas?

- Quê?! Que linguagem foi essa, cara?! - exclamei, afastando-me dele.
- Acho que ele levou à sério o conselho do Ken - explicou o Chibimon.
- Conselho...??

- Aaah, qual o problema se eu falo assim ou não?! - agora o Daisuke falou como ele sempre falava - Droga, eu só quero... Só quero mostrar que não é uma paixonite idiota!

- Entendi o tal "assunto peculiar" - ri, esqueci que uma das poucas coisas que faria o Daisuke vir aqui a essa hora era ou para combinar um treino ouuuuuu... Paquerar minha irmãzinha.

- Taichi-senpai...!! Eu gosto dela de verdade! Desde muito tempo, lembra?! Desde que tinha uns oito anos! Gosto da forma dela ser, dela agir, dela falar... E-eu amo a Hikari-chan!! - e soltou um turbilhão de elogios e palavras sobre ela.

- Se lembro... - acenei a cabeça - Às vezes parecia ser uma...
- Não é! - interrompeu minha frase - Se fosse, já teria acabado! Continuou desde os dez, onze, doze... Agora tenho uns quinze e... Eu continuo!
- Olha, você sabe que eu não decido nada... Só dou minha opinião e mais nada. Agora quem decide isso é ela.
- S-senpai... - Daisuke abaixou a cabeça e ficou a cutucar os indicadores - Você acha que... Eu seria um bom pretendente pra sua irmãzinha...?

Vocês sabem que... Não tenho nada contra o Daisuke, até seria interessante se acontecesse dele fazer parte da nossa família...
Mas, como disse, quem decide é ela, não eu. Anos atrás até que poderia sim influenciar na escolha... Só que agora a Hikari não se importava lá tanto com isso...

- É, até que dava... - ri outra vez, e recebi um olhar de indignação do meu kouhai.
- "Até"?! M-Mas...! O que eu tenho que ele não tem?!
- "Ele"? - não compreendi aquela frase - Ei, pega leve, Daisuke... Tou brincando, você é um cara legal.
- Ele, Takeru. - ignorou-me - O que ele tem que eu NÃO tenho?!
- Ah não, de novo essa pergunta... - Chibimon e eu suspiramos juntos, aquela tradicional frase indignada do Daisuke demorou pra pipocar na conversa.

- Oniichan? O jantar vai esfriar... - subitamente uma Hikari apareceu na cena. E o Daisuke ali ficou mais nervoso que o Jyou em época de exames na escola.

- B-Boa noite Hi-Hikari-chan...! - gaguejou ele, me fazendo lembrar mesmo o Jyou em época de exames.
- Daisuke-kun...? - ela olhou-o meio surpresa - Boa noite... Desejas algo?
- Queria falar contigo! - respondeu-a, com bastante firmeza e polidez. (Não me perguntem, estou tentando compreender se o Pico Devimon injetou alguma coisa nele ou sei lá...!)

- Comigo...? - ela piscou os olhos rapidamente, confusa. Acho que o Daisuke estava mesmo um pouco fora de si.
- Sim, por favor? - reverenciou-a, nos deixando cada vez mais perdidos naquela conversa toda.
- Mas... agora? Estávamos jan...

E um "CRASH" veio da mesa. Só ouvi uma Tailmon enfurecida a discutir com o Agumon pelo seu apetite--
AH NÃO. AGUMON, VOCÊ COMEU O NOSSO JANTAR E OS PRATOS... DE NOVO?!

- Acho que não é uma boa hora... - sussurou ela para o Daisuke, percebendo que entrei para dentro de casa e soltei um berro pior que um rugido de Tyranomon enfurecido.

- A culpa foi minha... - ouvi-o lá da porta - Me desculpem...! Se eu puder fazer algo para compensar...!
- Não precisa... - Hikari tentou confortá-lo enquanto eu corria atrás do Agumon outra vez - Acho que vamos optar por pedir uma pizza...
- V-vocês poderiam jantar lá em casa! A Jun-neesan não se importaria, e... E quem faz a janta sou eu.

Wait... Desde quando o Daisuke sabe cozinhar? Ah, esqueci que o sonho dele é...

- AGUMON, QUER PARAR DE COMER TODA A COMIDA DESTA CASA?!
- M-Mas Taichi, eu estava com fome...!!
- Pode comer... Mas não toda a comida! E agora, o que faço?! Meus pais vão me matar quando descobrirem que a dispensa de dois meses foi consumida em menos de dois minutos.


Creio que os três (Hikari, Daisuke e Chibimon) lá na porta não gostaram muito do esporro que dei...
Quem não daria quando um dino laranja acaba comendo toda a comida em poucos milissegundos?!

- P-Preciso ir antes que o oniichan acabe matando o Agumon... Não que ele tenha coragem de fazer isso, mas... Acho que deu para entender a situação... D-desculpe, Daisuke-kun... - e ela foi fechando a porta, mas o teimoso não aceitou aquele "não".

- Hikari, por favor. Se eu não tivesse vindo até aqui, nada disso teria acontecido! Se eu não puder fazer nada... Não vou me perdoar.
- Não foi sua culpa...!
- Por favor? Ao menos deixe que eu ajude desta vez!
- Daisuke... - ela começou a sentir-se irritada com aquilo - Faça o favor de aceitar minha decisão. Não precisa se incomodar.
- Eu insisto! Por favor!
- Daisuke, Não é NÃO

Uh-oh... Pintou aquele silêncio depois aquele "não" sonoro e poderoso da Hikari. Enquanto perseguia o Agumon pela casa (ainda morrendo de fome e tentando inventar uma desculpa para dar aos nossos pais), senti um clima pesado vindo deles. Hikari a perder a paciência com aquela teimosia, e o Daisuke calado. Essa cena me parecia familiar, mas na hora nem lembrei... Pois o Agumon empacou no meio da sala e eu acabei batendo com tudo nele, caindo sentado e presenciando aquela cena que mais lembrava um Dorama.

- Ok. Ok, Hikari-chan... - senti uma estranha sensação naquelas palavras. O Daisuke tinha ficado amuado com a Hikari?! - Se não está afim de falar comigo, poderia ser mais sincera. - POUTZ, pior que estava... Acho que agora sim não sei se é sonho ou pesadelo - Desde que o Takeru apareceu por aqui, você anda totalmente diferente do que era! Qual o seu problema?! Não me reconhece mais?! Ok, a gente até se fala, consegue conversar... Mas quando quero ter um momento para te confessar algo ou até mesmo curtir como anos atrás, só escuto suas desculpas!

Levantei-me do chão e fiquei a encarar aquilo sem ao menos dizer exatamente se: Um- O Daisuke estava mesmo chateado com aquilo e levando agora ao extremo (típico dele, sempre exagerando); Dois- A paixonite pela minha irmã deixou de ser apenas isso e evoluiu para algo mais grave, ou; Três- O Daisuke realmente estava apaixonado perdidamente por ela e aquela fase de menino bobo e feliz passou correndo... E agora não suportava mais ficar tentando e não conseguir nada.

... Me lembrou o que aconteceu entre a Sora e eu entre três anos. E se não tivesse feito essas mancadas, talvez o final fosse outro. E não aquele que presenciei em 2002 ou o que sou obrigado a engolir todos os dias. Por um lado entendo-o, por outro estranho-o.

- Senpai - depois daquele silêncio mortal que ele havia causado na casa, Daisuke olhou para mim - Desculpe por ter arruinado sua noite, seu jantar e ter gritado com sua irmã. Eu não estou muito bem... Até amanhã. - Retirou-se dali, deixando-nos sozinhos na porta, com aquele ar de frustração misturado com "derrota" (é, entre aspas, já que este maluco não desiste fácil e creio que vai voltar a insistir).

A única coisa que vi depois daquela cena foi... Uma Hikari totalmente petrificada na porta de casa. Depois ela correu para o seu quarto e se trancou, só ouvi ela chamá-lo de "idiota" ou algo assim... Nem quis me meter muito, até devia, como irmão mais velho dela... Mas se nem eu entendi o que raios havia acontecido ali, então como que poderia ir tirar satisfações com o Daisuke ou com ela?!

- Taichi... Desculpe... - Agumon veio todo arrependido pro meu lado.
- Não... Não precisa se desculpar... - olhei-o - Eu quem devo, mas deverias controlar esse seu apetite... *sigh* Agora o que digo aos meus pais? E como explicar que a Hikari teve uma briga amoro--
- Que foi, Taichi...?
- Nada... Só lembrei de uma coisa...

Engraçado... O Daisuke podia nem ser parente meu, mas aquela cena toda lembrou MUITO as vezes que briguei com a Sora.
Tal senpai, tal kouhai...?

- E agora...? - meu dino laranja perguntou, sem ter entendido um terço do que tinha acontecido ali.
- Agora... - olhei pro interior do apartamento e... Aquilo estava uma senhora BAGUNÇA graças à perseguição - Minha mãe vai me matar se chegar em casa e encontrar esta zona de guerra... *glup*

A Hikari estava confinada no quarto. E do outro lado, no prédio vizinho...
O Daisuke estava no mesmo patamar. Só que o dobro daquilo.

-------------------------------------------------------------

- Daisuke... O Yagami-san está ao telefone... - a Motomiya mais velha batia na porta, mas quase não se ouvia voz alguma do quarto - Daisuke, abra essa porta ou eu irei arrombá-la, ouviu bem?! Não me deixe preocupada seu idiota!

Chibimon só o olhava atirado na cama, a olhar para o teto. De braços cruzados, com uma expressão que poderia ser traduzida para "Ótimo, seu idiota. Ao invés de respeitá-la e deixar a casa, preferiu insistir e bater boca com ela!"

- Daisuke, a Jun está te chamando... - notificou o digimon - Não vai falar nem mesmo com ela ou com o Taichi?!
- Quero ficar sozinho, ok? Não estou afim de sair do quarto pelo resto das férias...!
- Talvez eu não devesse ter dito para ir falar com ela...
- Ah, cala boca... Não é sua culpa. A culpa é toda minha. Se eu não tivesse agido feito um idiota todo esses anos, ela entenderia que... Aquele amor patético que tinha antes se tornou algo maior! Algo mais forte! Algo diferente! Totalmente diferente!!
- Vai mesmo ficar aí, choramingando de novo e achando que ela te odeia...? - provocou-o, no intuito de reascender aquela chama teimosa do parceiro... Mas não surtiu efeito.

- Dá pra ao menos dizer alguma coisa?! - berrou Jun - Ou eu vou arrombar a porta! Estou falando sério Daisuke! ABRA. A. PORTA.

- Poderia ao menos parar de tratá-la dessa forma! Nem ela e nem o Taichi têm culpa disso, ok?! Pode me culpar, a idéia foi minha! Mas descontar nos outros é algo que você nunca fez antes!

- Está bem, está bem...! - irritou-se Daisuke, levantando-se da cama e abrindo a porta - O que é, Jun-neesan? Não posso nem ficar sozinho por um mi--

- Yagami-san quer falar contigo - foi direta ao ponto, puxou-o pelo braço e o largou diante do telefone - E olha lá como o senhor me trata. Só porque brigamos não significa que não goste de ti, seu idiota. E que eu saiba, o Yagami-san é teu amigo, não era?

- Tá, eu entendi... - resmungou outra vez - Chega de sermões que não preciso de mais outro! - sussurrou, enquanto pegava o telefone - Chibimon já me deu um hoje... - atendeu-o - Moshi moshi...?

- Daisuke... O que aconteceu entre vocês dois afinal...? - o Yagami foi direto ao assunto, com um ar de preocupado - Sei que quase não tenho tempo mais pra conversarmos devido à escola... Mas você e a Hikari ultimamente andam... Tão... Diferentes...

- Nem eu entendo... - confessou - De uns tempos para cá, sempre que tento arranjar um tempo para falar com ela sozinhos, ou sair... A Hikari-chan sempre diz que está ocupada, que não pode, que já tinha combinado com alguém de fazer outra coisa... Só a vejo na escola. Só lá e pronto! E ainda tenho que aturar quando o "Takeru-kun" pipoca e impede minha aproximação... Estou com uma leve impressão de que ela está me evitando...

Ambos ficaram calados. Taichi, por sua vez, entendia perfeitamente essa noção de que o mais novo sentia. Afinal, sempre que brigava com a Takenouchi, a ruiva parecia fazer de tudo para ficar o mais longe possível dele. Ligava pra casa dela e não conseguia contato direto, mandava e-mails e quase nenhuma resposta... E no colégio então?! A chamava, e ela desaparecia pelos corredores!

Então era fácil de entender o outro, mas desta vez estava a presenciar isso acontecer... Com um amigo dele, e que gosta justo de sua irmã! Ou seja, poderia compreender os dois lados da história... Mas nem havia como, a Yagami mais nova nem abria a porta, ficava lá sozinha com sua parceira e não se ouva quase nada, pois falavam muito baixinho para que ele ou Agumon pudessem ouvir.

- Senpai... O que eu faço?! E-eu sei que vai querer me arrancar as goggles da cabeça, mas você e a Sora-san tiveram momentos assim antes, não tiveram...?

- Sim, mas... Eu não sei como te ajudar! Até queria... Mas não há nada que possa fazer agora, só esperar que ela saia do quarto e queira conversar... Só que a Hikari não vai querer tocar nesse assunto. Sei la! Ela ficou estranha depois daquilo tudo que você disse, como se tivesse atingido alguma coisa nela... Acho que ela não esperava aquilo de você.

- Aquilo...? - o goggle boy ficou meio perdido - Aquilo o quê? Aquilo tudo que eu disse ou... Outra coisa?
- Não entendi direito o que aconteceu ali na porta, como vou te responder então?!
- Eu disse exatamente o que parecia pra mim, que ela estava me evitando e arranjando desculpas.
- A Sora fazia isso também... E se não era ela, a mãe dizia que "ela pediu para dizer que não está em casa" ou outra coisa assim.
- Então a Hikari-chan... Está me evitando, não é? - falou num tom totalmente desanimado.

- Sem ofenças, mas acho que suas tentativas começaram a incomodá-la... E isso dá a sensação de que você só tem uma fissura por ela, e não que a ame de verdade.

- Ken e Chibimon já me disseram isso... *sigh* Mas eu sou assim mesmo, quer que eu faça o que? Mudar? Nah, eu me tornaria um chato a ponto de eu mesmo não me suportar. Se eu ficar que nem o Yamato-san, Ken, Takeru, Iori... Vou parecer tão genérico quanto eles...

- Se mudar alguma coisa, vai parecer uma miniatura do Koushirou - riu o Yagami - Aquela forma totalmente pólida me deixou um tanto assustado, pensei que tivesse tomado injeções do Pico Devimon!

- Só não gosto que fiquem me tratando toda hora como uma criança... - ignorou-o de novo - Eu sei ser sério quando é preciso, e sei quando devo brincar. Posso ser meses mais novo que ela, Ken e Takeru... Mas não sou tão "infantil" assim! Prefiro rir e aprender com meus erros do que ficar calado e envergonhado por eles...! E eu recuso desistir, eu vou continuar insistindo até o fim!

- Ahn... Está bem melhor agora...? - percebeu Taichi.
- Sim, senpai. Obrigado, senpai.
- Daisuke... se... Se não por pedir muito...
- O que foi, senpai?
- É que eu tive de arrumar a casa e meus pais só voltam daqui às 8:30, então... Err...
- Taichi-senpai - Daisuke encarou o telefone - Diz logo o que queres.

- O Agumon comeu nosso jantar (literalmente), Seria algum incômodo aceitar seu convite...? - o escolhido da Coragem soltou uma risadinha sem graça no final da frase.

- Problema algum, vocês são sempre bem-vindos à nossa morada. Mas pode pedir pro Agumon não comer toda a nossa comida também...? Meus pais só voltam próxima semana.

- Ah, eu tenho uma idéia pra resolver esse problema - riu.
- Taichi-senpai... Olha lá o que você vai fazer - Daisuke desconfiou daquele riso.
- Sem problemas, Daisuke.
- Ok...

Despediram-se e desligou o telefone. Daisuke ficou a olhar para o mesmo e a tentar entender como Taichi resolveria o problema do apetite indomável do Agumon. Logo teve um estalo e um calafrio quanto a sua primeira hipótese.

- Estou com um pressentimento que alguém vai querer cortar aquela cabeleira do senpai... *glup*

E adivinhem quem era?

-------------------------------------------------------------

[next]


Última edição por Daisuke Kaizaa em Qui Ago 23, 2012 7:57 pm, editado 3 vez(es)

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: "aquilo que vocês imaginavam que NUNCA sairia das mãos desta fan maluca"

Mensagem por dmem4e em Dom Jul 29, 2012 7:32 pm

HOLY CRAP! isto é um daikari mesmo! quem és tu e o que fizeste à nina?! auahuahauhauhauha

mas até que tá fixe!! e tal como takuya disse: as personagens tão mt in-character, pelo que ainda me faz curtir mais do daikari! xDD omg daisuke, desgraçado x'DD

traz mais mulher! ahahaha
avatar
dmem4e
Child (Seichouki)
Child (Seichouki)

Comportamento : 100%
Mensagens : 168
Data de inscrição : 22/08/2011
Idade : 22
Localização : NOUTRA DIMENSÃO!

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: "aquilo que vocês imaginavam que NUNCA sairia das mãos desta fan maluca"

Mensagem por Convidado em Dom Jul 29, 2012 11:29 pm

Mas não pense, srta. Maf, que esta fic aqui é "fru fru" e Daisuke e Hikari juntos no chap 3.
O meu negócio é outro. Aliás, eu acho que posso escrever romances dramáticos que machucam todos os personagens e depois aparece um wild final feliz, porém nada daquilo que os leitores querem... Pois eu ainda sou DAIYAKO e KENKARI e_e;




[previous]

-------------------------------------------------------------

Não queria nem saber o que o senpai iria aprontar, mas a única coisa que me importava agora era me redimir com ela.
Droga, Daisuke... Ela, acima de qualquer outra coisa, é uma amiga sua. De infância ainda! Ok, não tão "de infância", já que nos mudamos para cá mais ou menos inicio de Julho, os conheci... Depois aconteceu aquele ocorrido em Agosto, onde tive contato com a Mimi-san e Sora-san pela primeira vez (e rapidamente...)

E como fiquei nervoso ao descobrir que a "criança" tinha sido encontrada e pensar quem poderia ser... Passado algumas semanas, o
Taichi-senpai descobriu que eu fui uma das crianças raptadas pelos minions de Vamdemon e me explicou tudo... E fiquei muito mais nervoso ainda quando, subitamente, ele falou que a Hikari-chan era a tal "oitava escolhida".

Mas o tempo foi-se, acho que foi o contato com os digimons que me fez ficar mais próximo deles... Pude ouvir histórias sobre a Digital World, sobre os digimons... Fiquei querendo conhecer aquele lugar. Quis conhecer de perto um digimon, ter um parceiro que nem eles... E além disso, a forma com que a Hikari-chan era, o jeito delicado misto com uma forte personalidade (quando ela mesma me contava o que havia acontecido na DW com ela e com os outros), me fez sentir algo... Estranho? Ficar todo intervalo ouvindo-a e a contar como o Taichi-senpai vencia desafios, derrotou digimons gigantes e malignos... E a batalha final emocionante... Só me fazia mais e mais admirado. Às vezes ele ficava meio encabulado com aquelas histórias, e depois dava a sua versão, incluindo o restante do grupo, como Sora-san, Yamato-san... Koushirou... E seus parceiros...

Ah... Eu sonhava com aquilo. Queria que, um dia, pudesse ter um parceiro digimon e ter aventuras como eles tiveram.
Passaram-se três anos, e meu desejo foi atentido. Mas... Parece que é assim que as coisas acontecem comigo:

Sempre que eu consigo algo bom...

"A quanto tempo, Hikari-chan!"
"Nossa, como você cresceu, Takeru-kun!"


... Vinha algo para acabar com minha felicidade.


- Daisuke, acho que você está queimando o jantar...
- O QUEEE?!

Isso, idiota! Fica a sonhar e lembrar dos bons momentos e queima a comida! Tsk!
Se eu não tivesse conhecido a Hikari-chan, talvez não sofresse tanto quanto sofro hoje! Mas, mesmo assim... Não teria conhecido Chibimon, nem o Ken, nem o Taichi-senpai, nem a Miyako, nem o Yamato-san, Sora-san... Todos eles.
Só seria um garoto normal que gosta de futebol e que sonha em fazer o melhor ramen do mundo.

- Daisuke, menos sonho... Tens uma chance de ouro de inverter a situação e está queimando-a, literalmente.
- Chibimon, poderia ficar quieto, por favor?! - pedi ao meu "adorável" parceiro, enquanto tentava salvar o jantar.
- Se ficar sonhando acordado... Ahn, deixa pra lá.
- É, melhor deixar pra lá mesmo! Pode pedir pra Jun-neesan arrumar a mesa, favor?
- Hai, Chef Daisuke. - bateu continência
- Sem gracinhas, ok? Ainda não estou de bom humor...

Vee saiu da cozinha e direcionou-se para a porta do quarto de minha irmã.
Ele bateu na porta e eu voltei a concentrar-me no ramen.

- Jun-neesan! Poderia arrumar a mesaa?
- Como? - ela abriu e olhou pra baixo - Mas o Daisuke nem terminou!
- Mas ele pediu.
- Daisuke. - Ela encarou-me lá do quarto.
- O que? - perguntei, sem desviar meus olhos do ramen.
- Não acha que está muito cedo para fazer o jantar?
- Vai parecer desculpa, mas enquanto falava com o Taichi-senpai e com a Hikari-chan, o Agumon comeu o jantar deles.
- C-Como?! - ela deu um olhar totalmente confuso para Chibimon e depois para mim.
- Isso mesmo, o Agumon comeu, literalmente, o jantar deles.
- E como que você convida--
- Porque também discuti com a Hikari-chan e quero pedir desculpas!
- Até quando você vai insistir em namorar sua amiga?
- Até o dia que você parar de incomodar o Yamato-san.
- Somos irmãos mesmo, até nisso nós não nos damos bem.
- O problema é que o seu "amor" pelo Yamato-san é uma paixonite e o que eu sinto pela Hikari-chan é amor.
- Hmph, então vire-se!
- Ok, deixa que eu me viro mesmo!
- Seu idiota! - e fechou a porta com força.
- Você que é! - voltei a cuidar do jantar.

Enquanto Vee e eu cuidávamos do jantar... Acho que em outro apartamento aqui, um certo morador iria "adorar" a visita de um certo Yagami e seu dino laranja...

-------------------------------------------------------------

- Yamato, a porta... - o sr. Ishida pediu-o.
- Licença - retirou-se da mesa e foi até a entrada. Abriu a porta e...

- Yamato! - A wild smiling Taichi appeared - Posso te pedir um favorzinho por algumas horinhas?
- Diz logo o que queres - Yamato encarou-o, já tendo noção de que o Yagami aprontaria para ele.
- Bem, um amigo meu me convidou para jantar na casa dele, e eu não posso deixar o Agumon sozinho...
- Deixa eu adivinhar, queres que eu fique com o Agumon até lá, certo?
- Por favor? - implorou - Como que irei levar o Agumon e escondê-lo para que ninguém o veja?!
- Taichi... Tem certeza que não pode levá-lo?
- Não vai demorar por muito tempo, juro!
- Mas eu...
- Como você pode recusar esse favorzinho?!
- Esse "favorzinho" seu...
- Não fale do Agumon desse jeito! Vamos, Agumon! Talvez a Sora possa ficar contigo.
- Espera! Mas quem é esse seu amigo--
- YAMATO, VALEU SABIA QUE PODERIA CONTAR CONTIGO!! - entregou Agumon aos braços do Ishida.
- M-mas...!
- Agumon, não se preocupe... É só por algumas horas! E Yamato, obrigado por quebrar esse galho! Cuide bem dele ou eu te quebro o baixo na cabeça!! - saiu correndo imediatamente.

E o escolhido da Amizade só olhando para a porta, com um dino alaranjado no seu colo. Agumon olhou-o e depois fez a seguinte pergunta:

- Yamato... Estou com fome.

E aí o loiro entendeu o motivo de Taichi não ter levado-o junto.

-------------------------------------------------------------

Aprontei tudo, já que minha irmãzinha decidiu me deixar na mão. Então resolvi aprontar com ela e a deixei de fora do "nosso" jantar.
O que fiz? Só coloquei três pratos, reservei outros três (mas nem sabia que o Agumon ficaria de fora) para nossos parceiros e...
Tranquei a porta do quarto dela. Até o final de nossa reunião particular. Mas isso não significa que a deixei sem jantar, pois separei o dela e deixei guardado.

- Yosh, está tudo pronto... Espero que isso compense pelas minhas mancadas...
- Claro que ela vai te perdoar, Daisuke! - Chibimon tentou me animar - Olha só, você até arrumou a casa melhor que a Jun-neesan!

- oi, ela também arruma direitinho. Nós dividimos as tarefas... Eu cozinho, lavo os pratos, limpo a casa e arrumo meu quarto... E ela arruma a casa, leva o lixo pra fora e arruma o quarto dela.

- Ah... Então está tudo organizadinho... Quem diria que você--
- Chibimon, poderia ficar calado? - resmunguei - Sim, sou um garoto higiênico.
- Bom, não duvido mais depois daquela vez que você se importou mais com a higiene do que com o Tortamon em si...
- Se continuar, vai ficar sem jantar também!
- N-não, por favor! Minha barriguinha tá roncando...!

Dei us últimos toques na casa (Não, eu não queria usar esta chance pra conquistá-la, queria apenas ter um momento de pedir desculpas por ter gritado e ter sido grosso com ela), aquele era um momento raro que quase não acontecia mais... Nem lembro direito quando foi a última vez que ou o Taichi-senpai ou a Hikari-chan vieram me visitar... Ou jantar conosco... E nem eu mais tinha ido à casa deles! Dá pra entender que nossa relação estava apenas restrita à escola.

Alguns minutos depois, campainha toca. Fui atendê-la, abri a porta e sorri para o senpai... Enquanto a Hikari-chan parecia ainda estar amuada comigo e só tinha ido por algum "milagre" ou sei lá como a convenceram-na. Cumprimentei-os, idem ao Chibimon.

Sentamos para o jantar, e a Jun permanecia em seu quarto ouvindo música, até o senpai perguntou se deveria chamá-la, mas logo expliquei que ela não queria (oops, menti. Mas se ela ficasse naquela mesa, jamais conseguiria me redimir e seria capaz dela acabar arruinando quaisquer chances de fazer as pazes com a Hikari-chan)

E aquela reunião foi... Silenciosa. Mais silenciosa que pensava estar em uma biblioteca e não na minha casa. Tanto eu quanto ela ficamos em silêncio. Não trocamos nenhuma palavra, nem um olhar. Lá no fundo queria fazer a volta, ajoelhar-me aos pés da Hikari-chan e dizer "Desculpe-me, Hikari-chan!!"

Esse seria o eu de sempre... Mas, de alguma forma, não quis fazer isso. Não ia resolver nada, e só pioraria minha situação atual. Ela entenderia como se eu estivesse fazendo gracinha ou que nem ligava pelo fato de eu ter gritado com ela na sua própria casa. Seria um desrespeito total se ela pensasse isso. Mais do que já tinha feito de errado.

- Daisuke... Você até que cozinha bem... - Senpai tentou iniciar uma conversa, e acabou usando um "até" de novo pra ver qual seria minha reação.
- Sim, está delicioso - mas quem respondeu foi Chibimon - Daisuke sabe cozinhar, não sabe?
- Digamos que sim - e agora tinha sido Tailmon, enquanto Taichi-senpai esperava uma resposta minha ou de sua irmã.

Naquele evento todo, acho que ele percebeu muito bem que havíamos mudado drasticamente nossa relação. Seja de amigos, seja de vizinhos, seja de colegas de classe... Seja de parceiros. E aquele olhar meio confuso dele só me fazia imaginar o que ele pensava sobre a situação.
E se algo não está nada bem, Taichi-senpai sempre tentava unir o grupo. Ao menos foi isso que a Hikari-chan tinha me contado naquelas histórias. Que ele foi nomeado o líder justamente por ter unido-os.

E tenho que confessar: Eu queria que ele pudesse nos unir novamente.

- Se continuarem assim, vão acabar magoando-se mais. E digo isso por experiência própria, coisas que aprendi brigando e brigando com a Sora. Oras, vocês são amigos, não são mais?! Antigamente vocês dois viviam conversando quase o tempo todo, seja ao ar livre no parque, no intervalo na escola ou no telefone! E as contas de telefone que nossas mães reclamavam?!

Olhamos para o senpai, ele tinha dito aquilo com um tom mais sério. Deu pra perceber que nossa "briga" também o afetava, pois fazia lembrar da Sora-san. E eu sei, por convivência com os Yagami, que o Taichi-senpai ainda, lá no fundo, gostava dela. E ela escolheu o Yamato. De uma maneira ou outra, era como se olhasse para o mesmo problema, mas como espectador e não mais como um personagem da trama amorosa.

- Eu sei que o Daisuke subitamente perdeu o juízo e começou a implicar com o Takeru por um motivo bobo, mas isso não prejudicava tanto assim a amizade de vocês... Pelo menos não que tenha percebido.

Eh... Sim e não. Sim, por um lado a Hikari e eu ainda tínhamos algum laço. Não, pois sempre que o Takeru aparecia... Sentia que ele me "impedia" de se aproximar dela.

- Brigar é normal, e todo mundo briga. Yamato e eu... Sora, Koushiro... Mimi... Briguei muito com muito deles, principalmente com o Yamato e com a Sora, mas nós continuamos amigos até hoje. Essas brigas até nos ajudaram... Algumas não - ele olhou para a Hikari, como se enxergasse a Sora ali, e em seguida para mim, como se estivesse vendo ele mesmo naquela cadeira - Mesmo assim, deixamos essas brigas bestas de lado e aprendemos com elas. Nem sempre iremos concordar um com o outro... Ou estar de bom humor para rir e ouvir piadas... Só que às vezes ficar se confinando no quarto ou dessa pessoa só acaba machucando mais. E não só a si mesmos, como também ao outro. E inclusive preocupando os demais.

E como é que ele sabia que eu... Ah, esquece. Se ele me entendia, e entendia ela... Significa que ele também fazia o mesmo. Talvez ainda faça, mas prefere não admitir. Sei lá...! Ouvi-lo falando aquilo me deixou mais dolorido ainda pela confusão que tinha causado.

Depois daquilo, outro silêncio. Só se ouvia Tailmon e Chibimon conversando normalmente. E pensar que o Vee também era meio "apaixonado" pela parceira da Hikari-chan.

- Talvez... - ela finalmente falou alguma coisa - Talvez eu tenha... Tentado evitar-te, Daisuke-kun... Mas... Mas não é por causa do Takeru-kun. É que, a forma com que você o trata... E como você me trata também... Isso começou a incomodar um pouco.

- Não é culpa sua... - então decidi que deveria dizer aquilo logo - Eu agi como um idiota que acabou esquecendo que éramos amigos. Talvez até foi esse... Esse medo de que o Takeru te tirasse tempo e que nós parássemos de nos divertir juntos, conversar, rir... Eu deveria entender que... Não sou seu único amigo, e que deveria parar de achar que o Takeru e você tenham algum... Romance. Mas não consigo aturar isso por mais tempo...! Depois que ele apareceu, tudo mudou! Eu podia não entender nada sobre a Digital World e os digimons... Mas não gostava assim, de ser atirado pro canto.

Ok, roubei a vez dela falar... Mas acha que dava pra esperar todo o diálogo?! Aquilo estava preso em mim... Faz alguns anos já!!
E até chamei a atenção da Tailmon e do Chibimon. Oi, aquilo não é mais uma paixonite de infância, aquilo ganhou outro nome, outra forma.
E essa forma era o que quase ninguém percebia...

- Tive medo de que nunca mais fôssemos amigos como antes! Que depois do Takeru se mudar para Odaiba, ele tomasse o meu lugar! Mas... Mas esse lugar que digo, não é amor nem nada... E sim nossa amizade. De amigos passamos a ser... Meros conhecidos. Tudo bem, você ficou amiga da Miyako, e eu do Ken... E que todo o nosso grupo criou novos laços, mas... O que aconteceu entre nós?! Senti que fui atirado de lado, que estava querendo me evitar! Não vivo só de amor, eu quero manter nossa amizade também! Não consigo mais evitar.

- Agora está sendo dramático demais, Daisuke - Chibimon veio me criticar justo na PIOR hora possível.

- Nunca te tratei diferente... - ela disse - Apenas queria que parasse um pouco de... Paquerar-me. Aquele jeito que me tratas às vezes me deixa embaraçada. E não gosto que trates o Takeru-kun daquela maneira também! Ele é meu amigo, nada mais além disso. Se eu tiver que escolher entre vocês dois, seria doloroso demais pra um de vocês. E eu não quero ferir nenhum dos dois.

- Mesmo assim, você me feriu de alguma forma... - abaixei a cabeça e olhei pro prato de ramen - Eu sei que pareço um idiota, Hikari. Eu sei que faço isso sem perceber... Mas é assim que eu sou, assim que sempre fui! Se eu mudar, quem raios vou ser?! Não quero ser cópia do Takeru ou do Ken, muito menos do Yamato e Iori! Tentei uma vez mudar para ser mais atraente e só percebi que isso é errado!

- Ahn, você está um pouco alterado - notificou-me o senpai - Por favor, acalme-se...

- D-desculpem-me... Hikari - olhei direto nos olhos dela - Eu não gosto do jeito que você está agindo agora, nem do jeito que passou a agir. O desiquilíbrio das trevas na Digital World pode até ter alguma coisa a ver com aquilo, mas agora não há mais... Ou há alguma coisa de errado que esteja te deixando assim?! Se é algo do tipo, isso estranhamente está me afetando também...

- Ou é o simples fato de que você não consegue mais guardar esses sentimentos - contrariou o meu parceiro.

- Não sei... - respondeu ela - Se há algo causando isso eu não sei. Talvez seja só um mal-entendido... Acho que, depois que passei mais tempo com o Takeru-kun... Acho que te fiz algo de errado, mas sem perceber. Mesmo assim, por que você nunca disseste antes, Daisuke?! - e aquele olhar dela simplesmente refletia uma "dor" similar a que eu sentia - Só por... Por achar que não deveria se intrometer?!

- Não, é que eu não queria ouvir mais um sermão seu em defesa dele - falei seriamente aquilo, e o senpai a presenciar a tal mudança que havia acontecido na minha amizade com sua irmã - Se eu falasse, o que iria fazer? Ele te conhece melhor pelo visto. Naquela vez, que você foi para o Oceano das Trevas, eu fiquei preocupado... Mas não fazia idéia de onde você poderia estar. Pensei que tinha ido parar na Digital World outra vez, mas o portal não se abria... Fiquei feliz que ele tenha conseguido te salvar, mas por um lado eu fiquei meio... Confuso. E quando o Ken finalmente se uniu ao grupo, encontrei outra pessoa parecida contigo. E também acabei por esquecer... Mas não totalmente. Eu sentia que estávamos separados. Até que, resolvi tentar recuperar esses laços.

- Pensei que querias...

- Claro, claro que eu queria, mas nem toda hora! Às vezes queria apenas ter aqueles tempos de novo. Aqueles momentos onde ouvia as histórias sobre a Digital World, de como o Taichi-senpai enfrentou bravamente inúmeros desafios, das criaturas e dos ocorridos... Sobre Piemon, sobre Whamon... Sobre tudo que vocês passaram! Não sabe o quanto aquilo me fazia sonhar e querer me tornar um de vocês...? Ter aventuras, compartilhar sentimentos com um digimon... Ter histórias para compartilhar com outra criança que tenha presenciado algum daqueles eventos...! Não me apaixonei por você à toa. Eu realmente admirava a forma como você dizia que os escolhidos derrotaram os inimigos e restauraram a paz daquele mundo. A Hikari-chan que eu admirava era aquela de seus relatos! E não o que você está sendo agora!

E mais uma vez... Cometi um erro. Falei a verdade de uma forma nua e crua. Lembram quando eu joguei toda a verdade na cara do Ichijouji quando ele queria impedir sozinho que a base do Digimon Kaiser explodisse? Bingo. Eu deixei que aquele "Daisuke" saísse de novo. O que se preocupava com os outros... Aquele que quase poucos conheciam. Foi naquela seriedade e preocupação que o Ken percebeu como eu o considerava um membro de nossa equipe... E como um Amigo!

- O que aconteceu com ela, afinal?! - e minha indignação continuava - A Hikari corajosa que conheci... Aquela que se entregou para Vamdemon em troca de poupar a vida de todas as outras crianças inocentes capturadas, incluindo a minha e a da Jun-neesan! Aquela que lutou contra digimons malignos, que salvou a Digital World ao lado dos outros sete destinados... Sério, Hikari. O que aconteceu contigo?! E quanto ao Takeru... O Takeru que você me contava era diferente, talvez tenha sido um erro meu em tratá-lo caquela maneira. Mas... Mas...

- Daisuke-kun... - ela pronunciou, um pouco perplexa - Eu... Eu não sei exatamente...!
- Licença. - me retirei da mesa e entrei no meu quarto, preferia ficar um pouco sozinho. Enquanto isso, ouvia os meus amigos a comentar sobre aquilo.

- Hikari, acho que aquele mal-entendido entre vocês três, e isto inclui o Takeru, continuou agravando-se mais... - ouvi o senpai dar sua opinião do que tinha acabado de presenciar - E eu ainda estou confuso quanto a isto!

- O Daisuke foi dramático de novo, por favor, não o entendam mal! - e o Chibimon tentar a amezinar a situração - Às vezes ele faz isso... Ou não, acho que desta vez ele não segurou mais, como naquela vez em que ele não queria que o Ken fizesse aquela loucura.

- Não... Ele tem razão - disse ela, meio deprimida - Eu mudei mesmo, deixei de ser quem era. O Daisuke-kun só foi uma das pessoas que percebeu isso... Assim como o Takeru-kun, que percebeu o quanto tinha ficado mais "frágil" do que era antes. Talvez tenha sido o desiquilíbrio entre o poder da luz e o das trevas... Isso deve ter não só me afetado, como também a eles. Já que, para mim, todo o grupo é importante... Inclusive eles e o oniichan.

Por alguma razão que não sabia explicar na hora, fiquei sentado ao lado da porta, só ouvindo-a. Esperava que, ao menos pudesse "reviver" a luz que a Hikari-chan tinha sido antes... Já que tinha conseguido salvar o Ken daquela solidão toda... E o tinha tornado um dos meus melhores amigos (ao lado do senpai, Chibimon e dela).

Se aquilo teria funcionado, se eu tivesse mesmo atingido fortemente o que queria... Que, se perceberam, era fazer com que ela percebesse o quanto tinha mudado e nem parecia ser mais aquela por quem tinha admirado, ao menos teria recuperado a amizade dela... E talvez restaurado aquela guerreira que tinha em mente ao lembrar dos contos sobre a Digital World.

E enquanto isso...

-------------------------------------------------------------

- AGUMON, ESSE ERA O MEU PRATO!
- Ah, desculpe... Mas é que eu ainda estava com fome...!

Gabumon e o sr. Ishida apenas assistiam Yamato discutindo com o digimon de Taichi. Eles tinham recém sentado para jantar e o dino laranja havia comido a parte dele e também a do loiro.

- Se quiser mais é só pedir, mas não saia comendo do prato dos outros! Todo mundo aqui tá com fome também!
- Desculpe! Mas meu apetite é enorme...
- Eu sei, comeu até o prato... - resmungou.
- Agumon, poderia... Controlar-se? - pediu educadamente Gabumon.
- Eu estou tentando... - grunhiu o outro.

Yamato bufou, olhou para a janela e decidiu que no dia seguinte iria fazer o Yagami pagar pela despesa.
Isto é, se o Taichi conseguir se livrar da bronca que tomaria dos pais quando descobrirem que o Agumon havia liquidado a dispensa...

-------------------------------------------------------------

[next]


Última edição por Daisuke Kaizaa em Sex Ago 03, 2012 9:40 pm, editado 2 vez(es)

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: "aquilo que vocês imaginavam que NUNCA sairia das mãos desta fan maluca"

Mensagem por Marty em Seg Jul 30, 2012 1:33 am

Tô impressionado com essa fic, nunca imaginei que você escreveria um daikari fora dos nossos rps secretos de msn com tendências malignas. Que rumo inesperado, wtf.
avatar
Marty
Adult (Seijukuki)
Adult (Seijukuki)

Comportamento : 100%
Masculino Mensagens : 547
Data de inscrição : 16/10/2011
Idade : 21
Localização : São Paulo
Mensagem Pessoal : dreaming in the rain

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: "aquilo que vocês imaginavam que NUNCA sairia das mãos desta fan maluca"

Mensagem por Convidado em Seg Jul 30, 2012 6:33 pm

Mark, eu disse que sou imprevisível u.u




[previous]

-------------------------------------------------------------

Como aquela manhã estava tão calma e bonita~ Pensei em pegar o Poromon e dai uma volta pelo parque com o grupo!
Não... pensei em algo mais ousado: Vamos fazer um pequeno piquenique no parque, mas só apenas nós seis!

Não sabia o que tinha acontecido na noite anterior entre o Daisuke e a Hikari... Por isso não pensei no que poderia causar, e muito menos que o Taichi-san ficou totalmente encrencado graças ao Agumon.

- Miyako... T-Tem certeza que não preciso te dever esta?
- Sem problemas, Taichi-san! Somos amigos, parceiros... DESTINADOS A PROTEGER A DIGITAL WORLD!!
- Pssst!! Não precisa fazer um alvoroço todo...! Seus pais podem sabem da existência dos digimons, mas nem toda Odaiba sabe deles! E muito menos que nós - ele apontou para mim e depois para ele por alguns segundos - Somos escolhidos e que temos em nossas casas "monstros" de outro mundo, assim como a população os definiria...!

Ih, esqueci desse detalhe... Vai ver por estar totalmente alegre hoje e... Não saber das fofocas (Um hora saberia... Ou por ela, ou pelo próprio Daisuke...)

- Né... Taichi-san... Ouvi pela Mizuki-san, uma amiga minha que mora no mesmo andar que o Daisuke, que... Vocês foram jantar na casa dele... E aí, aconteceu algo? Ele pediu a mão da Hikari ou coisa assim...?

- O... D-Daisuke e a Hikari...? - o Yagami-san olhou-me com uma cara meio de quem escondia algo - Ah... Ele só nos convidou para jantar, foi só uma reunião como nos velhos tempos...! Nada e mais, sabe?

Senti cheiro de lorota na área, já que sabemos como o senpai sempre... Não consegue esconder as coisas assim por muito tempo. Que nem o Daisuke. Uma hora, a verdade aparece e -- PUF! -- a mentira é desfeita.

- Ah, então foi só um jantar entre irmãos? - ri, querendo confirmar minhas suspeitas.
- A Motomiya-senpai não esteve presente, ela preferiu nos deixar à sós...
- Hm... Ok, bem... Aqui está a conta, daqui a pouco eu levo as compras. Meus irmãos saíram e eu estou aqui dando uma força para meus pais... (Até que eles voltem... Ugh.)
- Não precisa, eu posso levar sozinho!
- Taichi-san... mais de dez caixotes você não leva nem em duas horas. E usar o Greymon pra ajudar iria chamar a atenção dos moradores.
- Nem é por isso, se eu deixá-lo ajudar... Chego em casa sem comida. E aí vem mais bronca dos meus pais...
- Acredito que ele tenha destruído a dispensa em meros segundos... Mas não acha que deve ter algo de errado com ele?
- Agumon sempre está com fome - ele suspirou - Parece que o estômago dele é um buraco negro!

Enquanto a conversa estava tão boa... Um garoto de goggles e de cabelo despenteado entrou. Taichi-san olhou-o com um pingo de preocupação na cara. E o Daisuke... Bom, ele estava diferente do normal.

- Daisuke! E aí, como está indo suas férias~
- Ah, Miyako-san... Está tudo... Bem...

Espera... Ele me chamou por "Miyako-san"?! Acho que aconteceu alguma coisa MUITO catastrófica pra ele me chamar desta forma. E aquele ar desanimado dele também me deixou preocupada.

- Tem certeza? - perguntei-o, acompanhando seus movimentos.
- Sim... - Ele pegou uma lata de refrigerante e dirigiu-se para o balcão, com o dinheiro já em mãos.
- Não quer conversar...? - insisti.
- Não há nada que eu queira falar - e sua resposta foi totalmente mal-humorada. Entregou o dinheiro, pegou a latinha e saiu da loja.
- O que aconteceu com ele? - direcionei-me ao Taichi-san, que ficou mudo naquela hora.
- Nem eu sei - mentiu Taichi-san de novo pra mim.
- Ah, senpai... Poderia perguntar à Hikari se ela gostaria de fazer rum piquenique hoje à tarde?
- Hm... Talvez isso melhore o astral dela...
- Ahn?
- Nada! Sim, deixa eu a avisarei, Miyako-chan!
- "Miyako-chan"...? Mas até agora pouco nós estávamos--
- Até!

E ele saiu da loja.

Não entendo muito bem, faz uns cinco anos que Taichi-san passou a me chamar apenas pelo nome e sem "-chan". O grupo todo já era bem mais íntimo agora... Então, quando sai um "Miyako-san" da boca do Daisuke, ou um "Miyako-chan" da boca do Taichi-san...

- Aí tem coisa, Poromon...
- Miyako-san... V-Você tem certeza que deveríamos fazer isso?
- Sim. Nós somos amigos! E se a Hikari e o Daisuke andam desanimados, seja lá qual for o motivo, nós precisamos dar uma força!
- Geralmente... Deveríamos respeitar a privacidade deles ao invés de sairmos nos intrometen--

Passou algumas horinhas, aproveitei que meu pai iria levar as compras para os Yagami e fui junto como ajudante. Seria a hora ideal para descobrir o que tinha acontecido de verdade, e indo ver como estava minha amiga também!
Só que, enquanto ia para lá... Alguém passou por mim. E esse indivíduo continuava no mesmo estado de antes.

Vocês sabem que aquele idiota pode me azucrinar, mas eu me importo com ele. Deixei as caixas no apartamento dos Yagami e fui atrás do Daisuke. Talvez fosse se encontrar com o Ken ou ir jogar bola com os colegas de time...

- Acho que agora acabei com todas as chances, Chibimon...
- Aaah, não fica dizendo essas coisas! Esse não é você, Daisuke!!

... Ou iria se exilar do pessoal no parque, numa árvore. Coisa que percebia algumas vezes, quando estava com minhas amigas, ou com minhas irmãs, ou com a Sora-san... Ou com a Hikari. E sempre... na mesma árvore.
Alguém me conta o que diabos deu no Daisuke? Ele nunca foi de declarar derrota. N-U-N-C-A.

- Mas... Mas você viu o que eu fiz?! Ela simplesmente deve estar PIOR do que antes! Deve estar se perguntando o que houve comigo para dizer aquelas coisas na cara dura, sem respeitá-la, sem ao menos demonstrar que não estava zangado... Mas sim preocupado e com medo dela acabar se tornando uma desconhecida!

- Ela não ficou pior... Só ficou... Un.... Um pouquinho confusa, parecia que nem ela estava a entender aquilo tudo...! Por favor, quer parar de se culpar por isso?! Daisuke, não foi tua culpa. E aquilo que você vez só mostrou o quanto se importa com ela e que está estranhando essas atitudes dela!

- Ah sim, não foi você que a desrespeitou na própria casa e depois resolveu despejar tudo o que estava preso dentro de si... Ao invés de humildemente dizer um "Desculpe-me, Hikari-chan. Eu não quis ofendê-la muito menos faltar com respeito"...

Aproximei um pouco mais e me escondi atrás daquela árvore. Ouvi aquela discussão todinha entre eles... Pelo que pude entender, Daisuke gritou com a Hikari dentro da casa dos Yagami, e ele se sentiu péssimo por isso... Arranjou um meio de pedir desculpas convidando-os para jantar e no final as coisas ficaram piores. Eu até poderia brigar com ele por ter desrespeitado a Hikari... Mas pelo que deu pra perceber, nem mesmo o Taichi-san fez isso pelo simples fato de que aquela confusão toda era preferível não causar mais atritos do que já tinha. Isso poderia ferir ambos os lados... Talvez até destruir a amizade deles.

- ... Miyako, quer parar de ouvir nossa conversa? E eu sei que é você, sua sombra não me engana!
- Miyako...?

E tomei um baita susto quando ele parecia ter sentido minha presença ali... Mas nem me importei com aquilo. Apenas queria conversar, talvez pudesse animá-lo ou fazer alguma coisa para ajudar.

- Daisuke... - saí de trás da árvore e parei ao lado dele, ainda de pé - Posso saber o que aconteceu entre... Vocês?
- Posso? - perguntei mais uma vez, enquanto só via aqueles olhinhos castanhos me encarando.
- Não foi nada grave... - mentiu, fazendo aquele biquinho quando embirrava - Nada mesmo.
- Brigou feio com a Hikari... Não foi?
- Agora vai investigar minha vida...?
- Não, seu idiota. Eu só quero entender o que aconteceu! Duh, eu me preocupo contigo sabia?!
- ... Desculpe, Miyako - ele deu um sorriso desanimado - Mas o que aconteceu ontem acabou me esgotando.

- Como assim?! - e eu fiquei mais nervosa ainda ao ouvir aquilo - Você não é de se "esgotar" tão rápido! Aliás, é isso que quase todos admiram em você... Essa sua teimosia e força pra continuar quando quase ninguém mais acha que há chances de...

- Isso foi antes. E eu continuo assim, mas... Mas não hoje. Hoje perdi o ânimo. Perdi as esperanças... Acho que algo mudou em mim.

- Quer parar com isso?! - sentei ao lado dele e o encarei seriamente - Vais dizer que ter brigado com a Hikari te tirou todo o astral... É isso?! Você pirou, Daisuke?!

- Acho que sim... - respondeu Chibimon pelo parceiro - Ele ficou nessa melancolia desde de ontem, depois do jantar.
- Ela não é mais a mesma... - suspirou - Não a reconheço mais, Miyako. A Hikari-chan mudou... Demais.
- Oras... A Hikari sempre foi assim... Não? - questionei-me - Ao menos parecia... - e ele me deu um olhar bem zangado.

- Ela é tua parceira de jogress e não consegue nem compreender direito quem ela é?! - e, assim como esperava, Dai-chan gritou comigo... Mais enfurecido do que aparentava estar - Ela não é assim, ao menos não era comigo! Ela era minha melhor amiga! E o que sinto por ela foi algo que fui adquirindo com aqueles dias em que conversávamos e ficávamos juntos! Agora o que fizemos juntos?! Quase nada. Quase, pois quando finalmente arranjei uma forma de ter um momento à sós com ela, e com o Taichi-senpai, eu estraguei tudo!

- Dai-chan, acalme-se - pedi a ele, um pouco magoada - Não conheço a Hikari por tanto tempo assim... Mas entendo-a. E também me sentiria mal se um melhor amigo ficasse insistindo nessas tentativas!

- Só que eu NÃO fiz só por isso! - e eis outro critical hit vindo dele - Era também para tentar recuperar esses tempinhos! Esses encontros onde ficava a ouvir as histórias da Digital World e sobre o grupo do Taichi-senpai! Ainda acha que é mera coincidência nós três termos sido testemunhas dos acontecimentos em agosto de 1999 ou o ataque do Diablomon em 2000?! Pelo menos... Comigo não, Miyako. O fato de eu também ser um escolhido agora... Eu tenho total certeza que é mais do que ter sido uma das vítimas do Vamdemon... Tem a ver com meu contato com eles. Minha amizade com o Taichi-senpai e com a Hikari-chan. Até deve ser também por ter conhecido a Mimi-san e a Sora-san no Big Sight... Não foi tão extenso assim, mas eu as vi. E logo depois conheci a Sora-san antes dela sair do time de futebol.

- Só você acha...? - murmurei, seguida rebati aquilo - Não foi só por isso, né... Foi pelo nosso contato com os destinados dentro daquele período... Não foi só pelo e-mail que eu enviei na luta contra Diablomon... Mas também foi influência de ter conhecido o Izumi-senpai no clube de informática logo depois... E o Iori... O pai dele era conhecido do Oikawa, amigos de infância se não me engano... E o Oikawa também conhecia os Ichijouji, não era?

- Então por isso que me dói mais... - ignorou-me - A Hikari-chan me iludia com aqueles contos, me deixava sonhando e querendo encontrar um digimon algum dia. Queria conhecer o grupo todo, queria fazer amizade com eles... Eu tinha só uns oito anos e já os considerava como meus heróis, igual aos dos mangás que leio... E dos animes...! Queria sentir aquilo na pele, e... E quando consegui realizar esse sonho...

- Você continua cismando com o Takeru...? Ou só por ele ter aparecido na hora em que essa tua paixonite ficou mais grave?
- Não é paixonite, Miyako - resmungou ele - Eu admiro e amo a Hikari-chan desde pequeno. Mas da "Hikari-chan" que ela era, não o que ela se tornou agora.
- Se aquilo estava te incomodando... Por que ficou calado esse tempo todo?! - indignei-me com aquilo.
- Não queria magoá-la. Não queria que ela viesse de novo defendê-lo... E ele parecia saber mais do que eu.
- Mas, vamos ser francos... Você ficava cismando com o Takeru toda hora.
- Ficava... Sim, e daí? Era idiota demais, e eu só tinha dez anos. Só que fui entendendo e crescendo... Quis voltar a falar com ela como antes e... "Desculpe, não posso sair hoje". E nem sempre estava tentando paquerá-la!
- Bom... Se queria só conversar com a Hikari, mas sem nada de tentativas de namoro... Até acho meio estranho isso.
- Que bom que entendeu o meu lado, Miyako. Mas ela não tem culpa. A culpa é...

É. Eu não aguentei ouvir aquele choro todo.

- MIYAKO O QUE TE PASSOU PELA CABEÇA SUA MALUCA?!

Eu meti aquele tapa na cara dele. Foi por impulso.

- Mareceu! Não gosto de ver o Daisuke agindo feito um derrotado! Não depois deste Motomiya Daisuke ter salvo a minha vida e a do resto do grupo das ilusões do Vamdemon, ou que tenha nos dado esperanças para derrotar o Diablomon quando ele apareceu outra vez! Ou até mesmo o idiota que inistiu em continuar lutando contra o Digimon Kaiser, e que também impediu que o Ken cometesse suicídio e outras coisas que se eu ficar tentando lembrar, passarei a tarde inteira listando! Seu teimoso, eu gosto de você ignorando o que o resto do mundo pensa de si mesmo, daquela coragem e ousadia de dizer tudo na cara e sem medo das conseqüências! Brigando com todo o grupo só para defender a sua opinião e... E de nos mostrar que nem tudo é impossível!

Ok... Agora quem calou a boca foi ele e todo mundo no parque ficou olhando diretamente para nós.
Estou com uma pequena impressão que pensaram ser uma briga de casal. Mas...
Eu e o Daisuke?! Juntos?! Só como amigos, por favor!!

- Miyako... - ele grunhiu, enquanto colocava a mão no rosto, bem onde ficou estampada uma marca de cinco dedos - Eu mereceia mesmo isso... - em seguida, sorriu para mim... Mas aquele sorriso típico e que me deixou mais aliviada - Só mesmo uma pessoa parecida comigo para me fazer voltar a si, não é mesmo? Se você me chama de idiota, eu te chamo de maluca! - riu.

- Vai ver por isso que somos tão amigos, quase "irmãos"? - questionei-me outra vez - Não posso te deixar sozinho... Quando tu és o primeiro a não querer que ninguém fique solitário. Fez isso com o Ken... Me xingava por não entender a Hikari (e me xingou de novo minutos atrás) e sempre nos animou e motivou a continuar mesmo que tudo parecesse não ter como mudar. Mas, se eu te pegar choramingando de novo nesta árvore, que não seja um choro de alegria ou por ter se machucado enquanto jogava futebol, eu--

- E-Eu entendi, Miyako...! N-Não precisa me ameaçar! - pediu, afastando-se um pouco de mim - Dessa forma vou ter de passar o verão com um cachecol ou casaco pra esconder seus tapas!

- Não sou tão má assim... Só ia dizer pra lembrar-se de que nada é o fim. Não definitivamente. E eu aprendi isso contigo, seu idiota.
- Miyako... Eu disse que não era nada grave... Só falei que não estava muito animado hoje por causa de ontem.
- Vai, anime-se. Quero passar a tarde com o nosso grupo, não quero te ver tristonho desse jeito.
- Eh??
- Tinha falado com o Iori, Takeru e Ken antes de ir ajudar a entregar o rancho na casa dos Yagami.
- E-espera... Você marcou algo... P-Pra hoje?!
- Isso mesmo, Motomiya. Não ouse estragar meu bom humor, e vê se levante esse astral logo. Espero que a Hikari também o faça.
- *doki* C-Convidou a Hikari-chan também?!
- Que parte do "Quero passar a tarde com o nosso grupo" você não entendeu Dai-chan??
- Eh... Dai-chan?
- Esquece. Vê se melhora logo, você se recupera rápido ne?
- Uh... S-sim...?
- Ok. Até mais tarde.
- A-Até...?

Levantei e o deixei sozinho... Mas uma coisa ficou garantida: Vou tentar animar esses dois a qualquer custo.

-------------------------------------------------------------

[next]

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: "aquilo que vocês imaginavam que NUNCA sairia das mãos desta fan maluca"

Mensagem por Convidado em Sab Ago 04, 2012 2:39 am

[previous]

-------------------------------------------------------------

Ele pegou o digivice e conferiu o horário... De acordo com a Inoue, todos deveriam se encontrar ali às duas da tarde. E evitar atrasos, brigas e improvisos. Por um lado, a proposta da amiga poderia fazê-lo um pouco melhor...

Mas por outro...

- Ela disse que a Hikari-chan foi convidade. E agora? A Hikari-chan ainda deve estar amuada comigo! Mesmo que eu a trate bem, que eu peça desculpas... Não vai adiantar, vai continuar na mesma! A Hikari-chan no mínimo está com raiva de mim, e magoada também! O que é que eu fiz, Vee?!

... o Motomiya continuava a dramatizar toda aquela briga. Como sempre, né?

- Dá pra parar de drama?! Amigos de verdade não ficam só elogiando e aceitando. Você sempre disse com sinceridade as coisas, não lembra? Quem fez o Ken parar e pensar melhor no que poderia fazer para evitar que a base do Digimon Kaiser explodisse e que não colocasse sua vida em risco?! Não lembra mais?!

- Vee, o Ken é o Ken. A Hikari-chan é a Hikari-chan! Naquela vez o Ichijouji precisava mesmo entender a realidade, que se acontecesse algo com ele, seria pior do que já tinha sido feito! Mas o caso da Hikari-chan... É outro! Eu faltei com o respeito, e na única oportunidade de reverter a situação, só piorei mais!

- Vou chamar a Miyako pra te dar um tapa mais forte... Ou ligo pro Ken e peço o chicote, deve funcionar melhor...
- Chibimon! - Daisuke encarou-o - Quer parar de gracinha?! Ela é importante pra mim!
- E você não fez nada de errado, digo, não na mesa do jantar! Foi sincero com ela, disse o que lhe incomodava profundamente... A fez parar e refletir se estava ou não ferindo alguém sem se dar conta! Daisuke, pare de choramingar por algo que não foi nada trágico?! E não foi só você que disse isso à ela, entendeu?! O Takeru também! Tinhas que sair da mesa daquela forma, seu idiota?!

E as últimas frases do digimon o atingiram perfeitamente. O goggle boy calou-se e ficou olhando-o com uma expressão de confuso.
"Como assim o Takeru também disse isso à ela?!" -- pensou Daisuke. De alguma forma, não ouvia nada em relação do Takaishi por dias também, desde que a Yagami começou a evitar contatos com ele. Teria acontecido algo entre esses dois?!

- Takeru...? - murmurou o escolhido.
- Foi o que ela tinha dito - respondeu Chibimon - Não é só você que sofre quando acontece algo assim, outras pessoas também.
- Como o Takeru... E o Taichi-senpai...?
- Assim como eles também se preocupam com o teu bem-estar!
- Como a Miyako, o Ken e a Jun-neesan...?
- Agora faz o favor de parar de agir feito um idiota derrotado! O Daisuke que eu conheço jamais deixaria se abater dessa forma!
- Então o que está acontecendo com ela, Chibimon?
- E ignorar o Chibimon é outra coisa que ele não faz - resmungou o pequenino.
- Algum problema? Desequilíbrio entre o poder da luz e o das trevas...?
- A razão disso é a puberdade... Acho.
- E o que você entende de "puberdade" - encarou-o.
- Sua irmã tem um livrinho de capa rosa que foi atirado na minha cabeça ontem. Lá falava dessas coisas.
- Hein?! Deve ser um livro de biologia... Mas o que você estava fazendo com ele?!
- Ela atirou na minha cabeça em legítima defesa e por ter tomado um susto quando entrei no quarto dela achando que era o seu.
- Que mania daquela louca de atirar coisas no meu parceiro...
- peguei pra ler enquanto você chorava até as lágrimas secarem e aí descobri essa coisa de puberdade.
- Ok, então é só uma fase onde a Hikari me ignora, briga com todo mundo e pronto, os amigos e familiares dela ficam preocupados ao extremo?!
- Talvez também seja... Aquela coisa tê pê... ene.
- TPM, Chibimon... E isso não é, pois sei como é mulher de TPM. A Jun-neesan de TPM é um HORROR.
- Como pode ter certeza? Pelo que você contou, seu contato com a Hikari ficou mais restrito a partir de 2002.
- Está querendo me ajudar ou tirar uma comigo?!
- Viu! Funcionou, você tá falando e querendo brigar comigo como você briga com a Jun-neesan!
- Não entendo... O que você quer com isso.
- Chega disso, Dai! Levanta e vamos enfrentar esse problema juntos, ou perdeu sua coragem?


-------------------------------------------------------------

Passou algumas horas e o grupo apareceu no parque, encontrando a menina sentada encostada em uma das árvores dali, sobre uma toalha rosa com alguns detalhes de flores de cerejeira nas bordas. E junto dela, aquela mochila de viagens que Miyako sempre utilizava nesses encontros ou acampamentos.

Iori e Takeru vieram juntos dela, com algumas coisas extras. O segundo foi Ken, que também trouxe algo que sua mãe tinha feito especialmente para eles... E por último o Motomiya, com quase nada em mãos. Só aquela latinha de refrigerante e algumas guloseimas que tratou de negociar algo com Jun para que pudesse levar sua parte para o tal piquenique.

Mas, faltava alguém e esta pessoa não tinha dado sinal algum.

- Ei, Daisuke-kun... - chamou Takeru, olhando-o um pouco preocupado - Você viu a Hikari-chan hoje?

O loiro a perguntar pela primeiríssima vez algo daquele tipo para ele. Mesmo que fossem "rivais", Daisuke não estava muito a fim de colocar mais preocupação e peso nas costas do garoto. Aliás, depois que ficou sabendo da possibilidade deste também ter notado alguma diferença na escolhida da Luz, o Motomiya preferiu não comentar absolutamente nada sobre o que havia acontecido na noite anterior.

Pois sabia muito bem que, além dele e de Taichi, Takeru se importava muito com ela.

- Só vi o senpai pela parte da manhã - respondeu, com um ar pouco sério - Estive fora de casa também, só passei lá para pegar alguns biscoitos e doces para o piquenique.

- Ah, bem... Obrigado. - forçou um sorriso, para evitar que notasse um pingo de desânimo ao ouvir aquela resposta.
- Disponha Takeru - desviou os olhos castanhos para o cenário, tentando distrair-se e melhor o humor.
- Aconteceu alguma coisa entre vocês...? - perguntou Ken, que já tinha notado as ações suspeitas de ambos os moços.
- Nada. - e disseram em coro, no mesmo tom lento e pouco melancólico.

- Não parece... - comentou Iori - Se tiver algo incomodando, deveriam colocar para fora. Não estamos aqui só para os bons momentos. E isso nos deixa preocupados.
- Concordo com o Iori - pronunciou-se a Inoue - O Daisuke até sei o problema dele, mas e quanto a você Takeru?

- Não é nada grave - disse - Estou bem, só um pouco deprimido...
- É por causa da Hikari-chan também? - eis que um Daisuke abatido resolve se manifestar.
- "Também"? - exclamou o escolhido da Esperança.
- É, "também". Se for o mesmo caso, então sei o que pode ter acontecido.
- Como sabe? - continuou o interrogatório.
- Ontem mesmo brigamos. Tentei resolver a briga convidando-a para jantar como forma de desculpas e não pude controlar, disse o que me incomodava, o quanto ela tinha mudado comigo.
- Brigou com a Hikari-chan também?!
- Suponho que também tenham brigado, não ouvi ela citando seu nome faz algum tempo já.
- É... Aconteceu uma pequena discussão entre nós e resolvi deixá-la refletir um pouco, e fiz o mesmo...
- Que coincidência, acabei de fazer isso. Só que tenho a leve impressão de que a Hikari-chan está magoada e com raiva de mim agora.
- Só você?

E uma cena raríssima estava sendo presenciada pelos outros três: Daisuke e Takeru conversando normalmente e sem um provocar o outro. Sim, aqueles dois tinham horas que um falava/fazia algo para incomodar só para testar a paciência do outro companheiro.
Naquela vez, estavam a compartilhar a mesma dor e preocupação que nem ousaram fazer quaisquer tipo de brincadeiras.

Um sentia que deveria respeitar seu "rival" e não cantar vitória. O certo era ignorar rivalidades amorosas e fazer o que era certo.

- Bem, eles devem melhorar depois de um tempo de reflexão - supôs o Ichijouji aos dois escolhidos calados - Mas quanto a Hikari-san? Aconteceu algo e não poderá vir? Ou o Taichi-san esqueceu de avisá-la...?

- Talvez melhor enviarmos uma mensagem ou ligar para a casa dos Yagami - sugeriu o Hida - Pelo menos poderemos ficar mais aliviados se soubermos como ela está. E isso poderia acalmar o Daisuke-san e o Takeru-san...

- Sim, é uma boa idéia...! - comentou Miyako - Esperem um pouco, vou pegar meu D-terminal e já saberemos o que se passa com ela.

-------------------------------------------------------------

Fiquei trancada no mu quarto pensando no que tinha acontecido nesses últimos meses. Não, nesses últimos anos.
Se pensam que foi só o Daisuke-kun quem veio questionar o que estava de errado comigo, melhor não brigarem com ele.

Meses atrás, o Takeru-kun percebeu essa mudança. Ele disse que eu tinha mudado muito desde 2002, e parecia que alguma coisa estava me afetando. Ele temia que fosse alguma coisa relacionada ao Mar das Trevas ou ao Demon. Eu também temia isso, e ainda temo.

Fui "enfraquecendo" durante esse tempo, minha luz não se apagou totalmente pelo fato do oniichan, Takeru-kun e Daisuke-kun estiverem ao meu lado, juntamente da Tailmon e da Miyako-san. Eles quem mantiveram meu brilho vivo até agora. Mas, aos poucos percebo que essa força que me mantém está se esvaindo lentamente... É como se perdesse o controle de tudo e voltasse a ser puxada para aquele lugar. Para as trevas, para o fim, para a solidão.

Esse tormento continuou até que Takeru-kun brigou comigo, mas para o meu próprio bem. Oniichan não ficou sabendo muito bem do que tinha acontecido, pois não estava querendo que ele fosse tirar satisfações com o Takeru. Preferi ficar no silêncio e pensar na minha situação atual, se era só ele quem percebia isso ou se mais alguém ao meu redor pressentia uma súbita fraqueza pairando ao meu redor.

E, como pude perceber na note anterior... Não era só o Takeru-kun.

Daisuke-kun também percebeu essa mudança. E também quis compreendê-la. Mas não o deixei saber, não deixei e tentei ignorar qualquer forma essa mudança. Quis ignorar por não saber mais se era forte o bastante para evitar aquele lugar sombrio ou se, caso acasse sendo transportada para lá outra vez, conseguiria voltar para o mundo humano.

Quando o Daisuke-kun deixou que suas emoções e indignações escapassem, pude perceber o quanto enfraquecida já estava e a covardia que estava fazendo com ele, com o Takeru-kun, com o oniichan... Com todos. "Aquela Hikari-chan dos seus relatos", como o Daisuke-kun disse, parecia estar presa em alguma parte de mim... Mas essa fraqueza toda a impedia de sair e brilhar como nunca.

Se eu enfraquecer por completo, temo que aconteça algo terrível. Será minha culpa, pois eu carrego justo o brasão da Luz.
E meu dever é manter a luz em equilíbrio. O poder da luz deve manter-se equilibrado junto com o das trevas, pois ambos são faces de uma mesma moeda. Se eu fraquejar, a escuridão irá se tornar mais forte e assim poderá ocorrer outro desequilíbrio.

Talvez seja a hora de eu lutar contra essa fraqueza. Talvez seja a hora de acreditar no meu poder, e confiar nos meus amigos.


- ... Hikari? Você está bem? Já passou muito tempo aí dentro...! Sério, o que está acontecendo entre você e o Daisuke?! Não estou entendo nada dessa história! Pode me explicar...? Por favor? Hikari...?

...
Oniichan continuava preocupado comigo desde ontem. A minha situação tinha se agravado mais depois de ter ouvido aquelas palavras do Daisuke-kun... Mas não foi por mal. Nem ele, nem o Takeru-kun fizeram aquilo com intenção de me ferir...
Pelo contrário, fizeram-no para instigar minha coragem.

Tailmon permaneceu quieta pela parte da manhã, e estava pouco cansada devido ao fato de termos passado quase a madrugada inteira conversando, e tentando me acalmar. Ela precisava dormir, mas insistia em ficar ao meu lado, ao pé da cama, observando-me atentamente como se esperasse algum evento sobrenatural. No nosso caso, ser teleportada para aquele mundo negro e melancólico.

Para o nosso alívio, nada disso aconteceu. Meu D-3 reagiu algumas vezes, brilhando e formando uma espécie de "barreira de luz". Acho que foi por esse motivo que não tinha sido levada para o Mar das Trevas ainda, por mais que estivesse fraca.

- Taichi está te chamando, deveria tentar explicar a ele - e com uma voz serena e calma, minha parceira aconselhou isto.
- Eu não sei... Não quero deixá-lo preocupado, como já estão o Daisuke-kun e o Takeru-kun.
- Guardar isso para si e sofrer não irá ajudar, se não falar pode ser que da próxima vez você acabe indo para--

A porta foi praticamente arrombada pelo Agumon. Não duvidem que meu irmão, num ato de desespero claro, derrubasse a porta.
Para ele, minhas atitudes passaram a ser muito mais suspeitas do que antes. E isso já era preocupante.

- Hikari! Pode ao menos dizer o que aconteceu ontem?! Sei que isso pode até te magoar, mas o estado que o Daisuke ficou me deixou confuso...! E outra coisa que acabei notando, o Takeru também não apareceu mais por aqui, teve alguma briga com ele também?! Por favor, se eles perceberam algo de errado... Poderia explicar para nós o que está te deixando assim?!

- Taichi... Sua mãe não vai ficar brava por termos arrancado a porta--
- Não me importo com o sermão que vou levar - ele voltou-se para o Agumon - Estou preocupado com minha irmã.
- Ah... Todo mundo está, não é mesmo...?

Ao invés de respondê-lo, Taichi-oniichan entrou e me abraçou fortemente. Agora tinha percebido: Essa súbita fraqueza estava começando a afetar os escolhidos, começando pelos que mais se importavam comigo.
Se não tomasse uma atitude, poderia atingir o grupo inteiro. Poderia causar algo ruim e que condenaria a todos nós.

- Ela está enfraquecida - explicou Tailmon - A Hikari começou a se sentir fraca outra vez, como se fosse um sinal de que as trevas tenham ganhado força. Não sei exatamente se esse seria o caso, mas acho melhor termos cuidado quanto a isso.

- Fraca...? - exclamou ele e o Agumon.
- Sim. O digivice dela brilhou três vezes durante a madrugada, isso me fez ficar em alerta.
- Mas, se ela está enfraquecida - começou Taichi-oniichan - então o que está causando isso?
- Não sei. Nem ela sabe direito... Só estou aconselhando nos mantermos em alerta.
- Fraca... Mas quem qual sentido? - perguntou Agumon - de fome, de energia, de quê?

- A Luz da Hikari foi afetada naquela vez com o desequilíbrio do poder das trevas, esse efeito pode ainda estar enfraquecendo-a, mas não como antes. Mesmo assim, essa fraqueza já a deixou assim. Se piorar...

- Não posso deixar que isso aconteça! - gritei, estava ouvindo aquilo e segurando meus berros, mas não pude mais - Mas não sei como...! Não tenho idéia de como combater isso... E... E isso vai afetando aos poucos vocês, começando pelo Takeru-kun, com o Daisuke-kun... contigo oniichan... Eles estão preocupados comigo e... E não os contei nada!

- Tenha calma, Hikari... Está tudo bem, estou aqui. A Tailmon também, o Agumon... O Takeru e o Daisuke também estão, por mais que pense em eles estarem chateados contigo ou seja lá o que aconteceu... Mas você não está sozinha, mantenha o controle.

De repente... Senti uma calmaria. O abraço do Taichi-oniichan confortou-me e então pude sentir um pouco melhor. Mesmo assim, não sabia explicar o que tinha acontecido comigo. Pode ser que a Tailmon esteja certa e que o desequilíbrio tenha me deixado um pouco "quebrada".

- Ah, a Miyako também está preocupada... Bom, ela viu o estado que o Daisuke estava esta manhã, e então decidiu fazer um piquenique para animar as coisas. E você conhece muito bem ela - riu - Se não for, haverá umas trezentas mensagens na caixa postal e mais umas duzentas ligações para cada telefone desta casa.

E é verdade. Meu D-terminal já estava apitando logo depois daquela frase. Levantei-me do chão e andei até a mesa de trabalho. peguei o aparelho e abri a mensagem. Como a Miyako-san diz, BINGO.

Era ela perguntando se eu estava bem, se queria conversar ou se o oniichan tinha me avisado sobre o piquenique. De alguma forma, olhei para trás e o vi uns dois passos atrás de mim, espiando a mensagem. Ele sorriu, como se dissesse "Não te falei? Ela já está perguntando sobre sua demora" e eu ri daquele sorriso. Me sentia melhor, muito mais agora.

- Acho melhor ir, ou logo vai pipocar um batalhão na porta querendo saber como você está.
- Oniichan, é feio ler a conversa dos outros! - brinquei, a sensação ruim ia passando aos poucos.
- Nem li, só vi que recebeu uma mensagem... - e ele fez-se de bobo - Era de quem mesmo? Miyako? Daisuke? Takeru?
- Era a Miyako-san. Está perguntando se vou ao piquenique ou não.
- Então, qual sua resposta? Sim? Não? Talvez? "Tenho um outro compromisso" e aí vai aparecer dois moços preocupados daqui a duas semanas?
- Não exagere! E... Aquela sensação... Ela... Ela passou.

- Hikari, sentir-se mal é algo natural, principalmente desânimo ou falta de confiança - ele colocou a mão no meu ombro, mais calmo que antes e mais aliviado ao ouvir aquilo - Mas não deixe que isso te enfraqueça. Oras, minha irmãzinha não deixou ser vencida por uma gripe, muito menos pros Dark Masters e os outros inimigos que enfrentamos.

- Sim... Desculpe, oniichan... Deixei todos vocês preocupados--

- Ah, mais uma coisa... Pega leve consigo mesma. Não cobre muito ou vai acabar se esgotando dessa forma. Eu sei que é difícil manter o equilíbrio entre duas coisas, mas não pode deixar a preocupação te subir à cabeça e se tornar desespero. Se acontecer algo, não esconda! Nos avise imediatamente! Inclusive se sentir que alguma coisa está errada, tipo o Demon se soltar ou algum inimigo novo aparecer. E não se esqueça, se as trevas tentarem te assustar, chame-nos e iremos chutá-la de volta para o lugar de onde elas vieram!

Ele sorriu, passou a mão no meu cabelo e me deu um beijo na testa. Em seguida, saiu do meu quarto e...

- TAICHI QUE BARULHO FOI ESSE?!
- Nada mãe! O Agumon só arrombou a porta.
- O QUÊ?!
- D-digo, FOI NADA!!


...
Bom, há certas coisas que não mudam.

- Hikari, está se sentindo melhor? - perguntou a Tailmon.
- Sim, agora estou. Bem... Acho melhor nos apressarmos antes que a Miyako-san envie uma chuva de mensagens.
- Estou mais aliviada... Por um momento pensei...
- Foi só uma recaída. Nada de mais... Esqueci que não devo exagerar muito e nem deixar que esses medos me dominem.
- Que bom... Ah, outra mensagem...?
- Melhor irmos até lá e dizermos que está tudo bem agora...

-------------------------------------------------------------

- Ela não respondeu até agora... Deixa eu tentar de novo, pode ser que não tenha sido enviada a mensagem!

- MIYAKO!!

- Desculpe pessoal, mas agora eu quem estou preocupada!!

- Sim, nós não precisamos perguntar - disse um Daisuke irônico.
- Não precisa ser irônico com ela - bronqueou Takeru.
- Mas desta vez é um exagero!
- Daisuke-san, por favor - pediu Iori seriamente.
- Motomiya-kun, sabemos que está angustiado, mas por favor evite descontar nos outros - reclamou o escolhido da Bondade.
- *sigh* Ok, ok... Foi mal Miyako...

- Isso não me interessa agora! O que interessa é...

Ouviram um som de sininho de bicicleta. O quinteto parou imediatamente de discutir entre si e puseram a olhar para a entrada do parque. Uma silhueta familiar parou com a bicicleta alguns metros dali, pegou algo dentro da cestinha e foi em direção ao grupo.

Os olhos do pessoal arregalaram-se quando a incógnita parou diante deles.

- Desculpem pela demora! Tive uns probleminhas pessoas... Daisuke-kun e Takeru-kun estão cientes disso...! - e a Yagami reverenciou-os, pedindo educadamente desculpas.

- S-Sabemos?! - exclamaram os dois citados.
- Ué, Takeru - falou Patamon - Você não estava notando algo diferente na Hikari antes?
- E quem é que tava chorando ao pé da árvore hoje pela manhã, hein Dai-chan? - cutucou Chibimon.

- Desculpem! Eu senti alguma coisa de errado... E deixei que isso me afetasse! E ao invés de tentar resolver, permiti que isto atingisse vocês, inclusive o Takeru-kun e o Daisuke-kun! Mas... Mas graças a vocês, e ao oniichan, estou melhor. Creio que foi só uma preocupaçãozinha... Espero que me perdõem!

- A Hikari-chan voltou a ser como era antes, não...? - sorriu o Motomiya.
- Eu aposto que sim - respondeu o Takaishi.

- Iori... Vamos comer, dagyaa...?
- Ken-chan...?
- Miyako-san, poderíamos iniciar o piquenique por favor?
- Ei, Daisuke também tou com fome!
- TakeRU~ Eu também estou com fome~


Claro que, a única que não tinha dito nada em relação à comida foi a parceira de Hikari...
Que continuou de olho em sua parceira, como sempre fazia.

- Tailmon...? Está tudo bem, não precisa se preocupar tanto.
- Mas...


- Oi. Tailmon, você ouviu a Hikari-chan... Senta aí e come!
- Daisuke-kun! Olha os modos!
- F-Foi mal, Hikari-chan...!!



Talvez estivesse tudo sob controle agora.
Talvez...

-------------------------------------------------------------

(ya. em aberto... =x= Não sei pq, mas enquanto escrevia me deu vontade de tornar mais extenso e sério...)

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: "aquilo que vocês imaginavam que NUNCA sairia das mãos desta fan maluca"

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum