Digimon: Forgotten Tales [One-Shot Collection]

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Digimon: Forgotten Tales [One-Shot Collection]

Mensagem por Merz em Seg Abr 09, 2012 1:13 am







Acabei me deparando com minha antiga coleção de One-shots aqui no pc recentemente, e hoje resolvi postar. Tenho buscado motivação para me reconectar a Digimon e quem sabe um dia terminar minha fic principal, por isso acho que o feedback (se houver) daqui pode vir a ajudar. São histórias bem simples, de escrita banal e fluída, nada complexo mesmo, e a maioria é bem antiga, da época eu que eu era bem ruinzinho xD

De qualquer forma gosto delas, e esse tópico é um acervo onde costumo guardá-las, algo no estilo das Memórias Perdidas da Rayana, a ideia surgiu daí, na época, inclusive.

Já vou postar a primeira one-shot, que me lembro que foi escrita com base naquele famoso episódio 08 de Adventure. Enfim, quem quiser ler, leia, quem quiser reler, releia. Não custa postar =3

Obs: Ativem o HTML para visualizar corretamente por gentileza ;)



Hora do Banho



Título: Hora do Banho!
Género: Comédia, Amizade
Temporada: Durante Digimon Adventure 01
Personagem(ns): Taichi, Yamato, Koushirou, Jou, Takeru, Mimi, Sora
Classificação: K (Todas as idades)



- Dá para parar com essa bagunça, Taichi? – reclamou o loiro. Sua face estava corada e seu corpo estava quase completamente imerso na água fervente.

- Ah, vê se não me enche, Yamato! Eu tava com a maior saudade de tomar banho! – retrucou Tai animado, ocasionalmente disparando jatos d'água contra o pobre Koushirou.

- Takeru, a água tá muito quente? – Yamato decide ignorar o amigo e focar a atenção no seu irmão menor.
- Não onii-san, não precisa se preocupar tanto comigo! – Takeru responde num tom infantil. O vapor formava uma névoa densa ao seu redor, mas seus olhos azuis cintilavam de excitação.

- Ei, pessoal, o quê vocês acham que elas estão fazendo? – questionou Taichi interrompendo a discussão dos dois irmãos e apontando para a parede que separava as duas casas de banho, de um lado as meninas, do outro os meninos.

- Tomando banho ué, não é para isso que todos viemos aqui? – Yamato estava de mau-humor.
- Querem dar uma espiadinha? – Tai saiu da água com um pulo, um sorriso maroto brincou em seus lábios, e seu enorme volume de cabelos castanhos ensopados davam-lhe um aspecto assustadoramente primitivo.

- Não me diga que você vai... – respondeu Koushirou abaixando o rosto, envergonhado.

- Taichi volte já aqui, como o mais velho eu tenho que... – mas Tai já não prestava atenção no chamado de Jou, estava ocupado pensando numa forma de enxergar o outro lado, onde as meninas estavam.

- Ei, Koushirou, me dá uma ajudinha aqui – chamou o Escolhido da Coragem. Koushirou boiou para a outra extremidade da casa de banho, fingindo não ouvir - Você acha mesmo que eu vou te ajudar numa coisa dessas? – respondeu, tão vermelho que parecia a ponto de explodir.

- Eu ajudo! – gritou Takeru também saindo da água com prontidão.

- T.K espera! Você não entende... – Yamato gesticulou um facepalm, mas Takeru ignorou. Joe suspirou impotente, e Taichi riu-se, vitorioso. De alguma forma Koushirou parecia ainda mais vermelho.

- Taichi ...! Eu te ajudo, só deixa o Takeru fora disso...

Takeru protestou quando o irmão mais velho literalmente jogou contra as águas termais mas logo voltou a se entreter fazendo bolhas na água fervente.

Taichi instruiu Yamato a lhe levantar sobre o muro, e o loiro anuiu certo de que aquilo terminaria de uma forma muito ruim, bem como a maioria das ideias de Taichi costumavam terminar.

- A Sora vai ficar uma fera com você.
- E quem disse que a Sora vai ficar sabendo? - Taichi sorriu seu sorriso bobo novamente, mas as costas de Yamato já começavam a protestar.

- Vai logo Taichi, a visão aqui não está nada agradável!
- Calma aí, não dá para ver nada com todo esse vapor, me levanta mais!
- Droga, vou tentar! – respondeu o garoto loiro colocando toda força nos braços. De onde vinha todo aquele peso afinal? Devia ser o cabelo...

Do outro lado...

- Você ouviu alguma coisa, Mimi?
- Não... O que foi?
- Hmm, pensei ter ouvido a voz do Taichi logo aqui do lado...
- Eles devem estar gritando, só isso. Vocês sabe como eles são.

De volta ao lado dos meninos...

- Vocês realmente deviam parar com isso - Jou alertou pela quinta ou talvez sexta vez.

- Força Yamato, deixa de ser fracote!
- Mais uma palavra e eu deixo você cair e amassar essa bunda gorda no chão!
- Bunda gorda? Minha bunda parece normal daqui. É ainda menor do que a sua.
- Porque caralhos estamos a discutir bundas?!
- Foi você que começou.
- Sério, não me irrite mais do que já irritou Taichi!
- Como quiser... Vamos, falta pouco!

Yamato fez um esforço final, que acabou mais forte do que o planejado. Sem perceber ele levantou Taichi alto demais, este que acabou perdendo o equilíbrio e estatelando-se no chão duro do outro lado.

- O que foi isso? – Sora virou-se para descobrir o que tinha causado o barulho.
- Ai meu Deus, é o Tai! – gritou Mimi apontando para a figura caída logo ali perto.
- Ai, acabei caindo de bunda mesmo... – suspirou Taichi com dores por todo corpo.
- O... Tai...? – Sora olhava encabulada.
- AHHH!!! SAI DAQUI!!! – gritaram as duas desesperadas.


Última edição por Petyr Baelish em Ter Maio 01, 2012 1:53 am, editado 21 vez(es)
avatar
Merz
Baby 2 (Younenki II)
Baby 2 (Younenki II)

100%
Masculino Mensagens : 148
Data de inscrição : 23/08/2011
Idade : 24
Localização : São Paulo - SP
Mensagem Pessoal : Happy, free, confused and lonely at the same time

http://www.merzworks.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Digimon: Forgotten Tales [One-Shot Collection]

Mensagem por Rayana em Seg Abr 09, 2012 9:07 am

I FUCKING MISSED THIS!! *w* Lol!!

One-shots boas, simples, com OS personagens que marcaram a primeira geração. E melhor: com as atitudes fieis ao anime original, sem invencionices a mais. xDD Lembro-me de comentar e acho até que usava os nomes adaptados, não sei ao certo, mas eu curto momento aleatórios deste tipo.

\o/ Bring it on!!!
avatar
Rayana
Ultimate (Kyuukyokutai)
Ultimate (Kyuukyokutai)

100%
Feminino Mensagens : 1766
Data de inscrição : 19/08/2011
Idade : 28
Localização : Portugal
Mensagem Pessoal : Born to be wild.

http://rainbow09.comli.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Digimon: Forgotten Tales [One-Shot Collection]

Mensagem por dmem4e em Seg Abr 09, 2012 9:41 am

a sério? a sério? a sério? onde é que isto já vai! ahauuauahaua que bom que tenhas pensando em voltar a postar estas one-shots pk são EPIC!!! esta, por exemplo, já me valeu um momento de risadas x'DDD especialmente qnd o taichi e o yamato começam a discutir sobre as suas bundas ahauahuahahahau
VENHA MAIS! \o/
avatar
dmem4e
Child (Seichouki)
Child (Seichouki)

100%
Mensagens : 168
Data de inscrição : 22/08/2011
Idade : 22
Localização : NOUTRA DIMENSÃO!

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Digimon: Forgotten Tales [One-Shot Collection]

Mensagem por Hikari no Hana em Seg Abr 09, 2012 10:28 am

Petyr Baelish escreveu:
- Droga, vou tentar! – respondeu o garoto loiro colocando toda força nos braços. De onde vinha todo aquele peso afinal? Devia ser o cabelo...

Essa frase, por si só, me deixou rindo por mais de horas :p
avatar
Hikari no Hana
Child (Seichouki)
Child (Seichouki)

100%
Feminino Mensagens : 276
Data de inscrição : 22/03/2012
Idade : 28
Localização : São Bernardo/São Paulo - SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Digimon: Forgotten Tales [One-Shot Collection]

Mensagem por Gust em Seg Abr 09, 2012 7:18 pm

Eu lii, eu li!!! :D

Curti o texto. haha Foi rapidinho, gostei.

Pensei que eles iriam dar uma de Sai do Naruto e não falar de bundas. dhusauhdasuh Mas bunda é (MUITO) bom também. :X hahahaha


Aguardo a próxima oneshot! :-)
avatar
Gust
Baby 2 (Younenki II)
Baby 2 (Younenki II)

100%
Masculino Mensagens : 54
Data de inscrição : 29/08/2011
Idade : 25
Localização : Far far away

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Digimon: Forgotten Tales [One-Shot Collection]

Mensagem por Merz em Ter Abr 10, 2012 11:17 pm

Ray, Maf, acho que vale a pena continuar postando, mesmo que as mesmas coisas, só pra ler os comentários de vocês xDD Thanks! Gust comentou, what kind of sorcery is this?! E Hikari, obrigado! Acho que de todos aqui que comentaram só você não tinha lido ainda.

Bom, segue a próxima história (essa eu nem revisei ein) ...



Romance Virtual



Título: Romance Virtual
Gênero: Romance, Comédia
Temporada: Após Digimon Zero Two
Personagem(ns): Koushirou, Taichi, Mimi
Classificação: K (Todas as idades)



Mundo Real 13:46 – Residência dos Izumi

[Você tem 1 nova mensagem na sua caixa de e-mails]

- Hmm, uma nova mensagem... Vamos ver do que se trata – balbuciou Koushiro, aparentemente falando sozinho, sentado ao computador do seu quarto.

Izzy clicou na mensagem e selecionou [Abrir], em poucos segundos correu os olhos por todo o texto e, ao finalmente terminar, uma feição assustada formou-se no seu rosto.

O Escolhido da Sabedoria engoliu seco e saiu em disparada para a casa de Taichi, levando no seu laptop uma cópia da mensagem recebida minutos antes.



Mundo Real 14:03 – Residência dos Yagami

- O quê foi Izzy, algum problema? Você parece nervoso... – disse Hikari olhando para o garoto parado à sua porta.

- Bom eu... o Tai está em casa? – respondeu Izzy deixando o assunto de lado, não achava que falar com Kari ia servir para alguma coisa naquela situação.

- ...Está. – disse a menina confusa, apontando na direção do quarto de Taichi.

- Obrigado! – soltou Koushiro, que sem esperar permissão entrou na casa, depositou seus sapatos na entrada e correu para o quarto de Taichi.


- Tai, rápido, tem uma coisa que eu tenho que te mostrar!

Tai encontrava-se sentado na mesa da escrivaninha, segurando um lápis e observando a folha da papel rabiscada à sua frente.
- Peraí, estou desenhando. Veja só, é o Agumon! – anunciou Taichi levantando-se e mostrando a folha com entusiasmo para o amigo. – E então, o que achou?

- Péssimo. Mas não é hora disso Tai.

- Como assim péssimo? Eu achei que ficou muito bom! E, aliás, porque essa cara? Até parece que outro Digimon vírus invadiu a Internet, dominando gradualmente todo o sistema de tecnologia do mundo... – brincou Tai fitando a expressão nervosa de Koushiro.

- Não, não é isso. É pior.

A declaração foi suficiente para chamar a atenção da Taichi, que assustado largou o desenho no chão e aproximou-se de Izzy.

- Pior? Como assim pior? – perguntou nervoso.
- Eu recebi um e-mail da Mimi! – declarou o menino, como se aquele simples fato fosse o fim do mundo.

Taichi ficou perplexo. Toda sua angústia sumiu, dando lugar a uma raiva incontrolável. Ele não sabia se agradecia por não ser nada grave, ou se partia para cima de Izzy com socos e pontapés por dar-lhe um susto tão grande. Após alguns segundos de reflexão, decidiu pegar leve com o amigo.

- Realmente Izzy, o Diaboromon nem se compara a isso! – ironizou Tai virando os olhos.

- Pois é! – concordou sem entender a ironia – E tem mais, era um e-mail de “amor”! – adicionou Izzy.

- De “amor”... O que quer dizer? – Tai deixou a raiva e ironia de lado e preferiu descobrir o que se passava de fato.

- Bom, veja você mesmo! – respondeu pousando o laptop na escrivaninha e ligando-o logo em seguida.

Em questão de segundos lá estava a mensagem, e Tai aproximou-se para lê-la.

[De: Tachikawa Mimi (mimi_kisses@hotmail.com)]
[Para: Izumi Koushiro (izzyk@gmail.com)]

Querido Izzy, quanto tempo não é?
Poxa, estou morrendo de saudades! Semana que vem estou indo para o Japão, meu pai tem uma conferência em Tóquio e eu vou aproveitar para passar por aí e rever o pessoal! Quem sabe podemos combinar de sair. Não se esqueça de mim, ouviu?

Beijos, Mimi.

- E então? Viu? – perguntava Izzy ansioso, olhando fixamente para Tai.

- Vi. E qual o grande problema nisso? – Taichi já perdia a paciência com toda aquela história, para ele e para qualquer pessoa comum aquela seria uma mensagem normal entre amigos. O problema é que Koushirou não era uma pessoa comum.

- Será que você não leu Tai? Ela praticamente me convidou para sair! – retrucou Izzy abismado com o comentário do amigo.
- Saia ué. O que tem de mais nisso afinal?

- Tai, veja bem, eu não sou esse tipo de pessoa! Só de ler a mensagem eu já comecei a suar!

- Ok, vamos lá Izzy. Não há motivo algum para pânico, ela apenas disse que vem para o Japão e que gostaria de te encontrar!

- Ok ok, tem razão, isso é normal... Mas ainda assim é assustador!

- Será possível que o Escolhido da Sabedoria não sabe nada sobre o amor?

- Não me provoque Taichi, não é hora para brincadeiras, estou numa situação complicada, se eu não responder logo esse e-mail ela vai achar que eu não me importo com ela, afinal, eu sempre respondo os e-mails em questão de minutos!

- Hmm, você tem razão. Vou te ajudar a elaborar uma resposta. Prepare-se para aprender com o grande Tai como conquistar as garotas!

Izzy fez uma cara de tédio ao ouvir as últimas palavras, e soltou:

- Conquistar? Assim como fez com a Sora?

- Izumi Koushiro, é bom que não me provoque se não quiser acabar com uns hematomas! Além do mais, eu nem devia estar perdendo meu tempo com toda essa baboseira.

- Tá bom, desculpa, não consegui evitar...

- Beleza, primeiro vamos deixar claro algumas coisas.

- Por exemplo? – questionou Izzy.

- Você gosta da Mimi? Quero dizer, não apenas como amiga. - Nesse momento Izzy corou.

- Ok, nem precisa responder – riu Taichi. – Vamos lá, essa é a sua melhor chance. O seu forte é a computação, tem que aproveitar!
- O que quer dizer? Sempre pensei que meu vício em computadores fosse um problema com as meninas.

- Não se você souber usar isso a seu favor, meu caro amigo! Todos nós temos nossas qualidades, por exemplo, eu jogo futebol (e muito bem, modéstia a parte), o Yamato canta e... bom, o Yamato não conta, só pela aparência dele as meninas já se apaixonam... O fato é que você tem que jogar com as cartas que tem!

- Ok, entendi! Vou... vou mandar uma foto nossa editada, talvez alguns corações... ou quem sabe um vídeo! – enumerava o garoto animado.

- Exato! É disso que eu estou falando rapaz! – Taichi envolveu Koushiro com seu braço direito, dando um leve tapinha no peito do amigo.

- Puxa Tai... Obrigado! – exclamou Izzy feliz da vida.

- Ah, não tem de que. Apenas deixe-me aproveitar esse momento, nunca tinha te ensinado nada antes, apenas aprendido. – brincou Tai mais uma vez.

- Ah vai se catar! – retrucou Izzy, mas não ficou bravo, pelo contrário, saiu do quarto sorridente, passou pela sala e despediu-se de Hikari que estava sentada no sofá.

Koushiro fechou a porta atrás de si satisfeito, bolando, em meio ao turbilhão de pensamentos que invadia sua mente, uma resposta para a garota que ele tanto amava.


Última edição por Petyr Baelish em Ter Abr 17, 2012 12:46 am, editado 5 vez(es)
avatar
Merz
Baby 2 (Younenki II)
Baby 2 (Younenki II)

100%
Masculino Mensagens : 148
Data de inscrição : 23/08/2011
Idade : 24
Localização : São Paulo - SP
Mensagem Pessoal : Happy, free, confused and lonely at the same time

http://www.merzworks.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Digimon: Forgotten Tales [One-Shot Collection]

Mensagem por Hikari no Hana em Qua Abr 11, 2012 8:32 am

... essa história tem continuação? Porque agora estou eu aqui curiosa pra saber como diabos termina a história! Sobretudo o que a Mimi achou do e-mail :p

E digo uma coisa, Taichi de conselheiro amoroso, após o caso da fivela de cabelo... bem, eu pediria ajuda pra Hikari, só pra garantir :p

E acho que tinha sido mesmo a única a não ler... mas continue postando e mudo isso rapidinho -Q
avatar
Hikari no Hana
Child (Seichouki)
Child (Seichouki)

100%
Feminino Mensagens : 276
Data de inscrição : 22/03/2012
Idade : 28
Localização : São Bernardo/São Paulo - SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Digimon: Forgotten Tales [One-Shot Collection]

Mensagem por Jyunirii em Qua Abr 11, 2012 8:46 am

THIS!


Já faz um bom tempo que não lia fanfics assim, realmente ambas me fizeram rir e... tá, Taichi de conselheiro amoroso foi simplesmente doido e ao mesmo tempo até que fiel a ele. E a primeira one-shot é de longe tudo o que a Mafy sonhou (fatos a parte) e eu me acabei rindo. eu gostei muito!


Tem mais one-shots? adoraria ler!

PS.: iria comentar sobre os nomes americanos mas foda-se as fics estavam tão fodas e leves de se ler que eu nem lembrei disto.
avatar
Jyunirii
Moderadores
Moderadores

100%
Feminino Mensagens : 1523
Data de inscrição : 04/08/2011
Idade : 20
Localização : West Shinjuku while I'm listening The Biggest Dreamer.
Mensagem Pessoal : Amigos ate que o Ryouki nos separe.


http://pixiv.me/033210

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Digimon: Forgotten Tales [One-Shot Collection]

Mensagem por izumi em Qua Abr 11, 2012 10:07 am

Petyr Baelish escreveu:
[De: Tachikawa Mimi (mimi_kisses@hotmail.com)]
[Para: Izumi Koushiro (izzyk@gmail.com)]
Ri muito disso, não sei porque. XD

Petyr Baelish escreveu:
- Hmm, você tem razão. Vou te ajudar a elaborar uma resposta. Prepare-se para aprender com o grande Tai como conquistar as garotas!

Izzy fez uma cara de tédio ao ouvir as últimas palavras, e soltou:

- Conquistar? Assim como fez com a Sora?

A melhor parte da fic está aqui, hahahaha. Pobre Taichi.

E eu também fiquei ansiosa por uma continuação! Essa one-shot está muito curta, rs
avatar
izumi
Baby 2 (Younenki II)
Baby 2 (Younenki II)

100%
Feminino Mensagens : 97
Data de inscrição : 07/04/2012
Idade : 25
Localização : RS

http://izumi07.deviantart.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Digimon: Forgotten Tales [One-Shot Collection]

Mensagem por Gust em Qua Abr 11, 2012 10:25 am

AWN

Eu prefiro Mimi x Jou, mas curti muito a oneshot ushadhuasdhua Muito bom, muito bom kk

Oneshots são legais de se ler. xD



Petyr Baelish escreveu:Gust comentou, what kind of sorcery is this?!

Fui pressionado psicologicamente ¬¬
avatar
Gust
Baby 2 (Younenki II)
Baby 2 (Younenki II)

100%
Masculino Mensagens : 54
Data de inscrição : 29/08/2011
Idade : 25
Localização : Far far away

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Digimon: Forgotten Tales [One-Shot Collection]

Mensagem por Lukiinhas' em Sex Abr 13, 2012 1:15 pm

Rsrs, desenterrando as pérolas xD
Enquanto vc nao lança coisas novas, posso me contentar em reler as antigas mesmo ;P
avatar
Lukiinhas'
Baby 1 (Younenki I)
Baby 1 (Younenki I)

100%
Masculino Mensagens : 11
Data de inscrição : 01/04/2012
Idade : 22

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Digimon: Forgotten Tales [One-Shot Collection]

Mensagem por Rayana em Sex Abr 13, 2012 4:45 pm

Ah, Taichi dá um excelente conselheiro, desculpem lá!! xDDD (dá para rir, isso não é bom?) Só ler as fics da Mimi-chan, esta faz lembrar as fics dela.

Ow, mas pareceste indeciso entre usar os nomes originais ou os americanos. Com pessoal que está habituado ao nomes da dobragem, acho que é melhor quando usam os nomes adaptados como "nicknames", sempre agrada a gregos e a troianos.

Venha as seguintes!
avatar
Rayana
Ultimate (Kyuukyokutai)
Ultimate (Kyuukyokutai)

100%
Feminino Mensagens : 1766
Data de inscrição : 19/08/2011
Idade : 28
Localização : Portugal
Mensagem Pessoal : Born to be wild.

http://rainbow09.comli.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Digimon: Forgotten Tales [One-Shot Collection]

Mensagem por Merz em Ter Abr 17, 2012 10:41 pm

Obrigado a todos pelos comentários! =3
Essa one-shot é um pouco mais pesada, fugindo do estilo das anteriores. Mas sabem como é, a FT tem de tudo...



Noite



Título: Noite
Gênero: Drama, Ação
Temporada: Após Digimon Zero Two
Personagem(ns): Takaishi Takeru, Yagami Hikari e Motomiya Daisuke & cia ...
Classificação: K+ (Cenas fortes)



- Laser Positrônico!

A enorme figura coberta por uma capa rechaçou o feixe de energia com desdém, e as duas órbitas cor de sangue que lhe ocupavam o lugar dos olhos cintilaram de prazer.

- Já disse que é inútil! – gritou, com uma voz aterrorizante. Seu braço erguido contra eles, as asas, que furavam o manto, batendo incessantemente e sustentando-o no ar. Por alguns segundos, o barulho cessou, e tudo ficou em silêncio...

- Chamas do Chaos!

- Protejam-se atrás de mim! – urrou outra voz ensurdecedora, ao passo que labaredas de mais de três metros de altura lamberam os céus e transformaram tudo ao redor numa fornalha sufocante. E antes que percebesse estava de joelhos, as juntas doíam-lhe, mas estava a salvo.

- Já disse que não podem me derrotar, pirralhos insolentes! – bradou Daemon, utilizando agora os dois braços, intensificando o poder do ataque.

- Aguente firme, Imperialdramon! – a voz de Daisuke parecia um sussurro em meio à sinfonia caótica que lhe tomava os ouvidos. A barreira protetora de Imperialdramon ganhava agora uma cor avermelhada, parecendo sucumbir à combustão das chamas a cada segundo que se passava, e o calor dentro da cúpula fazia-se notar intensamente.

- O quê nós vamos fazer pessoal? – Takeru olhava para os lados perplexo, numa tentativa de descobrir alguma forma de sair daquela situação, gotas de suor escorriam-lhe pelo rosto, e seus cabelos dourados eram uma mistura de poeira e cinzas.

- Estamos perdidos, não temos como derrotá-lo! – Iori deixou escapar um grito desconcertado, em meio aos soluços, lágrimas escorriam do seu rosto infantil - e naquele momento Takeru permitiu-se alguns segundos de pânico.

- Não pensei que ele fosse ser capaz de escapar daquele mundo – exclamou Ken. Dentre todos ele parecia o menos aterrorizado, mas Takeru sabia que aquilo era apenas uma máscara que ocultava um medo ainda maior do que o dos colegas.

- Não importa como ele escapou. Desta vamos vamos destruí-lo. Não podemos desistir! – Daisuke não parecia acreditar nas próprias palavras. Suas roupas estavam tão surradas que ele poderia facilmente ser confundido com um garoto de rua.

- Onde estão meu irmão e os outros afinal? – mesmo naquelas condições, ela parecia um anjo. Os cabelos de Hikari estavam um pouco mais compridos do que o habitual, "sem tempo para ir ao cabeleireiro", ela costumava lhe responder, mas a verdade é que ele achava-a linda de qualquer forma. Nesse momento seus olhos castanhos encontraram os dele, e não fosse a súbita resposta de Miyako, ele poderia ter ficado ali por séculos, apenas observando-a...

- Não sei, eu mandei uma mensagem para o Koushirou assim que os ataques em Odaíba começaram, mas parece que eles estavam com problemas em outros lugares... Espero que eles estejam a caminho!

- Seus Digimons foram derrotados. Acabarei com vocês, e então com os outros pivetes, e então o mundo será meu!

- A barreira... não vai... aguentar... – a voz de Imperialdramon estava mais fraca. Takeru olhou ao redor, Hawkmon estava caídos à poucos metros dali, em meio ao concreto destruído, a salvo do alcance das chamas, porém inconsciente. Armadillomon não tivera tanta sorte, fora reduzido à dados na primeira investida de Daemon.

- Não tão rápido, ser da escuridão! - uma voz masculina imponente fez-se soar de algum lugar do céu, seguida de outra, igualmente angelical, porém feminina - Volte para as sombras, seu monstro!

- Holy Angemon, Angewomon! - Gritaram seus parceiros, em uníssono.

- Flecha Celestial!

As chamas cessaram conforme Deamon se viu obrigado a desviar do projétil brilhante que cortou o ar em sua direção.

A flecha passou raspando no braço direito, provocando-lhe uma gargalhada dantesca - Pensam que podem me derrotar com golpes tão medíocres? Tomam-me por um tolo?

- Agora, Holy Angemon!

- Portal do Destino!

O vortex para o vazio surgiu quase que imperceptível sob a luz do luar, mas fez-se notar quando começou a sugar tudo ao seu redor com uma força surpreendente. Nunca antes Takeru via o golpe se comportar dessa maneira, parecia mais forte do que de costume. Mas Deamon não parecia tão disposto a deixar-se sugar.

- Chega! Vou acabar com todos de uma só vez!

- Inferno Ardente! – trovejou ele, mirando num ponto qualquer e gerando uma enorme explosão no solo.

A cena que se seguiu foi desastrosa. Pedaços de concreto por todos os lados, gritos ecoando por todos os lados e uma densa poeira instalou-se em meio a todo aquele inferno. Mas Takeru recobrou a consciência, ainda que abalado pelo forte barulho da explosão, seu corpo não apresentava ferimentos graves.

Tudo estava tão confuso, Takeru tateou o chão fragmentado à sua frente, numa busca incerta. Instintivamente suas mãos procuravam alguma coisa, alguma coisa da qual ele não conseguia se lembrar na hora... Hikari!

T.K estremeceu e um forte calafrio tomou-lhe o corpo no momento em que suas mãos encontraram o que procuravam. Hikari estava deitada, a poeira envolta complicava a visão, mas Takeru pode identificar o lindo rosto da Escolhida da Luz, ela sorria, como se estivesse em paz, seus olhos cerrados significavam alguma coisa, mas, no momento, isso era demais para o cérebro de T.K, tudo que ele via era o belo sorriso naquele rosto pálido, com alguns arranhões.

- Kari, T.K, Daisuke! Alguém pode me ouvir?

Uma voz irrompeu o silêncio na mente de T.K, uma voz conhecida... Taichi?

- Estou bem! – respondeu Daisuke de algum lugar por perto, Takeru não queria saber dos outros, alguma coisa o incomodava...

- Por quê ela não abre os olhos? - pensou libertando a mente do aparente transe.
- Kari, Kari! – gritava ele desesperadamente, sacudindo o corpo gélido e sem vida da jovem Yagami.

- Não está dormindo... está... ela está... - Takeru não podia aceitar o que seus olhos lhe mostravam, não podia acreditar em tudo aquilo, simplesmente não podia ser verdade. Piscou uma, duas vezes, nada aconteceu. Deu um tapa no seu próprio rosto, não parecia estar sonhando...

- Não!!! – desabafou, deixando sair todo ódio e angústia de dentro do peito. Hikari estava morta, nada mais fazia sentido.

Nesse momento o Digivice brilhou, mas não um brilho belo, uma luz negra. O D-3 foi tomado por uma energia maligna, uma sombra tão profunda quanto a própria noite.

- Isso mesmo garoto, sinta raiva, sinta o ódio, deixe que as Trevas tomem conta de você! – Deemon nada fazia sequer apreciar o momento, cenas como aquela eram deliciosas, toda a tristeza, a melancolia, o terror nos olhos daquelas pobres criaturas... Sim, nada no mundo valia mais do que aquele momento, nada podia deixá-lo mais contente do que finalmente executar sua tão almejada vingança.

- Você... vai... pagar... – sussurrou sombriamente o garoto de cabelos loiros. Takeru já não existia mais, sua aparência podia ser a mesma, mas sua mente não. Seu coração tinha sido tomado pelo ódio, estava completamente imerso no eterno Mar das Trevas.

E mais uma vez a luz negra do D-3 surgiu, dessa vez atingindo em cheio alguma coisa deitada em meio à poeira...

Patamon Megadigivolve para... ShadowSeraphimon!

A semente estava plantada, e o fruto maduro. Deamon sorriu mais uma vez, admirando sua criação, o resultado de todos seus esforços. Tudo estava acabado, tudo.

Naquele dia a Luz se foi, com um sorriso petrificado e sutil, deixando o mundo imerso na escuridão. Naquele dia, as Trevas venceram a não mais eterna batalha, quebraram o equilíbrio.

Aquele dia foi o último dia... Dalí para frente, só existiria noite.
avatar
Merz
Baby 2 (Younenki II)
Baby 2 (Younenki II)

100%
Masculino Mensagens : 148
Data de inscrição : 23/08/2011
Idade : 24
Localização : São Paulo - SP
Mensagem Pessoal : Happy, free, confused and lonely at the same time

http://www.merzworks.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Digimon: Forgotten Tales [One-Shot Collection]

Mensagem por Henry Aric em Qua Abr 18, 2012 8:31 am

Eu não li só a segunda fic, mas fiz questão de ler a primeira e a terceira e bem...

A primeira esta espetacular, uma história para chorar de rir. (e eu lendo essas coisas no serviço, haha) Esta bem a cara dos personagens. XDDDD

Já a terceira, uma fic bem pesadona a proposito. É visivel que a TOEI nunca retratou mortes humanas em digimon (ainda fico puto com o final de Hunters, eu esperava pelo menos a morte do Taiki!) e aqui você conseguiu retratar legal isso. Sem falar como você tratou a Esperança e a Luz, intimamente ligadas, e a morte de ambas, restando apenas escuridão. I approve this! =D

Essa terceira fic, em especial, cativou minha atenção por ser bem diferente das que estou acostumado a ler. Espero ver mais desse estilo. ^^

Eu só vou ficar devendo ler a segunda fic: muito adocicada para mim. >_<
avatar
Henry Aric
Child (Seichouki)
Child (Seichouki)

100%
Masculino Mensagens : 406
Data de inscrição : 20/08/2011
Idade : 26
Localização : Sorocaba - SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Digimon: Forgotten Tales [One-Shot Collection]

Mensagem por Hikari no Hana em Qua Abr 18, 2012 9:02 am

HHCG escreveu:Já a terceira, uma fic bem pesadona a proposito. É visivel que a TOEI nunca retratou mortes humanas em digimon (ainda fico puto com o final de Hunters, eu esperava pelo menos a morte do Taiki!) e aqui você conseguiu retratar legal isso. Sem falar como você tratou a Esperança e a Luz, intimamente ligadas, e a morte de ambas, restando apenas escuridão. I approve this! =D

É... confesso que, tirando o Oikawa virando borboletas, não houve mortes humanas, somente de digimons. Tudo bem que me deixavam tristes por dias, mas ainda assim... é legal ver como seriam se os digiescolhidos morressem. E ainda com meu casal do coração, logo com Takari... fiel ao que seria (sim, imagino muito bem o DarkTakeru em toda sua forma, acho que ele agiria bem assim, quando seu sentimento sucumbisse)... nossa, o coração doeu. Senti no fundinho da alma.

E claro, a associação Luz/Esperança mesmo no seu mais remoto fim... aprovado.

(apesar de achar que a Hikari jamais aprovasse que o Takeru sucumbisse assim, mas né, ela é morta e a coisa desanda exatamente por isso)

Parabéns!
avatar
Hikari no Hana
Child (Seichouki)
Child (Seichouki)

100%
Feminino Mensagens : 276
Data de inscrição : 22/03/2012
Idade : 28
Localização : São Bernardo/São Paulo - SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Digimon: Forgotten Tales [One-Shot Collection]

Mensagem por Merz em Sab Abr 21, 2012 2:37 pm

Comentários:
Apenas respondendo a alguma questões levantadas nos comentários da 2ª história...

Sobre os nomes, bom, na época em que escrevi as one-shots da FT eu ainda usava os nomes "americanos", e por conta disso, nas fics que eu não revisei, vocês podem encontrar eles. A ideia de trabalhar com nomes e apelidos até funciona, por exemplo Tai para Taichi, ou T.K para Takeru, mas simplesmente não rola falar Matt para Yamato, por exemplo xD Vou ver se reviso todas daqui para frente para evitar essas confusões. Sobre a possibilidade de uma continuação... por que não? Vou fazer xD

E sobre a 3ª história... Eu sempre idealizei como seria o Takeru sendo malvado xD Não sei porque, acho ele ridiculamente bonzinho e gentil, muito além do normal, por isso sempre gostei de pensar como seria totalmente oposto, principalmente pelo brasão dele sintetizar a Esperança e o Digimon são angelical e tal, acho bacana a ideia da luz x trevas mesmo e resolvi usar a Hikari como mediadora para isso acontecer hahaha

Agora vamos à próxima história, essa é romance o/

Ps: Acho que essa é a fic mais "random" do Forgotten Tales .-.



Sorveteria



Título: Sorveteria
Gênero: Romance
Temporada: Após Digimon Zero Two
Personagem(ns): Takaishi Takeru, Yagami Hikari
Classificação: K (Todas as idades)



- Ok, então está combinado, te vejo às 15:30!
- Ótimo, até lá então!
- Beijo!
- Beijo, bye!

Kari desligou o telefone e foi em direção ao banheiro. Ou pelo menos pensou em ir, pois logo que se virou deu de cara com os olhos interrogatórios de seu irmão observando-a de perto.

- Posso saber com quem você estava falando? – questionou Taichi com um olhar desconfiado.
- Hahá. Por que essa cara, nii-san? Era só o Takeru. – respondeu a menina dando uma curta risada.

Taichi aproximou-se da irmã e sentou lentamente na cadeira mais próxima, ainda com um ar interrogatório.

- Só o Takeru, ein? Notei que você tem falado muito com ele ultimamente... Por acaso tem alguma coisa que queira me contar? – Taichi sabia que não ia chegar a lugar nenhum, estava apenas enchendo o saco da irmã pois considerava divertido.

- Não é nada de mais Taichi, vê se não enche! – Até Hikari já perdia a paciência com o irmão, ele estava preso em casa por causa de uma gripe já faziam alguns dias e, em decorrência disso, matava seu tédio enchendo o saco de qualquer um que visse pela frente e, na maioria dos casos, ela era o alvo.

- Ok, eu não vou começar outra discussão com você, e vê se deixa de mau-humor só por causa dessa gripe! – respondeu ela precipitando-se para o banheiro e fechando a porta atrás de si. Ainda pode ouvir Taichi reclamando lá atrás...

- Não estou mau-humorado, só quero saber quais as verdadeiras intenções nesse encontro!

-----

- Como é? Encontro com a Hikari? – Yamato virou-se surpreso para o irmão.
- É! E preciso que você me ajude... por favor onii-san!
- Vai com calma Takeru... O quê exatamente você quer que eu faça?
- Sei lá, me ajuda! Eu não sei o que vestir, nem o que falar para ela...

- Hahá, calma T.K, vocês só vão à sorveteria da esquina! Não é exatamente um encontro a luz de velas. – ironizou Yamato com uma risadinha.

- Ah sim, caçoe, isso vai ajudar bastante! – retrucou T.K fazendo birra.

- Ok, desculpe. Maninho, não importa o que você vai vestir, a Kari não é o tipo de menina que só se importa com o visual, ela gosta de você pelo o que você é!

- Eu sei, mas eu quero causar uma boa impressão, ela é muito especial para mim...

- Haha, eu entendo Takeru. Vem cá, vamos escolher uma roupa tão boa que ela já vai te beijar assim que ver! – brincou Yamato, simulando um beijo com os lábios.

- B-Beijar? – Takeru olhou envergonhado para o irmão.

- Ai meu Deus...

-----

- Bye, onii-san, tô de saída! – gritou Kari abrindo a porta do apartamento.
- Espera aí mocinha, aonde você pensa que vai vestida assim?
- Ah me dá um tempo Tai! – Kari vestia uma roupa completamente normal, uma camiseta rosa clara sem decote e com mangas curtas, e uma calça jeans azul escura.
- Pois é, parece que eu vou ter que contar para o papai que a filha dele anda saindo com garotos às escondidas...

Kari não respondeu, apenas fuzilou o irmão com o olhar. Este entendeu o recado e viu que a melhor coisa a fazer a era mudar de estratégia.

- Poxa Kari, você vai deixar seu irmão aqui, triste e sozinho? – tentou a chantagem emocional.
- Eu já disse que eu volto logo Taichi! Para de encenação! – Kari já perdia a paciência com o irmão carente.
- Mas e se eu piorar? Não vai ter ninguém aqui para me ajudar...!
- Piorar? Você está com uma gripezinha! Só está aqui em casa porque a mamãe ficou neurótica com essas coisas desde... você sabe. – Olhou ligeiramente para o lado ao final da frase.

- Ok Hikari, você venceu! Vá lá se divertir e tomar sorvete enquanto eu fico aqui, apodrecendo na frente da TV e comendo os restos do almoço de ontem...

- Para onii-san! Não faz assim! Olha só, eu prometo que quando eu voltar eu faço um jantar incrível para você!
- Aé? E como seria? – Interessou-se Tai, levantando levemente a sobrancelha.

- Com tudo que você quiser! – Mas, pensou melhor - Ou, pelo menos tudo que o dinheiro que a mamãe deixou antes de viajar puder comprar...

- Então está prometido! Pode ir irmãzinha, mande lembranças ao Takeru por mim! – exclamou Taichi sorridente.

- Bah, chantagista! Agora que conseguiu o que queria ele não vê mais problema no meu encontro com o Takeru - falou para si mesma, fechando a porta.

-----

Takeru caminhava nervoso, não sabia se tinha saído cedo ou tarde demais, se estava muito elegante ou muito despojado e, principalmente, não conseguia tirar a palavra beijo da cabeça. Afinal, ele nunca tinha beijado nenhuma garota assim, como seria? Não sabia... só sabia que o suor escorria-lhe pela testa só de pensar nessa possibilidade.

E lá estava ela, na porta da sorveteria. À sua espera, mas, aparentemente, tinha acabado de chegar também.

- Err... Oi Kari. – disse o garoto coçando a cabeça, meio sem jeito.
- Olá Takeru. – respondeu a Escolhida da Luz com um sorriso, radiante como sempre.
- V-você está... linda. – aderiu com um esforço enorme.
- Obrigada! Você também está muito bonito! Não sabia que usava o cabelo assim para trás, nem esse tipo de roupa. – Takeru vestia uma calça jeans e uma camiseta coberta por uma camisa social branca, e seus cabelos estavam penteados para trás, aparentemente fixos graças à um gel.
- Bom é eu... o Yamato me ajudou a escolher – admitiu ainda mais envergonhado.
- Hahá, tudo bem, ficou ótimo.

Mesmo parecendo impossível, T.K corou ainda mais, e, para disfarçar soltou:

- Vamos entrar? Você primeiro... – Takeru abriu a porta como um verdadeiro cavalheiro e recebeu em troca mais um belo sorriso da menina, seguido de um sutil “Obrigada”.

Para a surpresa de ambos, a sorveteria estava deserta, salvo apenas por um ou dois funcionários conversando atrás do balcão, sem serviço devido à falta de clientes.

- E então, aonde você quer sentar? – indagou Takeru.
- Por mim tanto faz, escolha você. – respondeu a menina.
- Hmm, que tal ali? – apontou para uma mesa mais afastada, com apenas dois lugares.
- Está ótimo! – concordou Kari entusiasmada.

Uma vez acomodados nos bancos acolchoados, cada um de um lado da mesa, T.K e Kari chamaram a garçonete:

- Pois não? – perguntou a mulher de cabelos ruivos e sardas no rosto, um pouco mais velha do que eles.
- Eu vou querer um Super Sundae de Chocolate com Baunilha, por favor – pediu Takeru.
- E para mim... Vocês tem alguma novidade no cardápio?
- Temos o novo Sundae Sensação, tem saído bastante ultimamente – respondeu a garçonete, o último comentário até pareceu irônico, visto que a sorveteria não parecia muito movimentada.
- Ok, vou querer um desses! – pediu animada.
- Anotado! – e da mesma forma que veio a garçonete se foi, deixando os dois sozinhos.

Um curto silêncio dominou o ambiente entre os dois, ambos estavam meio constrangidos, não era comum ficarem assim sozinhos, sem um Daisuke reclamando ou coisa do gênero.

- E como vão indo os treinos de basquete? Ouvi dizer que seu time tem um jogo semana que vem... – Hikari quebrou o silêncio com certo receio.

- Ah, é verdade. Bom, está tudo indo bem, o time está preparado. – respondeu o Escolhido da Esperança evasivo, no seu ideal de encontro com a garota dos seus sonhos não continham conversas sobre basquete.

- Hmm, entendi... – Kari também não parecia muito animada para seguir com o assunto.

- Kari eu... – Takeru resolveu se declarar, mas foi interrompido pela garçonete, que chegou com as taças de sorvete.
- Aqui está, um Super Chocolate para o garoto bonito e um Sensação para a mocinha.

Novamente T.K corou, mas, dessa vez, foi culpa da garçonete, que percebeu a gafe e se retirou lentamente acompanhada pelo olhar fuzilador de Kari (o mesmo que ela lançou sobre Taichi momentos mais cedo).

Finalmente, os dois voltaram à atenção para seus sorvetes.

- Aii, droga! – soltou Kari após a primeira colherada generosa de sorvete.
- O que foi? – indagou Takeru sem entender direito a situação.
- O Sundae, fiquei tão animada que esqueci de perguntar qual era o sabor...
- E qual é?
- Menta! Puxa, odeio menta...
- Vamos trocar, eu como o seu.
- Nâo T.K! Eu sei muito bem que você também não gosta muito de menta!
- É... – Ele sabia que a garota não ia ceder – Que tal dividirmos então? Ele é mesmo grande demais para mim, não agüentaria comer sozinho. “Uma pequena mentirinha não vai fazer mal” pensou logo em seguida.
- Hmm... se você insiste!

Era a deixa perfeita para T.K, o momento que ele tanto tinha esperado.

- Olha só, experimenta... – e o garoto pecou um pouco do sundae com sua própria colher, levando carinhosamente até a boca da menina, que aceitou sem pestanejar.
- Ah, sujou aqui no cantinho – e, com a outra mão o garoto de cabelos loiros pegou um guardanapo e limpou os lábios da Escolhida da Luz.

Por alguma razão T.K sentiu que tinha ido longe demais, e recuou ambos os braços:
- D-desculpa, eu só...
- Shh. Não fala mais nada – dessa vez foi Kari que avançou, pousando dois dedos nos lábios do Escolhido da Esperança e cessando quaisquer explicações que estavam por vir.

E então ela atingiu seu objetivo, tocando seus lábios no dele, aos poucos os dois se envolveram totalmente no beijo, Takeru se sentia nas nuvens, assim como Hikari. Ambos brincavam com a língua um do outro, era uma experiência nova e radiante, mas que teve seu fim em breve, afinal, não era de todo agradável ser observado pelos olhares dos garçons e garçonetes atentos e desocupados do estabelecimento.

- Isso foi... – Takeru não conseguia achar palavras para descrever o que acabara de acontecer.
- Maravilhoso. – completou Hikari sorridente.
- Quer mais sorvete? – perguntou ele desviando o foco da conversa, numa tentativa de diminuir seu constrangimento.
- Não, prefiro outra coisa. – dessa vez Kari deu a volta na mesa e sentou-se ao lado de Takeru, beijando-o intensamente.

- É, nós temos que vir mais vezes à sorveteria...
avatar
Merz
Baby 2 (Younenki II)
Baby 2 (Younenki II)

100%
Masculino Mensagens : 148
Data de inscrição : 23/08/2011
Idade : 24
Localização : São Paulo - SP
Mensagem Pessoal : Happy, free, confused and lonely at the same time

http://www.merzworks.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Digimon: Forgotten Tales [One-Shot Collection]

Mensagem por Hikari no Hana em Sab Abr 21, 2012 6:33 pm

Gente... olha essa Hikari, que menina decidida XD Só uma coisa, Petyr... tá escrito que ela "pecou um pouco do sundae"... e eu imaginei um sundae pecador, como proceder?

De resto... tá bem divertida! E mais de minha imaginação fértil: pensei em Taichi e Yamato olhando do lado de fora da sorveteria, todos "huuuuum" -Q. Porque foi como eu fiquei agora, huahuahua!
avatar
Hikari no Hana
Child (Seichouki)
Child (Seichouki)

100%
Feminino Mensagens : 276
Data de inscrição : 22/03/2012
Idade : 28
Localização : São Bernardo/São Paulo - SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Digimon: Forgotten Tales [One-Shot Collection]

Mensagem por Merz em Ter Maio 01, 2012 1:52 am

@Hikari: Obrigado mesmo por continuar acompanhando. Essa última história ficou tosca, nunca gostei muito dela, mas está na coletânea né xD

... Next! (essa acho que é a minha preferida, pensei em reescrever e melhorar um pouco, mas optei por não)



Derrotados



Título: Derrotados
Gênero: Suspense, Paródia
Temporada: Após Digimon Zero Two
Personagem(ns): (???)
Classificação: K (Todas as idades)



Um silêncio profundo pairava naquele local desolado, nem frio nem quente, como se nem o clima não tivesse interesse naquele monte de nada. O céu melancólico, num tom cinza escuro, não mostrava estrelas, muito menos sol ou lua. Não era dia nem noite, simplesmente era aquilo, e ponto final. O solo pedregoso era cinza e irregular, e ao longe montanhas pontiagudas podiam ser vistas no horizonte.

Mas alguma coisa quebrava a monotonia daquele deserto. Vozes, cada vez mais altas... Sim, existiam seres em meio aquele inferno, seres desconhecidos, esquecidos, derrotados...

- Não, não! Eu tenho uma idéia melhor! Vamos esmagá-los devagar, um por um com a minha marreta! – exclamava Pinocchimon animado.
- Eu prefiro torturá-los até a morte! Hahahá – discutia MetalEtemon, igualmente empolgado.
- Ei, já sei, você quer brincar comigo? - Pinocchimon parecia uma criança mimada.

- Mas que perda de tempo, vocês são tão incompetentes que não matariam nem um Digitama! – bradava uma terceira voz, sarcástica e mau-humorada, era Myotismon.

- E eu suponho que o Sr. 3 vezes derrotado se considere melhor que eles. – outro indivíduo revelou-se, saindo de trás de um grande pedregulho.

- Ora, seu! – Myotismon mordia o lábio com ódio, fazendo com que uma fina corrente de sangue escorresse pelo seu queixo.

- Ah, vamos lá, não briguem rapazes, afinal todos sabemos que não vai levar à nada, não é mesmo? – a sensual Lady Devimon entrou em cena, surgindo juntamente de seu par assustador, Devimon.

- Ela está certa. Estamos confinados aqui eternamente, não podemos morrer nem voltar à vida, portanto é inútil continuar discutindo. – adicionou o anjo caído negro.

- Eu acho que devíamos continuar a discutir qual seria a melhor forma de destruir os Digiescolhidos! – MetalEtemon surge no meio da conversa, trocando olhares excitados com os presentes, que preferiram ignorar e voltaram cada qual para seus cantos escuros.

Mais afastados, encontravam-se o enorme Digimon máquina, Mugendramon e a serpente marinha de metal, MetalSeadramon, aparentemente esses dois estavam enlouquecendo naquele lugar.

- Seu maldito, essa pedra é minha! – gritou MetalSeadramon, indicado com a cabeça uma pedra qualquer, pousada no chão ao lado de Mugendramon.
- Não não é! Eu vi primeiro! – rugiu Mugendramon de volta, apossando-se da pedra com satisfação.
- Desgraçado! Vou te destruir! – retrucou a enorme cobra marinha, preparando seu laser de energia, como resposta, Mugendramon afastou-se um pouco e também mirou seus dois enormes canhões para MetalSeadramon.

- Ah não, vai começar novamente... – reclamou Myotismon, levando a palma da mão ao rosto num gesto de impaciência.
- Não sei quem eu odeio mais, aqueles Digiescolhidos ou esses dois! – adicionou Devimon igualmente fato da situação.

- Vocês tem que ser mais pacientes com eles. Estão apenas confusos, esse lugar deixa qualquer um asssim. – Lady Devimon mostrou-se novamente a pacificadora e, pegando a primeira pedra que viu no chão, planou até MetalSeadramon, que fitou-a interessado.

- E o que você quer?! Veio me roubar também?! – perguntou enraivecido.
- Não! Olha só, vim te dar essa pedra! – disse a Digimá, ironicamente gentil.

- Uma p-pedra? Só para mim? – Os olhos de MetalSeadramon brilhavam, fazendo da cena algo mais ridículo do que já era, visto que o chão ao redor estava repleto de pedras de todos os tamanhos e formatos.

- Sim, vamos lá, pegue! – Lady Devimon depositou calmamente o pedaço de rocha no chão, e afastou-se satisfeita.
- Uma pedra inteira, só para mim! Mwahaha, quem está rindo agora, Mugendramon?

Os outros decidiram deixar para lá, a situação era demasiada insuportável e o pior, comum para eles.

- Sabe Piedmon, antes de me destruírem o Jyuureimon disse que as crianças tinham alguma coisa que eu não tinha. – Pinocchimon aproximou-se tentando puxar assunto, o mesmo assunto de sempre no caso, pois já tinha falado sobre aquilo com todos ali presentes.

- Há, permita-me responder dessa vez... – interviu Myotismon – Vejamos, uma coisa que você não tem...? Essa é fácil! Coragem, dignidade, poder, inteligência, beleza...

- Eu não estava falando com você! – gritou o Digimon de madeira enfurecido, por mais que soubesse que a resposta de Piedmon não iria ser muito diferente.

Piedmon massageava lentamente a cabeça com as duas mãos, mesmo sabendo que a eterna dor de cabeça não iria passar, não enquanto estivesse ali. Sabia também que era perda de tempo pensar no tempo, porque o tempo não passava ali. Logo depois pensou que não importava se era perda de tempo ou não, porque afinal não precisava de tempo para nada. No final sua dor de cabeça acabou apenas por aumentar, já que nada mais fazia sentido.

- Realmente... lamentável – Uma nova voz surgiu naquele contexto, uma voz diferente, desconhecida. Num êxtase extremo todos se viraram para encarar o ser que emitiu aquele som, eles não escutavam nada além das suas próprias vozes há muito tempo, sendo assim era surreal escutar algo novo.

- Quem é você? – exclamou Myotismon para o nada, procurando, assim como os outros, pelo indivíduo misterioso, embora procure-se manter sua expressão fria a excitação corria claramente pelo seu corpo.

- Alí! – gritou finalmente MetalEtemon, apontando para o alto de uma rocha bem próxima, a mesma daonde Piedmon tinha saído momentos antes.

A figura misteriosa trajava uma capa negra, seu rosto oculto pelo capuz, salvo pelo tênue brilho no olhar, que podia ser visto mesmo à distância.

- Então “esses” são os inimigos das crianças escolhidas? Hahahá, de fato, lamentável; Mais parecem um bando de palhaços! – o vulto falava imponentemente, sem demonstrar medo algum daqueles Digimaus.

- Bom, tecnicamente o único palhaço aqui é ele – Myotismon apontou para Piedmon satisfeito por retribuir a humilhação que recebera momentos antes. Piedmon apenas meteu-lhe um olhar frio e voltou-se para o ser desconhecido.

- Deve ser louco se acha que pode nos insultar dessa forma e sair impune! – vociferou Piedmon possesso, se tinha alguma coisa que ele, o grande Mestre das Trevas, não suportava era ser provocado. – Myotismon! – olhou para o Digimon Vampiro que também preparava-se para atacar, a figura na capa negra mal parecia se importar com os dois, apenas olhava com desdém para os Digimons.

- Há, vamos acabar com isso! – gritou Myotismon, seguido por Piedmon.
- Grito de Morte!
- Feitiço Final!

Os dois golpes foram projetados numa fração de segundos, atingindo o alvo vestido de preto em cheio... Ou não. O vulto nada fez sequer gargalhar entusiasmado, os golpes por sua vez continuaram seguindo, como se tivessem atravessado o corpo do indivíduo; e acabaram por colidir com uma montanha mais afastada, causando grande destruição.

- Admiro seus esforços, mas é inútil tentar me ferir, eu não passo de um holograma.
- Há, seu covarde! Eu, espere, quer brincar com... – começou Pinocchimon, mas logo foi interrompido...

- Quem é você e o que veio fazer aqui afinal? – Devimon pronunciou-se.

- Agora sim podemos conversar, parece que vocês estão mais calmos. – olhou para Piedmon e Myotismon quando terminou a frase e aproximou-se numa velocidade impressionante, ficando basicamente no meio de todos Digimaus.

A figura suspeita retirou o capuz que lhe cobria a face, gerando caras de espanto em todos à volta.

...

- Genai?! – Piedmon quebrou o breve silêncio – Veio se vangloriar, seu velho desprezível?

- Em primeiro lugar, eu aparento ser bem jovem, obrigado. – De fato, a imagem era a mesma de Genai que aparece para ajudar os Digiescolhidos à destruir as Torres Negras espalhadas ao redor do mundo; só que mais sombria – E em segundo lugar, meu nome não é Genai, é Zed.

- Você acha que vamos cair nessa? Fala sério, velho ou não você não nos engana! – intimou MetalEtemon gesticulando com os braços, como de costume.

- Procurem entender... Eu já fui parte daquele conhecido como Genai, no entanto, quando os Guardiões da Luz se reproduziram para ajudar as crianças escolhidas a combater o mal, um erro ocorreu com um dos clones... Ao contrário dos outros, eu sou diferente, tenho personalidade própria, e ostento um ódio sem igual por aqueles que se autodenominam “Digiescolhidos”. Vim aqui com o intuito de recrutá-los, oferecer-lhes uma segunda, ou décima chance, no seu caso não sei quantas já teve, apenas ouvi dizer que foram muitas – Zed mantinha o olhar fixo em Myotismon nesse momento. – De qualquer forma, quero a ajuda de vocês para acabar de uma vez por todas com essas crianças escolhidas, e acredito que se trabalharmos juntos, teremos a vitória garantida.

O simples citar dos Digiescolhidos na conversa despertou o ódio e a raiva de todos, e a proposta de deixar aquele inferno foi mais do que o necessário para animá-los ao extremo. Piedmon olhou de relance para Myotismon e notou que ele tinha o mesmo plano, assim que escapassem assumiriam o controle...

- Sim – aderiu Piedmon com um sorrisinho maléfico – Agora as coisas ficaram interessantes...
avatar
Merz
Baby 2 (Younenki II)
Baby 2 (Younenki II)

100%
Masculino Mensagens : 148
Data de inscrição : 23/08/2011
Idade : 24
Localização : São Paulo - SP
Mensagem Pessoal : Happy, free, confused and lonely at the same time

http://www.merzworks.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Digimon: Forgotten Tales [One-Shot Collection]

Mensagem por Hikari no Hana em Qua Maio 02, 2012 11:55 am

"- E eu suponho que o Sr. 3 vezes derrotado se considere melhor que eles. – outro indivíduo revelou-se, saindo de trás de um grande pedregulho." Correção: Vandemon é o senhor 4 vezes derrotados, após Hunters. Ou MUITAS vezes derrotado, se contarmos quantos dele mesmo o Masaru derrubou -Q

(é, eu sei que foi escrita antes disso, mas valia a piada XD)

Gostei dessa. Versão dark do Gennai me gusta! Começou mesmo a ficar interessante... mas né, pena que jamais vamos saber o que aconteceu... a não ser que a TOEI resolva colaborar e -N

Essa é bem divertida, parabéns!
avatar
Hikari no Hana
Child (Seichouki)
Child (Seichouki)

100%
Feminino Mensagens : 276
Data de inscrição : 22/03/2012
Idade : 28
Localização : São Bernardo/São Paulo - SP

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Digimon: Forgotten Tales [One-Shot Collection]

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum