Digimon Chronicle

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Digimon Chronicle

Mensagem por Marcelo Yashida em Seg Ago 06, 2012 12:51 pm




Nota do Autor:
Bom
pessoal eu sou Marcelo Yashida e escreverei essa fan-fic de digimon
aqui no forum, bem eu pretendo que ela faça sucesso,pois trabalharei
duro a partir de hoje para que vocês se satisfaçam com as aventuras de
um novo mundo digimon, uma nova versão, novos herois e muito mais.
Havera
coisas que eu postarei aqui de minha propria autonomia, ou seja,
haverão cidades, historias e coisas que eu criei da minha mente, então
se tiverem duvidas podem me perguntar!
Como o nome da fanfic já diz:
"Digimon Chronicle" (Digimon Cronica), essa fanfic será dividida em
sagas, ou temporada seja como você preferir. As sagas terão cercas de
aproximadamente 10 capitulos/episodios, ou seja, será uma longa
aventura, então divirtão-se.
A fanfic será postada semanalmente aos fins de semana, mais provavel que seja aos domigos.
Se
tem uma coisa que eu gosto é que as pessoas participem de certas
descisões da fanfic para que ela os agrade então em certos momentos
haverão votações pendentes para que vocês descidam entre se a melhor
escolha.
Obrigado!

Notas Extras:
Personagens:
Eu postarei aqui as fichas dos personagens e seus digimons conforme o andamento da fanfic.
As imagens dos personagens são tiradas do google e eu já usei essas imagens varias vezes ok?


Nome: Yusuke Sasaki
Idade: 14
Personalidade: É um jovem animado, e bastante fiel a seus amigos, é bastante temoiso, mas nunca deixa seus amigos na mão.
Digivice:

Digimon:Dracomon


Nome: Daisuke Sasaki
Idade: 15
Personalidade:
Jovem rebelde e muito ignorante, gosta de ficar sozinho, mas é irmão
mais velho de Yusuke, eles não se dão bem principalmente por parte de
Daisuke.
Digivice:

Digimon:Fanbeemon



PROLOGO

_O que você faria se o destino de um mundo inteiro fosse entregue em suas mãos?
Essa concerteza seria uma descisão com dois lados.
E
por pura coecidencia da vida, varias pessoas tiveram que tomar essa
descisão sem ter nem um dia para pensar, afinal o mundo continuara a
girar tranquilamente, e acaba que o tempo passa e você tem que
acompanhar cada detalhe!- Falou WarGreymon.
_Belas palavras
WarGreymon, pena que elas não vão impedir que meu exercito tome conta do
seu prescioso digimundo. -Disse ignorantemente um ser negro no qual não
via-se o rosto.
_O que fez você tomar essa descisão velho amigo?
_Não lhe interessa... Afinal seu reinado já estava chegando ao fim!
_O meu está, mas mesmo que me destrua ainda havera mais seis reis para destruir, e pelo que eu sei eles são bem jovens.
_Não
importa, o seu reino é o maior de todos e agora que ele está sob minhas
mãos eu poderei erguer uma fortelaza para que depois todo o digimundo
seja meu... Mas eu não vou te destruir... Não agora, eu quero que você
assista todo o seu presciso mundo entrar no caos...
_Não, você não vai ganhar... Existem guerreiros lá fora...
_Todos digimons inuteis...
_Não são simples digimons, são os sete digimons herdeiros dos sete reis da ordem e seus treinadores!
_Humanos? Não tem problema que venham todos eu não tenho medo, afinal estou mais poderoso do que nunca... HAHAHAHA!

~FIM~
avatar
Marcelo Yashida
Digitama
Digitama

100%
Masculino Mensagens : 5
Data de inscrição : 06/08/2012
Idade : 19

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Digimon Chronicle

Mensagem por Marcelo Yashida em Ter Ago 07, 2012 7:25 pm

Episodio Um: Viagem inesperada!

Era uma manha nublado, o sol mal brilhava, Eu ainda dormia, afinal era sabado e não havia aula.
O meu sono não durou até as nove da manha, pois foi quando eu acordei com o terrivel barulho da ré do caminhão lixeiro... Após aquele terrivel barulho eu me levantei e fui até a cozinha para tomar um copo de leite e dei de cara com seu irmão que asistia TV.
:Bom dia mano... -Eu disse lhe comprimentando
:Enfim acordou preguiçoso... -respondeu meu irmão com ignorancia
Daisuke nunca se derá bem comigo, ele era um ano mais velho e mesmo assim não tinha respeito por mim o irmão mais novo, afinal de contas ele era o mais velho ele tinha o poder, era o que o mesmo pensava e sempre fazia questão de repitir para mim sempre que eu o questionava: "Eu sou o mais velho, você que tem que me respitar, eu que mando".
Desde o sumiço do nosso pai Daisuke nunca foi o mesmo, lembro que nós dois bricavamos no quintal todos os dias de super-herois.
Quando eu abri a geladeira vi que não tinha leite, e a mesma estava praticamente pelada, nossa mãe sempre fazia compras durante o mês, mesmo com o sumiço do nosso pai ela tinha um bom emprego que dava para sustentar a casa, todas as manhãs ela deixava cerca de cinquenta dolares na mesa e saia para trabalhar, só que ao inves de Daisuke o mais velho poderoso fazer as compras eu que fazia. Foi então que dei um suspiro grande.
:Porque o suspiro imbecil?
:Mais uma vez você não fez as compras... Que coisa Daisuke, é assim que você tem coragem de se chamar de mais velho?
:E qual o problema, você sempre vai me obedecer sabe por quê?
Eu não queria saber a resposta daquela pergunta, mas mesmo assim falei:
:Não... Por quê?
:Porque você é fraco, tanto na questão fisica quanto mental, você não é esperto, é um idiota, agora va lá comprar as coisas!
Eu aguentei calado, não queria caçar briga... Eu sei que sou mais fraco em questões de preparo fisico, mas mental? Não minha mente pensa grande, eu consiguo descifrar codigos, e criar coisa que ninguem mais faria.
Ta não sou tão "gênio" assim, mas digamo que sou metade disso.
Sem falar mais nada peguei o dinheiro e sai de casa.

Na rua...
Quando eu pisei um pé pra fora havistei Rose, a minha amiga de infancia que mora na casa da frente, ela sempre me consola quando estou triste e sempre me ajuda a solucionar os problemas com aquele jeito meigo que ela sempre teve.
:Boooom Dia Yusuke! -Ela me comprimentou como todas as vezes, sempre alegre.
:Bom dia Rose!
:Você brigou com seu irmão denovo ne?
Incrivel! Ela me conhecia ja somente pela voz, era impressionante isso.
:Infelizmente sim... Mas vamos deixar isso de lado, eu estou indo ao mercado lá na praça quer vir?
:Sim, eu estava indo fazer uma caminhada mesmo!
Nós fomos conversando todo o caminho, demoramos aproximadamente meia hora para chegarmos na praça, estava lotada eu havia me esquecido que era sabado de liquidação em todo o bairro, nessas epocas a praça fica tão cheia que temos que tomar cuidado.
Eu fui ao mercado, não vou falar que foi tranquilo, pois foi bem agitado, estava tão cheio que eu mal conseguia escolher os produtos, devo ter demorado aproximadamente duas horas fazendo as compras, o que me deixou com mais raiva do meu irmão.
Quando eu sai Rose estava sentada em um banco de madeira, com uma tinta branca que já estava praticamente toda desbotada.
:Pronto!
:Até quem fim!
Quando eu estava me aproximando do banco um cara trombou em mim deixando cair dois aparelhos que se pareciam com telefones:

Eu não consegui ver o cara, ele vestia um sobretudo bege escuro com a gola levantada e um chapéu preto.
Quando eu levantei o cara já havia sumido, como se ele tivesse evaporado. Eu peguei os aparelhos, um era de um tom cinza e o outro em um tom roxo, Rose pegou o roxo da minha mão, me deixando com o cinza.
:Que bonito, o que será que isso faz?
:Não sei... Parece ser uma especie de celular...
:Seja o que for parece que o aquele moço não os quer mais, vou ficar com esse treco.
:Eu também...
Depois daquilo nós voltamos para casa...

Em casa...
Quando cheguei meu irmão não estava, eu não fazia ideia de onde ele poderia ter ido... Minha mãe ainda não tinha chegado, eu estava completamente sozinho naquela casa, que não era tão grande. Ela só tinha três quartos uma sala que era junto com a cozinha e um banheiro simples.
Eu fui para meu quarto, ele estava escuro, eu tentei acender as luzes mas elas pareciam ter queimado, derepente toda a casa entrou numa escuridão profunda, as luzes de toda a casa cairam como se a energia da casa tivesse acabado. Eu não me preocupei de inicio.... Eu fui até a sala conferi o padrão na parede, ele estava ligado, eu o desliguei e liguei novamente e nada aconteceu.
Tranquilo achou que era um problema na rede externa da casa fui até meu quarto.
Quando entrei não exergava quase nada, eu já havia guardado as compras na geladeira e a unica coisa que continuava comigo era o estranho aparelho que o cara havia deixado cair no chão, eu o coloquei na frente do computador e fui deitar.
Eu ficava olhando para o teto com tedio, quando me verei eu percebi uma luz vinda do aparelho estranho, eu me levantei e fui até ele, na tela estava escrito: "Digivice ativando processo de transferimento em...00:10 segundos"
Eu nem tive tempo para pensar, eu não sabia o que signifacava aquilo e com questão de segundos o aparelho começou a fazer um barulho estranho, meu corpo começou a ficar com numeros verdes, eu fiquei apavorado não sabia o que fazer, derepente para piorar o meu computador se ligou a tela estava com uma imagem de portal, como daqueles filmes de ficção.
E quando o aparelho chegou ao fim da contagem eu entrei pelo computador e então eu desmaei...

~FIM~
avatar
Marcelo Yashida
Digitama
Digitama

100%
Masculino Mensagens : 5
Data de inscrição : 06/08/2012
Idade : 19

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum