Digimon Krieg

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Digimon Krieg

Mensagem por Daichi Yamamoto em Sex Jan 04, 2013 4:50 pm

Uau! Mal cheguei já estou postando algo aqui...
Aqui vai uma fichinha dela:
Nome da Fanfic: Digimon Krieg
Nome do(s) Autor(es): Digi Rei
Gênero Principal: Aventura e ação
Em que foi foi baseada: Um pouco de todas as temporadas
Recomendação Etária: +12
Uma pequena Sinopse da História: Wolf é um jovem que tem um digimon das trevas, porém este de trevas possui pouco. Eles são ameaçados por Suspamon e vão para o Digimundo encontrar a X1, uma organização de Escolhidos, que pretende salvar o mundo das garras de Suspamon.


Avisos:
- Suspamon é um digimon criado por mim, no fim do prólogo, irei pôr uma ficha dele.
- Pode ser que em breve apareçam alguns outros digimons feitos por mim, quem sabe eu ponho um desenho deles, né?
- Também pode aparecer futuramente algumas coisas que eu inventei para esta história!


Um piano tocava numa sala vazia.
De um lado havia um sofá vermelho vazio e do lado oposto, uma janela com uma sacada, de onde se podia ver o Sol. A sala era toda pintada da cor bege e com detalhes dourados.
Sentado num banquinho tocando o piano, estava um jovem de mais ou menos quinze anos, com um terno azul-marinho e sapatos pretos e cabelos loiros.
Ele tocava Für Elise, de Beethoven.

Repentinamente parou de mexer seus dedos e disse:
- Mephistomon... O que achou? Melhorei, né? – E sorriu.
Um ser de mais ou menos dois metros surgiu sentando no sofá avermelhado, tinha patas semelhantes às de animais, braços longos e peludos, como as pernas e cabeça de bode, com asas negras, ele aplaudiu com palmas abafadas o amigo.
- Muito bom, Wolf! – Elogiou o estranho ser.

O jovem se chamava Wolfgang, por ser um nome grande de mais, era apenas conhecido pelo seu apelido Wolf. Mas também, por ter poucos amigos e não ser sociável, esse apelido lembrava o lobo, animal, que caça e vive sozinho.

O garoto se levantou e se espreguiçou, andou até a sacada, o Sol começava a se pôr no horizonte e as nuvens estavam manchadas de um tom vermelho-alaranjado. Logo abaixo, um jardim de concreto, com estátuas e grandes árvores com arbustos floridos completavam a paisagem.
O jovem olhava para o fundo, fitando as nuvens se encontrarem com o Sol e pensava em seus pais, que sumiram fazia dez anos. Com cinco, o menino viu seus pais se despedirem para o Japão para uma pesquisa, que anos depois foi abandonada e Sven e Helga Herz nunca mais voltaram!
- Wolf? Você está bem? – Perguntou Mephistomon levantando-se e dirigindo-se até a sacada junto ao seu amigo.

O garoto ainda fitava o fundo ensolarado pensando em seus pais.
- Onde eles estão, hein? O que será que eu fiz para que eles ficassem lá para sempre e me deixaram aqui? Porque não voltaram? – Lágrimas começaram a escorrer pela pele lisa do rosto do garoto. – Eu os quero de volta! Quero ver meus pais! – Gritou o garoto. – E assim correu para o sofá.
Lá ele pegou uma almofada pressionou-a contra o rosto e deu grito, que foi abafado. Gritou novamente, mas depois deste último, deixou a almofada cair e falou:
- Mephistomon... Você vai me abandonar como eles fizeram?
- Hã... Não, claro que não! – Falou, chegando mais perto do menino. – Entenda jovem, eles não te abandonaram! Talvez eles ainda estejam com o projeto! – Mas não estavam. O projeto fora desativado há anos e todos que trabalhavam nele... Sumiram. – Ou...
Wolf limpou as lágrimas e disse mais pessimista ainda:
- Ou... Eles morreram!
Mephistomon olhou para o garoto espantado. Sua natureza era para ser um digimon ruim e do mal, mas enquanto viveu com Wolfgang, percebeu que não era isso que queria para sua vida. O garoto o fez ver como é legal ser bom... Por isso ele queria ver Wolf feliz, nunca triste.
- Eles não devem estar vivos... Se não já teriam mandado alguma carta ou e-mail... Mas não disseram nada! NADA!
- Wolf... – Então, o ser deu um grito de “basta”: – CHEGA! Você é muito pessimista! Quem disse que seus pais morreram?! Você não sabe! Eu não sei! Por favor... Pare! Eu não gosto de ver você assim...!
Os olhos do garoto foram de encontro ao do estranho ser e disse:
- Nunca pensei que... Que digimons tivessem sentimentos!

- Principalmente digimons como eu! Digimon das trevas, digimon da escuridão... Um demônio! – Olhou para o garoto e disse: – Mas, Wolf, você me fez ver que... Eu não preciso ser mau, não preciso ser assim para viver! Você é uma boa pessoa, então não seja pessimista para estragar o ser maravilhoso, que você é!
O jovem ficou impressionado com o que acabara de ouvir de seu amigo. Estava certo que ele era um demônio, um ser das trevas, pois o do tipo dele, são associados à essas qualidades. Mas não é por isso que todos os tipos tinham que ser maus!

- Huh... Você se lembra de quando nos conhecemos? – Falou o garoto com os olhos vermelhos e fitando o Sol mais escondido e o céu cada vez mais escuro. – Você só pensava em fazer o mal, lutar, brigar, tentava me matar algumas vezes, mas sempre dava uma desculpa pra não dizer que queria acabar comigo! Você era mau mesmo...
- Há, há! – Riu o ser em pé na frente do menino sentado. – Lembro-me bem! Eu queria voltar para casa... Eu já vim como um Mephistomon para cá... Você disse que nunca se preocupou com evolução... – olhou para seu amigo – Você tem certeza que não se importa com isso? Sabe, se eu evoluir, ficarei mais forte e...
- E o quê? – Disse Wolf num tom sério. – Você vai ficar descontrolado! Vai ficar mau de novo! Se você, Mephistomon, puder evoluir, não vai! – Gritou. O digimon arregalou os olhos de espanto, nunca vira o menino tão sério.
- Sim, Wolfgang... Não se preocupe, não vou evoluir!

O menino se levantou de novo e já melhor, andou até a sacada e deu uma última olhada para o pôr do Sol e viu algo estranho vindo do Sol, ou pelo menos é o que pensou. O tempo passava e o ponto preto aumentava.
Uma rajada de ventou tomou conta do local, não tinha nuvens escuras no céu. Seria apenas uma ventania normal? Não! As paredes ficaram avermelhadas, o céu ficou vermelho, o Sol mudou de cor. O tempo parou!

- O-O que está acontecendo, Mephistomon? – Indagou Wolf se protegendo do vento, que parou e revelou algo no meio das cortinas vermelhas e longas.
Andou alguns passos e parou. Usava muitos panos para ser reconhecido, por baixo, um tipo de calça feita de couro, com retalhos por cima, usava um cachecol – apesar de estar quente – e não tinha camisa. Mal se podia ver a pele dele, pois havia um roupão enorme, igual aos da figura do Ceifeiro.
- Olá Mephistomon! Então este é o Wolfgang Herz?! – Falou o desconhecido. – Meu nome é Suspamon!
-------------------------------------

Eis aqui uma ficha de Suspamon:
Ficha de Suspamon:
Nome: Suspamon
Significado do Nome: Suspa vem de suspautas > comprimido em lituano (algo que foi apertado)
Ataques: Desconhecidos até então
Tipo: Demônio
Nível: Desconhecido
Descrição: Um Digimon cruel que só pensa em destruição, quer dominar o Digimundo e o planeta Terra também!

Tenho já três capítulos prontos e o quarto está quase no fim .
Espero que essa história vá longe! :D

P.S.: Os capítulos são bem maiores que esse prólogo! '-'

PERSONAGENS (a cada aparecimento, um novo será adicionado!):
- Wolfgang Herz (Áustria)
avatar
Daichi Yamamoto
Baby 2 (Younenki II)
Baby 2 (Younenki II)

Comportamento : 100%
Masculino Mensagens : 83
Data de inscrição : 20/12/2011
Idade : 19
Localização : Planeta Terra!
Mensagem Pessoal : Sou uma pessoa como as outras, um pouco louco por comida... (tenho que me controlar)

http://gow-oblog.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum